quarta-feira, 29 de abril de 2015

Doença Individual e Doença Coletiva

O Brasil está doente

Por mais que a gente pratique esporte, coma bem e procure ser saudável, de repente a gente fica doente e o mundo desaba, desorganiza tudo e a gente se sente um nada. Mesmo pagando convênios caros, na hora que precisamos de socorro médico é uma tragédia. O ideal é pagar para nunca usar... por nunca ficar doente.

O mesmo raciocínio serve para as doenças coletivas. Não estou falando das epidemias, tipo Dengue. Estou falando das doenças políticas, econômicas e sociais. Os desarranjos, as desobediências e os transtornos coletivos. Por mais que a gente faça a coisa certa individualmente, o coletivo doente reage envolvendo todos nós. Para o bem e para o mal.

Nestes dias, estou convivendo com os dois tipos de doença: A individual e a coletiva.

A individual só serve para mostrar o quanto a saúde precisa ser melhor discutida com todos os segmentos da sociedade. Saúde não pode ser apenas negócios, onde tudo custa uma fortuna, sem garantia de recuperação. Imaginem remédios custando mais de 300 reais?

Já a doença coletiva, é o que o Brasil de hoje vem passando...

A economia parando, a política em leilão, a imprensa manipulando tudo e o judiciário sinalizando que o Supremo ainda não se deixou levar pela loucura do Lava Jato, nem da imprensa.  É preciso combater a corrupção, mas um crime não justifica outro. Precisamos manter o respeito às regras do jogo.

A imprensa pregando a desordem e a desobediência, torcendo para que o país pare, que a economia gere mais desemprego e que os empresários parem de investir. A Imprensa quer sangue, lágrimas e sofrimento. A imprensa quer derrubar o governo e comemorar em praça pública.

Alguém precisa pregar a Paz e ajudar a recuperar o clima de tranquilidade. Pena que não dispomos mais de Dom Paulo Evaristo Arns. Pena que não temos mais Mário Covas e Montoro em São Paulo. Teotônio Villela das Alagoas e Lula dos velhos tempos. Falta o velho Ulisses Guimarães.

Vivemos carentes de quadros políticos com credibilidade e espírito de justiça.
O Brasil está doente, individual e coletivamente. O Brasil está carente.

Enquanto escrevo esta mensagem fico sabendo que no Paraná, o governador do PSDB mandou a polícia militar encher de pancada os professores grevistas. Assim, fica mais fácil caminhar para a guerra aberta do que caminhar para a Paz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário