quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Marcelo Odebrecht e Helio Bicudo

Entre a Dignidade e o Oportunismo

Há dias que ando pensando em escrever algo sobre estes dois brasileiros.

Um representa uma parcela do empresariado brasileiro e faz parte do 1% mais rico deste Brasil. O outro teve um passado de Igreja, jurista progressista e que teve papel importante na defesa dos fracos e oprimidos.

O tempo, porém, apresentou caminhos diferentes para estes dois brasileiros...

Enquanto Marcelo Odebrecht, que já distribuiu ajuda política e financeira para a maioria dos políticos brasileiros, principalmente do PSDB, está preso, na tentativa de ser coagido a denunciar apenas petistas. Ele se cala, representando uma dignidade e coerência rara, tanto entre os empresários, como entre os brasileiros como um todo. Nossa cultura é "Levar Vantagem, em tudo".

Se Marcelo Odebrecht resolver contar tudo que sabe sobre todo mundo, aí incluindo o Judiciário e FHC, nossa frágil República não fica em pé. No entanto ele se cala, preservando a dignidade. Talvez herança do sertanejo, por sua família morar na Bahia.

Já o jurista aposentado, Helio Bicudo, figura lendária dos Direitos Humanos e da Igreja, foi parlamentar pelo PT, ajudou a criar e organizar o PT, fez parte da chapa da Marta Suplicy na prefeitura de São Paulo, depois aliou-se aos esquerdistas dentro do PT e já com a idade avançada, conscientemente ou influenciado por alguém da família, resolveu emprestar o nome para ser o "arauto do impeachment de Dilma e do PT".

Freudianamente, penso que algo afetou o comportamento do senhor Helio Bicudo. Se ele teve desavença com Marta, deveria resolver o problema com Marta, não com o PT. Se teve com o PT, mas continuava considerando-se uma pessoa progressista, faria a crítica ao PT e até deixaria o partido, como muitos fizeram, mas não deixaria de ser progressista. Jamais viraria porta voz dos golpistas. Sempre gostei de Hélio Bicudo. E fico muito triste em vê-lo assim. E respeito o direito de ele mudar de lado e de compromisso social.

A vida é assim, depois de velho, vejo-me fazendo amplos elogios a um representante das elites, como gostavam de dizer alguns petistas, e, triste, muito triste, ao ver um militante da nossa Igreja progressista, negar seu passado, negar o compromisso com o povo de Deus e virar porta voz dos golpistas.

O problema para mim não é apenas de classe social, é freudiano. A formação da personalidade humana sofre influência do ambiente econômico e social, mas o compromisso com a verdade e com a dignidade, são como certas doenças, atinge a todos. Ricos e Pobres. Dignidade não é um problema só de pobre ou só de rico. É um desafio para todos nós, brasileiros e brasileiras.

Que a Folha continue usando Helio Bicudo como porta voz dos golpistas!
Eu ficarei usando Marcelo Odebrecht como exemplo de Dignidade.

O Brasil, entre os pobres e os ricos, há muitos com caráter e dignidade.
Parabéns Marcelo Odebrecht!

Nenhum comentário:

Postar um comentário