segunda-feira, 6 de abril de 2015

Imprensa reacionária e Liberdade de Imprensa

Nem tudo está perdido?

Acordei as seis horas e fui pegar os jornais no jardim de casa. Olhando as chamadas da Folha e do Estadão, buscando sempre identificar quais são as baixarias do dia, duas me chamaram atenção:

A da Folha, como sempre mais ardilosa é uma longa entrevista do "petista" Marco Aurélio Garcia, professor de História e assessor especial de Lula, declarando que também acha que Vaccari deveria se afastar da tesouraria do PT. Este é o estilo principal da Folha, sempre procurar um "laranja" que diga aquilo que a Folha quer dizer, mas, que causa mais impacto por ser dito por alguém do outro lado. Isto é, um petista graduado declarando que o tesoureiro deve sair por ser acusado sem provas de que pegou dinheiro para financiar tudo e todos do PT, sendo que o dinheiro veio de empresas que também doaram dinheiro para todos os partidos, inclusive o da Folha - o PSDB. Mas, a Folha ser canalha não é novidade, nos tempos recentes. O difícil é ver alguém filiado ao PT topar fazer este tipo de papel.

A do Estadão, é mais direta, grosseira, como anda o "novo Estadão", controlado por FHC e Serra, além do Itaú, é claro. A chamada é de que a CUT vem perdendo participação sindical por apoiar o governo petista. Nunca vi tanta besteira juntas...

Mas, como apenas o primeiro caderno do Estadão está sob controle dos tucanos, o Caderno 2 continua sendo um bom caderno. Hoje há duas matérias que merecem ser lidas:

Uma longa matéria falando do lançamento do novo livro de Gilles Lapouge - Dicionário dos Apaixonados pelo Brasil - um velhinho de 92 anos que nós adoramos ler seus artigos. Correspondente do Estadão desde 1951, portanto, tem mais tempo de correspondente do que eu tenho de vida (1953). O triste é que a editoria do Caderno 2 comeu bola e não anuncia os endereços do lançamento. Quem sabe onde fica a Aliança Francesa em São Paulo e no Rio de Janeiro? Será que a Aliança Francesa é tão comum como agência do Bradesco? Eu queria conhecer o velhinho maravilhoso, mas, sem o endereço, vou comprar o livro depois...

Por fim, o Caderno 2 publica um artigo de uma correspondente brasileira que tem mais tempo de Nova York do que de Rio de Janeiro. Lúcia Guimarães, como sempre, apresenta seu artigo de forma lindíssima. No Brasil "Falta Elite". Isto mesmo, nossa burguesia fede... é tacanha, medíocre como nossa imprensa atual. Talvez, o quê mantenha Lúcia sã, seja o fato de morar em Nova York. Ou em Paris como faz nosso querido Gilles Lapouge.

Nem tudo está perdido. 

Por coisas que saem no Caderno Ilustrada e no Caderno 2, que ainda não deixei de assinar e ler este malditos jornais. Na época da ditadura, eu assinava todos os jornais alternativos que eram contra a ditadura e pela liberdade de imprensa. Agora, que assino jornais que apoiaram o golpe de 1964, se arrependeram daquele golpe, mas estão tentando viabilizar outro golpe. O golpe do pensamento único. O neoliberalista terceiromundista.  Do complexo de vira-lata.

Nenhum comentário:

Postar um comentário