quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Joaquim Levy está de Aviso-Prévio

Sairá na Reforma Ministerial

Vocês já ouviram falar de empresas de fins específicos que têm prazo de validade?
Pois é, quando Joaquim Levy assumiu o ministério da Fazenda, o fez para executar a Reforma Fiscal, acertada entre a Presidente Dilma e alguns empresários.

O problema é que Levy pesou na mão e, em vez de equilibrar as contas, provocou uma imensa recessão que desestabilizou todos os setores econômicos, facilitando apenas para o Agronegócio e os exportadores. Em decorrência da forte desvalorização cambial.

Juntamente com a Recessão de Levy, o Brasil teve a maior crise política desde 1963, período que antecedeu o Golpe Militar e Civil de 1964.

Com o aumento das crises política e econômica, a presidente Dilma avisou que vai fazer uma Reforma Ministerial. Como tem 39 ministérios e vai ter que recompor-se com o Congresso Nacional, além de diminuir o número de ministérios, a Reforma será aproveitada para trocar alguns ministros inconvenientes, como os da Casa Civil e da Fazenda.

Da mesma forma que tivemos um mês de Agosto tenso, teremos um mês de Setembro cheio de boas expectativas.

Defendemos a criação de um Conselho de Estado, composto por personalidades empresariais, do trabalho, do social e da política, onde a governabilidade seja exercida de forma mais consensual possível.

Devemos torcer para que se estabilize a economia e o Congresso Nacional tome juízo e assim voltemos a ter crescimento econômico com distribuição de renda e inclusão social, além de muita competitividade internacional.

Quanto a Levy sair do Ministério da Fazenda, não significa demérito nenhum. O melhor teria sido a presidente Dilma em vez de ter nomeado um neoliberal para o cargo, tivesse escolhido alguém com mais trânsito nos diversos segmentos sociais e do mundo dos negócios.

Errar é humano, insistir no erro...

Nenhum comentário:

Postar um comentário