quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Holocausto no Oriente Médio reflete na Europa

USA e Europa desorganizaram o Oriente Médio

A cada dia nos emocionamos com as fotos da tragédia humana que são os milhares de imigrantes de países como Síria, Líbia, Iraque entre outros para a Europa. O sofrimento e a humilhação estampados nos rostos das crianças e dos velhos que se jogam contra cercas de arame farpado tentando passar para um mundo melhor, mas que os trata como leprosos...

Enquanto milhares de pessoas estão sofrendo, os Estados Unidos que são os principais responsáveis pelo desestruturação destes países, por enquanto, estão livres dos imigrantes.

O mais estranho disto tudo é que a tragédia que tomou conta do Oriente Médio começou com a invasão americana no Iraque, que espalhou-se para outros países, mas também passa pela Líbia, que foi destruída com o apoio da França entre outros países europeus e dos Estados Unidos. O Egito  está no mesmo caminho. Os Estados Unidos e Europa patrocinaram um golpe de Estado e a implantação de uma ditadura em nome do combate a Irmandade Muçulmana...

No caso da Síria, é a mesma coisa, a oposição ao governo da Síria foi e é bancada militarmente pelos governos dos Estados Unidos e da Europa, e agora que o país está destroçado e a população tenta migrar para outros países da Europa, é tratada como animais selvagens ou hordas errantes.

Infelizmente não consigo reproduzir as fotografias que envergonham a Europa e mostram a incompetência da ONU em evitar tanto sofrimento.

Curiosamente, nos séculos passados estas calamidades públicas internacionais só aconteciam quando surgiam pestes e epidemias, ou quando as guerras tomavam dimensões continentais. Tivemos muitas migrações no século passado tanto na primeira como na segunda guerras mundiais.

Agora não estamos tendo uma guerra mundial, mas as consequências estão sendo parecidas. Com a diferença de que o HOLOCAUSTO não é contra os judeus e europeus, mas contra os povos do Oriente Médio. Considerados cidadãos de segunda categoria...

Depois reclamam do  surgimento do Estado Islâmico e da sua violência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário