domingo, 31 de maio de 2015

São Paulo está cheia de ipês floridos

A Rua Harmonia ainda não floriu

Por todo canto da cidade encontramos ipês floridos. Mas hoje cedo, quando fui comprar pão na Rua Harmonia observei os grandes pés de ipê e eles ainda não floriram...

Já a rua Fradique Coutinho tem, a avenida Brasil tem,  rua Maria Figueiredo tem, a rua Pinheiros tem, a marginal pinheiros tem, a avenida João José Saad, em frente ao shoppings Villa Lobos ainda não tem.

Assim está a cidade de São Paulo, ceia de flores de ipê rosa.

Por que a Rua Harmonia ainda não floriu? 
Será que tem a ver com o nome já que nossa cidade anda desorganizada, com policiais batendo em mocinhas, professoras em greve há dois meses, manifestações por toda parte e agressões e preconceitos aumentando?

Não sei, por enquanto, ando prestando mais atenção nas flores...

sábado, 30 de maio de 2015

Mais ipês floridos

Hoje descobri os ipês da Rua Purpurina

São quatro árvores bem bonitas. Todas floridas. Depois vou ver se os ipês da Rua Harmonia também já floriram. A cidade está ficando uma beleza. Até nas marginais já aparecem ipês floridos. Nas cidades do interior de São Paulo também estão aparecendo os ipês floridos.

Por que será que eles vieram atrasados neste ano?

Para compensar, também estão floridos os manacás da serra e os pés de vaca.

Quem sabe agora com a cidade mais bonita diminua a baixarias e os rancores. Quem sabe o pessoal deixe de perturbar o ex-ministro Mantega quando ele formjantar com sua esposa. Quem sabe?

Agora que a economia chegou no fundo do ajuste fiscal, do desemprego e da inflação, quem sabe a economia comece a melhorar. 

As flores nas ruas de São Paulo alegram, mas a economia precisa fazer sua parte.

Que venha o mês de junho. Pelo menos teremos festas de São João!

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Ipês floridos nos cemitérios

Finalmente começaram a florir

O normal são os ipês começarem a florir a partir do mês de Abril. Neste ano os ipês começaram a florir no mês de Maio. Mas os ipês dos cemitérios da Av. Dr. Arnaldo e da Consolação estavam atrasados.

Hoje cedo, passando pela Avenida Dr. Arnaldo, vi as primeiras flores dos pés de ipês aparecendo, principalmente porque depois de dois dias com chuvas e tempo nublado, hoje o sol voltou a aparecer, depois das chuvas da manhã. Com o sol as flores brilham mais.

As descer a Rua da Consolação, enquanto ouvia o noticiário sobre as manifestações com paralisações e greves dos trabalhadores e trabalhadoras contra a terceirização do PL 4330, as medidas provisórias e as demissões, ao olhar para o canteiro central da avenida, vi as flores dos ipês rosas mais brilhantes e em mais quantidade.

Apesar da crise política, econômica e social, as flores estão alegrando as ruas de São Paulo e de Brasília.

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Ipês floridos na Rua da Consolação

Mesmo com chuvas e muito trânsito

Hoje cedo, quando vim para o Centro de São Paulo, tive a grata satisfação de contar seis ipês floridos na Rua da Consolação. Agora só faltam os ipês dos cemitérios...

Ao chegar ao Parque Dom Pedro, foi uma alegria ver o ipê rosa todo florido.

Outro tipo de flor que está aparecendo em grande quantidade é o Manacá da Serra. Em várias ruas encontramos pés com flores de várias cores. O Manacá é realmente muito bonito.

Enquanto a cidade vai ficando bonita, o noticiário sobre o Escândalo da FIFA toma conta da imprensa e das reuniões. Agora a casa cai?

Enquanto as coisas esquentam na FIFA e na CBF, o Congresso Nacional, liderado por Eduardo Cunha, continua promovendo "grandes transformações".

Por enquanto, preferimos ficar com as flores nas ruas e nos jardins de São Paulo.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

O mundo quer saber de Vaccari e seu neto

O lado ruim do Brasil no mundo

Por mais que a gente se esforçe, volte e meia aparece algo ruim sobre o Brasil na imprensa internacional. 

Ora é o desmatamento da Amazônia, ora são os assassinatos no Rio de Janeiro em função da guerra dos traficantes nos morros da Cidade Maravilhosa, ora são os assaltos com mortes em São Paulo, onde dizem que o PCC controla a polícia e os presídios, ora são as mortes no campo...

Ultimamente o Brasil está na imprensa mundial em função dos escândalos na Petrobrás e da crise política e econômica depois das eleições de novembro de 2014.

Agora o Brasil, que já foi o País do Futebol, também está na imprensa internacional em função das prisões por corrupção na Fifa. 

É bom saber que o Brasil e o mundo estão passando por um processo de depuração ética e moral. Mas não podem confundir corrupção na Petrobrás com punição a João Vaccari por este ser tesoureiro do PT. Até agora Vaccari tem provado item por item de que é inocente e que não fez nada ilegal. Justamente por isto que estamos fazendo esta campanha nacional em defesa de Vaccari e pelo direito de ele visitar seu primeiro neto que nasceu nesta segunda-feira.

O mundo quer notícias de Vaccari e de seu neto

Por falar em prisões e violências, a partir do momento que começamos a campanha pela libertação de João Vaccari e pelo direito de ele visitar seu netinho que acabou de nascer, as redes sociais brasileiras começaram a ser visitadas por pessoas em todo o mundo.

Só no nosso blog, tivemos mais de 20 países querendo notícias de Vaccari e de seu neto

Vejam que variedade de países:

Grécia, Índia, Colômbia, Argentina, Russia, Irã, USA, Alemanha, Ucrânia, Portugal, Uruguai, Itália, França, Bélgica, Jordânia, Emirados Árabes, Espanha, Moçambique, Canadá e Peru.

Se o mundo quer notícias sobre a prisão indevida e injusta de Vaccari, nós também queremos saber porque os parlamentares, os juízes, os políticos em geral e a OAB não estão participando da campanha pela libertação de João Vaccari Neto e pelo direito de ele visitar o seu primeiro neto que acabou de nascer?

Se hoje eles prendem Vaccari, amanhã podem prender qualquer um, inclusive você.

O neto de Vaccari e os Ipês floridos

São Paulo e Brasília em flores

Depois que o neto de João Vaccari e Giselda nasceu, como que num passe de mágica, os ipês de São Paulo começaram a florir em grande quantidade.

Além dos ipês da região do Parque Villa Lobos, da Avenida Brasil e do Parque Dom Pedro, ontem eu vi que o pé de ipê do Vale do Anhangabaú também está todo florido.

Hoje cedo vi que o Ipê da Rua Livi também floriu. Agora faltam os ipês da Rua da Consolação e dos cemitérios da Dr. Arnaldo e da Consolação. Em São Paulo, os cemitérios são grandes concentrações de pés de ipês.

Brasilia também tem muitos pés de ipês.

Se olharmos para os pés de ipês floridos e nos lembrarmos do neto de Vaccari, quem sabe o pessoal do Judiciário e do governo em Brasilia, também se lembre que Vaccari precisa ver o seu netinho.

Quem sabe também os deputados e senadores que, apesar de não demonstrarem afeto, se sensibilizem com as flores dos ipês e as lembranças de que todo avô gosta de ver seus netos. Vaccari agora é avô fresco e ainda não viu o seu primeiro neto que nasceu de segunda para terça desta semana.

A própria presidente da república, que adora o seu netinho, ao andar de carro por Brasilia, ao olhar pelas janelas e paredes de vidro dos palácios onde trabalha e mora em Brasilia, vai ver as flores dos ipês e vai se lembrar do netinho de João Vaccari. Ainda bem que Dilma é uma avó carinhosa. Assim ela pensa nos netinhos de quem ainda não pode ver seu próprio neto. Pode pensar no netinho de Vaccari.

Os juízes do Supremo Tribunal Federal, a maioria já deve ter netos. Também devem ficar muito alegres quando estão com seus netos. Estes juízes também devem ver as flores dos ipês quando vão para o palácio da Justiça e para suas casas na região do lago.

Pensem no netinho de João Vaccari.
Pensem na importância de Vaccari conhecer o seu netinho.
Vaccari, por enquanto, é apenas "suspeito" e "acusado por delatores".
Vaccari ainda não foi julgado nem condenado.
Vaccari tem endereço fixo e sempre esteve à disposição da Justiça.

As flores dos ipês estão atrasadas, mas continuam lindas.
Nossa Justiça também está atrasada. 
Vamos engrandecer a nossa Justiça?


terça-feira, 26 de maio de 2015

Nasceu o neto de Vaccari!

A alegria de uma criança

Nasceu o primeiro neto de João Vaccari e Giselda, às 23:56 h, pesando 3.580 kg e a mãe passa bem. a mãe, além de médica, é obstetra, faz muitos partos...

Se os brutos também amam, as pessoas que mantêm a prisão de Vaccari poderiam se sensibilizar e liberar o Vaccari para visitar seu neto, sua família e ajudar a esposa na retaguarda da família.

Vaccari tem mostrado disponibilidade para todas as intimações e sempre esteve presente levando seus conhecimentos e esclarecimentos sobre as suas contas e as contas do PT.

É preciso lembrar que quem está sendo processado é o Tesoureiro do PT.
Não é a pessoa física João Vaccari Neto.
Portanto, ninguém do PT pode se omitir sobre esta irregularidade jurídica.
Tanto as contas de Vaccari como as contas do PT estão e são aprovadas pela Receita Federal e pelo TST - Tribunal Superior Eleitoral, respectivamente.

Mas não é hora de falar de processos e contas, 
é hora de falar da alegria de ver uma criança nascer.
O primeiro filho, o primeiro neto. A alegria da família.

E sabe qual é o nome do menino?
Vou deixar o suspense e responder mais tarde.

Qual é o nome do primeiro neto de João Vaccari Neto?

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Ipês floridos e Reitor da Unesp

Alegrias e Tristezas

Nesta segunda-feira, vindo para o Centro de São Paulo, ao passar pela famosa Rua da Consolação, não vi nenhum pé de ipê florido. Tinham outras flores...

Para minha surpresa, quando cheguei no início do Parque Dom Pedro, mesmo estando dirigindo em curva, deu para vê o ipê florido. Todos os anos este ipê rosa começa a florir no mês de abril e a florada dura vários meses. Este ano começou no mês de maio, mas está muito bonito. Aos poucos a cidade vai sendo tomada pelos ipês floridos.

Este é um bom motivo de alegria.

No entanto, quando comecei a folhear os jornais com mais calma, para ter uma ideia geral do que anda acontecendo no Brasil e no mundo, vi uma matéria que me chamou muito a atenção. Esta notícia é uma mistura de tristeza com esperança. 

No caderno Cotidiano da Folha de hoje, na página B7, estava em destaque:

"Alerta para desacelerar"

"À frente de uma das maiores universidades de SP, reitor se afasta por quase um ano para tratar câncer.

O reitor da Unesp, Julio Durigan, 60, ficou fastado quase o ano passado inteiro para combater um câncer na medula óssea, que pode danificar os órgãos e reduzir a produção de anticorpos. Em uma fase de tratamento, a imunidade ficou tão baixa que uma simples gripe poderia matá-lo. Ele está em atividade neste ano, mas tem de  passar por constantes avaliações, pois há o risco de a doença voltar."

O jornalista Fabio Takahashi pegou um belo depoimento do reitor, que eu recomendo que as pessoas leiam na Folha de hoje.

Fiquei triste ao ler o depoimento tão bonito, dado pelo reitor Julio Durigan, relatando como ele e a família enfrentaram o câncer.

A Unesp tem uma boa faculdade de medicina, que forma médicos e médicas especializados em várias áreas, fornecendo profissionais para os melhores hospitais do Brasil e do mundo.  Vamos torcer para que estes médicos especialistas possam contribuir no tratamento do Sr. Julio Durigan.

Vejam estas palavras do reitor:

"Reuni minha familia e meus três filhos...  quis passar segurança a eles. Como engenheiro agrônomo, sou muito ligado ao ritmo da natureza. Plantas nascem, crescem e morrem. Assegurei a eles que tudo ia dar certo, porque só havia duas opções. Ou eu sarava - o que era dar certo - ou morria - o que também era dar certo, algo natural. Eles sentiram o baque. Foi minha primeira lição: você precisa vencer a doença, por você e pela família."

Gosto quando os jornais relatam casos como este para os leitores. Afinal, imprensa não é apenas para fazer guerra política, é, principalmente, um meio de comunicação, educação e formação.

Os jornais precisam mostrar que no dia a dia enfrentamos alegrias e tristezas, mas estas situações servem para nos ajudar a aprender a superar desafios e construir um mundo melhor. Ainda temos esperanças...


domingo, 24 de maio de 2015

Os Ipês estão atrasados

As flores estão chegando no final de maio

O normal é começar a florir no mês de abril.
O que será que fez a florada deste ano atrasar?
Será que foi o " aquecimento global" ? 
Ou foi a falta de água e de chuvas?
Ou será que foi o clima político?

Só sei que as paineiras estavam florindo há um bom tempo.
E os ipês, nada.
Hoje cedo, quando depois de dois meses sem ir ao Parque Villa Lobos, ao retomar o caminho do parque encontrei um pé de ipê florido. Pequeno, porém florido.

Chegando mais perto do Parque Villa Lobos encontrei outro pé de ipê florido. 
Este já era maior e mais florido. Fui ficando mais animado...
Já no final da tarde, quando fomos levar nossa filha para sua nova moradia, ao passar na Avenida Brasil, vi um grande pé de ipê florido. Sinais dos tempos...

Até nossa primavera está começando a florir.
Na parte da tarde, vi que o sol dava um brilho especial às flores vermelhas.
Que as árvores patas de vacas da nossa rua também começam a florir,
E, na praça da escola onde nossa filha estudou,
já tem até flores pelo chão.

Agora vamos esperar os jasmins mostrarem suas lindas flores.
A cidade ficar cheia de ipês floridos,
A economia voltar a crescer,
E crescer a confiança e a tolerância entre as pessoas.

A vida com flores tem mais alegria e mais fraternidade.

sábado, 23 de maio de 2015

Demissões na Osesp

Alckmin reduz verba da OSESP

Li com tristeza a notícia no Estadão desta sexta-feira, dia 22/05, que o governo do Estado de São Paulo cortou 10% da verba para Osesp. Com isto provocou demissão de 10% dos funcionários além de outros cortes.

Ainda ontem no final da tarde, fiquei mais de meia hora parado na Augusta porque a Rua Consolação parou com a passeata dos professores em greve há dois meses.

Os governos estaduais estão sem dinheiro? Porque não chamam as representações institucionais de cada estado e negociam uma nova realidade, um pacto de governabilidade onde todos participem e contribuam?

No caso específico da Osesp, fico mais triste ainda porque fui assinante durante vários anos e neste ano não renovei nossa assinatura. Se eu soubesse que iria faltar dinheiro eu a teria mantido, em solidariedade. Quando não renovei a assinatura foi por não estar gostando do desempenho da orquestra, particularmente com a regente. Sou meio tradicional com música clássica.

Música e educação são duas coisas fundamentais na vida da gente. 
Eu comecei a estudar clarinete aos nove anos de idade, em Serrinha-Bahia e curto música até hoje. Da mesma forma, sou de uma família que sempre estudou em escolas públicas e temos médica, arquiteto, matemático, físico, economista, artista plástica, contador e administrador de empresa. Inclusive alguns com mestrado e doutorado. 

São Paulo, que é o Estado mais rico do Brasil, não pode dar mau exemplo para o Brasil. O governador poderia, ao menos, ter mantido a verba, em vez de reduzi-la.

Todo apoio à Osesp!
Todo apoio aos professores e professoras do Estado de São Paulo!


sexta-feira, 22 de maio de 2015

Somos todos João Vaccari

Onde houver um petista e um cutista, Vaccari está presente

Ante a pressão dos golpistas contra o Governo Dilma e o PT, com a prisão sem provas e sequer sem julgamento do tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto, é obrigação de todos os cutistas e petistas de todo Brasil demonstrar sua solidariedade à direção nacional do partido e ao seu tesoureiro.

Vaccari foi fundamental para sanear as contas do partido, foi importantíssimo para organizar recursos financeiros para todos os candidatos e candidatas, como foi também muito importante para organizar as contas da CUT Nacional, quando foi seu tesoureiro.

Alguns petistas se equivocaram ao defender que Vaccari deveria ter renunciado à tesouraria do partido ante as denúncias sem provas e inconsistentes da Operação Lava Jato. Tanto eram inconsistentes que tiveram que apelar para tentar destruir emocionalmente seus familiares, mesmo sabendo que sua filha está grávida de nove meses.

Vaccari não poderia ter renunciado ou licenciado-se preventivamente porque NÃO era Vaccari que era visto sob suspeita, enquanto indivíduo, o acusado é o TESOUREIRO do PARTIDO. 

O processo é para tentar por o PT na ilegalidade.
O processo quer pegar é LULA.

Vaccari está preso injustamente.

O partido não pode aceitar esta prisão bovinamente. Os petistas e o Partido têm que reagir. Os sindicalistas também precisam reagir.

A OAB, que representa mais de 800 mil advogados não pode se omitir. 
As instâncias superiores da Justiça não podem se omitir. Os juristas e acadêmicos também não podem se omitir. Silenciar é ceder ao arbítrio.

Se Vaccari for condenado "sob o domínio dos fatos", ficará consolidado na Brasil mais um artifício jurídico para excluir os adversários políticos, econômicos e sociais. Passaremos a viver sob uma ditadura disfarçada de legalidade. Este filme nós já vimos em outros países. Principalmente no EGITO. Lá estão condenando os opositores à MORTE.

Nesta semana de 22 a 30 de maio de 2015 deverá nascer o primeiro neto de Vaccari.
Os brasileiros democratas, os militantes do PT e da CUT devem diariamente cobrar a libertação de João Vaccari.
Vaccari tem direito de ver seu primeiro neto que vai nascer.
A filha e a família de Vaccari merecem respeito.

Vaccari nunca deixou de comparecer quando intimado, tem endereço fixo e nunca sonegou informações.
A própria Receita Federal diz que não há enriquecimento ilícito nem erro nas declarações de imposto de renda  de Vaccari; o TSE sempre aprovou as contas do PT, com Vaccari na tesouraria do partido.

Não se calem!
Não se acovardem!
Vamos demonstrar nossa solidariedade!

Se fomos capazes de derrotar uma ditadura militar,
também somos capazes de impedir um ditadura jurídica e midiática.

Vaccari e Família,
Todos nós também somos Vaccari.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Itaú também quer comprar o HSBC

Agora a briga vai ser boa...

O Itaú não entra em briga financeira para perder. O Estadão de  hoje informa que a diretoria do banco Itaú Unibanco declarou publicamente que também está interessado na compra do HSBC Brasil. Se bobear ele também compra o HSBC do México. Quem conhece Itaú não duvida da sua ousadia...

Além do Itaú, o Santander, o Bradesco, o BTG, grupos chineses, o espanhol Inbursa e o canadense Scotia Bank teriam interesse. Os chineses, espanhóis e canadense provavelmente não virão para o varejo no Brasil.

A disputa vai ficar mesmo entre o Itaú, Bradesco e Santander. O Bradesco está quieto e ainda não declarou nada. Mas, nas últimas disputas, faltou ousadia ao Bradesco e o Itaú foi lá e comprou os bancos que estavam à venda.

O fato de o valor de venda estar estimado em cerca de US$ 4 bilhões não quer dizer nada para o Itaú. Um banco que lucra quase 2 bilhões de reais por mês, tem dinheiro sobrando para comprar qualquer banco ou empresa brasileira.

Já que estamos falando de preços, o HSBC "comprou" o Bamerindus, no governo FHC, por UM DOLAR. Sendo que o banco estava sob intervenção do Banco Central e o ex-dono do Bamerindus foi o maior contribuinte para a eleição de FHC. Ingratidão tem nome e endereço. Agora este banco vale 4 bilhões de dólares? Lembram muito a compra do Banespa pelo Santander. Também foi uma bagatela na época de FHC.

Como dizia a boa propaganda da Poupança Bamerindus: Este FHC!!!

quarta-feira, 20 de maio de 2015

A China pode conter os Evangélicos?

Enquanto os USA tentam sair da crise, China conquista mercados

A China já está presente em toda a África, controla a Ásia, aproxima-se cada vez mais da Eurásia, marca presença no Oriente Médio e aumenta sua participação no mercado Latino Americano, que aos poucos vai deixando de ser "o quintal dos Estados Unidos". Enquanto isto, a Europa patina e os Estados Unidos tentam recuperar suas energias.

Economicamente o Mundo está passando por profundas transformações. Muitas delas para melhor. Culturalmente o Mundo vai se aproximando e diminuindo as diferenças. Isto também é muito bom.

No entanto, quando olhamos o quadro político, ficamos mais preocupados do que satisfeitos.

Para onde está indo a Democracia no mundo?
A Democracia do pós Segunda Guerra mostra sinais de esgotamento.
Novos sistemas estão surgindo...

Na Europa, com o voto optativo, cada vez menos gente vai votar, fazendo com que os eleitos, embora os sejam com 20 a 25% dos votos, tenham que governar para 100% da população. Dando um ar de legalidade sem legitimidade.

Nos Estados Unidos, a Democracia é a do Big Stick, isto é, você tem liberdade para quase tudo, menos questionar a hegemonia dos Partidos Democrata e Republicano que representam o pacto da colonização anglo-saxã. O quê, como modelo de liberdade, ainda é um dos melhores no mundo.

No Oriente Médio temos governos religiosos, incluindo aí Israel, com seu Estado Sionista.
Na Ásia temos sistemas fechados com partidos que representam as oligarquias históricas.

Na América Latina, na medida que a economia está patinando, a direita toma coragem para enfrentar os governos progressistas e acabar com as conquistas sociais. Estamos caminhando para um período de retrocesso democrático.

O Brasil está caminhando para perder a hegemonia católica e conviver com a hegemonia evangélica pentecostal. Os sinais são cada vez mais evidentes: O presidente da Câmara Federal é militante evangélico, os evangélicos já têm uma grande bancada de deputados (mais de 70). Até os meios de comunicação estão cada vez mais sob controle dos evangélicos. Nesta semana presenciamos a compra da tradicional e histórica Rádio Estadão/Eldorado por um pastor de uma destas Igrejas Pentecostais.  Saudade dos Mesquitas históricos...

O curioso é que a própria direita brasileira, liderada pelo PSDB, como não consegue ganhar a presidência no voto, aliou-se aos evangélicos para tentar derrotar o governo Dilma neste mandato e impedir a vitória de Lula em 2018.

Será que os chineses vão deixar os evangélicos criar suas igrejas na China? 

terça-feira, 19 de maio de 2015

Santander e HSBC: A fome e a vontade de comer

Dois bancos frágeis pode gerar um banco forte?

Esta hipótese de o Santander Brasil comprar o HSBC Brasil é para valer, ou é apenas um blefe?
Considerando-se a história dos dois bancos, tudo pode acontecer. Inclusive todo mundo falar que quer comprar o HSBC e depois e Itaú ir lá e arrematar por melhor preço e condições...

Vejam esta matéria do Valor on line de hoje:

Santander Brasil estuda proposta pela filial brasileira do HSBC

Valor - Por Fabiana Lopes – 19/05/2015 – 12:33h

O presidente do Santander Brasil, Jesús Zabalza, confirmou nesta terça-feira que o banco estuda a possível aquisição da filial brasileira do HSBC, mas ainda não lançou nenhuma proposta. “Vamos estudar a proposta pelo HSBC. Estamos vendo todas as oportunidades”, disse o executivo ao ser questionado por jornalistas.
 Zabalza disse, inicialmente, que a estratégia do banco se apoia em crescimento orgânico. 

Mesmo assim, ressaltou que a instituição tem “responsabilidade de olhar” todas as oportunidades de expansão que aparecem no mercado. "Temos capital para crescer com nossos clientes", disse Zabalza, em encontro com a imprensa para apresentar um programa de apoio a pequenas e médias empresas.

Pequena e média empresa O Santander Brasil lançou nesta terça-feira um programa de apoio a pequenas e médias empresas, com oferta de produtos e serviços específicos, além de disponibilizar R$ 15 bilhões em crédito no país. O operação se integrará a uma plataforma já implementada em locais como Espanha, Reino Unido e México.

 No mundo, o Santander tem mais de 4 milhões de clientes PMEs, em mais de 20 países.
Com o novo programa, o Santander diz que reduzirá o prazo de abertura de conta corrente, simplificará o processo de concessão de crédito e oferecerá a instalação de máquinas de adquirência da Getnet em dois dias.

Com foco nesse público, o banco também pretende oferecer cursos online e presencial e visitas a empresas de maior porte para troca de experiências, além de subsidiar um estagiário por quatro meses em algumas companhias. A perspectiva é disponibilizar 500 estagiários em 2015.

No primeiro trimestre, a carteira de crédito para pequenas e médias empresas do Santander recuou 0,7 % em relação ao mesmo período do ano passado e 0,3% sobre dezembro, para R$ 31,6 bilhões. O estoque total de financiamentos teve expansão de 15,3% em 12 meses e de 5,1% no trimestre, a R$ 258,1 bilhões.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

China compra bancos no Brasil

Um país à venda

Esta tradição brasileira de criar empresas para serem vendidas aos estrangeiros é uma vergonha nacional. 

Desde o governo FHC os bancos estão desaparecendo no Brasil. Existiam bancos privados e públicos em quase todos os Estados. Atualmente apenas cinco bancos controlam mais de 80% do sistema financeiro brasileiro.

E os outros pequenos bancos estão sendo vendidos aos estrangeiros. Agora são os chineses que estão comprando.

Já são quatro bancos chineses no Brasil.

Vejam a matéria do jornal Valor desta segunda-feira, 18.

Banco chinês está perto de comprar o BBM

Valor - Por Aline Oyamada – 18/05/2015

O Bank of Communications, quinto maior banco da China, está prestes a entrar no mercado brasileiro por meio da aquisição do Banco BBM, pertencente à família Mariani, segundo fontes próximas à operação. O contrato do negócio está previsto para ser assinado em breve e a transação deve ser anunciada nesta semana, durante a visita do primeiro ministro chinês, Li Keqiang, ao Brasil.

O Bank of Communications deve ficar com 80% do BBM e o restante continuará nas mãos da família Mariani. Pela participação majoritária, o banco chinês deve desembolsar US$ 200 milhões, segundo a "Bloomberg".

De acordo com uma fonte, o Bank of Communications demonstrou interesse em entrar no Brasil há cerca de três anos. O banco começou a prospectar negócios no país, mas decidiu adiar a aquisição porque o China Construction Bank (CCB) também estava de olho no mercado e uma competição entre dois bancos estatais chineses poderia dar poder de barganha aos bancos brasileiros nas negociações.

Depois que o CCB fechou a compra do controle do BicBanco no país, em 2013, o Bank of Communications voltou a estudar sua entrada no mercado brasileiro. Segundo uma fonte ouvida pela reportagem, o banco não quis buscar uma licença para operar no Brasil porque a estratégia de prospecção internacional sempre foi entrar por meio da aquisição de uma instituição local.

A família Mariani, segundo fontes, estava buscando compradores para o seu negócio há algum tempo e vinha conversando com outros bancos, inclusive concorrentes chineses do Bank of Communications, para uma possível venda. A transação está sendo assessorada pelo Goldman Sachs, do lado do banco chinês, e do Citi, do lado do Banco BBM, segundo fontes.

Se a operação for concretizada, o Bank of Communications será o quarto banco chinês a ingressar no mercado brasileiro. Além do CCB, que entrou no país por meio da compra do BicBanco, atuam no país o Industrial and Commercial Bank of China (ICBC) e o Bank of China.

Ao fim de 2014, o Banco BBM tinha R$ 3,112 bilhões em ativos, figurando na 49ª posição do ranking de maiores instituições compilado pelo Banco Central do Brasil (BC). O índice de Basileia da instituição estava em 20,7%.


domingo, 17 de maio de 2015

Gripe de Velho

Muita dor e pouso reflexo

Estou descobrindo que uma desvantagem em ficar velho é que quando pegamos uma gripe forte não conseguimos pensar bem, ficamos lerdos e nossos reflexos desaparecem.

Pretendia publicar partes da boa entrevista do governador do Rio de Janeiro ao jornal Valor de quinta-feira passada, mas, como não consigo pensar direito, resolvi deixar o assunto para outro dia.

Descansei o dia todo e vou continuar tomando remédio para poder voltar ao batente amanhã, segunda-feira.

Ao mesmo tempo, fiquei com a impressão que os jornais também estavam com gripe, ou sem assunto para falar mal do governo Dilma. Vamos ver o que sai nesta segunda-feira.

Até o Corinthians, ganhou com um gol por acaso. Já pensaram?

Bem, já escrevi mais do que pretendia.
Até amanhã, se Deus quiser...

sábado, 16 de maio de 2015

São Paulo, os novos ricos e o fascismo

Agressões em lugares públicos. E se houver reação?

Estimulados pela imprensa reacionária, os ricos conservadores e grosseiros, tanto em São Paulo, como em outros Estados, começam a agredir petistas em lugares públicos. Por enquanto, não tem havido reação hostil.

Já pensaram se estes petistas passarem a reagir?
Vão dizer que os petistas são violentos? Lembram dos fascistas italianos e alemães? As guerras começam com pequenos incidentes...

Outro dia soube que um militante petista foi agredido no Metrô quando o trem estava quase vazio. Depois soubemos de Mantega no Hospital dos ricos e dos judeus de São Paulo. Agora foi Padilha em um restaurante nos jardins.

Ou a imprensa para de estimular as agressões, ou começaremos a ver a Lei do Talião - olho por olho e dente por dente - funcionando nas ruas de São Paulo. A gente sempre sabe como começa, mas nunca sabe como acaba este tipo de comportamento.

A vida em São Paulo nunca foi fácil para os pobres, os negros, os negros pobres e os alternativos. É claro que, na medida que a economia melhorou com Lula, estes segmentos sociais passaram a ter mais presença nos espaços públicos e passaram a incomodar os reacionários e preconceituosos. Estes andavam calados até 2014. Agora estão saindo do armário e assumindo posturas violentas publicamente.

O Estado mais beneficiário com o Golpe de 1964 foi São Paulo. 
O Estado mais beneficiário com o Neoliberalismo, as privatizações,
o desemprego, o arrocho salarial e o entreguismo de FHC foi o Estado de São Paulo.
O Estado que mais ganhou dinheiro durante o governo Lula foi São Paulo.
Agora a elite paulista invocou com a presidente Dilma e resolveu inviabilizar o seu segundo mandato. Ao mesmo tempo ela tem cometido alguns erros táticos que facilitam as agressões da direita.

Em São Paulo, não estão os ovos da serpente, como diz o jornalista e escritor Fernando Morais. Em São Paulo vive e mora a própria serpente. Os golpes e contra golpes brasileiros, desde o século passado, são articulados em São Paulo e para o bem de São Paulo.

A imprensa prega o ódio e quer mortos para agilizar o golpe. No Chile já morreram duas pessoas nesta semana, durante manifestações estudantis. No Rio de Janeiro morreram 12 pessoas no meio da briga do tráfico nos morros perto do centro da cidade.

Quando não podemos contar com as instituições formais e legais...
Talvez esteja na hora de se começar a organizar comitês de autodefesa.

Ou, como diz o governador Pezão, do Rio de Janeiro, "a discussão primordial que a gente tem que fazer são duas: 1 - Reforma Tributária, e 2 - Pacto Federativo - muito mais importante do que reforma política" - neste congresso que está aí. Leiam no jornal Valor de quinta-feira, dia 14 de maio de 2015.




sexta-feira, 15 de maio de 2015

Mais uma derrota do governo?

Fim do Fator Previdenciário

Como o Brasil anda de ponta-cabeça ou de cabeça para baixo, conforme cada reunião do país, os deputados estão votando sempre ao contrário do que já votaram, fazendo um discurso que não tem nada a ver com seu passado e todos torcendo para ver o Circo pegar fogo, a Câmara Federal mais uma vez votou mais uma Medida Provisória do Governo Dilma e aproveitou para introduzir mais uma confusão.

Ao aprovar novas regras para recebimento de pensões e aposentadorias contidas na MP 664, os deputados votaram uma emenda acabando com o Fator Previdenciário e introduzindo nova regra chamada de 85/95. Números que significam a soma do tempo de contribuição mais a idade do contribuinte, sendo 85 para mulheres e 95 para homens.

A oposição e boa parte dos governistas votaram a favor e 
grande parte dos governistas votou contra a emenda 85/95. 

Pronto: a confusão tomou conta do noticiário, com toda a imprensa dizendo que os deputados são irresponsáveis e que Dilma vai ter que vetar e que foi uma grande derrota para o governo.

Tentei ler os jornais desta sexta-feira mas não consegui ler tudo que precisava. Os sindicalistas estão contentes com a aprovação da emenda, os deputados estão contentes, o governo está sem saber o que falar e a imprensa descendo o cacete. Mais uma sinuca de bico para a presidente Dilma. Que fazer?

Da mesma forma que se divulgou um mundo de mentiras sobre o PL 4330 que autoriza terceirizar tudo, agora a imprensa vai publicar vários estudos dizendo que o mundo vai se acabar se aprovar esta emenda de 85/95.

Como o Corinthians vem perdendo uma depois da outra, o governo vem perdendo menos do que o Corinthians mas vem perdendo mais do que ganhando, talvez seja hora de se dialogar mais e votar menos. É preciso ouvir o clamor do povo e dos governantes.

Por falar em governantes, ontem, quinta-feira, o jornal Valor publicou uma entrevista de página inteira com o governador do Rio de Janeiro, o Pezão. A melhor entrevista de todas já feitas durante este ano de 2015. Amanhã vou mostrar algumas declarações do governador Pezão. Um quadro do PMDB de primeira grandeza.

Perder não é o fim do mundo. Vamos aprender com Pezão!

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Que vexame, Corinthians

Sem dinheiro o time não joga?

Várias pessoas me disseram que o Corinthians parou de jogar bola por que não está pagando aos jogadores. Este é um motivo muito relevante, mas não justifica tamanho vexame no Itaquerao. Poderia ter ganho de um a zero ou empatado de dois a dois e perder nos pênaltis. Seria menos vergonhoso...

Minha avaliação é que o dinheiro atrapalhou, mas o técnico e a diretoria do time têm muito o que explicar. A começar pelo técnico...

Assistir ao primeiro tempo e ficava triste quando via tanta criança torcendo emocionada para o Corinthians. Estas crianças tinham esperança no seu time, acreditavam nas belas palavras do técnico e dos jogadores. Mal sabiam que era tudo pró forma... Esta situação não pode continuar no futebol brasileiro.

Pior do que o Corinthians, só chegar no aeroporto e perceber que esqueci o celular em casa. Parecia que eu estava nu. Como vou passar o dia no Rio de Janeiro sem celular, se no aeroporto nem orelhão eu acho para telefonar? Não conseguimos mais viver sem o celular? 

Ser corinthiano hoje em dia, 
faz a gente até esquecer o celular em casa.
Dias melhores virão...

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Dois recordes num dia

Um país nos visita 3.741 vezes 

Chegamos a 402.475 acessos, 2.190 textos e 122 países. 
Tudo isto em apenas cinco anos.

O país mais recente a nos acessar foi Cuba. 
Também, depois de o presidente cubano tomar café com o Papa e receber a visita do presidente francês, fazer uma visita ao nosso blog não faz mal a ninguém.

Outra curiosidade nos últimos dias é que, apesar de ser o banco HSBC que está à venda, a quantidade de pessoas que acessaram para pesquisar sobre o Santander Brasil aumentou muito. Será que o Santander está interessado no HSBC ou tem gente interessada no próprio Santander Brasil? Não duvido de nada neste mundo capitalista!

Fico contente em ver tantos países visitando nosso blog. Assim, como estão se generalizando as mentiras na imprensa, nos políticos e no judiciário brasileiro, se a repressão aumentar, os países ficarão sabendo que a mentira e a repressão estão fazendo parte do dia a dia no Brasil. Como fazer negócios com um país deste?

Por medida de segurança, não vou dizer qual foi o país que bateu o recorde em visita em apenas um dia. Afinal, é um país belicoso, negociador de armas poderosas e de sistemas de informações e segurança. Como não sei se os acessos são para o bem ou para o mal, preciso não identificar o país. Mesmo tendo amigos que moram e que têm boas relações com este país.

Se até Obama já está planejando uma visita a Cuba,
quem somos nós brasileiros para ficar mandando Dilma para Cuba?
Chega de preconceito!
O futuro da humanidade não será nem igual aos Estados Unidos, nem a Cuba, será mais parecido com esta malemolência brasileira. Basta o Brasil tomar mais um banho de modernidade e estaremos prontos para servir de modelo de país para o mundo. Vida simples, porém com dignidade e fraternidade.
Somos diferentes e seremos a referência do mundo exatamente por assimilarmos as diferenças.

O mundo é plural e a Terra é nossa Pátria!

terça-feira, 12 de maio de 2015

Chuva e frio em São Paulo

No sábado tivemos sol e frio

O clima em São Paulo começa a afetar o trânsito e o humor das pessoas.
As plantas também mudam nesta época do ano. 
Em vez de flores, folhas. 

Vejam esta Nandina tomando sol...


Já as paineiras estão bem floridas.
Mas ainda não consegui tirar fotos.

Aos poucos devemos retomar nossa alegria...



segunda-feira, 11 de maio de 2015

Da Guerra e da Paz

O exemplo espanhol para o Brasil

A Espanha teve três momentos determinantes da sua história que passaram por guerra. Duas delas contra os estrangeiros e uma dela entre os próprios espanhóis. A primeira guerra histórica na Espanha foi pelo fim do domínio mouro na península; a segunda foi a guerra pelo fim da ocupação napoleônica e a terceira foi a Guerra Civil dos monarquistas contra a república.

Sobre a Guerra Civil Espanhola, "em julho de 1939, escreveu Prieto a Negrin: 

Pocos españoles de la actual generación están libres de culpa por la infinita desdicha en que han sumido a su patria. De los que hemos actuado en política, ninguno."

Da página 382 do livro España - Tres milenios de historia de autoria do professor Antonio Dominguez Ortiz. Editora Marcial Pons Bolsillo

Uma crise de governabilidade, numa democracia republicana no início do século passado foi gerando novas crises que tinham influências da Primeira Guerra Mundial e chegou num momento em que se precisava restabelecer a ordem.

O quê poderia ser mais um golpe civil-militar-monárquico foi se transformando numa das guerras civis mais sangrenta da história da humanidade e serviu como ensaio geral para a Segunda Guerra Mundial. Os livros espanhóis atuais falam com timidez sobre este período. Como se não quisessem lembrar do passado para não abrir velhas feridas.

O Brasil também vem caminhando para uma crise de governabilidade de grandes proporções. Como nas vezes anteriores, a imprensa vem estimulando o golpe e a desobediência civil. Mas o Brasil de 2015 é bem diferente do Brasil de 1964.

Da mesma forma que no início do levante franquista ninguém previa uma guerra civil tão sangrenta, ninguém tem autoridade para prever o que pode acontecer com o Brasil.

Uma coisa temos certeza. Como diz o historiador espanhol:

"De los que hemos actuado en política, ninguno está libre de culpa".

É melhor aprender com a história, do que fingir de morto e depois lamentar as chacinas, destruições de cidades e de milhares de vida.

Está na hora de os brasileiros e os paulistas aprenderem a suportar a democracia.

domingo, 10 de maio de 2015

As Professoras e o Dia das Mães

As professoras merecem respeito

Tanto na imprensa como nas redes sociais, todos estarão enaltecendo o Dia das Mães. Toda mãe é maravilhosa e tal... Mãe é importante por muitos motivos, mas um deles é fundamental: na educação e formação dos filhos. O pai provê, mas quem educa e forma é a mãe.

Quando a criança cria condições para ficar longe da mãe, o primeiro lugar que vai é a Escola. E, nas escolas, a grande maioria que lá trabalha são... mulheres. Normalmente o primeiro professor é... mulher. Daí, todo mundo ter uma história para contar sobre suas professoras. Os professores masculinos começam a aparecer no ensino médio e nas faculdades. É claro que há uma minoria de homens, mas continuam sendo minorias. Maioria masculina é somente nas faculdades, mesmo assim depende da área. E logo virarão minorias...

Se as professoras são fundamentais na educação e formação das pessoas, porque as professoras ganham tão pouco? Será que nossa educação e formação não são fundamentais para nossa vida profissional e para nosso país? Por que os governadores não pagam um salário decente para as professoras? Alguns respondem que não têm orçamento, não têm verba ou dinheiro para pagar.

Por que não existe verba para a Educação? 
Nem para a Saúde?
Nem para o Transporte Coletivo?
Nem para a Moradia?
Nem para Alimentação barata?

Acontece que os serviços públicos foram privatizados. 
Argumentando que não tinham recursos orçamentários, os governos foram estimulando a criação de Escolas Particulares, Convênios Médicos, uso do Carro Individual em detrimento de Metrôs e Trens, financiamento de imóveis caríssimos e a alimentação industrializada em detrimento da alimentação em agricultura familiar.

Se as famílias precisam ter renda para pagar escola particular cara, convênios médicos caros, manutenção dos carros e celulares, prestação de casa cara, alimentação cara e ainda pagar o "guarda da rua" porque não temos segurança, não tem salário que chegue! E os governantes não se sentem na obrigação de garantir bons salários para os servidores públicos.

Outro aspecto importante é que os orçamentos municipais, estaduais e federal não dialogam entre si. Cada um faz o que quer com o orçamento. Principalmente subsidiar os serviços privados. Todos recebem subsídios dos governos. Educação, Saúde, Transporte, Moradia e Alimentação. Todos são subsidiados, privatizando o orçamento público em detrimento das políticas públicas.

O jornal Estadão de hoje fez duas boas reportagens sobre as campanhas salariais das professoras e sobre a Educação no Brasil. Uma boa homenagem às professoras. Espero que os governantes tomem conhecimento destas matérias do Estadão.

Enquanto os governantes mandam polícias para bater nas professoras,
é importante que a imprensa e as redes sociais continuem lembrando a todos que:

- AS PROFESSORAS são como nossas MÃES.
- São inesquecíveis e imprescindíveis!

sábado, 9 de maio de 2015

A Folha ganhou da Veja

Hoje a manchete da Folha abusou...

Vejam se isto é digno de ser manchete da Folha num sábado:

" Empreiteiro afirma ter doado a Dilma por temer retaliação"

Continua ainda no texto da capa: "temer prejuízos em negócios na Petrobras se não ajudasse o PT"

Dá para acreditar que um grande empresário declare isto, em sã consciência, e um jornal como a Folha ainda dê manchete?

Este é um pais de frouxos, delatores, covardes e mentirosos? Onde estão os bons empresários? Onde andam os juristas, juízes dos Supremos e jornalistas decentes? Todos com medo de Dilma ou do juiz Sergio Moro, ou melhor dizendo, com medo da Folha, da Veja e da Globo?

Tudo bem ter liberdade de imprensa, mas a Folha não precisa ficar pior do que a Veja. 

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Brasil: As hienas e as flores

Na política, o ódio está vencendo a esperança

Aos poucos o lado grosseiro do Brasil vai ganh ando força e inibindo o lado mais educado e solidário. O ódio vai vencendo a esperança.

Ontem e hoje a imprensa só comemora a votação na Câmara Federal do ajuste fiscal neoliberal. Ter votação apertada e com contradições partidária, faz parte da regra do jogo democrático . Mas ouvir tantas provocações da direita idiotizada no Comgresso! É uma demonstração de ridículo. O Estadão deleita-se mostrando o pessoal do partido de Paulinho usando cuecas na Congrsso. Isto pode na Câmara de Eduardo Cunha. Já os sindicalistas das outras centrais sindicais, além de não poderem entrar para assistir às votações, apanham da polícia. O fascismo está presente...

O curioso é a oposição reclamar que Rodrigo Maia, do DEM, tenha votado a favor do ajuste fiscal. Parabéns pela coerência de Rodrigo Maia. Irresponsável foi o PSDB que sendo neoliberal, só por birra política se recusou a votar favorável ao ajuste neoliberal de Levy. Partidinho oportunista!

Apesar de toda a baixaria da direita no Congresso e na imprensa, ainda tive tempo para ver as flores da Vila Madalena.

As primaveras estão chegando...


Muitas flores estão aparecendo no bairro. 
As paineiras estão todas floridas.
Mas as fotos ficam para outro dia.

Apesar das hienas na política, as flores reanimam os moradores da Vila.


quarta-feira, 6 de maio de 2015

A histeria está vencendo o bom senso

O Brasil não pode parar!

As montadoras estão dando férias coletivas e demitindo, logo, a cadeia produtiva automotiva também começa a dar férias coletivas e demitir.

Os bancos aumentaram as taxas de juros, logo, os clientes, sejam eles pessoas físicas ou pessoas jurídicas, param de pegar dinheiro emprestado ou param de pagar suas dívidas.

O comércio começa a vender menos porque as pessoas começam a comprar menos, por medo do desemprego e com medo do custo de vida.

Esta angústia, por menor que seja, ao ser amplamente divulgada pela imprensa, ganha grandes proporções, reforçando mais ainda a crise e a paralisia na economia.

Junto com tudo isto, temos dois atores sociais que podem contribuir para melhorar ou piorar a situação:

Um deles são os políticos e governantes.
Os prefeitos e governadores estão na defensiva, com orçamentos apertados e muitas demandas sem solução aparente e os parlamentares parecem mais camelôs vendendo nas feiras, buscando ver quem capitaliza mais o caos reinante e torcendo para o "quanto pior, melhor".

O outro ator social relevante é o judiciário.
Partindo do pressuposto de que estão acima dos poderes constituídos em nome da moralidade individual e coletiva, estão transformando o Brasil em um país onde tudo e todos estão sob suspeita, passivos de terem suas vidas pessoais e institucionais vasculhadas sem conhecimento dos investigados, repassando previamente informações selecionadas para intimidar e denegrir a imagem das pessoas e das instituições.

Neste quadro de insegurança econômica e institucional, a histeria vai se generalizando e contaminando todos os segmentos da sociedade. Historicamente, só se contém as histerias coletivas com rupturas traumáticas. Seja nas manifestações de grandes multidões, seja em incertezas institucionais, é preciso que surja alguém ou algo que ponha limite no descontrole.

Se o Brasil já estivesse num regime parlamentarista, seria fácil de resolver: 
Dissolveria o parlamento e se convocaria novas eleições para se recompor os poderes e as maiorias. Vejam o exemplo da Inglaterra. Nesta quinta-feira, dia 07, teremos novas eleições para eleger o novo primeiro ministro. Quem tiver maioria no parlamento governará, mesmo que tenha que fazer alianças e composições.

Por que o Brasil, em vez de aprovar o Parlamentarismo, fica nesta forma de governo ingovernável, com 32 ou 33 partidos políticos que mais parecem hienas famintas em busca do aparelho do Estado e suas estatais?

Precisamos contribuir para que a maioria silenciosa se transforme na maioria do bom senso, que deve conter os histéricos e os que querem ver o Brasil pegar fogo e ir para a baderna.

Na democracia ativa e participativa, o povo não precisa esperar quatro anos para recompor os governos, sejam eles municipais, estaduais e nacional.  Ou os governantes têm maioria para governar e cumprir seus programas eleitorais, ou devem ser chamadas novas eleições até se constituir maioria que comporá o governo com condições de governabilidade.

Democracia se aprende praticando.
Mas, sem parar a economia, sem parar as instituições e sem parar o próprio país.
A economia precisa voltar a crescer, as instituições precisam voltar a servir a todos os brasileiros e...

O Brasil não pode parar!

terça-feira, 5 de maio de 2015

Violência no Paraná de Beto Hitler

Bater em professor é como bater na mãe e no pai

Para a criança, a professora é uma segunda mãe.
Para os pais, a professora é a esperança de um futuro melhor para seus filhos.

O Paraná sempre teve uma Rede de Escolas Públicas que orgulhava o povo do Paraná. No entanto, o governador Beto Richa, depois de ter enganado o povo pedindo votos, resolveu cortar direitos do professores, isto depois das eleições. E mais ridículo ainda é que o governador é do PSDB. Como fica isto FHC?

Os professores, indignados, protestaram e fizeram greve.
O governador, em vez de reconhecer seu erro, mandou a Polícia Militar bater nos professores.

Vejam o resultado de tanta violência... A Violência do Beto Hitler.



O Facebook ficou assustado com tanta violência, e, a mando do governador do Paraná, resolveu censurar a reprodução das fotos.

Em solidariedade aos professores e professoras do Paraná e de todo o Brasil, estamos multiplicando as informações e as fotos sobre a luta pela dignidade dos professores e professoras do Paraná e de todo Brasil.

Que vergonha Beto Hitler!
Que vergonha para o Estado do Paraná!
Um Estado sem educação é um Estado sem futuro.


Enquanto a Indústria chora, Bancos ganham dinheiro

Vejam os dados do jornal Valor

1 - ITAÚ Unibanco tem lucro de quase R$ 6 bilhões no primeiro trimestre de 2015. Alta de 29,7% sobre o mesmo período de ano passado.

2 - Na semana passada o BRADESCO divulgou lucro líquido de R$4,24 bilhões no primeiro trimestre, com alta de 23,3%.

3 - Já o SANTANDER Brasil lucrou R$ 683,8 milhões no trimestre, com alta de 31,9%.

Os dados acima estão em matéria do jornal Valor de 05/05/2015.

Capitalismo Oligopolista

O sistema financeiro brasileiro, embora no Banco Central estejam registrados mais de cem bancos, a realidade é que apenas cinco bancos detêm mais de 80% das operações financeiras, caracterizando um grande oligopólio, onde os três bancos privados acima, mais o Banco do Brasil e a CEF controlam o sistema, juntamente com o Banco Central.

Quanto mais o Banco Central aumenta a Selic, mais os bancos ganham dinheiro e a economia se retrai. Recessão, desemprego, arrocho salarial e lucros para os bancos. Será que não tem algo errado?

HSBC decepciona no Brasil e no Mundo

O sexto maior banco é o HSBC Brasil, que está à venda e já está recebendo propostas de compra de interessados, sendo que o prazo para a entrega de ofertas de compras vai até o final do mês de junho, próximo.

É preciso repensar este capitalismo brasileiro...
'

Terceirização na Folha e no Valor

Cada um vê o que quer...

Nossa imprensa anda realmente muito doida e mal intencionada. 
Todo mundo sabe que a Folha é a favor da terceirização total. Mas a Folha resolveu publicar uma entrevista com o Professor João Manuel Cardoso de Mello falando mal da terceirização. O jornal valoriza mais o fato de o professor ter dado aula para a presidente Dilma. Falar mal de Dilma é mais importante.

Já o jornal Valor faz uma matéria dizendo que os empresários são a favor da terceirização. Grande novidade! Seria notícia relevante se os empresários fossem contra.

Apesar das manipulações dos jornais conservadores, vale a pena ler a entrevista do professor João Manuel. Ele continua sendo uma luz no meio de tanta treva. Pena que faltem juristas da estatura do professor e economista João Manuel.  

ENTREVISTA - JOÃO MANUEL CARDOSO DE MELLO
Terceirização vai achatar salários
Para João Manuel Cardoso de Mello, que lecionou na Unicamp, ajuste fiscal do governo causa recessão e desemprego

ELEONORA DE LUCENA – Folha 05/05/15

O ajuste fiscal promovido pelo governo provocará uma recessão brutal: o PIB pode despencar para -3%. O desemprego vai a 10% ou 12%. Se aprovada, a terceirização em debate no Congresso devastará o mercado de trabalho e achatará salários. Protestos virão, e a popularidade da presidente cairá a 7%.

A previsão é de João Manuel Cardoso de Mello, 73, em entrevista à Folha. Autor do clássico "O Capitalismo Tardio" (1975), ele foi professor da presidente Dilma Rousseff na Unicamp. Fundador do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas daquela universidade, ele criou a Facamp (Faculdades de Campinas), na qual hoje é diretor-geral.

Crítico da política econômica, ele diz que o governo cedeu a pressões do mercado financeiro e define como ilusão a ideia de que a recuperação virá no final deste ano.

Como vai o Brasil?
João Manuel Cardoso de Mello - Estamos numa estagnação há 30 anos, crescendo a taxas ridículas de 2% ao ano. A agricultura vai bem. O problema é a indústria. Temos 20 anos de câmbio valorizado. Não há quem resista. Câmbio valorizado, juros absurdos e um sistema tributário torto, que pune a produção.

Por que há estagnação?
Não temos estratégia nacional de desenvolvimento. Os problemas não foram enfrentados e se acumularam. Apareceu tudo agora. Vemos a cristalização de 30 anos de falta de estratégia, de projeto, de coordenação estatal.

Qual sua avaliação do ajuste fiscal de Joaquim Levy?
Isso entra na cabeça de alguém? Ele dá um choque de câmbio, um choque de custos, faz corte de gastos. Vai produzir uma recessão brutal. Está produzindo. Está tudo parado. Há preocupação com a perda do grau de investimento. E daí? É uma chantagem do mercado financeiro, que diz que precisa fazer um ajuste. Algum ajuste precisava fazer, mas não nessa violência. O governo cedeu à chantagem do mercado com a ameaça da perda do grau de investimento.

O que o governo deveria fazer?
Um ajuste mais moderado. Não precisa fazer uma barbaridade dessas. Isso vai jogar o negócio a -3% neste ano. A popularidade cairá ainda mais, vai chegar a 7% de aprovação.

Qual o impacto da terceirização em debate no Congresso?
Vai acabar com o mercado de trabalho. Estão achando que as pessoas vão fazer empresas. Vão é fazer cooperativas, que não pagam imposto. O estrago da terceirização é enorme em cima de uma crise desse tamanho. É uma devastação no mercado de trabalho. Vai desestruturar tudo e jogar os salários para baixo. É o que Levy quer: ajustar a relação salário/câmbio.

A população vai aceitar a mudança?
Acredito que não, portanto viveremos tempos interessantes, muito difíceis. As pessoas foram para a rua porque estão cheias. A economia já vinha mal, não foi de agora. Ela [Dilma] perdeu dois terços dos seus eleitores e vai perder mais um outro pedaço. É uma ilusão dizer que vai haver recuperação no fim do ano. Com essa recessão terrível, a arrecadação está despencando. Se se precisava de R$ 60 bilhões, agora são R$ 80 bilhões, amanhã R$ 100 bilhões. Aí se corta mais e se joga para baixo outra vez.
Aonde isso vai parar? Não haverá recuperação. As apostas [para o PIB] vão de -1,5% e -3%. No ano que vem não recupera. Alguém investe algum centavo? Os bancos estão cortando crédito, os juros, subindo, uma loucura.

Como fica o nível de emprego?
As demissões ainda não começaram porque existem os acordos coletivos. Em maio e junho vai começar a demissão em massa. O desemprego vai para 10%, 12% neste ano [está em 7,4%]. E vai rápido. A alta dos juros está paralisando a construção civil residencial. Não tem investimento em construção pesada, está se desmontando a cadeia de óleo e gás, a indústria continua encolhendo. Isso vai pegando os serviços. De onde vem a recuperação? Não sei de onde. Das concessões? Os filés aeroportos, estradas já foram feitos. Sobrou a carne de pescoço. Vão colocar dinheiro a 30 anos?

A operação Lava Jato está colocando em risco empreiteiras de capital nacional. Qual o impacto disso na economia?
Ninguém sabe. Tem corrupção. Tem que pôr os caras na cadeia, mas a empresa tem que ser mantida. Mas isso tem sido impossível. Os investimentos estão paralisados. E não é só na cadeia de óleo e gás. Todo o negócio de infraestrutura está sendo desarticulado.