sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Três coisas horríveis no Brasil

Ficar doente, ficar velho e ficar doente-velho

1 - Ficar doente no Brasil não é fácil.

Dependendo dos Convênios Médicos e da Rede Privada de Hospitais e Laboratórios, é como jogar na loteria... Não tem vagas para consultas e exames, temos que esperar a disponibilidade, nos mandam para longe de casa ou do trabalho e todo ano é uma briga contra os aumentos abusivos dos convênios.

Todos reclamam:
As empresas médicas, os convênios, os empregadores e os empregados.

No nosso caso, chegamos aos 61 anos.  A demanda médica aumenta, os exames médicos também e as despesas com remédios são criminosas. E ainda temos que escutar dos caixas das farmácias “que economizamos dez ou vinte reais numa conta” quando na verdade gastamos centenas de reais em cada caixinha de remédio. Imaginem várias caixinhas???

O governo diz que não tem dinheiro que chegue e que precisa de novo CPMF. Nós, mortais e pagantes, vemos nosso salario ser minguado em despesas médicas e farmacêuticas.
Os hospitais privados estão diminuindo em São Paulo e os preços aumentando.

Será mais fácil deixar-se morrer?

2 – Estamos ficando velhos...

Nossa geração está chegando e passando dos 60 anos.
A geração de Caetano e Gil já passou dos 70.
Muitos da nossa geração já são avós...

Ficar velho significa começar a aparecer uma infinidade de doenças e exames que nunca imaginamos que teríamos. Eram coisa de velho...

E, com a velhice, vamos descobrindo que podemos ficar sozinhos, chatos e sem dinheiro para tantas demandas de saúde. E não tem convênio que garanta qualidade de vida para tantas coisas...

3 – O pior é quando ficamos velhos-doentes.

Antigamente se morria mais cedo e nem sequer sabíamos o que provocou a morte. Agora temos tanta tecnologia que, além de morrer bem mais tarde - em vez de ser aos 60 ou 70, agora se morre aos 80, 90 e até 100 anos! -  os idosos que não têm família grande para socorrê-los passam mais dificuldades.

Antigamente os pais tinham 5, 6 até 12 filhos numa mesma família. Deus provinha, juntamente com os recursos públicos escassos... E agora os filhos rateiam as despesas e os cuidados.

Agora, a média é de dois filhos por casal. O que faz com que o rateio das despesas fique mais caro por ser dividido apenas por dois, em vez de ser dividido por 6 ou 8 irmãos. Além de ficar caro, menos filhos têm menos tempo para cuidar de velhos...

Resultado:

Da mesma forma que o Brasil teve que prover a imensa quantidade de jovens e crianças, agora precisa preparar-se para prover os milhões de velhos que estão chegando ao mercado. Isto é, aos hospitais, laboratórios e casas de repouso...

Não é por acaso que nas pesquisas, sempre o item mais criticado pela população é a saúde. Seja ela municipal, estadual ou federal.

A China tem mais de 300 milhões de pessoas com mais 60 anos.
O Brasil deve ter uns 50 milhões de pessoas com mais de 60 anos.

Ou o Brasil planeja e se antecipa a estes milhões de velhos,
Ou iremos parecer mais a Índia do que os Estados Unidos.

Ficar doente é ruim.
Ficar velho não é fácil.
Imaginem ficar doente e velho?

Ainda bem que o Sesc-SP tem um bom programa para a terceira idade. 


Um comentário:

  1. Excelente! Temos muito a fazer agora, pois o "os véios" só vão crescer! Abcs fraterno.

    ResponderExcluir