quinta-feira, 30 de julho de 2015

Santander quer tomar o HSBC do Bradesco

O jogo ainda não acabou...

O jornal Valor bota pimenta na comida do Bradesco e noticia que o Santander Brasil apresentou nova proposta de compra do HSBC Brasil. O último dia de prazo para a venda é amanhã, dia 31 de julho.

Questionado pela exclusividade do Bradesco, o presidente do Santander respondeu que o jogo só acaba quando o juiz apita o final da partida. Parece até sofrimento corintiano. O Bradesco não pode dar uma de Corinthians que tomou gol aos 47 minutos do segundo tempo, por bobeira do time e do técnico. Mais do que nunca o Bradesco precisa Orar e Vigiar, além de trucar sobre a proposta do Santander. Esta proposta do Santander pode ser uma forma de valorizar a venda do HSBC. Mas, jogo é jogo.

Vejam a matéria do site do jornal Valor, de hoje.

Santander Brasil diz que fez "boa oferta" por HSBC no país 

Valor - Por Fabiana Lopes  - 30/07/2015

SÃO PAULO ­ O presidente do Santander Brasil, Jesús Zabalza, afirmou nesta quinta­feira que o banco fez “boa proposta” pelas operações do HSBC no país, tem interesse no negócio e está na disputa. Zabalza informou que podia falar “pouco” sobre o tema HSBC. Mas questionado sobre informações de que o Bradesco estaria em negociações exclusivas com o banco britânico, disse que, na visão do Santander, “o assunto só termina quando o negócio termina — e ainda não terminou”.

“Queremos crescer de forma orgânica, o que não significa que não estejamos atentos às oportunidade que possam surgir”, afirmou Zabalza a jornalistas durante teleconferência para apresentar o balanço do segundo trimestre.

"Agenda do crescimento"

O Santander reiterou o objetivo de manter o crescimento das despesas abaixo da inflação e disse que a expansão dos gastos no segundo trimestre foi influenciada pela sazonalidade e pelo processo de inclusão da Getnet e do Bonsucesso.

"Mas esses fatores que aumentaram os gastos refletem a agenda de crescimento do banco", afirmou o executivo. Como exemplo, Zabalza citou aumento do número de funcionários e investimentos em marketing, além do novo programa de crédito a pequenas e médias empresas, lançado pelo banco. As despesas gerais do banco somaram R$ 4,3 bilhões no segundo trimestre, com alta 6,64% em 12 meses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário