quinta-feira, 3 de março de 2016

- 3,8% no PIB de 2015

A Herança Maldita de Joaquim Levy

Hoje saiu o resultado do Ajuste Fiscal na economia brasileira no ano passado. Uma redução de 3,8%. O pior resultado desde o início da medição pelo sistema atual há 25 anos.

Levy, como aprendiz de mecânica formado em engenharia, achou que bastava desmontar o carro andando e escolher as peças a ser substituídas e depois remontar o carro que daria tudo certo. Deu tudo errado. O Brasil está desorganizado, mas Levy continua empregado. Muito bem empregado, diga-se de passagem. Já o povo brasileiro, este sim está pagando a conta. Da mesma forma que os países que saíram das guerras se reergueram, o Brasil também tem condição de sair desta guerra híbrida e retomar o crescimento econômico e recuperar os empregos.

A culpa é só de Levy?
E a parte de responsabilidade da presidência da república?

Sim, a presidente tem sua parte de responsabilidade. Quiz fazer uma agrado neoliberal e acreditou no diagnóstico do mecânico aprendiz e entregou seu carro para o conserto. Recebeu o carro pior do que entregou... E lembrem que Levy sequer tinha votado em Dilma.

Levy parece aqueles consultores de reengenharia empresarial, que desestruturam as empresas em dificuldades, depois vão embora e deixam as empresas quebradas nas mãos dos donos e seus familiares.

Valeu a lição para a presidente e para todos que apoiaram Joaquim Levy e seus ensinamentos aprendidos nos Estados Unidos.

É bem melhor ter um Nelson Barbosa, cuidadoso, tímido, mas que vai buscando soluções mais concretas para todos os setores da economia, do que economistas com mania de jornalistas sabe-tudo.

Agora com novo ministro da Justiça, o governo tem condições de começar de fato a ter governabilidade. O Brasil só precisa tirar Eduardo Cunha da presidência da Câmara e o Congresso Nacional começar a contribuir para a retomada da economia, em vez de ficar negociando contrapartidas financeiras espúrias.

Como nem tudo que brilha é ouro; nem toda pessoa que tem nome bíblico significa virtuosidade...

Nenhum comentário:

Postar um comentário