sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Que fazer com o Brasil?

Qual é o limite para a Imprensa?

A imprensa conseguiu fazer com que as pessoas passagem a sentir que o Brasil virou um prostíbulo de beira de estrada no interior do Brasil. É claro que, para a imprensa conseguir isto, contou muito com o apoio do Poder Judiciário e da Polícia Federal. Além da contribuição dos políticos, é claro.

Que a legislação partidária e parlamentar no Brasil é um atraso de vida, todo mundo sabe. Que os políticos gastam mais do que recebem de salário, todo mundo também sabe. Mas, mesmo com tantas benesses, os políticos também são chegados a exageros e relações incestuosas ou promíscuas com os empresários que patrocinam suas campanhas eleitorais e seus mandatos. Tudo dentro da lei, é claro.

A imprensa acusa Lula de misturar o público com o privado, dizendo que ele usou construtoras para reformar os imóveis que ele usa, em troca de benefícios públicos. Este debate entre o público e o privado merece uma discussão mais profunda, devendo ser objeto de aprendizado desde o primeiro ano de escola. Os familiares dos governadores e ministros usarem aviões e helicópteros para viagens é direito público ou privado? O uso de motoristas e carros para fins familiares é público ou privado? Lula errou? Pode ter errado. O debate é longo...

Agora, quando um procurador ou um policial federal usando do direito de acesso confidencial de dados e processos de pessoas físicas e jurídicas, com intenção política que extrapola sua função jurídica, repassa informações a jornalistas e empresas de comunicação com o objetivo de denegrir a imagem destas pessoas, estes profissionais servidores públicos estão contrariando as leis e fazendo política em vez de fazer Justiça.

Qual é o limite para esta promiscuidade?

Este mistura abusiva e ilegal de direitos entre o público e o privado é bem pior do que o que falam que Lula pratica. Vivemos um período histórico onde as instituições estão sendo desvalorizadas e violentadas. E, se os representantes dos poderes públicos, agem fora da lei, isto estimula para que qualquer cidadão se sinta no direito de fazer o mesmo. Desrespeitar a lei e levar vantagem em tudo.

Como restabelecer a ordem e a lei no Brasil?
Este é o dilema atual.
Podem prender todos que apoiaram ou fizeram negócios com Lula. Mas, se a lei vale para um, acabará valendo para outro e aí faltará cadeia para tantos presos. Precisando usar Estádios de Futebol como a ditadura militar fez no Chile de Pinochet. O mesmo aconteceu na Revolução Francesa...

A imprensa quer o retorno da ditadura no Brasil. Esta burocracia de procuradores, juizes e policiais federais está exercendo o papel de maior interessada e executora do arbítrio como "os garantidores da ordem e da lei". Os empresários estão acovardados. As instituições civil, incluindo a OAB, estão acovardadas. Parecemos o Governo Vichy na França ocupada pelos Nazistas...

Até quando aceitaremos tudo isto passivamente? 


Nenhum comentário:

Postar um comentário