quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Mudanças no Brasil e no Mundo

Onde estão os culpados?

A Esquerda está perplexa e a Direita embaralhada.
Esta poderia ser a manchete de qualquer publicação brasileira.

A Esquerda continua afirmando que a culpa da crise brasileira é porque os que perderam as eleições não reconhecem a derrota e tentam derrubar o governo Dilma. Um golpe político e jurídico, orientado pela imprensa nacional e com apoio internacional.

Lula, na sua sabedoria, complementa:
Temos sim os golpistas, mas Dilminha está praticando na economia o discurso neoliberal dos que perderam as eleições. Ela foi eleita com outro discurso e com outra proposta. Está na hora de parar o ajuste fiscal e retomar o crescimento econômico, retomar o consumo e o crédito para quem quer produzir e para quem quer comprar. Mesmo que sejam usados os bancos públicos como financiadores. Nós já fizemos isto em 2008.

Já a presidente Dilma, parece que resolveu enfrentar os golpistas e percorrer o Brasil defendendo seu mandato e seus compromissos. Antes tarde do que nunca. Nenhum país sobrevive sem um mandatário. Na prática, Dilma não estava governando. Quem governava era Levy, com suas propostas neoliberais...

O STF também acordou da sua passividade e resolveu organizar a confusão.
O Congresso Nacional está refém de um presidente declaradamente corrupto e mentiroso, uma oposição de direita e herdeira da ditadura militar e um poder moderador - o PMDB - que ora vota com o governo e ora vota com a oposição oportunista, aumentando a confusão e desmoralizando a política.

Já a imprensa, mais golpista do que a direita parlamentar, sente-se "embaralhada" com as decisões do STF. Não é para menos. Até aqui, o judiciário tinha sinalizado mais para a direita golpista do que para a democracia parlamentar institucional. Com a operação Lava Jato, a disputa política estava desacreditando o Judiciário...

Já os trabalhadores, estes continuam pagando pela conta e pela confusão da crise política e econômica.

A greve dos professores das universidades federais acaba depois de mais de cem dias sem aulas e sem aumento salarial. Culpa de Levy com seu ajuste fiscal?

A CUT faz um belíssimo congresso, com a presença de representantes dos trabalhadores de mais de 70 países e delegados de todos os 27 Estados brasileiros. A decisão mais importante no seu primeiro dia foi que NÃO VAI TER GOLPE e que é preciso DEFENDER A PETROBRAS.

Ao mesmo tempo, o governador de São Paulo, Alckmin, manda fechar escolas estaduais, esconde informações do Metrô e da Sabesp e a imprensa, em vez de criticá-lo veementemente, recebe anúncios e mais anúncios de propaganda do Metrô e da Sabesp, reforçando o que Frank Sinatra dizia: "A imprensa não cobra nada, mas é a coisa mais cara do mundo".

E nossa seleção de futebol resolve acordar e jogar bola, derrotando a Venezuela e afastando o fantasma de mais um vexame. Os participantes do Congresso da CUT não puderam assistir ao jogo. Estavam assistindo os discursos de Pepe Mujica, Dilma, Vagner Freitas e Lula. A alegria em ouvi-los foi maior do que os 3 a 1 no futebol.

Para completar o noticiário, as mortes continuam no Oriente Médio e, em especial, na Palestina. E os brasileiros que gostam de comprar empresas de bebidas e comidas compraram mais uma grande cervejaria. A Inbev incorporou a SAB-Miller...

O mundo, realmente, está passando por profundas mudanças.
Vai mais uma cerveja?

Um comentário:

  1. Gilmar,sei que como esquerda convicto será anti Israel.O seu comentário mais uma vez dá ênfase a violência em Israel(você diz Palestina não reconhecendo que foi dentro de Israel,ou talvez você não reconhece a existência de Israel,mas como pessoa esclarecida não acredito que o faça).Mais de cem mortos em atentado na Turquia não merece atenção?ou não interessa pois cometido por "aliados" da esquerda?Barbaridades do ISIS não movem seus comentários,200 mil mortos na Síria não importa tanto,Arábia ßaudita que bombardeia o Yemen matando civis e crianças não interessa comentar e veja que o Yemen nem está ameaçando outro país de destruição total como vários ameaçam Israel.Temo que esse fanatismo anti israelense se torne um racismo anti judeus como já acontece em países europeus.Já ouvi um dirigente do PT jovem pregar antissemitismo explícito.nós judeus aprendemos na história que sempre haverá antissemitismo,perseguições desde os tempos mais antigos,guetos,Inquisição, que culminou com o Holocausto e que sempre volta, vide os negacionistas.Deixo claro que não apoio o atual governo de Israel mas ele foi eleito democraticamente,tal como a Dilma! e não me lembro de algum outro democrático no OM ,mas parece que o PT prefere as ditaduras.Talvez um dia você possa me explicar porque a esquerda é tão anti Israel aliando-se as direitas xonófobas.e só para concluir uma ironia da história,a União Soviética,comunista,foi o primeiro país a reconhecer Israel em 48
    Desculpe se me alonguei mas escrevo em respeito a sua inteligência política,Abs

    ResponderExcluir