terça-feira, 25 de agosto de 2015

Falta de confiança do consumidor?

Custo de vida e recessão derrubam a confiança

Não precisa ser economista nem sociólogo para entender o que está acontecendo com a economia e o Brasil.

1 - A presidente Dilma prometeu a seus eleitores de que não haveria recessão, mas nomeou um ministro da Fazenda neoliberal e que promoveu a recessão;

2 - As empresas, ao ver suas vendas caírem, aproveitaram para fazer um grande ajuste interno, demitindo milhares de trabalhadores e corrigindo preços para cima;

3 - Os políticos, aproveitaram-se da crise econômica, para tentar derrubar a presidente e destruir a imagem do PT, que ameaça a hegemonia conservadora e neoliberal;

4 - O Banco Central teve um surto recessivo e decidiu, apoiado pelos banqueiros, aumentar assustadoramente a taxa de juros, levando o setor produtivo a parar de investir e comprar;

5 - A única coisa que está salvando o Brasil é o CÂMBIO. Que além de estimular as exportações e reduzir as importações, está "desestimulando" os brasileiros a viajarem para o exterior, melhorando o deficit comercial;

6 - A imprensa, que ajudou a incendiar a crise e a desestabilizar a economia, também está perdendo dinheiro com a paralisação da economia e a redução da publicidade;

7 - No aumento geral dos preços,  contribuíram para os aumentos abusivos o governo federal com a luz, o governo estadual com a água e a prefeitura com o IPTU. Sem contar os preços de telefonia, TV a cabo, remédios, escolas, livros e tantas outras coisas. O custo de vida no Brasil está criminoso;

8 - O POVO, que não é bobo, ao ser demitido e não ter aumento de salário, PAROU DE COMPRAR. Se o povo não compra, o comercio não vende, as fábricas não produzem, aumentam as demissões e a ciranda continua. Quando vai parar?

Quando empresários, trabalhadores e governos tomarem juízo, sentarem-se para conversar e encontrar uma saída que passe pela contribuição de todos. Os trabalhadores e empresários já deram entrevistas e colocaram matérias pagas nos jornais conclamando pelo diálogo.

Vamos dialogar? Assim podemos reconquistar a confiança do consumidor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário