sexta-feira, 29 de abril de 2016

Brasil e as notícias indigestas

Preparando o governo dos patrões

Há dias que não consigo tempo para ler os jornais detalhadamente. No entanto, quero registrar algumas notícias relevantes que estão nas capas dos jornais:

1 - O Globo - quinta-feira dia 28/04/2016
- Temer planeja propor idade mínima para aposentadoria - Homens e mulheres SÓ poderiam requerer o benefício aos 65 anos.
- André Esteves volta ao BTG dois dias após o STF revogar a prisão domiciliar.

2 - Folha de S.Paulo - sexta-feira, dia 29/04/2016
- CUNHA recebeu R$52 milhões em propina, diz ex-vice da Caixa
- Temer nega candidatura em 2018, em aceno ao PSDB.

3 - Valor - sexta-feira, 29/04/2016
- Brookfield deve levar Odebrecht Ambiental - O fundo canadense de infraestrutura Bookfield está em negociação adiantadas para assumir o controle da empresa Odebrecht Ambiental.
- Valor de 27/04/2016 - Lewandowski obtém apoio a "pauta-bomba". Os líderes dos partidos na Câmara devem aprovar hoje a urgência do projeto de lei de reajuste dos servidores do Judiciário, o que permitirá que ele seja analisado diretamente me plenário, sem passar pelas comissões. Segundo o Planejamento, a proposta aumentaria os gastos em R$5,3 bilhões em 2016 e R$36,2 bilhões até 2019.

Observação do Blog:

Se antes de tomar posse, Temer e seus aliados no Congresso, no Judiciário, na imprensa e no empresariado já estão fazendo e dizendo tudo isto, imaginem depois que efetivamente virarem governo.


quarta-feira, 27 de abril de 2016

O Brasil enlouqueceu com o golpe

A imprensa mostra um outro Brasil

1 - De repente, não mais que de repente, a presidente em destituição desaparece do noticiário, sendo substituída pelo beneficiário maior do golpe, Michel Temer.

2 - Os empresários apresentam acintosamente suas pautas de Reformas Estruturais contra os direitos dos trabalhadores, como condição para o Brasil superar a recessão.

3 - Até o ex-ministro Delfim Neto começa a escrever considerações sobre os erros dos sistema político e eleitoral brasileiro. A culpa pelo golpe, portanto, é do sistema, não é dos golpistas...

4 - O PSDB finalmente resolveu declarar-se favorável ao casamento com o PMDB. Devendo indicar seus nomes para a composição do Ministério. Seria uma grande perda de oportunidade...

5 - A pressão para que hajam novas eleições cresce a cada dia, criando um grande constrangimento para os golpistas, principalmente do PMDB.

6 - A justiça mantém preso o presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e, ao mesmo tempo, liberta o banqueiro do BTG.

7 - Enquanto isto, o delator do PMDB reafirma que passou milhões de reais para Eduardo Cunha, também do PMDB.

8 - Finalmente, na Espanha, como não conseguiram compor um novo governo, serão chamadas novas eleições gerais para o próximo mês de junho. Se o Brasil também fosse parlamentarista, não teria havido a necessidade do golpe, da desmoralização do legislativo, do judiciário e muito menos da imprensa golpista brasileira.

9 - Enquanto se espera o desfecho do golpe e a posse dos golpistas, a economia piora a cada dia...

10 - E os movimentos sociais convocam as manifestações para o 1o. de Maio no próximo domingo.

terça-feira, 26 de abril de 2016

O golpe na Câmara, no Senado e no STF

A democracia pela metade

Qualquer criança sabe que a primeira regra de um jogo é que as partes devem respeitar o regulamento. Isto é, as normas devem ser respeitadas pelos competidores. É normal as crianças não gostarem de perder, como é normal na história os poderosos burlarem as regras quando percebem que estão perdendo. Isto é da natureza humana, querer levar vantagem em tudo. (Lembram da Lei de Gérson?). Daí a necessidade de as regras serem pré-estabelecidas e, se necessário, ter arbitragem para julgar as tentativas de fraude.

Os golpistas, reacionários, oportunistas e fascistas, no Brasil, também não gostam de perder. O problema é que o Brasil vinha de um processo de redemocratização e os vários setores da sociedade tinham jurado respeito à democracia e à liberdade.

Apesar das regras constitucionais, o Brasil vem passando por grave crise econômica e de representatividade. Traduzindo, além da crise econômica, temos um governo fraco e uma oposição cada vez mais hegemonizada pelos golpistas, reacionários, oportunistas e fascistas. O quê facilitou para que segmentos de centro-direita decidissem usar os radicais de direita para fazer o "serviço sujo".

Acontece que o "serviço sujo", o golpe do impeachment sem fato jurídico constitucional, precisa ser aprovado em três instâncias dos poderes formais brasileiros. Passar pela Câmara dos Deputados, depois pelo Senado e por último pelo STF - Supremo Tribunal Federal. Mesmo passando por estes poderes, precisa ter a simpatia ou conivência da população, cabendo à imprensa fazer o trabalho sujo de manipulação das informações.

A primeira votação golpista já foi feita na Câmara; a segunda será nestes dias no Senado e a última no STF, mais na frente. Todos juntos contra um governo fraco, que não soube enfrentar a grande crise econômica e não soube lidar com os "excelentíssimos senhores deputados e deputadas".

Dilma, no entanto, JAMAIS foi acusada de corrupta!

Como o golpe mais difícil já foi dado, o primeiro, o Senado tende a "ratificar" a decisão da Câmara, sem entrar no mérito do processo. E, o que é mais trágico, o judiciário que deveria agir em função das leis, decidirá politicamente, declarando que acatará a decisão do Senado.

Como  Pilatos, quando crucificou Jesus na cruz, o STF dirá que foram os deputados e senadores que condenaram a presidente Dilma. Cabendo à imprensa, também golpista, fazer a campanha de legitimação do golpe.

Só faltou combinar com o povo brasileiro e com a imprensa internacional.
Cada vez mais gente reconhece que levou "um golpe".
Estão tirando a Dilma para botar o Temer!
Isto não estava combinado no jogo.
Ficaram com a brocha na mão...

Além de não concordarem com o golpe, as delegações internacionais não entendem como é que o Brasil tem 35 partidos políticos e um presidencialismo refém do legislativo e da imprensa golpista. Só poderia dar nesta zona que estamos presenciando.

Tudo isto mostra que, até 2018, 
o Brasil estará à beira de um grande ataque de nervos,
podendo descontrolar-se a qualquer momento.
E não vai adiantar chamar as Forças Armadas.

sábado, 23 de abril de 2016

Golpe do impeachment e o trono manchado de sangue

Quando os fins justificam os meios

O mais difícil a direita já fez: 
Rompeu com a legalidade e a constitucionalidade.

Todos que contribuíram para aprovar o golpe contra Dilma e o PT estão com as mãos manchadas de sangue. Vivemos uma tragédia shakespeariana.

Desde a Folha de São Paulo e os juízes do Lava Jato e também os juízes do STF, passando pelos empresários e pelos parlamentares, todos eles estão com as mãos sujas de sangue.

O rei foi assassinado e o trono usurpado. 
Quando o reino voltará a ter legitimidade?
Somente depois que houver eleições gerais.
Que estão previstas para 2018.

Na peça, para que o trono voltasse a ter legitimidade, muita gente morreu e muitas famílias foram destruídas. No Brasil, para que voltemos a ter legitimidade, precisaremos "passar este país a limpo". Por mais que este jargão seja utilizado por uma pessoa que defende o "vale tudo", beirando ao fascismo. Nossas instituições estão desacreditadas e dirigidas por pessoas como Eduardo Cunha.

As instituições nacionais foram maculadas. 

A imprensa perdeu a imagem de neutralidade e assumiu o golpe conservador;
A justiça perdeu o pudor e deixou-se ser guiada por Gilmar Mendes;
Os partidos, que nunca foram ideológicos, assumiram seu lado oportunista;
O governo, que no segundo mandato perdeu-se na economia, desfaz-se diariamente;
As Igrejas, que tomaram partido contra ou a favor do golpe, aguarda a distribuição das benesses;
Os empresários que contribuíram financeiramente e dando ordens, cobram sua parte conservadora;

Os movimentos sociais, os acadêmicos e os artistas,
sabem que o mundo e a história já reconheceram o GOLPE;
como sabem que o governo conservador e neoliberal de Temer
vai pagar caro como retribuição ao apoio da direita e dos fascistas.

A direita brasileira já reconheceu que:
"Os fins justificaram os meios e um golpe a mais não vai destruir o Brasil,
embora destrua a imagem da nossa democracia".

Até 2018, muita água vai passar debaixo da ponte.
E, da mesma forma que na Europa choraram quando o nazismo chegou,
muitos deverão chorar quando este país pegar fogo.
E aí será tarde demais...

quarta-feira, 20 de abril de 2016

O Brasil entre as virtudes e os oportunismos

Um país à deriva

Sem governo, sem partido hegemônico,
sem judiciário neutro, sem imprensa,
sem legislativo e sem "luz ao fim do túnel".

Os conservadores sabem que "libertaram os monstros", como Bolsonaro e Cunha, e, por enquanto, ainda não sabem o quê fazer com eles.

Todos os analistas e palpiteiros que aparecem na imprensa são para justificar o golpe e apoiar barganhas para cargos e projetos no "novo velho governo do PMDB". Alguns são tão grosseiros quanto os próprios deputados. Estão se sentindo como "distribuidores do saque". Agora a festa é nossa. Dizem eles.

Enquanto as hienas e os lobos comemoram e dividem suas vítimas,
o povo assiste à tudo com receio e reflexão.

Para onde estamos indo?
Sem governo, sem partido hegemônico, sem judiciário neutro, sem imprensa neutra, sem legislativo e sem segurança. Quem se mantém em silêncio ainda são as Forças Armadas. Até quando?

Não podemos ficar somente "esperando a misericórdia divina", como disseram os Evangélicos.

O povo brasileiro vai continuar pagando a conta.
E precisa tomar seu destino em suas mãos.

Vai continuar sofrendo o desemprego, que aumentará de 10 para 20 milhões de desempregados, principalmente os pobres e menos escolarizados; vai passar a ter o arrocho salarial, com reajustes salariais abaixo da inflação; vai continuar a ser demitido do serviço público, seja nos municípios, nos estados e no governo federal; vai continuar a conter despesas em função do alto custo de vida e da inflação inercial. Vai ver implantada uma reforma da previdência tirando direitos e uma lei de terceirização e flexibilização de direitos que acaba com a CLT.

Tudo isto em nome de uma "nova ordem".

O Brasil não é parlamentarista, portanto, não pode derrubar governos, a não ser em caso de crime comprovado. Dilma tem seus erros, mas não cometeu crime. O que o mundo está presenciando no Brasil é mais um golpe latino americano com às bençãos dos Estados Unidos.

Tanto o Brasil quanto o Mundo precisam de um novo sistema de governo.

Dividir a democracia em três poderes não é mais suficiente. Os executivos, legislativos e judiciários estão obsoletos. Precisamos introduzir mecanismos de democracia direta, com conselhos dos mais diversos segmentos da sociedade, com mandatos específicos e poderes iguais ao judiciário e ao legislativo, cabendo aos executivos cumprirem Programas eleitos pelo povo e governado pelos conselhos e demais poderes.

Quem sabe a gente aproveite esta crise profunda que estamos passando e comecemos a construir uma nova sociedade, democrática, pluralista, com mandatos revogáveis em todos os níveis previstos na Constituição e respeitados por todos os segmentos.

O Brasil, por enquanto, vive nas mãos, mais de oportunistas, do que virtuosos.

Vamos fazer uma nova campanha nacional e internacional?
Um mundo solidário, um país com fronteiras interativas,
uma educação voltada para a cidadania,
trabalho e inclusão das crianças e dos velhos.

Afinal, a Terra é nossa pátria!
E o mundo está ameaçado.
Vamos fazer nossa parte.


terça-feira, 19 de abril de 2016

Brasil vai passar por inferno astral até 2018

Ditadura de classe e manipulações

Aparentemente, nas democracias, as classes sociais ficam diluídas. Aparentemente pobre pode ficar rico e rico pode ficar pobre. O problema é qual a proporção de pobre fica rico e qual a proporção de rico fica pobre. Outro problema é se as Regras do Jogo são iguais para todos ou não. Daí que se diga que a democracia é o melhor sistema de governo, desde que se respeitem as regras do jogo. O famoso fair play.

Por exemplo, todo mundo enaltece a "democracia americana", mas poucos sabem que, nesta democracia, se alguém ou algum grupo social tentar ameaçar a hegemonia branca, anglo-saxã, capitalista e protestante, este alguém ou grupo social é excluído da sociedade. Excluído no processo democrático ou punido com prisões e mortes. É o famoso "big stick". Que continua em vigor. Mas, apesar do "grande porrete", ainda é uma das melhores democracias do mundo. Perdendo apenas para as democracias da Europa Ocidental. Lá os parlamentarismos são melhores do que os presidencialismos americanos, incluindo a América Latina.

Aqui no Brasil, as regras ainda não estão formalmente legitimadas. Por isto que convivemos com períodos de ditaduras e períodos de democracia. Como os ricos não conseguem se legitimar pelo voto, periodicamente eles precisam interromper as democracias, implantar ditaduras através de golpes civis ou militares, e depois aceitarem à normalidade democrática, desde que não sejam ameaçados na sua hegemonia.

O PT ameaçou os ricos?
Ironicamente, não. Os ricos nunca ganharam tanto dinheiro como ganharam no período Lula. Então porque os ricos estão derrubando o governo Dilma? Porque ela não teve a mesma capacidade que Lula teve. Lula implementou o ganha-ganha com grande inclusão social e aumentou do capitalismo social no Brasil. Um grande fenômeno! E Dilma? Enfrentou uma recessão acumulativa, não teve a sorte que Lula teve com a marolinha e ainda se indispôs com o novo Congresso Nacional, além de se indispor com o Judiciário e a Imprensa.

Crise econômica com mau-humor político ou dá revolução ou dá golpe de Estado. Como a esquerda brasileira não se propõe a fazer Revolução, a direita aproveitou a recessão e o mau-humor da presidente e deu um golpe civil, moderno como recomenda o neoliberalismo e a gestão moderna internacional. Golpes softs e ditaduras softs... sem sangue, sem prisões e sem repressão ostensiva. Uma hegemonia consolidada com uma legislação casuística. E os ricos e novos ricos aplaudirão como estão aplaudindo o novo golpe no Brasil.

O estranho é que a imprensa internacional está noticiando que está havendo um golpe no Brasil. Por mais que nossa imprensa e os intelectuais conservadores, apoiados por juristas, digam que este impeachment não é golpe. Mas é só olhar as declarações de votos dos congressistas para perceber que ninguém via crime cometido por Dilma, eles só querem o poder. Mesmo que não tenham ganhado as eleições presidenciais.

Este tipo de golpe presidencial agora poderá acontecer também com os governadores e os mais de cinco mil prefeitos brasileiros. Estes novos ditadores não querem o Parlamentarismo modelo europeu, eles querem mandar sem precisar disputar os votos democraticamente. E ainda "elegem" Eduardo Cunha como seu heroi nacional. Durma com um barulho deste!

segunda-feira, 18 de abril de 2016

O golpe e a vitória dos Evangélicos

O Centro sumiu. 
Só temos Direita e Esquerda?

Ontem, na votação do impeachment, constatamos um fato histórico de alta relevância:
- O Congresso Nacional brasileiro ser hegemonizado pelos Evangélicos. Não tem aqui nenhum juízo de valor negativo. Também por ser religioso, respeito muito a militância evangélica. Mas o Brasil atual com seus 35 partidos políticos mostrou-se como um país de partidos subordinados às religiões.

O mundo viveu as guerras pela Reforma Protestante, a Revolução Francesa, a Revolução Russa e tantas outras revoluções para poder ter o Estado Laico, onde as religiões são separadas do poder do Estado. Principalmente em áreas como Educação, Saúde, Direitos Humanos e Justiça.

Como militante da Teologia da Libertação nos anos 70 a 90, vi com tristeza a Igreja Católica mundial ser controlada por conservadores que destruíram as Comunidades de Base e assim deram espaço para que as Igrejas Evangélicas substituíssem os católicos nos bairros da periferia e da nova classe média.

Ontem, os Evangélicos comemoraram sua nova conquista: O Congresso nacional.
Ou Eduardo Cunha não é Evangélico? Independente de ser corrupto ou não, predomina no seu comportamento o fato de ser militante evangélico e do vale-tudo. Pastores, missionários, bispos e militantes de base das Igrejas Evangélicas durante toda a votação, fizeram questão de mostrar que estão ali graças ao poder de suas  Igrejas e de sua Fé religiosa.

O que tem os Evangélicos que os outros deputados não tem?

Têm as Igrejas mais militantes do Brasil. Declarando-se como mais de 50 milhões de brasileiros militantes, que pagam os Dízimos (10% do que ganham); quando necessários pagam para que os bispos comprem novas Igrejas e novas estações de Rádio e TV. São solidários entre si, são estudiosos da Bíblia, portanto, precisam aprender a ler e praticar a leitura. Fazem a inclusão social militante.

Outro detalhe importante:
A Igreja Católica é uma só, enquanto as Igrejas Evangélicas são mais de 50. Só que elas se unem quando necessário. Os discursos dos Evangélicos durante a votação de ontem não distinguiam uma Igreja da outra.

A úncia curiosidade que fiquei ontem foi sobre a diferença entre os Evangélicos do PR e os do PRB. Parecia disputa entre o pessoal de Edir Macedo e o pessoal de outra Igreja Evangélica. Desculpem minha ignorância sobre as diferenças entre as Igrejas. Espero não ser injusto com nenhuma.

Porque os conservadores, a direita e os fascistas brasileiros se aliaram subordinamente aos Evangélicos contra o governo Dilma e contra as esquerdas?

Porque a Folha, o PSDB e os intelectuais neoliberais aceitaram subordinar-se a Evangélicos como Cunha em vez de fazer um papel de centro-direita?

Como a direita "civilizada" pretende recuperar a hegemonia conservadora no Brasil?

Continuo insistindo que nesta "guerra santa", a imprensa e o judiciário são tão manipuladores quanto os políticos. A ética e a coerência saíram em férias do Brasil e estão esperando as águas se acalmarem. Afinal, se até na História do Povo Hebreu conhecemos tanta traição, mortes e mentiras, o Brasil sendo tão frágil, também pode ter suas contradições entre o discurso e a prática. Democracia se aprende praticando...

Enquanto o Brasil não se acalma, a Esquerda tende a continuar unida na Frende Brasil Popular e Frente Povo sem Medo. Os Evangélicos continuarão sentindo-se mais poderosos, reivindicarão cada vez mais poder de mando e mais cargos no aparelho do Estado nacional. E como ficarão os conservadores de centro direita? Viveremos a "Era dos Extremos"?

O Brasil continuará dividido.
Nossa dúvida é se esta divisão será na Democracia ou na Barbárie.
Por enquanto, está explicitamente na Barbárie.

sábado, 16 de abril de 2016

O Brasil em compasso de espera

Para onde vai o Brasil?

Estamos todos refréns de blefadores, corruptos e aventureiros...

Quem está blefando mais? 
A imprensa?
A direita parlamentar?
Os governistas?
Os movimentos sociais?

Só saberemos depois da votação dos 513 deputados federais.

Enquanto o resultado não vem, todos se mobilizam, todos contam histórias e passam o tempo na internet atrás de novidades. 

Como o Brasil deixou de ser um país cordial para ser um país beligerante, sem segurança para as pessoas e as instituições, fui comprar mais um livro sobre a História da Humanidade no século XX. 

Comprei os dois volumes do livro de Winston Churchill, Memórias da Segunda Guerra Mundial.

Para se entender os dias atuais no Brasil e no mundo, é preciso ver como Churchill viu a Europa e o mundo no seu tempo. Um gênio!

Não consigo saber quem vai ganhar e quem vai perder na votação sobre o golpe do impeachment. Só  consigo saber que viveremos uma sensação da perda da inocência. Perda do bom relacionamento entre todos. Sobrarão a desconfiança, o preconceito e novas disputas...

Como consolo, ao sair andando pela Vila Madalena, encontrei estas belezas...


Belas flores e belos frutos...


Passarão o Céu e a Terra, mas a Natureza saberá recompor-se.

sexta-feira, 15 de abril de 2016

À direita assanhada e as flores

O golpe do impeachment chega ao dia D

A direita brasileira está vivendo uma euforia que deixa os conservadores envergonhados. Ver um empresário dizer que qualquer coisa serve para tirar Dilma, faz parte da natureza reacionária dos empresários, mas, para a direita intelectualizada como o PSDB, não deixa de ser constrangedor. Tão constrangedor que, agora que ficou claro para o povo de que, com o golpe, Temer vai dirigir o país, que os tucanos se esconderam e deixaram o serviço sujo explícito para o PMDB. Triste sina!

A imprensa, mais desarvergonhada do que os políticos, está fazendo o papel da terra arrasada. 

O judiciário já compartilha com os golpistas como será o novo governo.

Já os partidos de esquerda e os movimentos sociais, resistem com dignidade. Estará tudo perdido? Não! O jogo ainda não acabou e, mesmo se perder esta disputa golpista, o novo governo conservador e nas mãos dos empresários poderá enfrentar uma constelação nacional e de consequências imprevisíveis.

Enquanto segunda feira não chega, vamos admirando estas pequenas flores...


No meio das pedras, as flores dos trevos nascem e brilham.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

O Brasil vai à Guerra?

Frustração Nacional neste domingo

Qualquer que seja o resultado da votação no próximo domingo,
o Brasil viverá uma frustração muito grande.

Primeiro pelo fato de o país parar literalmente em função de uma disputa de hegemonia entre políticos, que envolveram o judiciário, a imprensa, os empresários e os movimentos sociais sem que efetivamente haja uma grande transformação;

Segundo porque qualquer que seja o resultado, o país continuará dividido, com sério risco de crise de governabilidade, forçando a economia a continuar estagnada, com desemprego e arrocho salarial;

Terceiro porque não há, por enquanto, ninguém com capacidade de liderar um grande acordo nacional. A liderança mais destacada para fazer isto ainda é LULA. Mas, mesmo Lula, enfrentará uma resistência muito grande do PSDB, da imprensa e do judiciário. Estes segmentos investirão no caos se forem derrotados neste domingo. Precisamos constituir uma Comissão de Pessoas altamente representativas para organizar um período de transição até 2018;

Quarto lugar porque o Congresso Nacional precisa aprovar uma lei que atualize as funções do Judiciário. O Brasil não pode ficar refém de juízes que usam suas atribuições partidariamente ou de forma inescrupulosa.

Quinto lugar porque a Imprensa não pode continuar colocando-se como estimuladora do caos e dos golpes. Da mesma forma que o Congresso Nacional precisa regulamentar o Judiciário, o mesmo precisa ser feito com a Imprensa.

Só de imaginar que a votação deste domingo será presidida por uma pessoa como Eduardo Cunha, já põe em descrédito qualquer processo em nome da moralidade e da ética. Cunha desmoraliza o Brasil.

Independente do resultado, os governantes precisarão fazer um grande acordo nacional de governabilidade, o Congresso Nacional precisará regulamentar o Judiciário e a Mídia. Porque não se aproveita o clima e se convoca uma nova Constituinte com Eleições Gerais em todos os níveis, criando assim uma oportunidade efetiva de um novo começo para o Brasil democrático?

Estamos vivendo um clima de guerra total, onde a verdade é o que menos importa. Mas, dependendo de como acontecer e o que vai acontecer neste domingo, o Brasil poderá entrar num caos social com violência generalizada.

Nas guerras, o difícil é sempre os começos, depois de começadas chegam as barbáries, as chacinas e as migrações violentas, como estão acontecendo no Oriente Médio.

O brasileiro passivo e obediente que existiu até agora, não existirá mais.

O que estamos presenciando é a necessidade de um novo pacto de convivência entre empresários e trabalhadores, urbanos e rurais, trabalhadores da iniciativa privada e funcionários públicos, jovens e velhos, crentes de todas as religiões, como também a convivência e o respeito às pessoas de todas as regiões do Brasil.

Todos os brasileiros e brasileiras exigem ser respeitados e a terem as mesmas oportunidades. O "cala a boca" e as carteiradas, os caixas dois, as contas fantasmas e os políticos inescrupulosos não podem existir mais neste Brasil atual.

A palavra CIDADANIA  já foi incorporada pelo povo brasileiro.
Falta fazer todos cumprirem as leis. 
O povo exige direitos iguais para todos.

Os pobres exigem ser tratados com Dignidade e Respeito.
Não subestimem a capacidade de resistência do povo.
Ela vai aparecer das mais diversas formas...



terça-feira, 12 de abril de 2016

Judiciário e Imprensa: Promiscuidade e Barbárie

Virou casa da mãe Joana

Tudo bem que o Legislativo esteja uma zona; tudo bem que os partidos não tenham programas nem ética; tudo bem que cada um torça para seu político;

Mas tem duas coisas que desmoralizam qualquer país e qualquer democracia:

1 - O Judiciário não pode ser visto como algo promíscuo e que investe no caos como está acontecendo no Brasil, onde qualquer juiz acha-se no direito de emitir sentença destituindo qualquer ministro de Estado, prender e convocar coercitivamente qualquer cidadão.

2 - A Imprensa também não pode ser instrumento de mentira, manipulação, incentivo à desobediência civil, nem tão pouco como instrumento golpista.

Até próximo domingo, dia 17, quando a Câmara Federal vai decidir se aceita o golpe do impeachment ou se mantêm o respeito à Constituição e à legalidade, o Brasil viverá um período de desordem, de crise de autoridade e de desrespeito às instituições.

Até domingo a ansiedade será geral, ampla e irrestrita.

Se os golpistas perderem, eles tentarão continuar a investir no caos.
Se os golpistas ganharem, vão tentar implantar um governo conservador, neoliberal, com mais desemprego, mais violência e mais repressão.

Não passando o golpe do impeachment, caberá a Lula liderar uma grande campanha de pacificação nacional, conclamando o diálogo e a retomada do crescimento econômico, além de retomar as políticas públicas e a inclusão social.

Vencendo a Democracia, Lula terá a grande missão de, mais uma vez, acalmar o Brasil e estimular a liberdade e a solidariedade. Como cada dia é mais do que uma batalha, precisamos estar prontos para os novos desafios. Mesmo que isto signifique fazer concessões e engolir alguns sapos.

Os demônios estarão soltos até a próxima segunda-feira, caberá a nós que defendemos a Democracia e a Legalidade fazer a nossa parte. Não vai ter golpe, vai ter muito trabalho para todos. Afinal, não existe almoço de graça.

Precisamos todos trabalhar muito, "orar e vigiar" e nos preparar para governar com todos e para todos. Apesar dos golpistas.

segunda-feira, 11 de abril de 2016

O golpe do impeachment e muitas notícias

Nesta semana, quem blefar mais ganha?

Vejam quantos fatos relevantes nesta segunda-feira:

1 - Temer divulga depoimento como se o golpe já tivesse sido aprovado. Incompatibilizando-se com condição de ficar na Vice se o golpe for derrotado;

2 - Na Comissão da Câmara, os golpistas conseguiram apenas 58,46% dos votos. Bem abaixo de 2/3, que seria 43 votos. Se sequer na Comissão os golpistas conseguem os 2/3, imaginem na Plenária Geral com 513 deputados?

3 - Lula, Chico e dezenas de artistas se encontram no Rio de Janeiro, dizendo: Não ao golpe!

4 - Lula e vários artistas falam para dezenas de milhares de pessoas nos Arcos da Lapa. O Rio de Janeiro continua na vanguarda política e cultural do Brasil;

5 - A Folha, para confundir, apresenta matéria sobre uma possível saída de metade da bancada do PT. Sabemos que Tarso Genro fala muito, mas também sabemos que ele não é louco... Na verdade, os golpistas tentam passar a ideia de que se o golpe não passar, o governo Dilma ficará ingovernável já que Lula seria impedido de tomar posse como ministro e até os parlamentares e prefeitos deixarão o partido. É a técnica de falar uma mentira centenas de vezes até as pessoas pensarem que é verdade...

6 - O jornal Valor apresenta matéria dizendo que a operação Lava Jato vai acabar até dezembro deste ano. Será que já estão preparando o abafa para não apurarem o PMDB e o PSDB?

7 - Enquanto a imprensa cria fatos para confundir a disputa, Brasilia vive sua primeira divisão física da história. Metade do espaço para a Direita e a outra metade para a Esquerda. CONSTRUÍRAM O MURO DA VERGONHA! Pena que não seja uma Revolução Francesa. O Brasil está mais para a contra revolução espanhola de Franco e seus fascistas.

8 - E as redes sociais apresentaram uma gravação de uma jornalista, parece que da Globo, onde ela estava desesperada dizendo que o golpe ia fracassar e que iriam perder a disputa por causa da venda de votos. Quem está comprando quem?

9 - Para confundir mais ainda, até a TV Cultura de São Paulo, que já foi séria, nesta segunda-feira apresentou no Roda Viva o exemplo de honestidade e sanidade nacional: Roberto Jefferson.

10 - Por último, se a votação na Comissão da Câmara parecia "Escolinha do Professor Raimundo", imaginem como vai ser a votação no Plenário, com 513 deputados fazendo declarações de voto. A votação vai demorar três dias...

Me poupem?
Não, o Brasil precisa passar por esta experiência.

Democracia não se ganha.
Conquista-se!

domingo, 10 de abril de 2016

Ainda temos Lula

Ainda temos as flores

A direita golpista está atordoada dizendo que a Folha a traiu e agora só fala em eleições...

A Folha confunde a todos com suas pesquisas eleitorais. 

E se matarem o Lula? 
Será por ordem da imprensa, do judiciário ou da loucura de algum imbecil? Pode ser por um pouco de cada. Um país nas mãos de um louco chamado Eduardo Cunha.

Por isso, teremos uma semana infernal. 
Vão inventar mais quinhentas denúncias, vão tentar prender mais gente, o judiciário vai inventar pareceres e sentenças provisórias e a imprensa vai dizer 24 horas por dia que, se não tirar Dilma, será o caos. Como se o caos não fosse culpa de todos estes golpistas...

Mas esta semana começa com Lula e Chico Buarque juntos no Rio de Janeiro. O povo carioca estará nos Arcos da Lapa cantando: Não vai ter golpe!

Como não irei para o Rio. Já que estarei em Sampa, mando estas lindas flores. Flores dos pés de trevos...


Variações sobre o mesmo tema...


Mais uma foto desta rara florzinha...


O Brasil resiste aos golpistas e continua lindo, com o Rio de Janeiro.

sábado, 9 de abril de 2016

O Rio continua a capital da cultura

Rio de Janeiro estará com Chico e Lula nesta segunda

Unidos em torno de Chico Buarque, artistas de vários estados brasileiros estarão reunidos em grande ato a partir das 17:00 h desta segunda feira. Será nos Arcos da Lapa e num salão que não lembro o nome, mas é ao lado dos Arcos da Lapa. Parece que o nome é FUNDIÇÃO PROGRESSO.

Imaginem LULA e CHICO juntos no Rio de Janeiro 
defendendo a DEMOCRACIA e dizendo:
- NÃO VAI TER GOLPE!

O mais importante deste ato é que, além de mostrar que o Rio continua na vanguarda cultural brasileira, muitos destes artistas são profissionais da Rede Globo, empresa que é uma das líderes dos golpistas. Deixar claro para o povo brasileiro de que a posição da Globo não é a mesma posição dos profissionais da cultura é uma grande demonstração de coragem e de firmeza politica.

Parabéns ao Rio de Janeiro!
O Rio de Janeiro continua lindo!
O Rio de Janeiro continua sendo a vanguarda do Brasil!


quinta-feira, 7 de abril de 2016

O Brasil e a guerra civil espanhola

Como evitar novas tragédias 

Hoje este blog completa seis anos de existência. Foi exatamente no dia 7 de Abril de 2011 que o pessoal da formação sindical dos bancários apresentou-me ao blog criado por eles com a tarefa de eu ter que abastece-lo com casos e causos... Já são mais de 450 mil acessos em mais de 120 países, incluindo a Espanha.

Hoje, depois de ler os jornais brasileiros onde há ampla defesa do golpe para derrubar o governo Dilma, nossa filha chega diretamente de Madri com um belo presente: o livro de Ludwig Renn, Lá Guerra Civil Espanhola - crônica de um escritor nas brigadas internacionais.

Vejam a foto da capa


O Brasil nunca teve uma guerra civil. 
Não sei se é virtude ou defeito...
Como religioso acho uma virtude,
Como político acho um grande defeito.

Nossa capacidade de acomodação e de conciliação 
Nos mantém mais no atraso do que no progresso.
Os negros e negras que digam.

Na guerra civil espanhola, lá passionaria cantava:
Non passaron!
E passaram na Espanha, no Chile, na Argentina na Europa nazista...

No Brasil de hoje estamos cantando:
Não vai ter golpe!
E penso: Vai ter guerra civil?

Só Deus sabe...
Só sei que na Espanha atual, por ser parlamentarista,
Não tem governo, mas tem democracia.

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Estadão: Caderno 2 faz aniversário

30 anos de boas notícias culturais

Um dos motivos que eu mantenho minha assinatura do jornal O Estado de São Paulo, apesar de politicamente ter virado um jornal fascista, é a qualidade do Caderno 2. Como a parte política do jornal está uma desmoralização da história do Estadão, leio a parte Internacional, a parte de Economia e, principalmente, o Caderno 2.

Sempre fico com medo de os novos donos do jornal interferirem nos demais cadernos, destruindo o pouco de bom que resta no jornal... Na minha inocência eu penso: Se eu mantiver a assinatura e regularmente elogiar a parte boa, talvez os fascistas não contaminem a parte boa do jornal. Parece que está dando certo.

Tem hora que eu acho que os novos donos do Estadão são FHC, o Serra e o pessoal do Itaú. Mas nunca li uma matéria sobre os novos donos. Parece com a revista IstoÉ. Será que são os mesmo donos? Por falar em ruindade e fascismo, a Veja até anda fazendo propaganda na Folha. Quem está influenciando quem? A Folha ou a Veja?

Outro dia perguntaram-me porque assino dois jornais reacionários politicamente  - a Folha e o Estadão - eu respondi que, além de necessitar de informações econômicas, históricas e culturais, ainda não temos jornais de esquerda no Brasil. Lamentável! Amplio minhas informações com leituras de livros e internet.

Mas o aniversariante de hoje é o Caderno 2 do Estadão, que consegue ser melhor do que o caderno Ilustrada da Folha.

Parabéns aos herois da resistência!
Viva o Caderno 2!

terça-feira, 5 de abril de 2016

Cunha solto e Marcelo Odebrecht preso?

Não estou entendendo nada...

Em qualquer país do mundo, ser grande empresário é um mérito. É claro que cabe ao Estado e à comunidade fiscalizar as empresas, as instituições e às pessoas para evitar excessos e abusos...

O Brasil sempre teve uma tradição de excessos e abusos...  Ficando muito famosa a frase "rouba mas faz". Que vale para políticos como vale também para empresários e funcionários públicos bem sucedidos.

Nesta terça-feira, quando fui trabalhar, ouvi no rádio que o STF ia julgar os recursos do empresário Marcelo Odebrecht. Cheguei à noite em casa e, ao olhar o noticiário, só vejo o deputado Eduardo Cunha questionando a sentença de um juiz do STF.

Será que não julgaram os recursos de Marcelo Odebrecht?
Se não julgaram, o que aconteceu?
Será que o noticiário no rádio estava errado?
No Brasil atual tudo é possível,
até elefante voar...

Com tudo que se fala de Cunha, das listas da Odebrecht, das listas no Panamá e de familiares de FHC e de tanta gente conhecida, passamos a ver quase como normal, um condenado por corrupção coordenar o processo de impeachment e, ao mesmo tempo, um empresário como Marcelo não poder defender-se em liberdade.

Enquanto Marcelo Obedrecht paga o mico da cadeia, pessoas inescrupulosas como os dirigentes da Fiesp, além de não serem solidárias com Marcelo, gastam milhões oriundos de impostos para fazer campanha política contra o governo. Sem contar a fraude do pato Holandês.

Não estou entendendo nada...

domingo, 3 de abril de 2016

O STF vai deixar Lula tomar posse?

Lula ajuda ou atrapalha?

Quem conhece Lula sabe que ele pode ajudar mais do que atrapalhar.
Afinal, se não vai ter golpe, se o impeachment vai ser derrotado na Câmara e se o TSE não tem como cassar a presidente e seu vice; considerando que o Brasil precisa voltar a andar para frente, nada melhor do que ter um primeiro ministro que já provou sua competência com os dois melhores mandatos presidenciais que o Brasil já teve.

É evidente que, se Temer fosse assumir a presidência, ele teria um ministério mandado por pessoas como Cunha, além de ter um ministro da Fazenda informal como José Serra. O que levaria o Brasil a mais impasse, mais recessão, mais desemprego e mais corrupção.

A renúncia ou a convocação de eleições gerais antecipadas, incluindo aqui eleições de presidente, vice, deputados federais e senadores, para que o novo governo tenha governabilidade, este caminho é o mais recomendável, porém é o menos provável que seja aprovado por este Congresso Nacional que está aí.

Caberia então a Lula conclamar todos os segmentos da sociedade brasileira e os investidores internacionais a dar uma trégua ao Brasil. Mesmo que seja uma trégua de seis meses, para Lula formar um governo de união nacional, flexibilidade de posições, redução das intransigências e maior valorização das instituições. Quem conhece Lula sabe que ele é capaz disto...

Uma coisa importante neste processo é separar a operação Lava Jato da política. Combater corrupção é importante, desde que a lei valha para todas as pessoas e todos os partidos políticos.O quê não vem acontecendo...

Para isto, o STF precisa voltar a fazer cumprir as instâncias jurídicas, já que o que temos é uma promiscuidade em todos os sentidos. O mais difícil vai ser combinar o jogo com a imprensa, que representa a parcela mais incendiária do Brasil atual. Mas, para evitar que a crise política se transforme em guerra civil, até a imprensa deve cooperar...

Como já passamos o 31 de Março e o 1o. de Abril, quem sabe o STF nos dê uma grande notícia, deixando Lula tomar posse e torcendo para tudo dar certo? Seria uma contribuição para acalmar o Brasil e semear novas esperanças.

E vamos disputar as próximas eleições presidenciais em 2018.
E que seja o quê Deus quiser...


sábado, 2 de abril de 2016

Brasil: Sem Justiça, sem governo e sem legislativo

Um país entregue à barbárie 

Quando você não pode confiar na Justiça, quando você já não confia nos governantes, quando você considera os parlamentares corrompidos, corruptos e corruptores, quando você não confia e não acredita no que a imprensa diz, quando seus pastores e bispos viram deputados, senadores e candidatos a prefeitos, colocando seus interesses escusos acima da fé em Deus e da coerência religiosa, você começa a desconfiar de sua comunidade e de seu país.

Como superar esta crise que estamos passando?
Como chegar a um acordo que evite mais prejuízos e mais violência?
Como voltar a acreditar nas instituições ?

Creio que ninguém tenha respostas. Podemos ter sugestões...

De ontem para hoje, ao ver, mais uma vez, a direita, os juízes partidários usar a polícia federal e o ministério público para voltar pela enésima vez ao caso Celso Daniel, fiquei mais assustado ainda. 

Como botar limite na estupidez humana ?
Quem vai botar limite num juiz que começa a dar sinais abusos de todos os tipos? Que considera-se acima das instituições e da hierarquia? Será que este juiz acha que ele é um novo Napoleão Bonaparte?

Eu, que conheci Celso Daniel, fico pensando: 
Será que não vão deixá-lo em paz?
Apurar os corruptos de todos os partidos não seria mais atual do que querer retomar mortos de mais de dez anos que já foi amplamente investigado na época de FHC? Qual é o critério de prioridade? Exclusivamente ser do PT? 

Outro dia uma pessoa perguntou-me porque tenho mostrado poucas flores e eu respondi que o clima político estava matando as flores.

Hoje, ao ver tanta baixaria contra o PT e o caso Celso Daniel, achei importante anexar umas flores...


Flores num caminho de pedras, como jardim japonês.
Quem sabe o Brasil um dia será tão ético como o Japão.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

O Brasil diz NÃO ao golpe

Alegrias, emoções e medos

Como se fosse uma luta de David contra Golias,
o povo brasileiro ontem foi às ruas dizer NÃO AO GOLPE.

Pela primeira vez, vi todos os Estados brasileiros se manifestarem nas ruas. Por mais que tenhamos sindicatos filiados em todos os Estados, tenhamos CUTs em todos os Estados, tenhamos também partidos progressistas em todos os Estados. Foi esta a primeira vez que vi TODOS OS ESTADOS dizendo não ao golpe.

Porque comparar com uma luta de David conta Golias?

Porque o povo pobre, a classe média, os intelectuais, os movimentos sociais, os sindicalistas, todos juntos representam O TRABALHO, a mão de obra, os obreiros, enfim, a Classe Trabalhadora. Estes estão conta o golpe.

Enquanto que do lado dos golpistas estão os patrões com suas entidades patronais como a FIESP; estão os canais de TV, liderados pela Rede Globo, estão as redes de rádio e também os jornais e revistas; está uma parte importante do judiciário, uma boa parte da Polícia Federal e uma maioria de políticos corruptos e corruptores.

Apesar de todo este monopólio patronal, o povo brasileiro resiste! 

A solidariedade internacional cresce a cada dia. Mas não devemos nos esquecer da Guerra Civil Espanhola. Os jovens e o povo estavam a favor do Governo Republicano, já os conservadores, os fascistas e nazistas estavam com os golpistas liderados por Franco. A segunda guerra mundial começou para valer a partir da guerra civil espanhola. O Oriente Médio está sendo o grande ensaio desta possibilidade de uma nova guerra mundial, mas, o Brasil pode explodir e desequilibrar os poderes regionais, provocando novas guerras em novas proporções...

Olhando as fotos de todo o Brasil, olhando as fotos das manifestações nas principais capitais do mundo, todos elas contra o golpe, fiquei emocionado e lembrando-me de uma frase que uma amigo repetia ontem: "Viramos o jogo! Não Passarão!" Eu, como velho militante, respondia... "Cada dia é uma guerra em várias frentes, não é sequer uma batalha. A direita brasileira e os golpistas perderam o escrúpulo e o pudor. A direita partiu para o tudo ou nada".

Os velhos sempre são mais cuidadosos do que os jovens entusiasmados e destemidos. Ambos são imprescindíveis: tanto a ousadia dos jovens, como o cuidado dos velhos. O importante é não deixar de lutar pela democracia e pela liberdade.

Os golpistas adoram ditaduras e censuras, os golpistas adoram dizer que os juízes são os donos da verdade e que cabe aos civis obedecerem aos juízes e aos militares. Os golpistas só gostam do povo, quando o povo vota nos seus candidatos e o povo não ameaça sua  hegemonia.

Hoje, vou trabalhar com muita alegria, com muita emoção e com muito medo.
Medo de não ver nossos sonhos vitoriosos democraticamente, medo de ter que ir a luta com algo mais forte do que nossas ideias e nossos corações.

Ainda bem que, além do povo, nós temos Chico Buarque 
e tantos artistas, tantos intelectuais, tantos juristas
e juízes honestos, tantos professores, tantos estudantes,
tantos trabalhadores do campo e das cidades.

Ainda temos um grande Brasil para incluir os milhões de brasileiros 
que anseiam por um Brasil para todos, de todos e como todos.
Ah!
Ainda temos o LULA.