domingo, 5 de abril de 2015

Brasil: um pais sem legalidade e sem legitimidade

Quem grita mais, manda mais?

O executivo não executa; o legislativo não legisla; o judiciário não julga. 
A imprensa acusa a todos e esconde seus nomes quando eles aparecem no meio da corrupção. As Igrejas falam o nome de Deus mas negociam estações de TVs, Rádios e Dízimos...

Enquanto isto, o povo fica à deriva, exposto a violência dos criminosos. Neste quadro caótico, ainda se preservam as Forças Armadas. Mesmo um ou outro oficial aposentado falando alguma bobagem, as Forças Armadas estão observando e mantendo o decoro.

Até os empresários estão acovardados, silenciosos. Com medo de que? De caixa dois? A maioria é gente seria que quer trabalhar, gerar emprego e renda. 

Parece até a música de Chico Buarque: " minha gente, anda triste, acabrunhada, inventou a batucada, para deixar de padecer..."

O Brasil convive com 32 partidos políticos e há mais dois pedidos de registros, indo para 34 partidos registrados no TSE. Para que tantos partidos? Para receberem mais fundos partidários? 

Está na hora de o Brasil acabar com esta farra partidária, este festival de Fundos Partidários e horários eleitorais para quem não tem representatividade. O mesmo deve valer para o fim do imposto sindical. Tanto para sindicatos patronais, como de trabalhadores. Doações devem ser voluntárias ou aprovadas em assembléias democráticas. 

Não adianta a imprensa vender a imagem de que a promotoria pública substitue o legislativo e o executivo. Estão também jogando na confusão de qual é a função de cada um. O STF está também se omitindo. Aí que mora o perigo...

Vamos fazer como a campanha das Diretas Já? 

Vamos separar o joio do trigo e unificar as pessoas de boa vontade que topam reorganizar o Brasil? Ainda temos tempo de fazer isto pacificamente...

Nenhum comentário:

Postar um comentário