quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Fernanda Torres fez 50 anos

De vida ou de carreira?

Num ano de muitas comemorações, passou despercebida para muita gente a comemoração dos 50 anos de vida de Fernanda Torres.

O quê temos a ver com isto?

Primeiro, ela escreveu um artigo engraçadíssimo na Folha da semana passada, contando suas agruras de menopausa e outras coisas. Mas Fernanda Torres tem muito mais para contar...

Quando Antonio Fagundes, Caetano Veloso e Gilberto Gil estavam começando suas carreiras de artistas, Fernandinha estava nascendo, filha de pais ilustres. Fernando Torres e Fernanda Montenegro.

Fernandinha, como os pais, também escolheu ser artista. Boa como os pais... Além de artista, escritora, é também mãe de jovens adolescentes e vive no Rio de Janeiro, não tão bonito como era em 1965, mas que continua sendo a cidade mais bonita do Brasil.

Se Fernandinha pagou previdência desde o inicio da carreira, já deve estar chegando aos 35 anos de contribuição e já poderá em breve requerer aposentadoria pelo INSS. Mas, Fernandinha, como a mãe, vai trabalhar muitos anos pela frente. A mãe ainda trabalha mesmo tendo 83 anos de idade. Se Fernandinha trabalhar até a idade da mãe, terá mais 33 anos de trabalho. Todos ganharemos com a qualidade do trabalho da filha, como ganhamos com a qualidade do trabalho da mãe.

E por quê chamar Fernanda Torres de Fernandinha, se ela já tem 50 anos?
Por que para os pais e irmãos mais velhos, as Fernandas quando pequenas, são chamadas de Fernandinhas, Nanda, Fê, entre outras formas afetivas. As Fernandas que eu conheço, ou são Fê ou são Fernandinhas.

Peço desculpas a Fernanda pelo atraso na homenagem. Mas, quem tem tanto orgulho de pessoas como Fernanda Montenegro e Antonio Cândido, que já são mais velhos, também precisa aprender a ter orgulho do trabalho e da pessoa que é Fernanda Torres.

Que vivam muitos e muitos anos mais...

Demissão por telefone

Educação e Ressentimento

Mesmo com pressa, precisamos tomar cuidado quando vamos fazer as coisas, para evitar magoar as pessoas e criar ressentimentos. Na vida pública, quando as pessoas são demitidas por telefone ficam mais ressentidas do que quando são demitidas pessoalmente e depois de breve explicação.

Tanto no caso da demissão de Cristovão Buarque, quando foi demitido do Ministério da Educação no governo Lula, como agora no caso de Chioro, ao ser demitido pelo telefone por Dilma, a imprensa usou muito estes dois casos para desgastar as imagens tanto dos demitidos com de quem os demitiu.

O ritual dos cargos, obriga as pessoas a serem mais formais.
No Brasil, há uma mania de se enaltecer gestores grosseiros, como se estes fossem decididos e competentes. Isto é errado. Devemos enaltecer as pessoas firmes, decididas, mas que também são educadas e profissionais. Isto ajuda as pessoas a serem educadas em todos os momentos e ajuda o país a ser mais saudável.

Alguém pode dizer que, na crise, as pessoas não têm tempo de ser educadas ou formais. Não é verdade. Mesmo na crise, a educação é um pré-requisito da vida pública e coletiva.

Esta Reforma Ministerial é necessária e urgente, mas não pode ser transformada em "balcão de negócios inescrupulosos", nem em motivo para demissões indelicadas. Vida política é instável e quem aceita assumir cargo público tem que saber disto de antemão.Tanto para quem nomeia como para quem é nomeado. Se um juiz usa palavras grosseiras numa  seção de julgamento, ele se descredencia para tão relevante função. O mesmo vale para todas as pessoas públicas.

A gente não quer só comida...

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Eu gostaria de falar de flores

Os preços estão nos roubando

Com a primavera as mais variadas flores estão chegando em São Paulo. Tenho várias fotos para mostrar e outras para tirar com novas flores,. No entanto, antes de sair de casa, recebo o entregador de gás de cozinha com sua buzina intermitente e inconveniente. Ele pergunta: Vai querer gás?

Sim, vamos querer gás. Eu respondo.
Cheio de prestatividade, o entregador de gás desce o grande butijão do carro e se prepara para instalar no local apropriado na nossa casa. Eu afirmo convicto: São R$250,00? Ele responde: Não senhor. Depois de 250 já passou por 275 e agora é 295,00.

Eu, atordoado, respondo: Como assim? R$295,00 por uma botijão? Estamos sendo roubados!
O entregador responde: Tudo está subindo de preço. A culpa não é nossa. (Isto é, não é culpa do entregador).

Como precisava do gás, não tive escolha. Paguei e pedi nota fiscal. Guardo o documento como prova de como o povo e a classe média estão sendo roubados.

Roubados nos preços das escolas particulares, nos preços dos remédios e das consultas médicas, além do preço dos convênios médicos, roubados nos supermercados e feiras, nos cinemas, nos postos de gasolina e nos mecânicos de automóveis.

Roubados pelos políticos quando estes aumentam seus salários e benefícios muito acima do aumento dos trabalhadores assalariados e aposentados. Roubados pelos juízes quando também aumentam seus salários bem acima dos trabalhadores e aposentados, aproveitando-se que podem decidir em causa própria, enquanto os trabalhadores e aposentados dependem dos políticos e dos juízes.

Como vocês podem ver, há roubos na varejo e roubos no atacado.
Vivemos um país onde a lei pouco vale. O quê vale mais é a esperteza. É levar vantagem.

E temos 34 partidos, tem gente querendo criar mais partidos. Para defender o povo? Não, para terem mais poder de barganha. O povo, cético, já não vai mais às ruas...

O povo já não acredita nos partidos e nos políticos. O povo começa a duvidar dos pastores e bispos.  O povo também duvida da segurança das forças de segurança e dos juízes. Sem contar das dúvidas em relação à imprensa.

Com a economia descontrolada e a política desmoralizada, o povo tende a aceitar aventuras. Sejam elas de direita ou de esquerda. Em nome de Deus ou da Ordem.

domingo, 27 de setembro de 2015

Adeus, Marta Suplicy

Foi bom enquanto durou...

Os jornais de hoje noticiam a nova filiação partidária de Marta Suplicy. Ela foi para "o novo PMDB"...

A saída de Marta Suplicy do PT tem muito simbolismo e pode ajudar no aprendizado da nossa frágil democracia e também no relacionamento humano.

Lembro-me que, há muitos anos atrás, um colega de trabalho veio lamentar comigo que teríamos eleições para prefeitura de São Paulo e Erundina, que já tinha deixado o PT, iria candidatar-se pelo PSB, sendo que o PT não tinha candidato. Eu respondi que tinha muitos candidatos, entre ele, poderia ter como candidata, Marta Suplicy. Ele respondeu-me que Marta era conhecida como "mulher de Suplicy". Eu argumentei  que Marta era bem mais que isto.

Marta Suplicy era realmente a esposa de Eduardo Suplicy, (um símbolo de seriedade nacional), era rica, bonita, inteligente, psicanalista e sexóloga. Que eram requisitos que estimulariam o povo da cidade de São Paulo a votar em alguém que é "um algo mais" do que os candidatos tradicionais.

O tempo passou e Marta acabou saindo candidata à prefeitura de São Paulo. Num dos debates deu uma bela enquadrada em Maluf e assim credenciou-se a ser a Prefeita de São Paulo. Elegendo-se resolveu também separar-se e divorciar-se de Eduardo Suplicy. Surpreendentemente, Marta Suplicy foi a melhor prefeita e prefeito que São Paulo teve desde Mário Covas. Mesmo sendo uma pessoa extremamente difícil no relacionamento. Gosta de mandar e constranger os homens...

Mais tarde elegeu-se senadora e virou ministra no governo Dilma. Duas mandonas não se bicam e assim Marta deixou o ministério "chutando o pau do barraco"... E mais tarde deixou o PT. Também "chutando o pau do barraco".

Para uma pessoa com tantos méritos, como listado no início deste artigo, ter críticas a Dilma e ao PT é normal. Mas, ficamos sem entender direito o quê a fez ir para o PMDB. Será que os mesmos defeitos que tem Dilma e o PT, além de muitos outros, também não existem no PMDB? Eu fui filiado ao MDB de Ulisses Guimarães e Franco Montoro. Isto em 1978. Mas, estamos em 2015....

Marta Suplicy tem todo direito de ir para onde quiser. Mas acho recomendável priorizar andar e olhar para a frente em vez de ficar somente falando mal do PT e de Dilma. Casamento quando acaba não significa fim da vida de ninguém. Pode até significar novas esperanças. Na vida partidária pode ser da mesma forma.

Eu prefiro ficar com as boas lembranças de Marta.
Como por exemplo, quando nos anos 70, nosso professor Eduardo Suplicy fez uma apresentação no Cine-clube da GV,  da sua viagem à China. Quando Suplicy mostrou uma foto de um camelo no deserto de Gobi, o grande público presente expressou: Oh!... E o professor Suplicy explicou que aquele era o famoso deserto de Gobi. E alguém perguntou: E a loira, perto do camelo? O professor, humildemente como sempre, respondeu: "Esta é a Marta, minha esposa." E o público jovem respondeu em coro: Oh!!!

Marta, siga seu caminho. Conviver com você foi muito bom.
Nós, velhos militantes, continuaremos tentando recuperar, manter e criar novas formas de fazer política no Brasil. Nós continuamos a acreditar e praticar a solidariedade e o respeito à diversidade de ideias, de gênero, religiões e de ideologias. Ainda acreditamos em sonhos...

sábado, 26 de setembro de 2015

Ipês amarelos em Setembro

São Paulo cheia de ipês amarelos

Em todos os bairros encontramos pequenos pés de ipês com suas flores amarelas. Talvez a Vila Madalena e entorno seja a região que tenha mais pés de ipês amarelos.

Vejam este grande ipê amarelo da nossa rua.


Este ipê e o da Rua Consolacao forma a dupla mais bonita de São Paulo.

Os ipês começam a florir a partir de abril, mas os amarelos são os últimos. Esperando a primavera chegar, com suas outras flores.

Vejam estas pequenas flores.


Flores da jabuticaba... Bastou chover um pouco. A vida renasce.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

34 Partidos Políticos para quê?

Brasil precisa de Nova Constituição, não de mais partidos.

Quando vemos o TSE - Tribunal Superior Eleitoral autorizar a legalização de mais um partido político no Brasil (sem entrar no mérito se é de direita ou de esquerda) ficamos mais ainda com a impressão de que nossa democracia está mais para o caos do que para a ordem.

Todos querem acessar o Fundo Partidário, o Horário Eleitoral "gratuito" e as verbas de gabinetes.

34 partidos!
Imediatamente os parlamentares começam a mudar de um partido para outro, negociando reciprocidades...

O curioso é que são 30 partidos de conservadores para 4 progressistas. Por que será que a direita precisa de tantos partidos? Será que o DEM e o PSDB já não os representam?

O problema é que a Estrutura estimula a malandragem e as negociatas. E o povo fica indiferente... Mas, quem cala consente. E aí não adianta reclamar dos políticos.

Da mesma forma que na Economia vivemos num impasse, na Política o impasse é ainda maior. Enquanto isto, o Judiciário legisla acima do Executivo e do Judiciário. E a Imprensa estimula o caos e a violência.

O Brasil precisa de uma nova Constituição e de menos partidos.


quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Cauby Peixoto e Ângela Maria

O Novo em São Paulo

O Brasil vive um período de nostalgia.
A cada dia é mais uma comemoração de 50 anos de carreira deste ou daquele artista ou escritor.

Hoje, procurando coisas agradáveis nos jornais politiqueiros de São Paulo, achei um anúncio no caderno Ilustrada da Folha, bem no pé da página, mas que deveria ser de página inteira:

"Ângela Maria & Cauby Peixoto - 120 anos de sucessos"
dia 24 de outubro - hoje - no Teatro BRADESCO.

Quando eu vi as comemorações de Caetano e Gil com seus 50 anos cada um de carreira musical, somando 100 anos da dupla, e depois vi a comemoração de Antonio Fagundes, também com 50 anos de carreira, fui procurar na História o que estava acontecendo no mundo quando eles começaram a fazer arte. Guerra Fria e Guerra Quente, e início de uma Ditadura no Brasil. Era 1965!

Quando vejo a propaganda do show de Cauby e Ângela, fiquei pensando como era o Brasil em 1955, quando eles começaram a cantar.

Era um Brasil rural, analfabeto, com muita seca e fome, porém era também um Brasil de Copacabana, músicas e carnavais, cassinos e grande crescimento econômico e avanços na industrialização. Era um Brasil cheio de sonhos, desejos e esperanças. Mas também já tinha os golpistas e os contra a modernidade...

Entre os anos 1955 e 1965, quando em Serrinha, na Bahia, ainda não tinha luz elétrica, água encanada, fogão à gaz nem televisão, com frequência apareciam os Parques e Circos com seus sistemas de alto-falantes que à noite e nos matinées apresentavam músicas e artes.

Nós morávamos perto da praça onde eram instalados os Parques e Circos e, à noite, quando íamos dormir, como a casa não tinha forros, ficava mais fácil de ouvir as músicas como acalanto. E, com frequência dormíamos ouvindo duas músicas que faziam muito sucesso na época e fazem até hoje.

Cauby soltava a voz parecendo nosso Sinatra:

"Conceição, eu me lembro muito bem....

E, Ângela Maria respondia com sua voz de veludo:

"Bandeira branca, amor
Não posso mais.
Pela saudade que me invade eu peço paz...

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Quatro Banespianos de Ouro

Augusto, Gushi, Vaccari e Zé Roberto

Por mais que a elite brasileira tente esconder ou negar, no Brasil existe o preconceito racial. Se, embora seja evidente, os que mandam nos currículos escolares e na imprensa negam o preconceito racial, imaginem o quanto eles vão negar sempre que haja no Brasil luta de classe ou preconceito de classe social. Ser negro no Brasil é motivo de discriminação, ser pobre no Brasil também é ser discriminado, ser negro e pobre aí é dosagem em dobro. Mesmo nos dias atuais.

Se mesmo no Brasil de hoje, vence na vida quem diz sim, quem é obediente e seguidor dos valores da classe dominante, imaginem querer defender os pobres, os negros e a classe trabalhadora na época da ditadura militar, nos anos setenta?

Foi nos anos 70 que eu conheci muitos bancários de todos os bancos - naquela época tinha muitos bancos, principalmente do Banespa. Neste banco trabalhavam quatro rapazes que contribuíram muito na minha formação de vida. Quatro bancários que poderiam ter ficado ricos e viverem bem as suas aposentadorias. Mas eles resolveram fazer a opção pela Classe Trabalhadora e por um Brasil diferente.

1 - Augusto Campos, que ontem completou 74 anos de vida e de liderança, foi o maior estrategista que conheci no movimento sindical. Estava sempre na frente, pensando em como ajudar a organizar e conscientizar os trabalhadores. Luta de massa ou guerrilha? Clandestinidade ou sindicalismo? Vanguardismo ou organização por local de trabalho? Relação individual ou coletiva? Tudo isto Augusto nos ajudava a entender... O Augusto Campos sozinho já dá material para muitos livros e filmes.

2 - Gushi, como nós chamamos Gushiken, era o grande agitador das assembleias. Era nosso trotskista maior. Formava uma grande dupla com Augussto Campos. Além de banespiano, foi meu colega na Fundação Getúlio Vargas e nossas esposas eram também colegas de faculdade e começamos os namoros na mesma festa e no mesmo apartamento perto da Praça Roosevelt. Gushi, foi um bom sindicalista, mas brilhou mesmo foi como líder partidário e parlamentar. Foi acusado injustamente e morreu provando que a dignidade da classe trabalhadora é construída com ações e palavras.

3 - João Vaccari, nosso tesoureiro no Sindicato, na CUT e no PT, que conseguiu sanear as contas e ajudar as pessoas a compreender a importância de equilibrar os orçamentos e evitar despesas desnecessárias, está dando mais uma demonstração de dignidade. Ontem, no mesmo dia do aniversário de Augusto Campos, a luta de classe atacou nosso companheiro e amigo João Vaccari. Ontem, um juíz do interior do Paraná, aliado as forças ocultas, decidiu que Vaccari seria condenado a 15 anos de prisão por ter tido a coragem de organizar as finanças para a Classe Trabalhadora em vez de ser servil à classe dominante. Como este juiz do interior provou que Vaccari era culpado? Ouvindo delatores que não provaram nada contra Vaccari. Tudo que Vaccari fez como tesoureiro do PT foi exigir a legalidade das doações financeiras. Contabilizado e aprovado pelo TSE - Tribunal Superior Eleitoral. Mas, como mataram Joana Darc e acusaram sem prova o Gushiken, agora estão condenando Vaccari. Um banespiano de muita dignidade..

4 - Zé Roberto Barbosa, o banespiano do Comitê Betinho.  Também conheci Zé Roberto ainda na década de 70, quando começamos a fazer o trabalho sindical na compensação geral do Banco do Brasil, no período da noite. Zé Roberto sempre foi um cristãozão da Teologia da Libertação. Quando conheceu Betinho na Campanha contra a Fome, emocionou-se. Depois conheceu Dona Zilda Arns com a Pastoral da Criança e ficou mais entusiasmado ainda. Tanto que criou com outros colegas banespianos o COMITÊ BETINHO, contra a fome e a seca. Seca de água e seca de justiça. No começo eles trocavam tickets refeições por dinheiro para doar para se fazer cisternas no Nordeste. Depois doavam computadores e livros para brinquedotecas da Abrinq. Outro dia Zé Roberto estava nas redes sociais recebendo prêmios pelo seu trabalho no Comitê Betinho....

Fernando Henrique Cardoso acabou com o Banespa. Privatizando-o e vendendo o banco por uma pechincha para o Santander. Alí já houve suspeita de dilapidação do patrimônio do povo de São Paulo, além das milhares de demissões de banespianos. FHC acabou com quase todos os bancos estaduais e muitas estatais estaduais, além da Vale do Rio Doce e dentre outras estatais vendidas a preço de banana...

O Banespa acabou, mas as belas histórias do Banespa e dos banespianos continuam aos milhares.

Hoje, eu tive o prazer e a emoção de escrever sobre estes

QUATRO BANESPIANOS DE OURO.

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

O Brasil do vale tudo

Guerra de Versões

Quando as instituições perdem a credibilidade, as versões passam a valer mais do que os fatos.

Concordemos ou não, é fato que existe uma grave crise de credibilidade das nossas instituições.

Até os políticos mais velhos resolveram deliberadamente fazer afirmações provocativas e vingativas, como fez nesta segunda-feira o senador Jarbas Vasconcellos contra Lula. A imprensa multiplica a provocação, estimulando assim o clima de mais violência.

A quem caberá restabelecer a Ordem?

Aos poucos vai-se, cada vez mais, criando o clima para um Golpe e uma Nova Ditadura, com caráter civil ou militar. No início mantém-se o caráter civil e depois os militares vão assumindo de fato e de direito o controle da ordem.

O Judiciário, a cada dia que passa, mais utiliza-se situações conflitivas. O descontrole social no Rio de Janeiro é mais um exemplo de disputa entre funções do Judiciário, da Polícia e a população fica exposta e fragilizada ante tais disputas.

O Vale Tudo está cada vez mais se generalizando.
Aos poucos o medo vai vencendo a Esperança.


domingo, 20 de setembro de 2015

Helio Bicudo, por que não se cala?

Que tristeza!

Muito triste ver a imprensa usar a imagem de Helio Bicudo contra o PT e o Governo Dilma. O pessoal mais chato do PSDB até diminuiu as provocações e mentiras. Basta usar as bobagens que Helio Bicudo vem falando ou alguém está falando por ele. 

Será que foi mágoa ou foi discordância ideológica que motivou tanta bobagem? Se foi pela ética, porque fazer somente a ética seletiva? Omitindo os erros históricos da nossa direita tucana e de outros partidos...

Os juristas e o judiciário deveriam ser mais cuidadosos com suas entrevistas e depoimentos. Mesmo quando já estão velhos e doentes... Dom Paulo, como bom Franciscano, recolheu-se ao Instituto Paulo VI em Taboão da Serra. Destemperado, basta Gilmar Mendes.

A imprensa falar um monte de bobagem já virou regra. Já perderam o pudor... 

O Brasil perdeu a pureza. Perdeu suas verdades. Tudo agora é relativo. Tudo tem várias versões. Mesmo quando o Corinthians ganha. Quando olhamos no Facebook, muitos estão reclamando que mais uma vez os juízes e bandeirinhas ajudaram o Corinthians. No Brasil tem temos versões, não temos mais fatos. A ideologia da Folha venceu.

Ainda bem que Helio Bicudo não é corinthiano.

Ontem no supermercado, tinha duas velhinhas conversando e uma dizia para a outra que Lula estava riquíssimo e agora Dilma também estava ficando rica... Devem ter ouvido estas notícias na imprensa. Tudo isto protegido pela tal da Liberdade de Imprensa. Onde tudo pode ser dito, mesmo que seja quase tudo mentira...

EstA mesma imprensa que adotou o velhinho que nega seu passado.

Agressividade e incompreensão

O baixo nível nas redes sociais

A grande imprensa resolveu acompanhar as redes sociais e liberou a baixaria e as mentiras. Mas tem muita gente boa que não compartilha nem com a baixaria e mentiras da imprensa, nem das redes sociais. Só que a guerra de informações e formação continua e não podemos ignora-la.

Por exemplo, não consegui ler nenhuma matéria nos dois principais jornais de São Paulo neste domingo. Nem os cadernos culturais. Muita gente vai comemorar dizendo: Bem feito, fica assinando jornais da direita. E eu sempre pergunto: Cadê os jornais da Esquerda? 

Até a entrevista de Delfin Neto, ficou difícil de ler. O Estadão deu um caráter panfletário e provocador, que descaracteriza o próprio entrevistado.
Mas o Estadão virou Hora do Povo. A maior baixaria política. 
Mas precisamos de mais jornais, rádios e TVs.
Precisamos de mais competividade e mais pluralidade.
Não precisamos do pensamento único, nem da direita, nem da esquerda.

Notícia boa mesmo, foi a grande vitória do Corinthians!

sábado, 19 de setembro de 2015

Todos querem o PMDB?

O que Dilma quer?

A direita sabe que só tem golpe se o PMDB quiser.
A esquerda sabe que Dilma só governa se tiver o apoio do PMDB.

Quais são as condições que Dilma está cobrando para compartilhar o governo com o PMDB?
O PT e Lula querem o PMDB. Dilma ouve o PT? Dilma ouve Lula?

Como o governo transformou o pacote econômico em algo que precisará ser negociado com os parlamentares e com os governadores, o pacote pode se transformar num Bebê de Rosemary. Os políticos vão exigir a Reforma Ministerial como moeda de troca e teremos um monstrinhos neoliberal.

Esta história de que Mercadante não pode sair da Casa Civil é balela. Do jeito que vai, se ele não sair sozinho, sairá acompanhado... Quantos avanços e recuos serão necessários até o desfecho final?

Neste quadro de crise permanente, uma coisa já ficou claro:

1 - O PSDB já concluiu que, mesmo se derrubar Dilma, não assumirá a presidência... 
Por isto estão procurando o PMDB.

2 - A economia vai continuar em crise. Enquanto Levy estiver na Fazenda, a recessão não acabará. Será que, num pais que tem centenas de milhares de economistas, não há gente melhor que Levy?

3 - O Judiciário continuará tentando governar e impor-se sobre o Legislativo e o Executivo. E a PF está cumprindo as ordens dos juízes golpistas.

4 - A imprensa continuará a ser a orientadora dos golpistas.

5 - E os empresários e trabalhadores continuarão reclamando da Economia e da Política.

Durma com um barulho deste!

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Dom Paulo Evaristo Arns e Marta Suplicy

Uma boa homenagem a Dom Paulo

O brasileiro que melhor simboliza minha boas lembranças do Papel da Igreja é Dom Paulo Evaristo Arns. 

Nesta última segunda-feira, dia 14, Dom Paulo fez aniversário. Pensei em fazer mais uma homenagem para ele, mas a crise política obrigou-me a deixar a homenagem para depois.

Ainda sobre a Igreja progressista, ao falar ontem sobre Marcelo Odebrecht e Hélio Bicudo, mostrei minha tristeza sobre o fato de ter conhecido Hélio Bicudo na Igreja progressista da época de Dom Paulo e vê-lo agora ser usado como porta voz dos golpistas.

Hoje, para minha surpresa, vi na coluna que Marta Suplicy publica na Folha de São Paulo, que ela homenageia o Papa Francisco e Dom Paulo. Por questão de espaço, reproduzo apenas a parte que Marta fala de Dom Paulo. Sobre o Papa Francisco fica para outro momento.

Marta Suplicy está certa.

Ao completar 95 anos de vida, nós que tivemos a felicidade de conviver com Dom Paulo e sua família, queremos dar nossos parabéns, nosso agradecimento por tudo que ele fez por nós e pela Dignidade Humana.

Leiam a parte que Marta escreve sobre Dom Paulo Evaristo Arns na Folha de hoje.

“O artigo de hoje é para homenagear um ser humano, do naipe do papa Francisco: dom Paulo Evaristo Cardeal Arns. Este é o nome do livro que será lançado dia 4 em São Paulo, resgatando a história de quem tanto fez pelo Brasil, pelos pobres e pelo povo da minha cidade.

O que chama mais atenção na história de dom Paulo, hoje com 95 anos, e que estará presente neste dia na Paróquia São Francisco de Assis, é sua simplicidade, determinação, apego aos mais necessitados e acima de tudo, coragem pessoal. Não à toa dom Paulo tem 38 títulos de cidadão honorário, 43 medalhas, 31 prêmios, 24 diplomas honoris causa. Valoriza as mulheres e acreditou no ecumenismo, incentivando o diálogo inter-religioso na Sé.

A teologia da libertação, que provocava tanta resistência nas forças mais conservadoras, foi abraçada por dom Paulo, ajudando no processo de conscientização dos marginalizados e novas formas de reivindicação. Criou mais de 2.000 Comunidades Eclesiais de Base e este foi um enorme apoio, pois simbólico (antiditatorial), político (protegeu os perseguidos políticos) e material (forneceu as condições, inclusive disponibilizando pessoas intelectualmente preparadas).

Os grandes do mundo que se preocuparam com os carentes, as famílias brasileiras atingidas pela perseguição da ditadura, os que lutaram pela Anistia e os mais pobres de São Paulo sabem de sua grandeza e a diferença que pode fazer um cardeal da Igreja destemido e engajado nas grandes causas e a influência libertadora e visionária de um grande papa.”


quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Marcelo Odebrecht e Helio Bicudo

Entre a Dignidade e o Oportunismo

Há dias que ando pensando em escrever algo sobre estes dois brasileiros.

Um representa uma parcela do empresariado brasileiro e faz parte do 1% mais rico deste Brasil. O outro teve um passado de Igreja, jurista progressista e que teve papel importante na defesa dos fracos e oprimidos.

O tempo, porém, apresentou caminhos diferentes para estes dois brasileiros...

Enquanto Marcelo Odebrecht, que já distribuiu ajuda política e financeira para a maioria dos políticos brasileiros, principalmente do PSDB, está preso, na tentativa de ser coagido a denunciar apenas petistas. Ele se cala, representando uma dignidade e coerência rara, tanto entre os empresários, como entre os brasileiros como um todo. Nossa cultura é "Levar Vantagem, em tudo".

Se Marcelo Odebrecht resolver contar tudo que sabe sobre todo mundo, aí incluindo o Judiciário e FHC, nossa frágil República não fica em pé. No entanto ele se cala, preservando a dignidade. Talvez herança do sertanejo, por sua família morar na Bahia.

Já o jurista aposentado, Helio Bicudo, figura lendária dos Direitos Humanos e da Igreja, foi parlamentar pelo PT, ajudou a criar e organizar o PT, fez parte da chapa da Marta Suplicy na prefeitura de São Paulo, depois aliou-se aos esquerdistas dentro do PT e já com a idade avançada, conscientemente ou influenciado por alguém da família, resolveu emprestar o nome para ser o "arauto do impeachment de Dilma e do PT".

Freudianamente, penso que algo afetou o comportamento do senhor Helio Bicudo. Se ele teve desavença com Marta, deveria resolver o problema com Marta, não com o PT. Se teve com o PT, mas continuava considerando-se uma pessoa progressista, faria a crítica ao PT e até deixaria o partido, como muitos fizeram, mas não deixaria de ser progressista. Jamais viraria porta voz dos golpistas. Sempre gostei de Hélio Bicudo. E fico muito triste em vê-lo assim. E respeito o direito de ele mudar de lado e de compromisso social.

A vida é assim, depois de velho, vejo-me fazendo amplos elogios a um representante das elites, como gostavam de dizer alguns petistas, e, triste, muito triste, ao ver um militante da nossa Igreja progressista, negar seu passado, negar o compromisso com o povo de Deus e virar porta voz dos golpistas.

O problema para mim não é apenas de classe social, é freudiano. A formação da personalidade humana sofre influência do ambiente econômico e social, mas o compromisso com a verdade e com a dignidade, são como certas doenças, atinge a todos. Ricos e Pobres. Dignidade não é um problema só de pobre ou só de rico. É um desafio para todos nós, brasileiros e brasileiras.

Que a Folha continue usando Helio Bicudo como porta voz dos golpistas!
Eu ficarei usando Marcelo Odebrecht como exemplo de Dignidade.

O Brasil, entre os pobres e os ricos, há muitos com caráter e dignidade.
Parabéns Marcelo Odebrecht!

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Economia e golpe político

Qual vem primeiro ?

Quando a Economia está boa, governo não cai ou perde eleição. 

Portanto, os golpistas já perceberam que, para derrubar Dilma, precisam travar a Economia, mesmo que isto prejudique muito o Brasil. Isto vale para os políticos, a imprensa e o judiciário. Os fins estão justificando os meios. Vivemos o Vale Tudo...

O maior problema que estamos vivendo é que o governo Dilma, com Levy, pratica o neoliberalismo na Economia, ao querer agradar a direita e evitar o golpe, e, com isto, se afasta cada vez mais do seu eleitorado e dos movimentos sociais.

Se o governo vai perdendo a base de sustentação, como evitar o golpe?

Em primeiro lugar faz-se necessário reaglutinar os setores que defendem o projeto original liderado por LULA. A partir dai marcar uma reunião com a presidente Dilma para avaliar se há possibilidade de ela comprometer-se com nosso projeto original. 

Sem o compromisso com nosso projeto não tem como dar sustentação ao governo. 

Ainda temos tempo para negociar e defender nosso projeto e nosso governo. Desde que seja efetivamente o nosso governo. Nosso significa vários partidos como aliados, porém unificados num programa mínimo.

A Reforma Política é mais um momento oportuno para se recompor o governo e melhorar a governabilidade. 

O povo está pagando a conta desta guerra suja e não podemos concordar com isto.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Brasil: Confusão na área

Se a ideia era ganhar tempo, Dilma fez um gol

Como se diz no futebol: "A melhor defesa é o ataque".
Se o governo Dilma pretendeu sair do sufoco que se encontrava, buscando iniciativas que obrigasse os adversários a se explicar, ela fez um gol de contra-ataque.

Agora cabe a todo mundo ficar analisando cada uma das propostas do pacote econômico, dar opiniões e, enquanto isto, ela ganha tempo sobre a campanha do impeachment e sobre o incontrolável Congresso Nacional. Até a imprensa vai ter que ficar refém do pacote econômico.

Enquanto o Brasil discute o Pacote Econômico, Levy e Mercadante também ganham tempo...

Ainda temos a pauta do Lava Jato, que, por enquanto, continua controlada por um judiciário que está deixando os políticos reféns de sua iniciativa. Se os cortes do Pacote Econômico também afetarem o Judiciário, a má vontade dos juízes para com os políticos tende a aumentar. Ou o Judiciário tem orçamento independente da crise?

O que todo mundo já sabe é que quem vai pagar a maior parte da conta do Pacote Econômico são os funcionários públicos e os assalariados em geral. Incluindo aí o repasse da nova CPMF.

Os jornais estão dizendo que Dilma priorizou agradar aos empresários e investidores, os movimentos sociais estão reclamando que serão mais afetados do que os ricos, como sempre. E os políticos estão fazendo contas. Quanto podem barganhar para aprovar cada ponto apresentado no Pacote Econômico de Levy?

E quanto à Reforma Ministerial?

Enquanto o Congresso Nacional não aprovar o Pacote Econômico não se muda o ministério? Ou a reforma do ministério servirá como instrumento de barganha para que os políticos aprovem o Pacote e recebam ministérios e cargos em pagamentos ou retribuições?

Cada dia continuará com sua tormenta.
Quem sobreviver herdará um novo Brasil. É como a Travessia do povo hebreu no deserto do Sinai... É preciso ter força, garra, sempre...

Para surgir um novo Brasil será necessário que cada brasileiro seja um "investiment grade" como disse hoje na Folha Nizan Guanais. Como na Lei da Natureza, somente os mais fortes sobreviverão. Até porque não se pode contar muito com a solidariedade humana. Os imigrantes sírios na Europa que digam.

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Folha está com saudade da ditadura

50 anos de 1965 entres músicas, teatro e ditaduras

A imprensa tem noticiado diariamente comemorações de 50 anos de carreira de vários artistas importantes, como Caetano, Gil, pessoas do Teatro e, diariamente, a imprensa tem estimulado um novo golpe contra um governo constitucionalmente eleito.

Também sou um dos que consideram o segundo governo Dilma uma decepção. Daí querer que ela seja demitida por impeachment ou renúncia são outros quinhentos...

De tanto ver comemorações de 50 anos, fui dar uma pesquisada sobre o que acontecia no mundo em 1965 e, além de muita guerra fria, teve a guerra entre a Índia e o Paquistão, onde morreu muita gente e as coisas continuaram como estavam: disputando a Caxemira...

Enquanto as guerras corriam pelo mundo, os Estados Unidos articulavam golpes militares contra os governos populares na América Latina e intervenções militares na América Central.

O curioso é que 1965 antecedeu 1968 que foi o ano mais marcante da década.
Tanto significou o início das grandes manifestações estudantis na França e Europa em geral, como significou o fechamento da Ditadura Militar no Brasil com a edição do AI-5. Acabando com a brincadeira de alguns civis pensarem que mandavam nos militares...

Estamos em 2015, 50 anos depois de 1965.
Enquanto o Brasil sofre com um governo que foi eleito com um projeto progressista mas resolveu unilateralmente governar para os neoliberais, embora não seja reconhecido por eles, transformando-se num governo sem legitimidade à esquerda e à direita. Daí a pressão da direita para derrubá-lo e a pouca resistência da esquerda...

Como a Folha está com saudade da ditadura, que ela ajudou a constituir-se em 1964, agora tenta derrubar este governo moribundo que, em vez de mudar para se legitimar socialmente, insiste em manter ministros inoperantes e antipáticos, como Joaquim Levy na Fazenda e Mercadante na Casa Civil.

Para evitar que o desejo da Folha se realize, o governo, como paciente hospitalar, precisa reconhecer sua fragilidade ou sua doença e tomar as providências necessárias.

Como diz a esfinge:
Ou reforma este ministério ou será destituído com ele.

domingo, 13 de setembro de 2015

Folha dá Aviso Prévio a Dilma

Ou troca o Ministério ou ela sai do governo

Para a Folha, como principal porta voz da direita, a presidente Dilma tem a ULTIMA CHANCE

Isto é, ou Dilma tira Mercadante da Casa Civil e outros ministros, faz o enxugamento dos ministérios e corta as despesas, ou Dilma será destituída ou renunciada... 

A sorte está lançada...

Dilma não pode dar uma de Maria Antonieta ou dar um Abraço de Afogado, morrendo afogada - destituída - com Mercadante e os outros ministros do PT.

O Brasil vive um dos seus momentos mais importantes da sua história. Se o Brasil fosse parlamentarista este impasse não teria existido...

O Editorial da Folha, como sempre, esconde a responsabilidade do PSDB na crise. A direita no Congresso Nacional, incluindo Eduardo Cunha, é dirigida pelo PSDB. 

A Folha sempre defendeu a volta da direita neoliberal ao poder. Lula melhorou muito o pais, mas Dilma não está conseguindo superar os desafios econômicos e políticos. O Brasil precisa de um governo de coalisão. Não precisamos de um governo de um só. 

A Reforma Ministerial estava sendo gestada para o final se setembro, mas, algo aconteceu que sua necessidade foi antecipada para esta semana. 

Recomendo que todos leiam o ultimato da Folha à Dilma. Está na capa de hoje. 

Como reagirão os movimentos sociais?

Ou Dilma ouve o clamor do Brasil ou fecha-se em copas, como fez com Graça Foster na Petrobras? 

O Brasil pode conviver com a crise, mas o ideal é que tenhamos uma solução conciliadora. Nem um governo de direita cínica e neoliberal, nem um governo social mas travado e inoperante na economia.

Levy falhou com seu Ajuste Fiscal. E Dilma, como sua avalista, não pode deixá-lo no ministério da Fazenda. Levy também deve sair na Reforma Ministerial. 

Começar tudo de novo. Nova postura e novo ministério. Novas relações com o Congresso Nacional e com o Judiciário. 

Que cada um faça sua parte!


sábado, 12 de setembro de 2015

Vida nas flores e folhas

Mesmo com tragédia na economia e na política 

Apesar da imprensa e dos políticos, a natureza cuida da beleza da cidade. Vejam que belas flores e folhas depois da chuva. Muita chuva em São Paulo.

1 - o renascer das flores do Lágrimas de Cristo.


Junto com as folhas vêm as flores, 
que aos poucos mudarão de cor. 

2 - agora uma outra flor...


Se eu não me engano, são lírios...

3 - e as nandinas que estavam morrendo, 
renascem com a água da chuva.


4 - E as mariazinhas, que florescem o ano todo,
 comemoram a beleza das flores e das folhas.


Toda está alegria é porque ainda não li os jornais do dia. 
Estes só falam em tragédias e mentiras.
Será que o Brasil precisa de tantos partidos e tantos políticos?
Talvez precise de mais jornais honestos e mais canais de TV...

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Brasil: 11 de Setembro pior do que Agosto

A Direita assanhada comemora...

Na História brasileira, o mês de agosto virou referência de fatos negativos.
Quando superamos o mês passado, comemoramos que Agosto tinha terminado sem os golpistas terem conseguido dar o golpe.

No entanto, o dia 11 de Setembro tem duas tristes lembranças para a América Latina e para o Oriente Médio. Foi num dia 11 de Setembro de 1973 que os militares chilenos, apoiados e bancados pelos Estados Unidos, deram o golpe militar mais sangrento da América do Sul. E foi também num dia 11 de Setembro de 2003, que terroristas árabes implodiram as Torres Gêmeas em Nova York, provocando o maior ataque externo ao solo dos Estados Unidos e provocando a invasão do Iraque, além das outras guerras no Oriente Médio.

No Brasil de ontem para hoje, 
o mundo desabou sobre o governo Dilma
como um Tsunami japonês.

Rebaixaram o grau de investimento do Brasil, desmoralizando o ministro da Fazenda, Joaquim Levy; no Congresso Nacional, partidos e parlamentares da Direita Assanhada foram ao microfone lançar a Campanha do Impeachment já; empresários histéricos liderados por Skaf gritaram que falta credibilidade ao governo; e a Folha e seus aliados estão avisando que Dilma finalmente está procurando alguém para substituir o Ministro da Casa Civil, Aloisio Mercadante. A Folha, em principal manchete, ainda avisa: E que o substituto não seja filiado ao PT.

Traduzindo tudo: 

A direita aperta o cerco contra o governo Dilma, avisando que, ou ela renuncia ou será impichada... Isto é, destituída.

E Dilma não tem diálogo à esquerda, nem com o PT, nem com os movimentos sociais. A cada dia que passa, o governo Dilma fica menor...

Não se pode servir a dois senhores, já dizia a Bíblia. 

Dilma, ao nomear Joaquim Levy, agradou aos banqueiros e latifundiários,
mas desagradou aos trabalhadores, pequenos industriais
e pequenos produtores rurais.

Podemos ir às ruas contra o golpe da direita assanhada,
mas jamais iremos para as ruas defender Joaquim Levy,
Mercadante e outros ministros neoliberais.

Como dizia a propaganda do velho Bamerindus:
O tempo passa, o tempo voa...

Dilma precisa se definir o mais breve possível.
Dilma demorou para tirar a Graça Foster da Petrobras.
E está demorando a redefinir o ministério em crise.

O que é melhor para o Brasil?

Deixar a direita assanhada e neliberal apropriar-se do governo,
ou constituir um governo de centro, com legitimidade social para governar?

O PSDB só pensa em 2018.
O PMDB negocia com todos os setores.
O PT aguarda a posição de Dilma.


A prioridade é o Brasil de agora. 
A prioridade não pode ser 2018.
Não existe governo de uma pessoa só.
Todo governo precisa ser coletivo e plural.

Reforma Ministerial Já!
Vamos organizar um Conselho de Estado.

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Lula está certo, Dilma está errada

O Brasil não podia ficar refém do Grau de Investimento

Se Dilma não ouviu Lula e ouviu os neoliberais, que fazer com o governo atual?

Este é o grande dilema que vive o Brasil. O pais precisa voltar a crescer e a produzir, consumir, estudar e superar este clima hostil. Precisamos de Paz, Trabalho e Dignidade.

Vamos constituir um Conselho de Estado para acalmar o Brasil e evitar turmas?

A direita quer tirá-la, seja através do impeachment ou forçando-a a renunciar. 

A esquerda quer que ela volte a governar para quem votou nela, isto é, o povo trabalhador, assalariado e da agricultura familiar. Os empresários também querem um governo estável...

E o quê quer a presidente Dilma?

Para os que são do meio de campo, continuamos achando que tentar manter uma aliança com o PMDB ainda é a melhor solução. Um governo de centro. Nem de direita, nem de esquerda.

Outra saída é renunciar e propor que Temer faça um governo de coalizão geral. Mais à direita...

Ou que se espere o impeachment. As hienas estão cada vez mais ansiosas...

Com Mercadante & Cia. dando as cartas, o processo de desgaste será continuo até a exaustão. 

Porque não se aproveita o rebaixamento e se agiliza a Reforma Ministerial? 

Do jeito que está não fica e não adianta ficar dando entrevistas. 

Reforma já!

Quem está pior, São Paulo ou Brasil?

São Paulo falta luz, internet e água...

O Brasil está caindo no abismo econômico e político.

Choveu muito na terça-feira passada, nós que moramos na Vila Madalena, ficamos ilhados no meio da tempestade, árvores caindo, carros ameaçados de serem carregados pelas águas e, como sempre a falta de luz. Gente sem poder sair do apartamento, gente sem poder chegar ao apartamento, portões que não abriam nem fechavam... Ainda bem que os bandidos deram uma trégua e não saquearam as ruas às escuras.

O pior é a combinação da falta de luz com a falta de internet. Pronto! Sem luz e sem internet as pessoas ficam sem pai e sem mãe. Sem contato com ninguém, tomando banho frio e com pouca água no chuveiro e comendo comida fria, já que os fogões modernos também são elétricos.

Sem internet a TV a cabo não funcionou e fiquei sem ver os jogos do brasileirão!
E o Corinthians não ganhou. Empatou!
Mas o São Paulo levou um banho do Santos e o Palmeiras perdeu.
Menos mal...

E quando abrimos os jornais de hoje,
a tragédia de São Paulo está nas páginas finais do caderno local.

Os jornais estão dedicados AO FIM DO MUNDO BRASILEIRO.

Aquilo que foi conseguido por Lula, foi perdido por Dilma e Levy.
Lula levou o Brasil ao Investiment Grade, ao grau de investimento.
E com Levy e Dilma o Brasil foi rebaixado
e todos os economistas neoliberais estão comemorando.

Dilma vai renunciar?
Levy vai demitir-se ou será demitido?
Não é para ser meritocracia?
Levy prometeu e não conseguiu.
Portanto, demita-se!

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Brasil precisa de muitas reformas...

Reforma do Estado, da Sociedade e das Pessoas

Os conservadores querem enxugar o Estado e cortar benefícios sociais. As esquerdas querem aumentar o tamanho do Estado e aumentar os benefícios sociais. Quem têm razão?

Ambos estão certos e ambos estão errados.

Se privatizarem tudo, como querem os conservadores, a população terá que pagar por tudo que consome, mesmo sendo de má qualidade, como o transporte, a saúde, a educação, a luz, o telefone, a água e tantas outras coisas.

Se obrigarem o Estado (prefeituras, governos estaduais e governo federal) a fazer tudo para o povo, como querem as esquerdas, automaticamente faltará dinheiro para tanta coisa, como também não haverá garantia de qualidade.

Portanto, precisamos fazer sim a Reforma do Estado, tornando-o mais eficiente e transparente, gerindo a Sociedade e principalmente as Políticas Públicas. Porém, é mais do que necessário se repensar e reorganizar a forma como a sociedade está estruturada. O cachimbo costuma deixar a boca torta, e muita coisa errada que vemos nos dia a dia, é decorrência dos erros estruturais tanto no Estado como na Sociedade.

Priorizar as políticas públicas e os serviços básicos como moradia, educação, transporte, alimentação e saúde ajuda a repensar tanto o Estado quanto a Sociedade. Se estes serviços básicos forem de qualidade e de baixo custo, automaticamente o custo de vida será mais baixo e os preços dos produtos também poderão ser menor.

O Brasil é um país travado estruturalmente, com um Estado velho, uma sociedade cheia de vícios e as pessoas desacreditadas de tudo.

Já que devemos reformar o Estado e a Sociedade, vamos também fazer ampla campanha para que as pessoas sejam mais educadas e coletivas. Que as pessoas pratiquem efetivamente a CIDADANIA. As pessoas precisam de dinheiro, mas, precisam também de formação, educação individual e coletiva. Não será pregando e praticando o ódio que o Brasil vai melhorar. A imprensa pode dar grande contribuição para estas mudanças de comportamentos.

Se todos fizerem sua parte, com certeza o Brasil vai melhorar muito... 

Infelizmente o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, está falando somente da reforma do Estado, enquanto uma necessidade neoliberal. Acontece que o governo Dilma não foi eleita para este tipo de reforma. Dilma foi reeleita para modernizar o Brasil do ponto de vista de todos os brasileiros e brasileiras, principalmente os brasileiros de baixa renda.

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Holocausto no Oriente Médio precisa parar

Curdos e Palestinos sem Pátria

Os nazistas fizeram o Holocausto contra os judeus e estes ganharam uma Pátria, o Estado de Israel. A Europa pagou a dívida para com os judeus, criando um outro enorme problema, desalojou milhares de palestinos, tornando-os Sem Pátria, como eram os judeus, até então. 

A nova crise de imigração que tomou conta da Europa e assusta o mundo, evidencia também que um outro grande povo, desde a primeira guerra mundial clama por ter seu país. São os curdos, e, por falar em curdos, o marco nesta crise de imigração foi a publicação de uma série de fotos de uma criança branca morta à beira mar... 

Chocou o mundo e mudou a história da crise atual. Mas, no Brasil, somente o jornal Estadão deu a notícia completa: A pequena criança, de nome Aylan Kurdi, de apenas 3 anos de idade, era Curda e síria.

Os curdos estão espalhados pela Turquia, Síria, Iraque, Irá e Rússia. Além de outros países. São mais de três milhões de pessoas...  Há vários países com menos gente do que a população curda.

Para Gabriel Zacarias, professor doutor na França e na Itália, em artigo publicado no Estadão de domingo passado, " a força da foto que chocou o mundo está no que ela oculta: Aylan era curdo sírio . E  morreu porque era curdo". 

Quantas crianças e velhos curdos e palestinos ainda terão que morrer até o mundo e a ONU reconhecerem o direito de terem seus países, suas Pátrias.

Enquanto Israel rapidamente nega espaço para imigrantes fugindo das guerras no Oriente Médio e fala em construir muros para dificultar o acessos a seu território, os árabes aproveitam-se de qualquer pretexto para matar curdos. 

O mundo não pode calar. 
Chega de novos holocaustos!


domingo, 6 de setembro de 2015

Fernanda: A Dona da Confiançca

Fernando: O Dono da Desconfiança

O mesmo jornal Estadão, que hoje publica no Caderno 2, uma página de brilhante entrevista da atriz Fernanda Montenegro, ontem publicou uma página no primeiro caderno - de política - com Fernando Henrique Cardoso.

Enquanto Fernanda Montenegro, aos 85 anos, é a maior autoridade em credibilidade no Brasil, FHC nos deprime com seu oportunismo político e a tentativa de querer voltar ao poder a qualquer preço.

Ontem em pensei em cancelar a assinatura do jornal, ao ver a entrevista e a chamada da capa do Estadão. Medíocre!

Hoje, ao ver a chamada e a entrevista de Fernanda Montenegro, pensei: Se eu cancelar a assinatura vou perder entrevista e artigos maravilhosos no Caderno2 e vou perder o Caderno Aliás. Que hoje trás os melhores artigos que já li sobre a Crise do Oriente Médio e a Imigração para a Europa. Mesmo vendo os neoliberais fascistas invadirem o Caderno de Economia.

Mas ainda temos Fernanda Montenegro, Antonio Candido e tantos outros...

sábado, 5 de setembro de 2015

A pequena flor

E as mariazinhas

Neste clima sombrio que paira sobre o Brasil, nada melhor do que ver renascer nosso jardim e brotar as primeiras flores do pé de Lágrimas de Cristo. Mesmo com pouca água e muita crise...



O milagre da natureza é que o broto que renasce já trás sua flor...



E dando as boas vindas, estão, como sempre, 
As charmosas mariazinhas...


O tempo passa, o tempo voa...
Já cantava a propaganda

Do velho Banco Bamerindus.
Este Bamerindus...

Virou HSBC e agora vai virar 
Bradesco.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Levy e Mercadante: Suicídio Econômico e Político

Jogo do Perde-Perde

Quando a gente pensa que a política vai melhorar, o Brasil aumenta sua crise econômica. E quando a economia vai melhorando, os loucos da política voltam a botar fogo no circo...

Temer reclama de Mercadante, mas apoia Joaquim Levy, que faz política contra os trabalhadores.
Mercadante apoia Levy e se afasta das bases sociais que reelegeram Dilma e elegeram o senador.

Os empresários dizem que apoiam Levy, desde que ele mantenha o dólar caro, a recessão, o grau de investimento e corte políticas sociais do governo.

Acontece que as propostas dos empresários seriam para um governo neoliberal do PSDB, que perdeu as eleições. Se Dilma resolveu implementar o que os empresários estão mandando e Levy está executando, Dilma deixou de executar o programa que foi eleito. Só que os partidos conservadores, neoliberais e de direita, mesmo Dilma e Levy fazendo o que eles querem, NÃO apoiam Dilma, embora apoiem Levy. Uma questão de classe.

Se a política econômica é recessiva e não serve para o nosso Governo, nem serve para os Movimentos Sociais, por que, então Mercadante fica apoiando estas medidas? Por acaso ele acha que vai ser reeleito senador com o apoio da direita e do PSDB? Como Marta Suplicy, que saiu do PT e foi para o PMDB? Alguém acha que ela será eleita prefeita de São Paulo no ano que vem? Ela servirá apenas para tirar votos de Haddad e facilitar a vitória da direita. É a síndrome de Heloísa Helena.

A direita vai eleger candidatos da direita e a esquerda deve tentar eleger seus candidatos, baseados em programas econômicos e políticos conforme os interesses de cada classe social.

Tentar "fingir-se de morto, para comer o urubu" não vai dar certo.

É preferível perder com dignidade e compromisso de classe, do que tentar se eleger negando as origens e achando que pode se vender para a direita.

Lembram-se dos "capitães do mato"?
Não era porque caçavam os escravos que fugiam, que eles deixavam de ser negros...

Mercadante tem mais a perder do que Levy. Enquanto Mercadante perderá o seu passado progressista, Levy, que sempre foi neoliberal voltará a trabalhar para os Bancos Privados, mesmo tendo fracasso no Ajuste Fiscal...

E o povo?
O povo? Como sempre, pagará a conta...

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Síria e Europa: A morte como resultado

A morte de uma criança humilha os governantes

O mundo parou para ver as fotos chocantes de uma criança de apenas três anos morta no beira do mar e nos braços de um policial.




Não, não é um boneco. É uma criança!

Quando ontem escrevi sobre o Holocausto no Oriente Médio, ainda não tinha visto as fotos. Estas fotos valem mais do que milhares de bombas...

Será que Obama vai fazer uma declaração?
Ou vai deixar Ângela Merkel capitalizar sozinha?

Vários amigos que têm filhos pequenos demonstraram profunda tristeza em ver as fotos desta criança que tem ou tinha a mesma idade de seus bebês...

Vejam mais estas fotos.




Será que agora os governantes europeus e dos Estados Unidos tomarão juízo e providenciarão medidas efetivas para acabar com a destruição do Oriente Médio?

Joaquim Levy está de Aviso-Prévio

Sairá na Reforma Ministerial

Vocês já ouviram falar de empresas de fins específicos que têm prazo de validade?
Pois é, quando Joaquim Levy assumiu o ministério da Fazenda, o fez para executar a Reforma Fiscal, acertada entre a Presidente Dilma e alguns empresários.

O problema é que Levy pesou na mão e, em vez de equilibrar as contas, provocou uma imensa recessão que desestabilizou todos os setores econômicos, facilitando apenas para o Agronegócio e os exportadores. Em decorrência da forte desvalorização cambial.

Juntamente com a Recessão de Levy, o Brasil teve a maior crise política desde 1963, período que antecedeu o Golpe Militar e Civil de 1964.

Com o aumento das crises política e econômica, a presidente Dilma avisou que vai fazer uma Reforma Ministerial. Como tem 39 ministérios e vai ter que recompor-se com o Congresso Nacional, além de diminuir o número de ministérios, a Reforma será aproveitada para trocar alguns ministros inconvenientes, como os da Casa Civil e da Fazenda.

Da mesma forma que tivemos um mês de Agosto tenso, teremos um mês de Setembro cheio de boas expectativas.

Defendemos a criação de um Conselho de Estado, composto por personalidades empresariais, do trabalho, do social e da política, onde a governabilidade seja exercida de forma mais consensual possível.

Devemos torcer para que se estabilize a economia e o Congresso Nacional tome juízo e assim voltemos a ter crescimento econômico com distribuição de renda e inclusão social, além de muita competitividade internacional.

Quanto a Levy sair do Ministério da Fazenda, não significa demérito nenhum. O melhor teria sido a presidente Dilma em vez de ter nomeado um neoliberal para o cargo, tivesse escolhido alguém com mais trânsito nos diversos segmentos sociais e do mundo dos negócios.

Errar é humano, insistir no erro...

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Holocausto no Oriente Médio reflete na Europa

USA e Europa desorganizaram o Oriente Médio

A cada dia nos emocionamos com as fotos da tragédia humana que são os milhares de imigrantes de países como Síria, Líbia, Iraque entre outros para a Europa. O sofrimento e a humilhação estampados nos rostos das crianças e dos velhos que se jogam contra cercas de arame farpado tentando passar para um mundo melhor, mas que os trata como leprosos...

Enquanto milhares de pessoas estão sofrendo, os Estados Unidos que são os principais responsáveis pelo desestruturação destes países, por enquanto, estão livres dos imigrantes.

O mais estranho disto tudo é que a tragédia que tomou conta do Oriente Médio começou com a invasão americana no Iraque, que espalhou-se para outros países, mas também passa pela Líbia, que foi destruída com o apoio da França entre outros países europeus e dos Estados Unidos. O Egito  está no mesmo caminho. Os Estados Unidos e Europa patrocinaram um golpe de Estado e a implantação de uma ditadura em nome do combate a Irmandade Muçulmana...

No caso da Síria, é a mesma coisa, a oposição ao governo da Síria foi e é bancada militarmente pelos governos dos Estados Unidos e da Europa, e agora que o país está destroçado e a população tenta migrar para outros países da Europa, é tratada como animais selvagens ou hordas errantes.

Infelizmente não consigo reproduzir as fotografias que envergonham a Europa e mostram a incompetência da ONU em evitar tanto sofrimento.

Curiosamente, nos séculos passados estas calamidades públicas internacionais só aconteciam quando surgiam pestes e epidemias, ou quando as guerras tomavam dimensões continentais. Tivemos muitas migrações no século passado tanto na primeira como na segunda guerras mundiais.

Agora não estamos tendo uma guerra mundial, mas as consequências estão sendo parecidas. Com a diferença de que o HOLOCAUSTO não é contra os judeus e europeus, mas contra os povos do Oriente Médio. Considerados cidadãos de segunda categoria...

Depois reclamam do  surgimento do Estado Islâmico e da sua violência.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Lula e o sindicalismo

Dialogando com sindicalistas de todo Brasil

Num pais onde a imprensa estimula o ódio, o melhor presidente da história do Brasil não esquece suas origens e mantêm o contato com os dirigentes sindicais atuais.

Lula faz análise de conjuntura na Direção Nacional da CUT, reunida em São Bernardo do Campo em SP.



Sem medo de ser feliz!