quarta-feira, 11 de novembro de 2015

A morte e a velhice que nos rondam

Como lidar com as perdas?

Ando fazendo vários exames de saúde, tentando descobrir e consertar alguns problemas que têm aparecido. Toma tempo, custa dinheiro e você descobre o quanto nosso sistema de saúde privado e público é precário.

Convênios Médicos, remédios e derivados da industria farmacêutica são verdadeiros absurdos e abusos. São grandes problemas e desafios individuais e coletivos a serem enfrentados e resolvidos.

Hoje cedo li as notícias sobre as mortes dos diretores e funcionários do Bradesco. Um deles tendia a ser escolhido como futuro presidente do Bradesco, como substituto do presidente atual. Uma grande tragédia! Todos ficamos chocados. Mais de 30 anos de dedicação ao banco e morrer exatamente no dia que os filhos fazem aniversário. É muito triste!

Doença, morte e velhice...
O que estamos fazendo para enfrentar estes desafios?

Nossos pais estão com 92 anos e temos várias cuidadoras, além dos convênios médicos. Ao legalizar tudo, em nome do respeito às pessoas e às leis, tornamos nossos custos abusivos. Principalmente quando incluímos as despesas com remédios.

Enquanto sofremos com tantas despesas e com o rigor das leis, lemos na imprensa especializada o quanto se sonega com os paraísos fiscais internacionais. Em breve vou fazer um resumo dos números apresentados pelo jornal Valor. São bilhões e bilhões de dólares...

Precisamos mudar a forma como o mundo e o Brasil estão funcionando.
Precisamos criar e organizar uma Nova Ordem Mundial.
Ficar velho, doente ou morrer não podem ser tragédias para as pessoas.
Isto faz parte da vida e a vida merece respeito.

Um comentário:

  1. Estive em Caetité-BA, minha filha é engenheira eletricista e foi trabalhar lá em um enorme parque eólico. Sentiu uma dor na semana do feriadão do dia de finados, relaxou e não procurou um médico logo. Na sexta-feira, depois de um evento na empresa, a dor voltou muito forte. A cidade é pequena e conta com poucos médicos particulares, sexta a noite de um feriadão, nem pensar encontrar um. Tivemos que ir a UPA e fiquei apreensiva. Fiquei encantada com o atendimento que ela recebeu, a agilidade, limpeza da unidade, educação dos funcionários... Sem dúvida, o SUS é o caminho.

    ResponderExcluir