quinta-feira, 18 de junho de 2015

HSBC complica a venda

Bradesco retoma iniciativa

Ontem o jornal Valor publicou matéria alertando que a venda do HSBC Brasil estava correndo risco em função de o banco ter comunicado que venderia APENAS o setor de varejo, ficando como banco de atacado. Como saber quais contas de pessoas jurídicas são de varejo ou de atacado? Quando passaria efetivamente a valer o varejo do HSBC? Porque o HSBC começou a confundir os interessados?

Ainda ontem o presidente do Bradesco comunicou à imprensa que mantém o interesse na compra do HSBC e que fará nova proposta de compra no mês de julho. Assim o Bradesco retoma a iniciativa.

Há gente no mercado que está considerando que o HSBC está criando confusão para poder negociar com o Santander e outros bancos estrangeiros, tendo como contrapartidas barganhas no mercado internacional, como foi feito com o ABN-ANRO e o Real no Brasil. Se isto for verdade, o Banco Central brasileiro precisa tomar posição pública, garantindo a regra do jogo.

Falar em regra do jogo, hoje em dia é muito difícil porque: 

- a FIFA está sem autoridade para falar em ética;
- o Congresso Nacional só pensa em barganhas espúrias;
- o Judiciário só pensa no Lava Jato e na politização da Justiça;
- o Governo Federal está perdido no ajuste fiscal e nas negociações gerais;
- a imprensa estimula o ódio e a desobediência civil;
- as empresas aproveitam a crise para enxugar custos trabalhistas;
- e o povo sofre o custo de vida e a desorganização social...

Como garantir investimentos e segurança econômica, para retomar o crescimento com distribuição de renda e inclusão social? Como acalmar o Brasil?

O HSBC precisa garantir as regras, os possíveis compradores precisam ter garantias das regras e os funcionários e clientes do HSBC precisam saber para onde vão...

Assim deveria caminhar a humanidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário