sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Prefeitos abandonam o PT?

Que saiam todos os medrosos e sem compromisso ideológico

Hoje a imprensa comemora que 20% dos prefeitos do PT no estado de São Paulo estão saindo da legenda e sendo festivamente recebidos pelos partidos da direita.

Fico pensando:

Os partidos de direita e a imprensa falam, todos os dias, que o PT não presta, que os petistas não são de confiança e outras coisas não publicáveis.

No entanto, quando os petistas dizem que querem sair da legenda, aparecem os pescadores de águas turvas para convidá-los a entrar nas suas legendas. Isto acontece não apenas com prefeitos, mas também com senadores e deputados.

Não é por acaso que existem 33 partidos políticos no Brasil.
Quase todos sem ideologia ou compromisso com a verdade.
Apenas como legendas de negócios públicos e privados.

Realmente vai ser muito difícil eleger-se ou reeleger-se como petista nas eleições do próximo ano. Porém, nas horas difíceis é que conhecemos que tem compromisso e coragem de defender a Classe Trabalhadora.

Se São Pedro negou Jesus Cristo três vezes, imaginem estes políticos que vieram para o PT por modismo ou para beneficiar-se do prestígio de Lula, como presidente e líder nacional.

Perder uma eleição não é o fim do mundo.

Na Europa, onde os partidos e as centrais sindicais têm mais de 100 anos de existência, ganhar e perder faz parte da história deles. Como também as guerras mundiais e as locais.

No Brasil, como tanto os partidos políticos, como as centrais sindicais, e até mesmo as religiões evangélicas, têm apenas 40 anos de vida, em média, perder uma eleição pode significar o fim da legenda partidária, o fim da central sindical ou até mesmo o fim da Igreja Evangélica - que depende dos dízimos e das graças públicas... O Brasil tem sido um país de pouca memória.

Voltando ao tempo como exemplo, gosto de rever sempre ao filme Os Dez Mandamentos, onde Moisés liberta o povo hebreu da escravidão. Neste filme, há Moisés e seus fieis seguidores, mas há também os medrosos e descomprometidos com o povo de Israel e com seu Deus. São os medrosos, os mercenários, os vendilhões dos templos. Deste tipo de gente, o Brasil atual está cheio. Mesmo os que dizem que falam em nome de Deus. Mesmo que seja o deus do dinheiro e da vida fácil...

Eu sou um dos fundadores do PT e da CUT.
E não deixarei de ser petista e cutista.

Ainda mais num dia tão importante como o dia 28 de Agosto.
Aniversário de fundação da CUT e Dia Nacional dos Bancários.

Um comentário:

  1. Abraços, Gilmar, o que sempre admirei em ti, como dirigente bancário, era quebrar o tabu e se proclamar espírita, quando isso causava estranheza no movimento. Recordo ter visto a bíblia sobre sua mesa. Estive certa vez no gabinete do então deputado Luiz Gushiken, em Brasília, e também me surpreendi com um quadro na parede, e, para minha surpresa, o conhecimento e sabedoria dele sobre religião oriental. abçs !

    ResponderExcluir