sábado, 31 de outubro de 2015

Vaccari e Marcelo Odebrecht continuam presos?

 Eduardo Cunha e outros continuam soltos?

Qual a diferença entre uns e outros?
Vaccari e Marcelo estão presos por serem citados por delatores que negociaram com os torturadores o quê deveriam falar como condição para serem libertados; enquanto Eduardo Cunha está comprovadamente citado por um Banco Suíço que tinha várias contas bancárias com milhões de dólares. Eduardo e seus aliados continuam soltos. Este é um país justo?

Como podemos ver tanta injustiça e tanta manipulação da imprensa, e o governo assistir a tudo passivamente e de forma impotente? Na verdade, o erro já começou ainda no governo Lula, quando se pensava que a direita brasileira iria aceitar as regras democráticas e perder uma eleição atrás da outra.

Nesta semana vimos as declarações de Marcelo Odebrecht e da empresa Odebrecht e, pela primeira vez, estamos vendo uma entrevista com a esposa e a filha de João Vaccari. Justamente no dia de seu aniversário, 30 de outubro.

Por que a Justiça brasileira se acovardou?
Por que os empresários brasileiros se acovardaram?
Por que a OAB nacional se acovardou?
Por que os partidos políticos se acovardaram?

Estas perguntas, tanto Marcelo Odebrecht como João Vaccari devem estar fazendo diariamente. Já divulguei na Facebook tanto as declarações de Marcelo como de Vaccari. Agora estou retransmitindo no  meu blog o excelente trabalho do pessoal do blog “A verdade sobre Vaccari”.
Esposa e filha de Vaccari falam pela primeira vez

Publicado em 30 de outubro de 2015 – Blog “A verdade sobre Vaccari”

Elas contam como é ter o marido e pai preso e exposto à execração pública só porque é do PT

“Apesar da pressão para que todos se tornem delatores, 
tenho certeza de que meu pai jamais fará isso. 
A ideologia é tudo para ele. 
E ele jamais falaria de pessoas inocentes só para sair da prisão”, 
diz Nayara, filha de Vaccari.

“Não sei se consigo falar. É difícil. Quem está nos dando força na verdade é o próprio João. Ele é muito forte e é o que nos dá alicerce”.

Foi assim que Giselda de Lima, a Gigi, há mais de 30 anos casada com João Vaccari Neto, deu a primeira entrevista sobre o drama que a família vem enfrentando nos últimos meses. Ao seu lado, com os olhos marejados, estava Nayara de Lima, a filha do casal.

“Quem está nos dando força na verdade é o próprio João” é uma frase surpreendente para quem não conhece Vaccari, mas não para aqueles que conviveram com ele, como seus amigos e companheiros. Ela resume a personalidade de um homem com sólidos laços familiares, ético, determinado, comprometido com seus ideais políticos e, por isso mesmo, perseguido, humilhado e execrado.

Um silêncio ensurdecer tomou conta da sala. Não era um silêncio comum apenas a uma casa onde um bebê dorme tranquilamente. Era o silêncio que vinha lá do fundo dos corações dessas mulheres que mostram que têm a força típica dos Vaccari para enfrentar as torturas psicológicas. E, naquele momento, apesar do choro incontido, ao decidirem conceder entrevista a nosso Blog, mostravam também que estavam muito mais fortes do que pensavam para seguir lutando por justiça.

Ainda surpresas e certas de que não conseguiriam falar mais que duas frases, Gigi e Nayara abriram o coração e, com a voz embargada ou crises de choro, relembraram o pesadelo que enfrentam desde que a Operação Lava Jato passou a perseguir a família.

15 de abril. Logo cedo os noticiários exploravam de forma sensacionalista a prisão preventiva do ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. Foi um dia terrível, porém não tão humilhante como a manhã de 5 de fevereiro, quando a Polícia Federal invadiu a casa da família depois de arrombar o portão para conduzir coercitivamente Vaccari a depor. “Foi horrível e assustador. Naquele dia, ele não saiu para a caminhada como costumava fazer. Estávamos dormindo e foi um grande susto, pois foi muito truculento”, lembra Gigi.

Nayara, a filha única do casal, estava grávida de oito meses quando seu pai foi preso de forma humilhante e injusta sob os holofotes da mídia. João Mateus, o genro de Vaccari, foi quem preparou o espírito da então futura mamãe. “Ele dizia para mim, com todo o cuidado: você sabe o que de ruim pode acontecer ao seu pai, né? Mas vai ficar tudo bem.”
               
Os dez primeiros dias após a prisão – praticamente anunciada, prevista e defendida pela mídia nos dias que a antecederam – foram os mais difíceis. De repente, esposa, filha e a cunhada Marice Correa viram seus nomes e imagens sendo explorados de maneira covarde em uma campanha difamatória e brutal.

A base de tudo foram os vazamentos de dados confusos e contraditórios, devidamente explorados pela imprensa que não teve o mínimo pudor ao distorcer cada informação. “Foi bem difícil. Minha mãe ficou muito abalada, principalmente no período em que ficavam comparando a imagem dela com a da minha tia”, conta Nayara.


A tentativa de destruir a honra da família Vaccari, a forma avassaladora a que a intimidade deles foi exposta por jornais e revistas, continua provocando calafrios na Gigi, que, compreensivelmente, ainda se assusta com a presença de jornalistas.
Passados alguns meses, Gigi e Nayara se esforçam para encontrar formas de conviver com essa nova realidade.

A ideologia mantém meu pai sereno
“Acredito no que fiz, por isso vou até o final”. É com essas palavras que Nayara descreve uma das conversas que teve com o pai. “O que me dá força é essa convicção dele de que fez tudo certo. É isso que faz com que eu o admire ainda mais e aceite melhor tudo o que estamos passando.”

Falar da ideologia do pai é, visivelmente, motivo de orgulho para essa jovem médica ginecologista. No olhar e nos gestos é possível perceber a emoção que toma conta de Nayara quando fala sobre suas conversas com Vaccari.

“Meu pai é muito ideológico. Ele diz que a vida dele não fará mais sentido se sua soltura implicar perder tudo aquilo em que acredita. A ideologia é tudo para o meu pai e é isso que vai fazê-lo aguentar até o final.”

E nem foi preciso perguntar o que seria esse final. Apesar de não militar partidariamente, Nayara tem plena consciência da perseguição política da qual seu pai é vítima e da pressão que ele sofre diariamente. Ela logo emendou: “Existe uma clara pressão para que todos se tornem delatores. Mas tenho certeza de que meu pai jamais faria isso. Primeiro, porque ele me disse que não tem o que falar. Segundo porque querem nomes e ele jamais falaria de pessoas inocentes só para sair da prisão.”

Nesse momento, Gigi, também muito emocionada, concordou com todas as palavras da filha. “João é um homem muito honesto e justo”, completou.

Como não pode conviver com o neto, Vaccari lê livros infantis

“Essa é a forma que ele encontrou para saber lidar com o neto quando voltar para casa”

Quando Gigi e Nayara visitaram Vaccari pela primeira vez no Complexo Médico-Penal, em Curitiba, seu neto já havia nascido. Foi o nascimento de João que o fez começar a ler livros de contos infantis. Isso mesmo, Vaccari, aquele homem apresentado pela mídia como seco e frio, passou a frequentar a biblioteca da prisão para ler livros para crianças – o primeiro, com cerca de 50 páginas, foi “O menino que mudou de bairro”.

A história, explica Nayara, é sobre um menino que sofre preconceito ao mudar de casa e tem dificuldade para se relacionar com as crianças do novo bairro. “Meu pai disse que o conto trazia um debate importante sobre preconceito e por isso escolheu o livro. Só podia ser meu pai mesmo, é a cara dele isso”, disse, entre risos.

O segundo livro infantil foi “O menino do dedo verde”. Até a pedagoga responsável pela prisão estranhou a escolha de um segundo livro infantil. “Ela deve ter ficado confusa. De repente, ele pega dois livros infantis na sequência. Ela perguntou o porquê”, contou Gigi.

– E o que ele respondeu?, pergunta a reportagem.
– Ele disse: “mas o que eu vou conversar com o meu neto quando sair daqui?”

O avô Vaccari certamente está orgulhoso e feliz e demonstra isso do seu jeito. Foi assim quando viu seu neto com calça jeans pela primeira vez. Nayara conta que quando levou João para conhecer o avô, Vaccari não conseguiu expressar a alegria e, emocionado, repetiu diversas vezes a mesma frase: “Esse meu neto parece um homem de calça jeans”.

Quem sabe estava sonhando com o futuro,
 quando puder passear de mãos dadas com seu neto, livre.

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

A política do filho único na China e no Brasil

A ação de Deus e a ação dos Homens

Hoje a imprensa está anunciando com grande destaque que 
a China acabou com a "política do filho único". 

Curiosamente, as análises são supérfluas, centrando-se na questão do envelhecimento da população e na falta de mão de obra futura. Hoje há 25% de pessoas com mais de 65 anos na China e apenas 13,5% de crianças com menos de 14 anos. (Folha). Sem contar a questão previdenciária. Quem cuidará e sustentará os velhos?

O debate do filho único já teve muita relevância na década de 70, quando a China e a Índia disputavam quem cresceria mais rápido. A China, comunista e racionalista, aplicou a política do filho único e de crescimento econômico intensivo (tomando o lugar de centro  de produção industrial do mundo), enquanto a Índia, com sua liberalidade divina, continuou aumentando a população e a pobreza. Atualmente, a Índia e o mundo copiam a China, crescendo economicamente e contendo o aumento da população.

O Brasil também aplicou aplicou uma política de redução do ritmo de reprodução humana. Uma delas foi a distribuição de camisinhas; outra foi o estímulo oficial a cirurgia pós parto nas mulheres ( a ligação das trompas), nos homens aplicou-se a vasectomia. Além da revolução sexual e feminina Porém, a política mais eficaz foi a do crescimento econômico, migração do campo para as cidades, melhoria da escolaridade e a integração das mulheres no mundo do trabalho.

Vejam um bom exemplo de redução do número de filhos no Brasil.
Meus bisavós tiveram 14 filhos;
Meus avós tiveram 10 filhos;
Meus país tiveram 7 filhos;
e eu tive apenas uma filha.
Meu sogro, que veio do Japão, teve 11 filhos...

Este processo de redução do número de filhos serve para praticamente todas as famílias brasileiras. Mesmo sem o governo brasileiro ter copiado o sistema chinês.

Os religiosos fanáticos tenderão a dizer que os homens não podem interferir nas coisas de Deus, já que, para os conservadores, sexo deve servir apenas para procriação. E isto não cabe aos homens controlar...

Concluindo, em relação a qualidade de vida da humanidade, há a parte de responsabilidade dos homens, há a parte de responsabilidade divina, como há também uma boa participação da natureza. Regiões mais quentes, tendem a ter mais filhos do que regiões mais frias. Períodos de secas e de falta de comida, períodos de guerras e calamidades levam à redução do crescimento populacional. A população do mundo está crescendo mais lentamente e, se Deus quiser, irá começar a decrescer em breve. Como já acontece no Japão e na Europa.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

PMDB vai investir na Democracia ou no Golpe?

A Folha prefere o PMDB do Golpe

A principal chamada de capa da Folha de hoje é uma conclamação ao PMDB para que ele opte pela alianças com os golpistas do PSDB. É tudo que a Folha quer...

Mesmo reconhecendo que as afirmações que originaram a manchete foram chupadas de um documento interno que ainda é uma "minuta", a Folha decidiu transformá-las em afirmações categóricas que justificavam ser usadas como manchetes. É uma forma de obrigar o partido a decidir conforme o noticiado. Isto é, transformar desejo em realidade. Isto é jornalismo chulo e marrom.

No meio do texto da capa, como se justificando, o jornal cita que:
 "O texto ao qual a Folha teve acesso é uma VERSÃO PRELIMINAR (destaque meu) e ampliada, portanto sujeita a alterações, da peça que começa a ser discutida entre dirigentes da sigla nesta quinta-feira (29)."

Faz tempo que não vejo tanta mediocridade na Folha...

Mesmo os deputados e senadores do PMDB sendo mais conservadores ou reacionários do que nas bancadas anteriores a 2014, não cabe à Folha determinar se o partido fica ao lado dos golpistas ou ao lado das regras democráticas.

Fui filiado ao MDB histórico. Sempre defendi a Democracia e a pluralidade como princípios. Com a redemocratização mudei-me para o PT por querer o Brasil mais comprometido com as causas sociais e a melhoria de vida dos pobres. Afinal, sou migrante do interior da Bahia para São Paulo aos 16 anos de idade, ainda no auge da ditadura militar (1970).

Continuo sendo um defensor de uma Ampla Frente Social 
de apoio à modernização do Brasil, à defesa da economia de mercado
e à liberdade religiosa, partidária e cultural.

Se o PMDB atual é mais conservador, isto não justifica negar o papel histórico que o PMDB sempre teve. Conviver com o PT é difícil? Reconheço que é, mas conviver com os fascistas e golpistas é muito mais difícil ainda. Tenho certeza que a grande maioria dos filiados ao PMDB são democratas, como, sem a pressão da imprensa, mesmo os deputados e senadores, tendem mais para a democracia do que para o golpe.

Se a Folha prefere que o PMDB se alie aos golpistas, tenho certeza que milhões de brasileiros e brasileiras preferem que o PMDB continue investindo na Democracia e nas regras constitucionais. O partido tem direito de lançar seus candidatos a prefeitos, governadores e presidente. O partido não precisa ser massa de manobra do PSDB nem de FHC.

Com quem o PMDB vai ficar?

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

O Brasil desesperado

Sensação de estar sendo roubado

Por todo lado as pessoas estão sendo ludibriadas. Subiu a conta de luz, muito mais do que a inflação. Depois foi a conta de água, que além de a população não ter água, o pouco que tinha custou uma fortuna. Depois deu uma acalmada no preço mas não voltou a ter água.

Agora, quem está metendo a mão no bolso da população são as concessionárias de celulares. Eu achava que o problema maior era com a TIM, que está um escândalo. Mas, tenho ouvido de muita gente que a Claro e a Vivo também estão abusando, impondo custos sem a devida autorização dos clientes.

Os preços das escolas privadas aumentaram também acima da inflação. Nos supermercados, os produtos estão diminuindo de tamanho e os preços aumentando, fazendo com que, no final das compras, o cliente fique com a sensação de que comprou bem menos e pagou bem mais.

A manutenção dos carros também está um Deus nos acuda.
Gasolina, IPVA, pneus, seguros e tantas outras coisas que dá vontade de passar andar de bicicleta ou de ônibus. Sem contar os preços nos restaurantes. Comer fora está gerando problemas financeiros e má alimentação.

Resultado: 

A classe média, que estava deleitando-se com o consumo fácil na época de Lula, agora está perdendo seu poder aquisitivo e tendo de cortar despesas e ficando mais pobre e insegura.

Esta classe média que era grata ao governo, agora, ao ver a economia degringolar e os políticos brigarem como se estivessem saqueando a economia nacional, aos poucos vai tomando ódio de todos, independente do partido e do grau de governo - municipal, estadual e federal. É como se todos fossem incompetentes e ladrões...

E as telefônicas e empresas de celulares, que foram a menina dos olhos das privatizações de Fernando Henrique Cardoso, passam a meter a mão nas contas e na boa fé de seus clientes. Quando estes reclamam, as empresas voltam atrás, se não reclamam o dinheiro fica com as empresas. Isto é apropriação indébita, e juridicamente, apropriação indébita corresponde a furto, roubo...

Enfim, estamos todos sendo roubados e não temos a quem recorrer...

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Duas alegrias e duas tristezas no Brasil

Porque a direita quer melar o aniversário de Lula?

Não houve coincidência nos fatos, foi tudo planejado.
Um dia antes de Lula completar 70 anos de idade e continuar a ser a maior liderança social do Brasil, perdendo apenas para Getúlio Vargas nos velhos tempos, a Polícia Federal, a mando de alguma juíza ou juiz, fez inspeção no escritório de um dos filhos de Lula. Hoje a imprensa deu manchetes e páginas da mesma noticia.

Foi tudo combinado.
Como o ministro da Justiça não manda em nada, mesmo a Polícia Federal sendo um órgão subordinado ao seu ministério, e como qualquer juiz ou juiza em qualquer grau pode mandar espionar, gravar conversas e prender preventivamente qualquer pessoa, principalmente se for do governo Dilma e amigo de Lula, eles, os juizes e os delegados da PF, articularam o "presente de grego" para Lula. Este mesmo pessoal que é contra o governo Dilma e contra Lula, combinou tudo com os editores e donos dos jornais, rádios e TVs, preparando o grande circo. Hoje, ao receber os jornais, mais uma vez não tive coragem de abrir para ler. Só tinha baixarias...

Este dia 27 de outubro de 2015, deveria ficar para a História
- Por ser um dia para se comemorar a vitória da categoria bancária, que fez 21 dias de greve nacional exigindo a reposição da inflação e o respeito aos seus direitos;
- Também por ser um dia para todo o Brasil comemorar os 70 anos da maior liderança popular que o Brasil já teve, em vez de o país estar centrado nestes dois fatos históricos, a direita, de forma articulada e abusando dos direitos constitucionais e da fragilidade do governo Dilma, avacalha os fatos e as notícias.

Hoje a festa é nossa.
Os militantes petistas, os militantes sindicais e todos que prezam o avanço da democracia e da liberdade, não podem aceitar as provocações da direita. Devem comemorar e fazer festa em todo Brasil. Não podemos esmorecer. O quê estamos enfrentando é Luta de Classe, é Preconceito Social e inveja. Nossa direita não está preparada para a democracia.

Parabéns, Lula!
Que você tenha muita saúde, muita serenidade para continuar defendendo o povo brasileiro e que os bancários de todo Brasil possam usufruir de suas conquistas. Não precisa dizer que é candidato agora. Basta oficializar a candidatura quando abrir o processo eleitoral para valer. Você já é o nosso eterno candidato. O que você e nós estamos passando é disputa ideológica, é ódio de classe.

Isto é aprendizado democrático.
Isto é Luta de Classe!
Liberdade não se ganha. Conquista-se!

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Convivendo com a direita e os fascistas

Até onde vai a direita brasileira?

A direita se aproveita da fragilidade do governo para infernizar a vida de todos, ampliando a sensação de insegurança e de caos.

Quem é a direita brasileira? 
Antigamente era a ditadura militar e a UDN, partido dos latifundiários e da burocracia conservadora. Atualmente, a direita brasileira é liderada pela imprensa, pelo ministério público, pela policia federal e pela bancada conservadora dos evangélicos. Estes segmentos sociais estão personificados no PSDB, que depois de Covas e Montoro, resolveu ser  neoliberal e reacionário. Soma-se a esta direita mais tradicional, os jovens neoliberais e com cabeça de Miami, este jovens são contra tudo que signifique política de proteção aos pobres, aos negros e às minorias.

É ruim ser de direita?
O problema não é ser de direita. O problema é ser antidemocrático. Isto vale para a direita e para a esquerda. No Brasil a esquerda sempre foi perseguida e reprimida. Em 500 anos de História, somente agora, depois de 1980, que a esquerda está passando por um longo período de legalidade e de mandatos eleitorais. Como a direita sempre foi governo e classe dominante, ela disfarçou-se de "boazinha, paternalista e democrata". Nos países democráticos, os partidos convivem com eleições e o ganha-e-perde-eleições. Nos países subdesenvolvidos esta convivência ainda não está consolidada.

Neste final de semana, a imprensa estava medíocre. 
Mas o que chamou mais atenção foi a agressão sofrida por Eduardo Suplicy na Livraria Cultura, ponto de referência da intelectualidade paulista. Muita gente está se perguntando se foi armação dos donos da Livraria Cultura. Creio que não, mas que houve displicência quanto à segurança, houve. A comunidade judaica em São Paulo é declaradamente tucana, isto é, apoiadora do PSDB e, cada dia mais, antipetista. Mas, não acredito que neste caso tenha havido premeditação.

Por que a direita brasileira saiu do armário e está cada vez mais agressiva?
- Em primeiro lugar, porque a economia está ruim e assim a presidente Dilma perde apoio da base eleitoral que a elegeu. A presidente nomeou um ministro da Fazenda que é neoliberal e incompetente.
- Em segundo lugar, porque a direita cansou de perder eleições e aí resolveu deixar a democracia de lado e partir para o vale tudo. O quê tem dado certo, principalmente, em função do apoio do judiciário e da polícia federal. Tanto o judiciário como a policia federal ganharam muita liberdade e autonomia no governo Lula e agora estão usando e abusando desta autonomia para combater o PT e o governo Dilma. Eles aproveitam-se da fragilidade da presidente e de seu ministro da Justiça.
- Em terceiro lugar, porque o governo comete um erro atrás do outro, particularmente por ter que manter uma coligação partidária sado-masoquista. Isto é, os parlamentares exigem cargos e ministérios e depois votam contra o governo. Explicitando um governo autofágico.
- Em quarto lugar, porque o governo sustenta, com publicidade oficial e das estatais, uma imprensa mentirosa, manipuladora e que combate diariamente o governo Dilma.

Quando vamos superar este clima de guerra suja?
Temos várias alternativas. A primeira é quando a direita ganhar as eleições e voltar a dominar o Brasil e diminuir os direitos e a liberdade para a classe trabalhadora atuar enquanto classe. A segunda é se o governo Dilma conseguir melhorar a economia, principalmente trocando o ministro da Fazenda. A terceira é com a destituição do presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, que está sendo denunciado pelo Ministério Público e foi comprovado que tem contas bancárias na Suíça. A quarta é se o PMDB tomar juízo e parar de fazer jogo duplo, isto é, ficar no governo Dilma e votar com a oposição ao próprio governo que ele participa.

Temos luz no fim do túnel?
Não, por enquanto, nem túnel temos...

domingo, 25 de outubro de 2015

Ante a mediocridade da imprensa, flores

Dois dias sem conseguir ler jornais...

Olho as capas dos jornais e só vejo manipulações, matérias montadas para denegrir com meias verdades e falso moralismo...

Já que não vejo o que presta nos jornais, prefiro mais uma vez mostrar as flores...

Vejam que belezinhas!


Verde, amarelo e rosa, as cores do Brasil e da Solidariedade Humana.

Agora vejamestas nandinas, tão pequenininhas..


Estes botões já viraram centenas de pequenas flores brancas e amarelas.

Além das flores, tivemos mais uma vitória do Corinthians. Quer mais?
Se você for bancário, vá à assembléia nesta segunda-feira defender o seu salário. Parabéns a todos que fizeram greve exigindo a reposição da inflação e outros direitos.

sábado, 24 de outubro de 2015

Depois do trabalho, flores

Um dia muito agitado

Depois de muita correria, somente um pouco de flores para tirar o cansaço...

Vejam nossa primavera!



Um moro florido. E é só o início...



Vamos ver como vai ser o domingo...

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Globo resolveu mostrar quem é Eduardo Cunha

Quando a imprensa quer
É melhor do que o Judiciário 

O jornal O Globo de hoje ganhou da Folha e do Estadão. Publicou página inteira mostrando as operações financeiras internacionais de Eduardo Cunha e Família. 

Mulher de deputado tem imunidade? 
Se não tem, o que a Polícia Federal está esperando?
A Justiça serve para a mulher, a filha e a cunhada de Vaccari e não serve para a mulher de Cunha?

Vejam está foto da página do Globo. Parabéns pela coragem de enfrentar as feras...


Ainda é possível ter uma imprensa livre e justa.
Como é possível ter um judiciário não partidário.
Como também é possível ter um legislativo honesto.

O Brasil precisa ser respeitado.

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Marcelo Odebrecht e a Dignidade Nacional

Para onde vai o Lava Jato?
Mais um ótimo artigo de Jânio de Freitas na Folha de hoje.  

- Na política, estamos vivendo a desmoralização do presidente da Câmara e, por tabela, do Congresso Nacional.

- No Judiciário, estamos vivendo a maior manipulação da história jurídica nacional: Prenderam Marcelo Odebrecht para obriga-lo a fazer Delação Premiada, desde que seja contra o PT e alguns do PMDB. Além de impedi-lo a denunciar todos os partidos e beneficiários de outros partidos que também receberam dinheiro da Odebrecht. Até agora, Marcelo Odebrecht não cedeu.

- Na imprensa, estamos vivendo a maior desmoralização da imprensa brasileira. Os donos dos meios de comunicação transformaram seus jornais, rádios e TVs em instrumentos da mentira e da manipulação à serviço do ódio de classe.

Restam os empresários e os trabalhadores.
Que os ricos tentem desacreditar e humilhar os representantes dos trabalhadores, é compreensivo; mas os empresários deixarem prender e humilhar Marcelo Odebrecht como estão fazendo é a desmoralização da classe empresarial brasileira.  Por que os empresários estão acovardados?

Na imprensa, poucas vozes ainda dignificam a Liberdade e a Diversidade. Jânio de Freitas é um dos maiores expoentes destas virtudes. Leiam o seu artigo de hoje:
Novos jatos
22/10/2015  02h00 – Folha de S.Paulo – Jânio de Freitas

A Lava Jato entra em nova etapa. Menos escandalosa, mas isso os jornalistas resolvem. Até porque o interesse merecido pelos novos capítulos não será pouco. O começo de um deles está programado para hoje. O outro já deu o primeiro passo, muito promissor.

O julgamento de diretores da Odebrecht tem logo mais a inquirição, perante o juiz Sergio Moro, dos delatores premiados Paulo Roberto Costa e Pedro Barusco. Entre os diretores réus nesse processo figura Marcelo Odebrecht. Além de outros possíveis interesses –da curiosidade a questões jurídicas, passando pelos fatos todos do inquérito– Marcelo Odebrecht está preso há quatro meses sem ceder às contingências que o pressionam para satisfazer a Lava Jato, aceitando a delação premiada.

Marcelo é em si mesmo uma curiosidade a ser desfeita, e deve sê-lo inclusive para a Lava Jato. O que o fez adotar conduta inflexível e tão diferente do que fizeram os demais donos e dirigentes das empreiteiras? O que tem a dizer que justifique sua atitude? A Lava Jato entra na fase em que devem aparecer as respostas, na inquirição de Marcelo ao final dos interrogatórios preliminares, de delatores premiados e eventuais testemunhas, por Sergio Moro.

Paulo Roberto Costa e Pedro Barusco têm, no mínimo, que dizer nesse julgamento o mesmo dito na delação premiada sobre os diretores da Odebrecht. Mas o que Paulo Roberto disse, não só a respeito da Odebrecht, inaugurou a outra vertente nova da Lava Jato, ao receber sob forte contestação do recém-delator premiado Fernando Soares, o Baiano.

É a fase em que a prioridade dada a delações premiadas, em detrimento de investigações efetivas, vai mostrar desencontros como um problema para os juízes. Talvez não para Sergio Moro, mas para aqueles que nas instâncias superiores vão julgar recursos e para os ministros do Supremo, que conduzem os casos de políticos apontados por delatores.

Será a hora de provas. E, quem sabe, a hora da verdade. Advogados dizem haver, à espera de elucidação, numerosas incoerências de delatores e contradições entre vários deles, ou deles com empreiteiros. Para os delatores premiados também será um problema, e problema maior a falta de provas, porque a queda de afirmações suas pode fazer tribunais superiores anularem o prêmio de liberdade. Para vários deles, já se pode ver, liberdade endinheirada.

Eduardo Cunha, impeachment, "pedaladas" tiraram a Lava Jato da frente do palco. É só esperarem um pouco para ver a reação.


O Brasil refém de Eduardo Cunha?

Chantagem virou método e desfaçatez, o rito

"A permanência por tempo indeterminado do presidente da Câmara dos deputados no cargo prorroga a chantagem como método e a desfaçatez como rito da política.

É uma prorrogação de muitos gols para o modo de fazer política que o deputado Eduardo Cunha, com o beneplácito do governo, tornou regra no Legislativo. "

Estas sábias palavras estão no artigo assinado por Maria Cristina Fernandes, excelente jornalista do Valor.  O artigo está na página A6, do primeiro caderno - Política. O título é: A república sem Eduardo Cunha.

Nenhum projeto começa a tramitar na Câmara, sem que a Comissão de Constituição e Justiça diga se o que está lá rima com a Constituição Federal. Seus descaminhos mais recentes contribuíram para que o judiciário se assenhorasse da cota do Legislativo no concerto dos poderes.

Para continuar a comandar os prepostos que instalou nos postos-chave da Câmara, Eduardo Cunha tem se valido do cargo para não dar início ao processo de CASSAÇÃO no Conselho de Ética.

Toda representação feita na Casa deve ser numerada pela mesa diretora. Só assim passa a tramitar. Pois a representação de 46 parlamentares de sete partidos protocalada há uma semana no conselho até hoje não foi oficialmente registrada pela presidência da Câmara. O regimento prevê que a Casa o faça em até três sessões ordinárias. Cunha tem optado por sessões extraordinárias para congelar o prazo de sua degola.

Uma república sem Eduardo Cunha é mais do que uma efeméride. Seria como a primeira parcela do 13o. para uma nação que ainda tem muitas contas a acertar.

Eu andava lendo pouco o jornal Valor.
Hoje, parece que os jornalistas voltaram a olhar melhor para o Brasil. Há várias matérias valiosas... Aos poucos o Brasil vai voltando à normalidade e podendo retomar o crescimento econômico com distribuição de renda e inclusão social.

Reforço aqui meus parabéns ao belo trabalho que vem sendo desenvolvido pela jornalista Maria Cristina Fernandes.



quarta-feira, 21 de outubro de 2015

O Brasil refém dos Evangélicos?

Contra tudo que é moderno

A imprensa está divulgando que a CCJ - Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal aprovou punição para venda da pílula abortiva e dificultou o aborto. O projeto de lei é de autoria de Eduardo Cunha, presidente da Câmara e porta-voz dos evangélicos conservadores.

O quê levou os políticos, empresários e a imprensa brasileira a aceitar ser dirigida por Eduardo Cunha e os Evangélicos conservadores? Será que foi o vale tudo contra Dilma e o PT?

A própria imprensa informou em abundância que Cunha e sua família têm contas bancárias na Suíça com milhões de dólares, dinheiro este oriundo da corrupção na Petrobras. Como também a imprensa informa que a Bancada de Evangélicos na Câmara é de 74 deputados. Sendo a maior bancada na Câmara. Maior até do que a do PMDB e do PT.

Alguma coisa precisa ser feita para evitar que o Brasil fique refém do atraso político e social. É muito estranho o silêncio da Igreja Católica e da própria imprensa.

Reconhecemos o direito à pluralidade religiosa e partidária, mas o Brasil está ficando subordinado à esta estrutura  que facilita a aquisição de rádios e TVs pelas religiões, enquanto que os empresários e movimentos sociais não conseguem ter acesso às mesmas regras.

Alguma coisa está fora da ordem...
Já cantava Caetano Veloso.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Abilio Diniz também é contra o golpe

Para Abílio, a crise é política

Enquanto os cães ladram, a caravana passa.
Um dos mais importantes empresários brasileiro, Abílio Diniz, em vez de perder tempo com a politicagem e o golpismo, Abilio trabalha muito e continua ganhando muito dinheiro com seu trabalho.

No Estadão de hoje, 20 de outubro, Abilio, que também é presidente do Conselho de Administração da BRF, disse que, antes da crise, era sempre chamado para falar de um Brasil que dava certo (o Brasil de Lula), e que agora é chamado só para falar sobre a crise (política provocada pelos golpistas). (A parte entre parêntese é minha).

Abilio foi convidado para fazer uma palestra no mês de julho, em Paris, sobre a crise e temeu que, quando chegasse o momento, já não teria mais assunto para falar, uma vez que acreditava que tudo já teria se resolvido. Para Abilio, esta crise não é duradoura e se resolverá assim que for resolvida a crise  política.

Ainda dá para falar de um Brasil que tem dado certo, de acordo com Abilio, como o agronegócio, por exemplo.

Abilio citou o crescimento de 9% da BRF no primeiro trimestre, em plena crise. A BRF hoje é a maior exportadora de frangos do mundo e a segunda maior produtora. Com 14 mil granjas associadas, a BRF abate 7 milhões de frangos por dia.

Enquanto pessoas como Abilio Diniz trabalham, geram riqueza e empregos, os políticos golpistas gastam os recursos do povo brasileiro fazendo politicagem e tentando o golpe contra o governo Dilma.

O mesmo vale para o judiciário.
Uma coisa é punir as pessoas que erram, outra coisa é impedir que as empresas destas pessoas possam continuar funcionando. O efeito do Lava Jato na Petrobras e nas empresas da Cadeia Produtiva já fez com que dezenas de milhares de trabalhadoras sejam demitidos. Queremos ver o Brasil como um país que valoriza a honestidade e o trabalho, mas, para isto, precisamos de ampla reestruturação do Estado e da Sociedade.

Que os empresários como Abilio Diniz se juntem aos trabalhadores e trabalhadoras do todo o Brasil exigindo a retomada do crescimento econômico com inclusão social e distribuição de renda. E que o Judiciário, o Legislativo e o Executivo estejam à serviço do povo brasileiro e da Democracia.

E olhem que Abilio Diniz já não é mais um garotinho!

PS.: 
Apesar de politicamente o Estadão continuar uma tragédia reacionária e manipuladora, as áreas de economia, cultura e internacional continuam salvando o jornal.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Quando Levy vai sair?

Sair não é dúvida, precisamos é saber quando e como...

Realmente foi de uma infelicidade imensa o presidente nacional do PT, Rui Falcão, aceitar a pergunta da Folha sobre a política econômica e a troca do Ministro da Fazenda. Quando vi a entrevista no jornal, não acreditei. Rui Falcão é uma pessoa muito experiente, cordata e politicamente muito maduro. Não é de fazer ou falar bobagem. Como a Folha conseguiu tal façanha?

Já a presidente Dilma, ela reagiu como manda o figurino. "Quem decide sobre a demissão ou não do ministro sou eu, e eu concordo com que ele está fazendo. Portanto, não sairá do meu governo". Ponto para Dilma. Seu silêncio seria muito comprometedor.

Imagine se fosse a diretoria de um time de futebol falando sobre o próximo jogo do time e a possibilidade de demissão do técnico. É claro que o diretor do time negará qualquer possibilidade de demissão do técnico, mesmo que depois do jogo o técnico seja demitido. Há formas de se preservar as pessoas e as instituições.

Rui Falcão, como presidente do partido da presidente da República não pode passar a ideia de que está exigindo a saída do ministro da Fazenda. Mesmo se a intenção de Rui Falcão não fosse esta.

Mas, que todos estão afirmando que o Ministro da Fazenda está desautorizado, sem autoridade, desmotivado e desacreditado, isto sim. Em qualquer bar, restaurante, mesa de operações de bancos, faculdade, reunião de executivos e até jornalistas experientes. Todos só falam nisto...

É tão certo que Levy está de saída do governo, quanto é certo que o Corinthians será campeão do Brasileirão.

Mas ele não precisa sair agora em outubro. Pode esperar até o final de novembro ou início de dezembro. Qualquer que seja a data, desde que seja neste ano. Afinal, este ano já está perdido e um mês fará pouca diferença. Quanto a decisão de quem será a iniciativa sobre a saída, Levy pode negociar com a presidente Dilma uma saída honrosa, isto é, "de comum acordo e cheio de agradecimentos pelo esforço desprendido pelo ilustre economista formado nos Estados Unidos".

O Brasil ficará profundamente agradecido.

domingo, 18 de outubro de 2015

Juca Kfouri e a Corrupção no Brasil

Juca Kfouri faz gol de placa contra a corrupção

O melhor artigo de hoje sobre a corrupção que assola o país não está nas páginas de política, está no caderno de Esportes na Folha de S.Paulo.
Juca Kfouri escreve sobre a corrupção no futebol e no Brasil como um todo e lamenta que, no caso do futebol, só aparece a corrupção porque o principal corruptor e corrupto achou que morar nos Estados Unidos não corria risco, se a corrupção fosse no Brasil e usado o dinheiros nos States...

O FBI, dos Estados Unidos, não a PF – Polícia Federal do Brasil, rastreou a sonegação e a fraude e pegou tanto a CBF como a FIFA.
Aqui no Brasil, a corrupção de vez em quando vira notícia e depois esfria, volta ao normal. Isto é, a corrupção continua e alguns são punidos por disputa de mercado. 

Como diz Juca Kfouri, “Causa vergonha constatar que nós, brasileiros, convivemos com tal estado de coisas por anos a fio, ou melhor, por décadas, sem que as autoridades nacionais, da polícia ao judiciário, tomassem providências”.

Peguem os artigos de Juca Kfouri e de Jânio de Freitas, na Folha de hoje, pode até incluir o de Hélio Gaspari e teremos um tripé de demonstração de quanto a nossa história está contaminada com a corrupção e a impunidade. E esta doença não será curada nem pelos políticos, nem pelas operações Lava a Jato, nem pela Polícia Federal. Estão contaminados politicamente e comprometidos com a parcialidade.

Precisamos de uma Nova Constituição e de uma Nova Estrutura de Poderes. Com a palavra final sendo do Povo Brasileiro. Nas urnas. Enquanto isto não acontece, vai o Troféu Osmar Santos para... JUCA KFOURI. Leiam seu ótimo artigo de hoje:

O pecador se confessa
Folha – Juca Kfouri - 18/10/2015 

Deveria causar grande alegria a quem sempre denunciou o submundo do futebol que toda a podridão seja revelada como o FBI está a proporcionar.
Deveria, mas não causa.

Causa, em primeiro lugar, vergonha constatar que nós, brasileiros, convivemos com tal estado de coisas por anos a fio, ou melhor, por décadas, sem que as autoridades nacionais, da polícia ao judiciário, tomassem providências.
Ao contrário, não poucas vezes foram cúmplices e protegeram os meliantes.

Em segundo lugar, dá raiva.
A raiva de ver em inglês muito do que se ouviu e publicou em português, como se fosse grego.
J. Hawilla diz estar arrependido e pede desculpas.
No arrependimento é possível crer, mas num arrependimento diferente daquele das pessoas decentes que erram.

O arrependimento do maior corruptor do futebol das Américas é por não ter sabido parar. É por ter escolhido um comparsa, outro, mais um e mais outro, até ser pego.
As desculpas ele deve aos seus e aos que está traindo.

Quem ouviu um dia dele que o jogo é jogado e é sujo não desculpa nem se arrepende de ter exercido a marcação cerrada que ele mereceu.
Quem um dia disse a ele que era estranho seu súbito enriquecimento apenas comprova o que sempre soube.
Ou quem um dia soube dele, ainda nos anos 1990, que tinha de acordar cedo, antes de seus filhos, para pegar esta Folha e evitar que eles lessem uma certa coluna no caderno de Esporte, não se surpreende com nenhuma revelação que o FBI possa fazer e que o incrimine ainda mais assim como a seus parceiros.
Basta, aliás, dar um Google nas imagens dele para verificar quem o cerca nos convescotes, com as raras exceções de alguns inocentes úteis.

Que a Fifa se exploda é uma questão internacional da qual os juízes suíços certamente saberão tratar.

Em nosso quintal são outros 500.

A esmagadora maioria dos cartolas e seus apaniguados que aí está não é digna que se compre dela um carro usado –também com as exceções de praxe, de gente que quer mudar o estado de coisas que nos assola, embora ninguém da CBF, registre-se.
Em meio ao mar de lama e depois do 7 a 1, jamais o futebol brasileiro teve chance tão grande de recomeçar do zero, com a casa limpa, sem os acordos pornográficos que vemos na política.
Para tanto, será necessário que as grandes empresas envolvidas com o futebol tenham coragem e espírito cidadão, além de tino comercial, para fazerem a necessária renovação que o século 21 está a exigir lá se vão 15 anos.

J. Hawilla, então, terá motivos de sobra para se arrepender, com tornozeleira eletrônica ou sem, ao constatar que poderia ter enriquecido honestamente.


sábado, 17 de outubro de 2015

Direita apostou em Cunha e perdeu

Ascenção e queda de Eduardo Cunha

A Folha de S.Paulo, principal ideóloga da direita paulista, jogou a toalha e resolveu entregar Eduardo  Cunha à Justiça e à Opinião Pública.

Do pó vieste e ao pó retornarás, já dizia a Bíblia.

Vejam a capa da Folha de hoje.



De outro ângulo...



Os documentos têm assinaturas e endereços, e a Folha resolveu mostrar tudo, como se dissesse: você está sem o nosso apoio! Você abusou!

Já o Estadão, que anda à direita da Folha e é porta-voz do PSDB paulista, não teve a coragem que a Folha teve. 

Cada vez mais cresce o clamor para parar esta Guerra Suja, onde não há inocentes, e o os empresários e trabalhadores formem uma Frente Nacional exigindo a retomada do crescimento, redução do desemprego e fim da baixaria política e jurídica.

Todo mundo já conhecia Eduardo Cunha. Ele vinha sendo um instrumento no Congresso Nacional para derrubar Dilma. Mesmo sendo um político e Evangélico sem escrúpulo. 

O PMDB não pode se omitir, ou será contaminado por Eduardo Cunha.

Ainda há tempo para evitar o pior. 
A omissão coletiva sempre leva a situações castratóficas.
O tempo e os fatos não perdoam...

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

O mundo desorganizado

O Brasil sob ataques da direita

Mais mortes de imigrantes, mais mortes na Palestina, mais guerra no Afeganistão e mais desemprego e recessão no mundo. 

O quê está acontecendo?

Os modelos econômicos estão falidos, os modelos políticos perderam legitimidade, o judiciário virou cabide de empregos, a imprensa mundial perdeu capacidade de reflexão, a esquerda está sem projeto e a direita acusa a esquerda pela crise no mundo.

É o famoso " se ficar o bicho pega, se correr o bicho come".

No Brasil, a direita se reorganiza tendo o TSE como ultima tentativa de golpe. No TSE a direita tem Gilmar Mendes como puxador do golpe. O problema é que se o TSE tirar Dilma, terá que tirar Temer também . E isto o PMDB não quer. 

Quem decide o golpe é o PMDB. O resto é conversa mole. Para onde for o PMDB, vai a política brasileira. Esta androginia política do PMDB é a cara do Brasil atual.

Enquanto a crise econômica e a crise política continuam, o Corinthians continua ganhando e as flores brotando. Ontem foi 3 a 0 no futebol e nossas nandinas continuam florindo...




Tão novinhas e já floridas.



Ainda bem que temos o futebol e as flores...

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Mudanças no Brasil e no Mundo

Onde estão os culpados?

A Esquerda está perplexa e a Direita embaralhada.
Esta poderia ser a manchete de qualquer publicação brasileira.

A Esquerda continua afirmando que a culpa da crise brasileira é porque os que perderam as eleições não reconhecem a derrota e tentam derrubar o governo Dilma. Um golpe político e jurídico, orientado pela imprensa nacional e com apoio internacional.

Lula, na sua sabedoria, complementa:
Temos sim os golpistas, mas Dilminha está praticando na economia o discurso neoliberal dos que perderam as eleições. Ela foi eleita com outro discurso e com outra proposta. Está na hora de parar o ajuste fiscal e retomar o crescimento econômico, retomar o consumo e o crédito para quem quer produzir e para quem quer comprar. Mesmo que sejam usados os bancos públicos como financiadores. Nós já fizemos isto em 2008.

Já a presidente Dilma, parece que resolveu enfrentar os golpistas e percorrer o Brasil defendendo seu mandato e seus compromissos. Antes tarde do que nunca. Nenhum país sobrevive sem um mandatário. Na prática, Dilma não estava governando. Quem governava era Levy, com suas propostas neoliberais...

O STF também acordou da sua passividade e resolveu organizar a confusão.
O Congresso Nacional está refém de um presidente declaradamente corrupto e mentiroso, uma oposição de direita e herdeira da ditadura militar e um poder moderador - o PMDB - que ora vota com o governo e ora vota com a oposição oportunista, aumentando a confusão e desmoralizando a política.

Já a imprensa, mais golpista do que a direita parlamentar, sente-se "embaralhada" com as decisões do STF. Não é para menos. Até aqui, o judiciário tinha sinalizado mais para a direita golpista do que para a democracia parlamentar institucional. Com a operação Lava Jato, a disputa política estava desacreditando o Judiciário...

Já os trabalhadores, estes continuam pagando pela conta e pela confusão da crise política e econômica.

A greve dos professores das universidades federais acaba depois de mais de cem dias sem aulas e sem aumento salarial. Culpa de Levy com seu ajuste fiscal?

A CUT faz um belíssimo congresso, com a presença de representantes dos trabalhadores de mais de 70 países e delegados de todos os 27 Estados brasileiros. A decisão mais importante no seu primeiro dia foi que NÃO VAI TER GOLPE e que é preciso DEFENDER A PETROBRAS.

Ao mesmo tempo, o governador de São Paulo, Alckmin, manda fechar escolas estaduais, esconde informações do Metrô e da Sabesp e a imprensa, em vez de criticá-lo veementemente, recebe anúncios e mais anúncios de propaganda do Metrô e da Sabesp, reforçando o que Frank Sinatra dizia: "A imprensa não cobra nada, mas é a coisa mais cara do mundo".

E nossa seleção de futebol resolve acordar e jogar bola, derrotando a Venezuela e afastando o fantasma de mais um vexame. Os participantes do Congresso da CUT não puderam assistir ao jogo. Estavam assistindo os discursos de Pepe Mujica, Dilma, Vagner Freitas e Lula. A alegria em ouvi-los foi maior do que os 3 a 1 no futebol.

Para completar o noticiário, as mortes continuam no Oriente Médio e, em especial, na Palestina. E os brasileiros que gostam de comprar empresas de bebidas e comidas compraram mais uma grande cervejaria. A Inbev incorporou a SAB-Miller...

O mundo, realmente, está passando por profundas mudanças.
Vai mais uma cerveja?

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Dilma, Lula e Mujica no Congresso da CUT

Trabalhares do Brasil e do Mundo

No 12o. Congresso Nacional da CUT estão participando delegados de todos os Estados e Ramos Profissionais do Brasil, no total de 2500 delegados e delegadas. Participam também 230 delegados internacionais de 75 países de todos os continentes.

O congresso está sendo realizado no Anhembi, em São Paulo, desta terça até sexta-feira, dias 13 a 16 de outubro de 2015.

O bancário, Vagner Freitas, vai continuar na presidência da CUT, liderando uma executiva com 44 dirigentes. Sendo metade mulheres e metade homens. Todas as direções são parietárias , tanto a nacional como as estaduais.

Estamos discutindo a crise econômica, política e social que tomou conta do mundo. Precisamos descobrir novos caminhos e novas alternativas. A internet facilitou a globalização, a China abastece o mundo com produtos baratos, o Oriente Médio vive em guerras provocadas pelos países ocidentais, principalmente pelos Estados Unidos. 

Algo novo precisa surgir. Algo que traga mais esperança e solidariedade aos povos e países. A classe trabalhadora tem muito a contribuir.

Que surjam as flores e as esperanças!-

Não ao retrocesso!

Não ao golpe!

Viva a Classe Trabalhadora!

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Dia das Crianças e as Guerras

Palestina, Síria e povo curdo

Ao abrir o Facebook, no primeiro momento estranho ao ver tantas fotos de crianças... depois lembro-me que hoje é o Dia das Crianças. Só que última notícia que li no jornal Estadão foi que foram enterradas ontem a mãe grávida de três meses e a filha pequena, ambas morreram sob bombardeio de Israel sobre a comunidade Palestina. O quê diria Anne Franck, sobre este novo Holocausto?

As crianças palestinas e as crianças curdas não tem paz para comemorar o seu ida. No mundo atual, os dois únicos povos históricos que ainda não têm a sua Pátria são os palestinos e os curdos. Além de não terem Pátria, ainda sofrem com as guerras.

Israel mata as crianças palestinas.
Turquia, Síria, Iraque e tantos outros, matam as crianças curdas.

A nossa criança, nossa filha, já é uma mulher, formada em medicina e, neste dia da criança, está trabalhando atendendo crianças e pais que sofrem com o câncer. Trabalhar em hospitais e tantos lugares que não têm feriado nem dia santo, também é uma forma de desejar um Feliz dia das Crianças, das Mães e tantos outros.

Nossa gratidão a todos que trabalham para que outros se divirtam.

Nossa homenagem ao Dia da Criança, especialmente às crianças Palestinas e Curdas.
Um dia elas poderão comemorar com suas famílias em seu próprio país, com direito a passaporte próprio e a uma história cheia de alegrias e novos sonhos.

P.S.:
Já que estamos falando de Curdos.
O atentado terrorista em Ankara-Turquia, matou trabalhadores que defendiam a PAZ na Turquia e no mundo. Alguns destes trabalhadores que morreram ou ficaram feridos também eram curdos. Os que tinham filhos, os familiares não poderão comemorar este dia da criança.

domingo, 11 de outubro de 2015

Operação Mãos Sujas Não Lava a Jato

Se gritar pega ladrão...

Não adianta disfarçar, a política brasileira é corruptora e corrupta por natureza. Aqui a maioria sonega e burla a lei por hábito e direito. As leis são feitas para os otários e os assalariados indefesos.

Tanto falaram de Eduardo Cunha, como o novo moralizador do Brasil, que apareceu boiando o que todo mundo já sabia... Até a mulher divertia-se com o dinheiro da Petrobras e do povo brasileiro. Sem contar os dízimos... Sobrava dinheiro para todo mundo.

O mesmo raciocínio vale para o PSDB, DEM, PPS e Solidariedade.

O pessoal de Serra nunca engoliu Aécio, inclusive falava de seus defeitos de forma grosseira. O DEM. é o ex PFL e ex Arena, que apoiava a ditadura militar. O PPS são ex comunistas que viraram bate paus de Serra? E o Solidariedade de Paulinho dizia que Cunha era o símbolo da honestidade. 

O judiciário tem pouca autoridade para falar em mãos limpas. Da mesma forma a imprensa com sua neutralidade manipuladora.

O constrangimento com Eduardo Cunha é amplo, geral e irrestrito. 

Poucos ainda não foram expostos à ira da opinião pública. Mas, se ficar claro que Temer pode assumir o lugar de Dilma, tudo indica que novas histórias também aparecerão. Afinal, Temer é do PMDB. Um partido de larga experiência em governos federais, estaduais, municipais, transporte, portos, energia, judiciário e tantas outras coisas como rádios e retransmissoras de TVs .

A guerra que estamos vivendo é como a guerra da Síria!. 
Estamos só começando. 
Sem mãos limpas e sem lava jato.
Todos com mãos sujas e sem pressa para acabar com a corrupção.

Precisamos de Novas Primaveras...

sábado, 10 de outubro de 2015

Depois do inverno, as flores

Principalmente depois das chuvas

Vejam como a Lágrimas de Cristo ficou bonita!



Uma coluna inteira de flores...



Apesar da falta de água e da demagogia da Sabesp,
As flores voltam em quantidade.
Viva a Primavera!

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Brasil e Argentina dão vexame no futebol

Conspiração até no futebol?

O Estadão de hoje relata que o time argentino controlou 70% a posse da bola, mas, mesmo assim, perdeu de 2 a 0 em Buenos Aires! E foi para o Equador! Será que teve influência eleitoral? Os jogadores estão boicotando os peronistas de Cristina Kirchner?

Já o Brasil ter também perdido de 2 a 0 não foi surpresa. Um futebol chifrinho, jogo medroso e lerdo, com medo dos chilenos. Time de frouxos que procurava o empate. O Brasil não queria ganhar, queria apenas empatar. Parecia que o tecnico era Mano Meneses.

A verdade é que não existe mais times grandes e times pequenos. É a mesma coisa entre países grandes e países pequenos. Mesmo matando à rodo, os Estados Unidos não conseguem controlar o Oriente Médio. Os árabes perderam o medo dos americanos. Como os americanos, no futebol, perderam o medo dos brasileiros e dos europeus.

O mundo está em profunda mudança. Ainda não conseguimos identificar o que vem pela frente. Mas que está mudando aceleradamente, está.

E que venho o novo mundo!


quinta-feira, 8 de outubro de 2015

No caos, todos querem levar vantagem

Há uma forte crise de hegemonia

Ladrões e corruptos de ontem e de hoje degladiam-se na política, no judiciário, nos governos no Brasil e no mundo. No Brasil, porque o judiciário e a PF só investigam quem querem, isto é, só investigam os que apoiam o governo Dilma e o PT. Os outros aprontaram e aprontam mas estão protegidos pela disputa entre o judiciário e o Executivo. Como fica a presidência da Câmara Federal com um presidente declaradamente com contas na Suíça?

Enquanto eles se degladiam, o desemprego aumenta, a inflação sobe, o salário desce e a insegurança vai se espraiando por toda a sociedade, estimulando o clima para se arranjar um ou uns salvadores da Pátria, mesmo que seja com golpe militar, civil ou jurídico.

Como gostam os sociólogos: Há uma forte crise de hegemonia. Nenhum segmento sozinho está com força suficiente para governar sozinho. Mesmo que sejam alianças oportunistas e casuísticas, elas são mais do que necessárias.

E os honestos, onde estão os honestos?
Estes formam a maioria silenciosa. É a maioria no legislativo, maioria nos executivos, maioria no judiciário, na imprensa e nas instituições empresariais e dos trabalhadores. Se são maiorias, por que não botam limite na guerra suja que explodiu em nosso Brasil e no mundo? Exatamente por ser silenciosa, passiva, insegura...

Esta maioria silenciosa brasileira, é a mesma maioria silenciosa que está assistindo passivamente as imigrações na Europa, a destruição do Oriente Médio e a morte de milhares de pessoas...

O mundo ocidental está desintegrando-se. Quem passa firmeza atualmente? Somente a China, o Irã e a Rússia. O Ocidente, liderado por Obama, Hollande e Merkel, fala, fala e fala, mas não resolve. Pelo contrário, cria mais conflitos e insegurança.

Estamos vivendo a Síndrome do início dos séculos?
Estamos mais para 1914 ou para 1929?
A diferença é no número de mortos e no grau da violência...