domingo, 14 de junho de 2015

A Folha sentiu a ameaça conservadora?

Enquanto o Estadão endeusa Eduardo Cunha

A Folha, que é mais neoliberal que o Estadão, sentiu nas ultimas votações e manifestações no Congresso Nacional, que a Democracia está correndo risco. 

A leviandade, a mediocridade religiosa, o revanchismo dos parlamentares, combinada com a incapacidade de a presidente Dilma e seu ministério negociar e governar com este Congresso fisiológico e revanchista, além do estímulo ao ódio da própria imprensa e o abandono das leis pelo Judiciário, estão levando o Brasil a ficar parecendo o Egito.

O EDITORIAL da Folha neste domingo não deixa dúvida: 
a Folha finalmente se deu conta de que estamos passando dos limites... 

A partir daí é o vale tudo e a barbárie...

Como diz o final do Editorial da Folha deste domingo:

" Os inquisidores da irmandade evangélica, os demagogos da bala e da tortura avançam sobre a Ordem Democrática e sobre a Cultura Liberal do Estado; que, diante deles, não prevaleça a submissão." 

Nunca achei que a Folha, em nome de acabar com o PT e nosso governo, fosse capaz de apoiar esta aventura retrógada que tomou conta do Congresso Nacional. 

Também nunca achei que o PMDB fosse hegemonizado por pessoas como Eduardo Cunha. Ele pode ser herói dos novos donos do Estadão, mas, jamais será herói na Folha de São Paulo. O tempo vai comprovar o que estou escrevendo aqui. 

A maioria silenciosa ainda não resolveu ir para as ruas contras estas provocações ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário