quinta-feira, 30 de abril de 2015

Educação no Brasil é caso de polícia?

Privatizada, terceirizada e sob violência policial

A Educação pública no Brasil está chegando a bancarrota e a barbárie.

Ainda na época da ditadura militar, os governos passaram a priorizar mais o surgimentos das escolas privadas em detrimento das escolas públicas, como forma de manter o orçamento baixo e não gastar dinheiro com professores e infra-estrutura escolar.

Com a redemocratização do Brasil, além de se manter a privatização do ensino, os governos estaduais, alegando falta de dinheiro, passaram a congelar salários dos professores e contratar professores de forma terceirizada, sem concurso público e sem efetivação, precarizando ainda mais a qualidade do ensino e a vida dos profissionais da educação.

Com as greves dos professores, passamos a conviver também com a violência policial contra os grevistas. Mostrando os descasos dos governadores com o ensino público. A ironia é que a maioria dos policiais têm seus filhos estudando em escolas públicas. Não foi por acaso que ontem em Curitiba dezenas de policiais se recusaram a agredir os professores e, por isto, estão sendo punidos.

O governo federal vem divulgando que a prioridade neste mandato é a "Pátria Educadora", e os governadores, principalmente se for de oposição ao governo federal, mandam a polícia bater nos professores enquanto enviam projetos para rebaixar direitos previdenciários e arrochar salários.

A verdade é que a Educação Universal para todos os brasileiros virou apenas pró-forma, temos estatísticas quantitativas mas não temos qualidade. Ou o povo pressiona os governos para se garantir educação para todos ou continuaremos um país de semianalfabetos. Com diplomas mas sem capacidade de interpretar um texto ou fazer cálculos matemáticos básicos.

Bater em professoras e professores é como se estivesse batendo em nossos parentes.
Quem não tem um parente professor ou professora?

Triste o país que não valoriza nem prestigia seus professores e professoras!

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Doença Individual e Doença Coletiva

O Brasil está doente

Por mais que a gente pratique esporte, coma bem e procure ser saudável, de repente a gente fica doente e o mundo desaba, desorganiza tudo e a gente se sente um nada. Mesmo pagando convênios caros, na hora que precisamos de socorro médico é uma tragédia. O ideal é pagar para nunca usar... por nunca ficar doente.

O mesmo raciocínio serve para as doenças coletivas. Não estou falando das epidemias, tipo Dengue. Estou falando das doenças políticas, econômicas e sociais. Os desarranjos, as desobediências e os transtornos coletivos. Por mais que a gente faça a coisa certa individualmente, o coletivo doente reage envolvendo todos nós. Para o bem e para o mal.

Nestes dias, estou convivendo com os dois tipos de doença: A individual e a coletiva.

A individual só serve para mostrar o quanto a saúde precisa ser melhor discutida com todos os segmentos da sociedade. Saúde não pode ser apenas negócios, onde tudo custa uma fortuna, sem garantia de recuperação. Imaginem remédios custando mais de 300 reais?

Já a doença coletiva, é o que o Brasil de hoje vem passando...

A economia parando, a política em leilão, a imprensa manipulando tudo e o judiciário sinalizando que o Supremo ainda não se deixou levar pela loucura do Lava Jato, nem da imprensa.  É preciso combater a corrupção, mas um crime não justifica outro. Precisamos manter o respeito às regras do jogo.

A imprensa pregando a desordem e a desobediência, torcendo para que o país pare, que a economia gere mais desemprego e que os empresários parem de investir. A Imprensa quer sangue, lágrimas e sofrimento. A imprensa quer derrubar o governo e comemorar em praça pública.

Alguém precisa pregar a Paz e ajudar a recuperar o clima de tranquilidade. Pena que não dispomos mais de Dom Paulo Evaristo Arns. Pena que não temos mais Mário Covas e Montoro em São Paulo. Teotônio Villela das Alagoas e Lula dos velhos tempos. Falta o velho Ulisses Guimarães.

Vivemos carentes de quadros políticos com credibilidade e espírito de justiça.
O Brasil está doente, individual e coletivamente. O Brasil está carente.

Enquanto escrevo esta mensagem fico sabendo que no Paraná, o governador do PSDB mandou a polícia militar encher de pancada os professores grevistas. Assim, fica mais fácil caminhar para a guerra aberta do que caminhar para a Paz.

terça-feira, 28 de abril de 2015

O golpe jurídico da direita

Juiz de direito de direita

Ministerio público está na direita. 
Imprensa  nacional que é um serviço de utilidade pública está na direita.
Congresso Nacional a serviço da direita.

O povo virou à direita?

Como a esquerda deixou isto acontecer?
A resposta não pode vir somente da economia. O  crescimento econômico com inclusão social e distribuição de renda ajuda mas não determina a qualidade da democracia praticada pela sociedade.

O presidente da república governar com uma ampla coligação partidária, majoritariamente conservadora, com um judiciário estruturado de forma conservadora, com um sistema de concessão de rádio e TV herdado da ditadura e não democratizado, com os governadores dos estados e também os perfeitos não comprometidos com os projetos do governo federal, só pode gerar monstrinhos ou degenerações políticas, econômicas e sociais. 

Estava escrito nas estrelas... Era e é preciso mudar a estrutura dos poderes no Brasil.
É preciso avançar na democracia participativa.

Lula conseguia governar com as características acima. Já Dilma, não tem se mostrado com a habilidade necessária. Ainda mais com a economia estagnada, um congresso carente de cargos e dinheiro, um judiciário que se descobriu com poderes que subordina as forças produtivas à gana jurídica da burocracia bonapartista.

O PSDB, como porta voz da direita ampla geral e irrestrita, na medida que não consegue ganhar nas urnas, resolveu apelar para uma aliança entre os conservadores no parlamento, na imprensa e no judiciário. O judiciário forja uma condenação, a imprensa divulga como fato consumado,destruindo a imagem pública do acusado, e os parlamentares entram com recursos jurídico-parlamentar para manter a destruição do governo Dilma e do PT.

E como reage o Governo Federal, o PT e os movimentos sociais?
Reagem acusando os agressores de golpistas e de direita. Mas isto não é suficiente. Soa moral e inconsistente. O povo não tem ideologia, tem necessidades... Ou o PT reaglutina seus aliados juntamente com o governo Dilma, ou tende a ser destruído publicamente como as fogueiras da Inquisição na Espanha queimavam opositores à direita. 

É preciso tirar o governo Dilma da letargia... Mesmo que seja preciso confronta-lo publicamente. O tempo urge. As eleições municipais do ano que vem (1916) poderão ser mais um instrumento de propaganda destrutiva da direita contra os projetos populares. 

Tudo indica que o PSDB está fazendo uma recomposição com o PMDB visando 2016 e 2018. O PMDB exige ser a cabeça na aliança e o PSDB pode aceitar. Lembrem que Itamar Franco era do PMDB e serviu de apoio para FHC, o ingrato, virar presidente. Serra está na fila de espera. Alckmin finge de morto, mas terá que superar Serra. E FHC, como sempre, está à disposição da direita ampla, geral e irrestrita.

O jogo será jogado entre PSDB, PMDB e PT. 
Mesmo o Brasil tendo 33 partidos, 
os demais 30 partidos serão coadjuvantes deste jogo de vida e de morte...

O judiciário está com a direita. 
O direito perdeu o sentido do termo, virou direita.
E o povo? 
Aprenderá sentindo os reflexos das brigas da direita contra a esquerda.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Renovação ou Restauração?

Para onde vai o Brasil?

É interessante quando lemos a História da Espanha e vamos percebendo o quanto temos em comum.  A religiosidade, as línguas, o conservadorismo e o gosto pelo futebol...

A Espanha é um grande pais, já foi o maior império do mundo, mas perdeu competitividade ao perder suas Esquadras ou ao priorizar defender a Igreja Católica em detrimento de defender a modernidade.

O Brasil é um imenso pais, tem tudo para ser rico mas teima em andar para trás. Parece que padece da Síndrome de Sisifo, que quando chega ao topo da montanha carregando sua pedra, esta rola  montanha abaixo para começar tudo de novo. 

O Brasil vinha se acertando depois da redemocratização. Mas, bastou a economia dar uma travada e os cavaleiros do Apocalipse surgem por todo lado pregando o retrocesso e a restauração do atraso.

A Espanha também anda caminhando para trás politicamente, mas já está num patamar econômico e social que a crise política não leva o pais a novas aventuras conservadoras. Talvez seja a proteção da União Européia.

Já o Brasil, anda com um discurso velho, tanto à direita quanto à esquerda. A direita quer retomar o neoliberalismo com desemprego e arrocho salarial de Fernando Henrique. Já a esquerda, está num dilema entre um governo confuso, um partido bipolar que não sabe se prioriza o governo ou os movimentos sociais, e os movimentos sociais exigindo defesa dos compromissos populares em vez de ajuste fiscal conservador.

Pronto! Estamos vivendo num impasse, por enquanto, a direita está ganhando a disputa. Tanto a direita na imprensa, como no Congresso Nacional, e agora contando com a ajuda da direita no judiciário. As regras democráticas estão em segundo plano. São pro-formas.

A esperança é a volta do crescimento econômico. Mas na mão de um ministro neoliberal e conservador, acreditar em crescimento econômico é como acreditar em Papai Noel. Afinal, brasileiro adora ter muita fé. Com fé, muito trabalho e economia de mercado, talvez o Brasil continue seu crescimento com inclusão social, do contrário, teremos mais retrocesso, mais desemprego e mais arrocho salarial. Tudo isto em nome da herança maldita do governo Dilma e do PT.

E nossos jogadores continuarão a ir jogar bola na Espanha...

domingo, 26 de abril de 2015

Decadência do Estadão

Mediocridade ou canalhice?

Quando peguei os jornais deste domingo no jardim de casa, mesmo sob o plástico que os protegem da chuva, deu para ver as manchetes. A do Estadão era: "Aliado de Dilma diz que PT exagerou no roubo". Em seguida diz que a declaração foi dada pelo presidente do PDT e ex-ministro do Trabalho, Carlos Lupi.

Mesmo que o entrevistado tenha declarado tamanha asneira, o jornal de domingo, o dia mais nobre dos jornais, não precisava colocar como manchete. A decadência do Estadão é pública e notória, inclusive com demissões de muitos jornalistas, mas, o direção da empresa jornalística precisa ter um mínimo de profissionalismo... Ganhou do fascismo da Veja.

Meu primeiro impulso foi cancelar a assinatura e deixar de ler o jornal. Nunca assinei e nunca li a Veja. O Estadão sempre respeitei, mesmo tendo minhas diferenças. Mas a direção atual do jornal está matando qualquer limite de tolerância. Depois de ler o jornal Folha de São Paulo, comecei a folhear o Estadão com medo de sujar meus dedos de sangue... Não consegui ler nada de quase todos os cadernos.  

No final apareceu o Caderno Aliás - "um outro olhar" como subtítulo. Realmente, parece que a direção do jornal ainda não colocou as patas sobre as páginas do Alias. Um outro jornal, um jornal que lembra os Mesquitas de antigamente. Conservadores, porém cultos e democratas... Até a manchete é emblemática: Trajetórias instáveis... Matérias sobre África com entrevista de Mia Couto; artigos de Sérgio Augusto, Lucia Guimaraes, belas fotos, mais artigos de Claudia Trevisan, Marcos Guterman e finalmente um ótimo artigo - como sempre - de Jamil Chade. Este caderno ganha do Estadão inteiro como também ganha da Folha inteira. Como deixar de ler o Caderno Aliás? Vou ter que começar a ler o jornal de trás para frente, como se faz com a escrita oriental.

Mas que o Estadão me dá uma tristeza imensa, isto eu não tenho dúvida. 
Será que é mediocridade dos novos donos ou será canalhice política?

sábado, 25 de abril de 2015

Voz Ativa contra o retrocesso

A Direita quer dar a "volta por cima".

Que tragédia, eleger uma candidata de esquerda, com um Congresso Nacional de direita, com a economia em recessão e um Ministro da Fazenda neoliberal. Pior do que isto só a falta de água e a falta de luz. E a presidenta estar sem controle da situação.

Como reverter a ousadia da direita? Como botar limite no revanchismo esquizofrênico de Eduardo Cunha? Como sensibilizar Renan Calheiros, presidente do Senado, a segurar o louco do presidente da Câmara?

É preciso ter Voz Ativa, já dizia Chico Buarque nos velhos tempos da ditadura. É preciso "no nosso destino mandar"...

Como reverter o retrocesso? 
Com pequenas vitórias e com muita conversa e mobilização.
O projeto de crescimento econômico com inclusão social está num impasse. Na medida que não tem crescimento econômico fica fácil falar que não tem como fazer inclusão social. Os governos Lula e Dilma fizeram inclusão econômica mas não investiram na formação de militância orgânica  para defender o projeto. Acreditaram na adesão espontânea... Quando a adesão é apenas espontânea, da mesma forma que chega, sai...

Querem um exemplo? 

As Igrejas Evangélicas foram grandes beneficiárias com o projeto de Lula de crescimento econômico com inclusão social. Na medida que os pobres melhoram de vida e estes são a grande base das Igrejas Pentecostais, estas passaram a receber grandes contribuições financeiras em forma de Dízimos. Agora com a recessão, os dízimos diminuíram e os pastores e bispos passaram a buscar recursos na oposição. Isto é, no PSDB e no PMDB fisiológico. Querem uma prova disto? Verifiquem os resultados eleitorais e as últimas votações. Em quem e em que os deputados evangélicos votaram?

O PT e as esquerdas já não contam nem com a Igreja Católica da Teologia da Libertação nem com os Pentecostais das Igrejas Evangélicas. E começa a não contar com os pobres que estão perdendo os empregos e a perspectiva de vida melhor.

Levanta, sacode a poeira e dar a volta por cima!
Isto vale para a Direita e também vale para a Esquerda.

A gente quer ter "voz ativa, no nosso destino mandar,
mas eis que chega Roda Viva e carrega o destino prá lá...

Estaremos precisando de uma Nova Tropicália?

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Pep Guardiola e o futebol brasileiro

Um ótimo professor para nossos técnicos

O contrato do técnico do Bayern, Pep Guardiola, só termina em junho de 2016, mas o presidente do clube quer renová-lo o quanto antes.

Todos querem Guardiola como técnico de futebol.

No último jogo, contra o Porto, o Bayern ganhou de 6 a 1, sendo 5 gols no primeiro tempo. Olhem como pode ajudar o Corinthians que joga sem pontas! A decisão de Guardiola de escalar Lahm como PONTA-DIREITA para fazer o papel de ROBBEN surpreendeu o Porto e foi muito bem sucedida. Detalhe: Lahm, que jogou como ponta-direita, joga normalmente na posição de VOLANTE.

Na goleada sobre o Porto o técnico completou 100 jogos no clube alemão, com 77 vitórias, 12 empates e 11 derrotas. E já conquistou quatro títulos: Campeonato Alemão, Copa da Alemanha, supercopada Europa e Mundial.

Estas informações estão na boa matéria publicada no Estadão de hoje. Página A26 - Esportes.

Não adianta reclamar e botar culpa nos jogadores!
O time tem a ver com o técnico, assim como o aluno tem a ver com o professor, o empregado tem a ver com o patrão e os políticos tem a ver com quem os elegeu.

Nosso futebol anda decadente, nossos clubes são máquinas de fazer dinheiro fácil e sonegar impostos, nossas torcidas precisam ficar sócias e gestoras dos clubes e profissionalizar a administração dos clubes e dos jogadores.

Enquanto não se moderniza nosso futebol e nossos esportes, vamos ter que continuar torcendo para o Barcelona e esperando o dia em que Guardiola virá fazer palestras e cursos para os candidatos a técnicos de futebol no Brasil.

Como tudo no Brasil tarda, mas não falta...
Vamos torcendo para o Barcelona e para Neymar.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Notícias do Dia: Brasil em pedaços...

Vejam algumas notícias relevantes:

1 - PL 4330 é aprovado pela segunda vez, sendo que agora toda a imprensa diz que o projeto libera a terceirização para qualquer parte das empresas. Tentaram esconder a verdade, mas depois de conseguir a aprovação assumiram suas verdadeiras intenções. Querem reduzir custos, desempregar e terceirizar tudo. Vamos ver se o Senado vai cometer o mesmo crime trabalhista da Câmara. Tem muita gente acredita que a presidente Dilma vetará, se for o caso. Mas tem muita gente pagando para ver. Do jeito que anda o governo e o PMDB, está mais para novas derrotas, do que para novas vitórias.

2 - Saiu o balanço da Petrobras - Petrobras reduz ativos em R$51bilhões. Prejuizo em 2014 foi de R$21,6 bilhões. O prejuizo com a corrupção foi de R$ 6 bilhões. Tudo isto como fruto do uso político da empresa, além da teimosia por manter como dirigentes pessoas que tinha competência técnica numa área específica, mas não tinha para dirigir a empresa. Saiu caro para todo mundo. Todos perdemos com esta história. É o famoso perde-perde.

3 - BRF muda o Conselho de Administração - Matéria altamente relevante, publicada no jornal Valor de hoje, de autoria de Ana Paula Ragazzi. Além de reduzir de 11 para 9 conselheiros, o Conselho de Administração continua presidido por ABILIO DINIZ - ex-Pão de Açúcar, sai o vice-presidente, Sergio Rosa, representante da Previ - Fundo do Banco do Brasil - que tem reduzida sua participação de dois para um conselheiro, sai também o representante da Petros - Fundo da Petrobras - e entram novos conselheiros, destacando-se a entrada de HENRI PHILIPPE REICHSTUL, que foi presidente da Petrobras na época de Fernando Henrique Cardoso. Também passou a ser conselheiro o consultor Vicente Falconi. A última novidade no conselho é Paulo Guilherme Farah Correa, titular da Secretaria de Acompanhamento Econômico do governo brasileiro. ESTA NOTÍCIA MERECE MUITA ATENÇÃO!

4 - Empresa de Luiz Carlos Mendonça de Barros - a QUEST - é vendida a italianos - Azimut compra 60% da Quest por R$70 milhões. A gestora de recursos italianos Azimut terá também a opção de comprar os 40% da Quest dos minoritários nos próximos oito anos. É a consolidação da tradição dos empresários brasileiros constituirem empresas para serem vendidas aos estrangeiros. E olhem que eu gosto muito de Luiz Carlos Mendonça de Barros. Mas, nem ele fugiu a regra. Uma pena...

5 -  Corinthians facilita para o São Paulo continuar na Libertadores - Mesmo quebrando o tabu de vários jogos sem perder e o tabu mais antigo de o time do São Paulo não conseguir derrotar o Corinthians, o jogo de ontem serviu como quinto jogo que o Corinthians não vence e facilitou a vida do São Paulo e também do próprio Corinthians. A dúvida que fica é se foi ético o que o Corinthians fez. Os saopaulinos até comemoram tão importante vitória, mas os corinthianos ficaram com cara de quem foram passados para trás pelo técnico Tite e seus jogadores.  Esta brincadeira do Corinthians pode sair muito cara...

PS.: - Para não ficar somente com notícias ruins, a boa notícia é que o juiz do Lava Jato reconheceu a fragilidade da manutenção da prisão da cunhada do ex-tesoureiro do PT acusada por depósito bancário quando na verdade era a esposa de João Vaccari que estava na agência bancária. Aos poucos a Justiça vai recuperando sua credibilidade e segurando os impulsos políticos partidários.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Lava Jato fere a Dignidade Nacional

Como uma boa causa se transforma em guerra política sem escrúpulos

Combater a corrupção é uma boa causa.
Transformar o combate à corrupção em guerra política,
jogo sugo e vale tudo é desmoralizar uma boa causa.

É como se fosse uma guerra religiosa.
Em nome de Deus se mata, se calunia, se viola o sigilo bancário,
se violenta a regra processual e se desmoraliza o Poder Judiciário.

Jamais em qualquer democracia, 
uma única pessoa pode juntar tanto poder. 
Isto só acontece quando as demais pessoas ou se mancomunam ou quando se acovardam. Ou ainda, quando acontece as duas coisas. O que faz tantos empresários aceitarem calados a violência processual que está acontecendo?

O que faz com que tantos juízes federais aceitem calados tanta violência jurídica? 
E a cumplicidade dos mais de trinta partidos políticos? Será que eles não serão os próximos? Tudo isto para que? Acabar com a corrupção? Aceitando-se a partidarização processual? A antecipação de informações aos órgãos preferenciais de imprensa?

Alguns denunciam que teremos centenas de milhares de demissões. Será que os empresários estão sensibilizados com isto? O principal problema é que, independente das demissões, estamos vivendo sem "regras do jogo", sem "fair play". Estamos vivendo o vale tudo. Vale tudo para que? Para destruir o PT e o governo Dilma? E quem ganha com isto?

Isto lembra 1929 para 1932 na Europa.
Isto também lembra 1963 para 1964 no Brasil.

Os fins justificam os meios.
E os fins são proteger os interesses dos conservadores e inescrupulosos.
Os meios são passar por cima da Constituição e das regras jurídicas.
Não falo das regras de comunicação, porque no Brasil estas regras democráticas nunca existiram. Aqui liberdade de imprensa sempre valeu apenas para os conservadores.

Enquanto o Brasil é destruído, como Roma de Nero,
o PMDB aceita o papel de cúmplice desta destruição
e o PSDB faz o papel da velha UDN... Que vergonha!

Onde iremos parar? 
Estamos mais para 1932 de Hitler na Alemanha Nazista, e 1964 da ditadura militar, civil e jurídica, do que para o Brasil da Constituição Cidadã. Se estivesse vivo, Ulisses Guimarães estaria com o povo nas praças públicas defendendo a Liberdade e o Estado de Direito. Mas, os mortos não falam... E os bárbaros destroem as heranças e as conquistas dos Estadistas. Triste Brasil...

Quem era capaz de prever tanta vacilação coletiva?

PL 4330 e as mentiras na imprensa

É bom para quem?

Quando o jornal não quer mentir diretamente, ele arranja alguém que faça a declaração mentirosa e sai a publicação como sendo afirmação de determinada pessoa, um empresário, um político ou um professor, assim passa a ideia de informação verdadeira.

No caso do PL 4330, tanto os jornais, como os entrevistados, estão mentindo abertamente. Todos sabemos que os donos dos jornais, Rádios e TVs apoiam abertamente o direito de terceirizar tudo, transformar jornalistas em PJ - Pessoas Jurídicas, sem direitos trabalhistas e sem benefícios.

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, também tem insistido na mentira de que não há perdas com o PL 4330. Mas aí é normal, ele representa a classe patronal. Difícil de entender é quando se vê dirigentes sindicais que deveriam representar os trabalhadores, fazerem o mesmo discurso do patrão.

Hoje é mais um dia de decisão no Congresso Nacional. Quem sabe depois de ouvir suas bases em seus estados, os deputados federais resolvam reconhecer que há perdas de benefícios neste projeto. 

Este PL 4330 é o maior crime trabalhista desde a criação da CLT - Consolidação das Leis do Trabalho, por Getúlio Vargas. Nem a Ditadura Militar teve coragem de fazer o que Eduardo Cunho e seus aliados estão tentando fazer. É crime!

terça-feira, 21 de abril de 2015

Tite precisa ver os jogos do Barcelona

Neymar 2, PSG 0

Quem vê a distribuição dos jogadores do Barcelona em campo, não consegue entender como é que o Corinthians joga " futebol de várzea". Tite diz que fez "ano sabático" estudando o futebol europeu. Bastava comprar os vídeos dos jogos do Barcelona e treinar os jogadores do Corinthians até aprenderem a tática do Barcelona. 

O problema é que brasileiro não gosta de planejar e depois obedecer o planejado. Brasileiro gosta é de improvisar... Quando não dá certo, a culpa é do destino.

Não vou falar aqui do primeiro tempo do jogo do Porto contra o Bayern de Munique. 5 a 0 é brincadeira. Todos de bola alta. Pode?

Voltando ao Corinthians e ao futebol brasileiro. Além de mandar os jogadores para a Europa, temos que mandar os técnicos para sala de aula de futebol. Nosso nível técnico está muito baixo.

Temos tempo para os nossos técnicos de futebol aprenderem. O mesmo vale para os economistas e políticos. O país vai mal? Falta planejamento e execução do planejado. Ou a gente bota o pais em ordem, ou cada vez mais vão aparecendo juízes e promotores querendo mandar no Brasil. 

A solução passa por cada um fazer o que sabe, e um ajudar o outro. A solução é coletiva e individual. É como uma Orquestra, cada músico faz a sua parte e a música flui maravilhosa...

Eu cito o Corinthians no exemplo porque sou corinthiano e fico mordido quando vejo o time jogando mal e botando a culpa no cansaço. Mas o exemplo serve para todos.

Vou parar de escrever porque os times estão voltando para o segundo tempo...

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Decadência Física de São Paulo

Feios, sujos e malvados?

Trabalhando no Centro de São Paulo há 45 anos, hoje, quando vim mais uma vez para o Centro, fui olhando os prédios abandonados e ocupados por família pobres, com suas bandeiras e estandartes e fiquei pensando com meus botões:

Será que esta feiura da cidade está contaminando a política e o emocional dos moradores de São Paulo? Não é apenas o Centrão que anda horrível e decadente, a própria Avenida Paulista, retrato de São Paulo na época do Barões do Café e depois dos Bancos - os novos ricos - anda decadente e feia.

Já vi tanta coisa nesta cidade...

Vi acabarem com o Parque Dom Pedro, quando Maluf era prefeito nos anos 70; vi derrubarem as mansões da Paulista para construirem prédios; vi a Avenida Ipiranga perder seus cinemas e seus hotéis; vi a Avenida São Luiz perder suas agências de viagens - chiquérrimas - e virar dormitório de moradores de rua e traficantes; vi a Praça da República deixar de ser um espaço de cultura e de artistas para ser lugar de mendigos e prostituas; vi a Praça da Sé deixar de ser o referencial religioso e político com a Catedral da Sé e passar a ser um monte de lixos e de mendigos. Até o Largo Paissandu que tinha sua galeria histórica e a Igreja dos Escravos, também ficou feio e perigoso.

Vi acabar tantos bancos: Comind, Banespa, Real, Bamerindus, Mercantil de São Paulo, BCN, Auxiliar,  Geral do Comércio, Sudameris, Banco Francês e Brasileiro, Nossa Caixa - Nosso Banco e tantos outros...

Por que tanta decadência? 
Onde está o brio dos paulistas e migrantes empreendedores?
Onde anda a Associação Viva o Centro? E os governantes? Todos eles...

Com o tempo, veio também o feio, o sujo e o malvado para o Centro de São Paulo.  
Com o tempo, São Paulo foi deixando de ser a vanguarda política e econômica. Junto com estas mudanças, o ódio e o medo foram crescendo, a violência tomou conta de tudo. Agora também falta água e luz. As escolas públicas estão abandonadas e as Polícias já não dão segurança. Será que não há solução?  

Nas pessoas, a decadência física reflete doença,
desemprego ou desagregação familiar.
Na nossa cidade de São Paulo,
o quê esta decadência representa?

domingo, 19 de abril de 2015

Corinthians e a derrota anunciada

Quatro empates seguidos não é boa coisa

Quem viu o Corinthians jogar hoje contra o Palmeiras, antes contra o São Lourenço, anteriormente contra a. Ponte Preta e também contra o Piracicaba, foi percebendo que a cada jogo o time piorava. 

Jogo com raça e pouca técnica. Time sem pontas, meio de campo confuso e hoje a defesa levou uma canseira do ponta esquerda do Palmeiras. Mesmo assim virou o jogo e, em vez de manter o Palmeiras na defesa, recuou no segundo tempo e ficou no jogo defensivo. Mereceu o gol de empate. Coisa feia...

Poderia ter ganho nos pênaltis? 
Poderia, mas a vitória do Palmeiras serve de alerta para o time e para o técnico. Hoje, lendo a entrevista de Tite, achei que ele estava se sentido muito acima do que realmente é. Se o time do Corinthians representa o que tem de melhor no Brasil atual, significa que estamos muito ruim de bola.

É claro que os jogadores andam cansados... 
Mas o cansaço é insuficiente para explicar a ansiedade do time e o futebol confuso. 

Por falar em técnico, apesar de gostar de morrer na praia, Oswaldo, técnico do Palmeiras, é um técnico promissor. Está fazendo bem ao Palmeiras. 

Mas, se querem ver bom futebol mesmo, continuem assistindo ao Barcelona. Lá tem pontas, tem meias e defesa organizada. Antigamente nosso futebol também tinha estas coisas. Porque parou de ter eu não sei. Talvez Joel Bueno, carioca flamenguista saiba...

Agora vamos torcer para não dar vexame nas Libertadores...
Tite que abra os olhos e seja mais humilde e organizado.
Coisas de Corinthiano. Somos todos loucos...

sábado, 18 de abril de 2015

Clima em relação ao Brasil está melhorando

Economista-chefe do Banco Itaú vê sinais de melhoras

Para quem não sabe, o economista-chefe do Itaú, Ilan Goldfayn, além de ser muito respeitado no mercado financeiro, foi também diretor do Banco Central na época de Armínio Fraga, além de ser muito valorizado no próprio Banco Itaú. Portanto, não faria um elogio ao Brasil gratuitamente, mesmo que este elogio venha como forma de fortalecer Joaquim Levy, o ministro da Fazenda, e seu ajuste fiscal.

Se o mercado financeiro internacional voltar a investir no Brasil e a acreditar na retomada do nosso crescimento econômico, é claro que a histeria política da imprensa e da oposição, também vai ter que diminuir. Afinal, político pode ser tudo, menos suicida eleitoral e a imprensa já está demitindo dezenas de jornalistas. De tanto falar mal do governo Dilma, a crise de vendas de jornais e de pouca publicidade pode acabar quebrando os jornais. Estes também não são suicidas.

Não é por acaso que o jornal econômico Valor vem sendo o melhor jornal do Brasil.
Por que, ao contrário dos panfletários, o Valor é escrito para empresários e analistas. Portanto, o jornal não pode ser mentiroso ou manipulador. Precisa ser sério, como todo bom jornal.

Agora leiam a boa notícia que o Valor nos deu no último dia 17:

Economista do Itaú diz que clima em relação ao Brasil "está mudando"

Valor - Por Sergio Lamucci – 17/04/2015              

WASHINGT ON - “Acho que o clima em relação ao Brasil está mudando”, disse nesta sexta-feira o economista-chefe do Itaú Unibanco, Ilan Goldfajn, após a participação do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, em seminário promovido pelo banco em Washington.

Ao relatar a reação dos investidores que estiveram no evento, Goldfajn disse que em vários momentos as pessoas elogiaram e se disseram satisfeitos com a condução da economia pelo ministro. Levy ficou cerca de uma hora no evento, sem falar com a imprensa.

“A gente não sabe se essa mudança é permanente ou temporária”, ponderou Goldfajn, mas afirmou que vários investidores que participaram do painel disseram ao ministro que ele tem ajudado na retomada da confiança. “Isso aconteceu várias vezes.” Goldfajn não quis comentar, porém, o conteúdo das discussões.

Um participante disse que infraestrutura foi um tema importante. O evento promovido pelo Itaú Unibanco trata da economia da América Latina. Na sessão que contou com a participação de Levy estavam presentes cerca de 80 a 90 investidores, principalmente do mercado financeiro.

 Levy está numa ofensiva para reconquistar a confiança dos investidores. Mais cedo, participou de um evento sobre infraestrutura na Universidade George Washington, onde ressaltou o programa de concessões.


Nesta semana, ocorre em Washington a reunião de primavera do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial. Também há um encontro dos ministros de Finanças e presidentes dos bancos centrais de países do G20.

Sem jornais, flores

Cuidando da família 

Como até agora, as 15:00h, não tive tempo de ler os jornais, achei mais importante mostrar um pouco das flores do que esperar até ler as notícias. 

Vejam este belo botão do jardim da entrada de casa:



E estas amarelinhas com folhas verdes?
Lembram sempre as cores do Brasil...



Mas este jasmim do Parque Villa Lobos é realmente divino!


E amanhã eu volto a falar de política e do Corinthians...

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Podem prender os vizinhos?

A cumplicidade e a omissão também são criminosas

Olhando os jornais de hoje, constatei dois tipos de comentários nos jornais:

1 - Matérias que comemoram o fato de o tesoureiro do PT estar preso, mesmo sem julgamento e condenação formal.

2 - Matérias que apontam a crise política e econômica como uma etapa importante para desgastar o PT e levá-lo para uma estrondosa derrota eleitoral, tanto em 2016 como em 2018.

Constatamos que o pessoal que comemora a prisão do tesoureiro é o mesmo pessoal do "prenda e arrebenta", que apoia qualquer medida que leve à derrota do PT, mesmo que seja preciso coloca-lo na ilegalidade. Estes não gostam de ser chamados de nova direita, Tea Party, fascistas, nazistas ou neoliberais a serviço dos Estados Unidos. Mas se colocam a serviço disto e devem comemorar mais ferozmente às portas fechadas. Ainda não têm coragem de se expressarem publicamente como os que já defendem a volta dos militares.

Já o pessoal que prefere o desgaste eleitoral, além de demonstrar constrangimento com as prisões abusivas desta Justiça do Vale Tudo, constrange-se também com as manifestações grosseiras nos cartazes nas ruas e mesmo nas redes sociais. Além de ser contra as baixarias dos parlamentares oposicionistas. Estes são os "bons burgueses", ou bons capitalistas. Os bons democratas.

O mundo moderno pressupõe pluralidade partidária, pluralidade religiosa, neutralidade do Estado, Imprensa livre e respeitosa com a diversidade de opiniões, além da economia de mercado, é claro.

O capitalismo não precisa mais de golpes de Estado, seja militar, jurídico ou legislativo. Isto é coisa de país pobre de política e de espírito.

Porque o ódio contra Lula?

Lula nunca foi comunista, nunca compactou com o autoritarismo, Lula poderia ter submetido ao Congresso Nacional o pedido de direito a candidatar-se ao terceiro mandato consecutivo, como FHC fez ao apresentar a Emenda Constitucional autorizando a reeleição já no seu mandato. Lula poderia ter feito muito mais, mas não fez. Reforçou as regras da Democracia Burguesa e Conservadora como é a nossa democracia. Uma democracia meia boca...

Estamos todos acovardados?

Antigamente tínhamos grandes juristas que se posicionavam publicamente. Tínhamos importantes empresários que defendiam a redemocratização do Brasil e tínhamos importantes religiosos que defendiam a liberdade. Os estudantes, os sindicalistas e os movimentos populares foram surgindo e tendo papel importante na redemocratização do Brasil e da América Latina.

Atualmente estes atores importantes estão acovardados, silenciosos, com medo de tudo e de todos. Tudo isto facilita a prisão de vizinhos, colegas e parentes, em nome da necessidade de se apurar denúncias de delatores que topam tudo para sair da cadeia.

Nossa sociedade está ficando violenta e com medo. Para o pessoal mais à direita, a Democracia deixou de ser um princípio e uma clausula petrea da nossa Constituição, para ser uma questão tática, sem importância. Já que, importante mesmo e derrubar o PT dos governos, mesmo que tenha que tenha que colocar o PT na ilegalidade.

A repressão pode começar no PT, mas não acabará aí. Foi assim com o Nazismo na Alemanha, com o Estanilismo na Rússia, e também no Brasil de 1964.

Nossas lideranças brasileiras precisam explicitar suas escolhas:  

Democracia é Tática ou é Estratégia?

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Democracia do Medo

Democracia da Liberdade

Por que a Democracia precisa de Adjetivo?
Democracia do Medo, da Liberdade, Operária, Burguesa, Parlamentar, Social...
Afinal, quantos tipos de Democracias existem e qual é a melhor?

Isto não se aprende e não se ensina nas escolas brasileiras. Nem sequer nas Universidades. O brasileiro não tem prática de liberdade e de democracia. Ainda estamos aprendendo na prática, mesmo sem teoria e sem estudo adequado.

A Imprensa bem que podia ajudar muito. 
Mas nossa imprensa é bem medíocre e partidarizada, além de manipuladora.

A nossa Justiça bem que podia ajudar muito.
Mas nossa Justiça também resolveu ficar partidarizada, manipuladora e aterrorizar os empresários, alguns políticos e outras pessoas. Nossa Justiça vem se colocando acima dos Poderes Republicanos e acima das instâncias superiores da própria justiça. Nossa Justiça está com saudade da Ditadura Militar, quando algumas pessoas escreviam Decretos, Constituições e mandatos de prisão e censura.

O nosso Legislativo bem que podia ajudar muito.
Mas nosso Legislativo resolveu se aliar ao que tem de ruim na sociedade brasileira e decidiu aprovar um Decreto Lei 4330 que é um verdadeiro crime trabalhista, acabando com a CLT - Consolidação das Leis do Trabalho e acabando com o trabalho decente. Tudo isto por dinheiro...E o povo que se dane.

Nossos Executivos bem que podiam ajudar muito.
Mas nossos governantes, prefeitos, governadores e presidenta, andam administrando mal, deixam faltar água, luz, saúde e educação. Nos deixam com estradas ruins ou com pedágios que são verdadeiros assaltos e ainda ficam uns acusando os outros.

Nossas Igrejas bem que podiam ajudar muito.
Mas nossas Igrejas andam mais preocupadas com Dízimos, canais de Rádio e TVs do que com a palavra de Deus.

Nossa Democracia está fazendo com que o povo perca a fé na Democracia 
e aceite qualquer aventureiro que acabe com a liberdade em nome da ordem e da justiça. Sendo que normalmente os aventureiros não aceitam nem a ordem nem a justiça e precisam ser derrubados ou destituídos.

Hoje, apesar de ontem ter sido um dia muito importante na luta contra o PL 4330,  acabou sendo um dia triste, porque aproveitaram que estaríamos nas ruas defendendo a CLT e os Direitos da Classe Trabalhadora; e a nossa "justiça ilimitada" resolveu mandar prender o tesoureiro do PT para averiguações. Vejam bem, não foi investigar para quando houvesse provas e julgamento condenatório, o prendesse. Foi preso para averiguações ou "confissão coercitiva", como era na época da Ditadura Militar. Lembram?

E ainda falam em Democracia. Será que vivemos num período democrático? Afinal, nossa imprensa também diz que no Egito atual tem democracia. Mesmo sendo um governo autoritário que condena à morte os opositores. Será que nossa imprensa também defende a democracia do Egito para o Brasil?
A Democracia do Medo, em vez da Democracia da Liberdade?

quarta-feira, 15 de abril de 2015

PL 4330 provoca manifestações em todo pais

Contra a direita, Mais direitos 

Em todo o Brasil hoje temos manifestações contra o PL 4330 que autoriza Terceirizacao de tudo nas empresas e acaba com o trabalho decente. 

O Congresso Nacional já começou a sentir o descontentamento dos trabalhadores com a votação no dia 7, que liberou geral a terceirizacao. Tem muito advogado defendendo a proposta aprovada por Eduardo Cunha e seus aliados, mas, na verdade quem defende esta lei são os contratados pelos patrões. 

O próprio Lula recomendou a Dilma não deixar aprovar esta lei. Porém, devemos derrota-la antes de ir para sanção presidencial. 

O povo na rua derrota os mercenários do Congresso Nacional aliados de Eduardo Cunha.

Enquanto o povo luta por seus direitos, a direita contra-ataca. 
O juiz do Paraná responsável pelo Lava Jato, contrariado com a indicação da presidente Dilma para o STF, que é outro juiz do Paraná, resolveu aumentar a pressão contra o PT e mandou a PF prender o tesoureiro do partido, Joao Vaccari.  Ao mesmo tempo, Aecio fica nervosinho e defende o impeachment...

Vamos continuar a defesa de nossas conquistas e nossos direitos. 
Vamos continuar defendendo uma nova Constituição.

A luta continua!
Sem medo de ser feliz!

terça-feira, 14 de abril de 2015

A Folha só pensa em derrotar Lula

Freud explica?

Movido por "ódio de classe" ou por "inveja", a Folha funciona como principal articulador de movimentos contra Lula.

Se formos analisar politicamente, diremos que a Folha funciona levada por ódio de classe. Não estou muito convencido disto... A Folha já apoiou o golpe de 1964, teve papel fundamental na Campanha das Diretas Já!, foi importante na eleição de Collor e na eleição de FHC. Não combateu Lula de forma odienta nas eleições de 2002. Talvez tenha duvidado que Lula ganhasse de Serra...

Analisando pelo lado da "inveja", talvez encontremos mais sentido. 

Do lado dos conservadores brasileiros, ninguém em sã consciência imaginava que Lula, como presidente da república, se transformaria no melhor presidente da história do Brasil. Melhor do que Getúlio Vargas e Juscelino. Para a Folha, gestão moderna para o Brasil foi a de FHC. Neoliberal, subserviente aos Estados Unidos, privatista, arrochador de salários e não gostava de aposentados. Gostava mesmo era de viajar pelo mundo e ganhar títulos de "Honoris Causa".

Mas apareceu um tal de Lula, operário, nordestino que veio para São Paulo de pau de arara, não tinha diploma de faculdade e não conhecia nada da língua inglesa. Era um semiglota, em vez de poliglota e se transforma no melhor presidente do Brasil. E não adianta responsabilizar a fartura das importações chinesas e as exportações brasileiras como garantia de que qualquer um que fosse presidente também sairia bem. Quantos presidentes na história do Brasil aproveitaram as "Vacas Gordas" para entregar mais ainda o Brasil aos estrangeiros? Quantos ficaram ainda mais ricos com suas famílias e seus amigos?

Mas os ricos não aceitam isto. Não aceitam que um operário, migrante nordestino, se dizendo de esquerda faça o melhor mandato da história do Brasil. A pessoa que tem posse ou dom, ter inveja de outra mais simples porém mais competente é pior do que o pobre ter inveja do rico. Tanto FHC como a Folha ficam horrorizados quando veem Lula ser tão querido e ter tanto sucesso no Brasil e no mundo.

Daí se explicar a matéria de capa da Folha de hoje.
Segundo o Datafolha, da Folha, a crise de Dilma está afetando a imagem de Lula. Grande novidade! A crise do governo Dilma está afetando a todos nós. Mas Lula se diz candidato em 2018 e por isto precisa ser destruído, humilhado, desacreditado. Os conservadores não querem admitir a hipótese de Lula voltar a presidência. Eu acho que Lula e seus aliados precisam deixar de dizer que é candidato. Se for possível, será, mas não pode ser uma obrigatoriedade. O futuro a Deus pertence. E Deus tem gostado do Brasil...

Como é dado da realidade, tanto a luta de classe como a psicanálise, podemos pensar que as duas hipóteses de o porquê a Folha não gostar de Lula, devem ter parte de verdade. Talvez destas contradições o Brasil cresça e superemos nosso "complexo de vira-lata", nossas invejas e também nosso ódio de classe.

Lula e a Folha já fazem parte da nossa história. Queiramos ou não.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Eu também sou contra a Corrupção!

Corrupção foi principal motivação nos protestos

Taí uma unanimidade nacional!

Na Pesquisa da Folha, constatou-se que a ampla maioria que foi às ruas neste domingo foi por ser contra a corrupção. Bingo!

O problema é como acabar com a corrupção.
Mesmo durante a ditadura militar tinha corrupção. Maluf ficou podre de rico quando?
Desde o descobrimento do Brasil que a corrupção faz parte da nossa história.

Como acabar com a corrupção?
O primeiro passo é FAZER A LEI VALER PARA TODOS.
No Brasil, a lei só vale para os pobres e desprotegidos.
Os ricos têm seus advogados e suas carteiradas e ficam protegidos das leis.

Estudando a história dos descobrimentos das Américas, o autor do livro já indaga o porquê de tanta corrupção na época. Fosse na Espanha ou em Portugal. A corrupção fazia parte da "regra do jogo".

Como ficar rico o mais rápido possível. Não parece o Brasil atual?
Rentabilidade de 30 a 50% ao ano é demonstração de capacidade ou de loucura social crônica? Um país com a inflação de 7% e os juros chegarem a mais de 200% ao ano é pior do saque de piratas ou lucro de traficante.

O Congresso Nacional quer mostrar serviço?
Vamos fazer uma nova Constituição, bastante simples.
Pode ser igual a dos Estados Unidos.
Mas esta nova Constituição brasileira deve ser clara quanto à corrupção. Pegou sonegando, roubando, pegando dinheiro por fora, é cana da pesada, confisco dos bens próprios e da família direta e, nos casos de reincidência, condenação à morte. Topam?

Mas a lei deve valer para todos e não pode ter julgamento somente com um juiz. Tem que ser julgamento coletivo para evitar juízes como aquele de Eike Baptista.

Por falar em LEIS PARA TODOS, a própria Folha de São Paulo resolveu mostrar o perfil dos manifestantes em São Paulo. Mais uma vez, a Folha deu razão a Cláudio Lembro, ex-governador, ex-prefeito, ex-senador e assessor histórico do dono do Banco Itaú, Olavo Setúbal. "A elite branca está indo às ruas". Muito bom. Os ricos precisam ajudar o Brasil é a ser mais justo e solidário.

Vejam as estatísticas da Folha:

73% brancos,
77% com ensino superior (faculdade),
83% votou em Aécio
Idade média de 45 anos
65% não tem trabalho registrado/carteira assinada (????) O quê fazem? Como ganham dinheiro?

A Folha, que tanto investiu nas manifestações, ao publicar esta tabela acima e dizer que tinha apenas 100 mil pessoas, abre espaço para o diálogo e a conciliação.

Sou favorável a um grande Pacto Social pelo Brasil. 
Pelo Trabalho, pela Inclusão Social, pela Educação de Qualidade, Saúde para todos, mais crescimento econômico, mais trabalho decente, melhor infraestrutura e mais segurança para todos os Brasileiros e Brasileiras. Duvido que a Folha de São Paulo seja contra as propostas acima. Duvido que alguém que esteve nas manifestações de ontem seja contra esta proposta. Sou da Paz.

Vamos ser da Paz?

domingo, 12 de abril de 2015

12 de Abril: O Refluxo do Ódio

O perigo do ressentimento

Em vez de comemorar que as manifestações neste domingo foram bem menores, devemos refletir sobre o quê fez acontecer o refluxo e como contribuir para continuar acalmando o Brasil e todos passarem a trabalhar para o bem comum, em vez de ficar torcendo para dar errado.

Na medida que o Brasil for se acalmando, vai também diminuindo a influência dos extremistas, sejam eles da direita ou esquerda. É hora de unir o Brasil. A presidente Dilma tem contribuído para acalmar os ânimos quando parou de dar entrevista ou fazer depoimentos com expressão de "durona". A função da presidência requer magnanimidade, equidistância e serenidade. O povo quer e precisa da Paz, não da guerra.

Se, por um lado, a presidência tem contribuído, inclusive com a nomeação do vice-presidente, Michel Temer, como negociador oficial com o Congresso Nacional, por outro lado, a composição do ministério também está melhorando, embora ainda haja um ou outro ministro que fala mais do que deve.

Um outro ponto muito importante para contribuir para acalmar o Brasil, é a presidente Dilma indicar o jurista para assumir o lugar de Joaquim Barbosa, no STF - Supremo Tribunal Federal. Ao recompor o Judiciário, estará contribuindo para equilibrar os poderes da República. O Judiciário brasileiro anda parecendo um circo midiático.

Assim o próprio Congresso Nacional tenderá a voltar a exercer suas atribuições de legislador supremo e deixará suas vaidades de lado.

Um outro aspecto de fundamental importância, sinalizado com o refluxo do ódio nas manifestações, é o perigo que os líderes, abandonados pelas bases, comecem a radicalizar as ações. Refletindo mais seus ressentimentos do que a vontade do povo brasileiro. Aí mora um grande perigo. Pessoas ressentidas precisam de cuidados especiais...

É hora de perdoar e aglutinar as pessoas e o Brasil.
É hora de humildade e de muito trabalho.
Todos devemos priorizar que a economia volte a crescer,
a manutenção do emprego qualificado e
que tenhamos saúde e educação de qualidade.

Ah! E que tenhamos SEGURANÇA!


sábado, 11 de abril de 2015

Abílio Diniz volta ao noticiário

Vai comprar o Pão de Açúcar?

Não, Abílio está comprando o Carrefour, nacional e parte do francês. Este é um brasileiro ousado, perseverante, meio doido, mas admirado pelos amigos e pelos inimigos. Até a Folha que estava aliada ao grupo francês que comprou o Pão de Açúcar, reconheceu a coragem de Abílio ao comprar mais de 5% das ações do Grupo Carrefour.

Eu costumo comprar tanto no Carrefour como no Pão de Açúcar e o quadro atual é que o Carrefour vem melhorando nas ofertas de produtos  e no atendimento; enquanto o Pão de Açúcar vem piorando tanto nas ofertas como no atendimento. E olhem que compramos na loja da Praça Panamericana, região nobre de São Paulo. Uma pena! Eu gostaria que os dois supermercados melhorassem em tudo. Gosto de concorrência qualificada.

É inegável que o Carrefour no Brasil, melhorou depois que Abílio começou a contribuir na administração. Talvez com o final trágico das negociações entre Abilio e o francês do Casino, Abílio passe a investir e negociar com mais sangue-frio e sem grandes riscos. Apesar de já não ser tão jovem, Abílio continua sendo um dos melhores empresários brasileiros.

Mesmo com a economia e a política passando por maus momentos no Brasil, ainda temos espaços para crescer, investir e se consolidar no mercado nacional. É só ter competência, ousadia e perseverança. Requisitos que não fazem parte da nossa tradição. Nossos empresários gostam de criar empresas para vende-las aos estrangeiros.

Parabéns, Abílio Diniz!
Boa sorte nesta nova empreitada e conte com a torcida de 200 milhões de brasileiros.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

PL 4330: Atividade Fim e Atividade Meio

Qual é a posição do Governo?

Os jornais estão noticiando que o governo está interessado apenas em garantir o recolhimento dos tributos dos trabalhadores terceirizados. Não está preocupado com o fim do trabalho decente.

Já que muitas empresas que prestam serviços terceirizados dão calotes trabalhistas, sonegando impostos e direitos como o FGTS e o Imposto de Renda. Muitas empresas terceirizadoras são arapucas para "baratear custos" às custas do erário público e dos direitos trabalhistas. Isto é amplamente conhecido no Brasil, tanto pelo governo, como pelo legislativo e pelo judiciário.

A proposta do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, obrigando a contratante pagar os impostos no lugar da contratada NÃO garante que o recolhimento dos encargos seja no mesmo volume.

Por que não? Porque com esta nova lei as empresas vão demitir os empregados que ganham mais e fazer novas contratações com salários menores, mesmo que sejam os mesmos trabalhadores demitidos.

Esta é a redução de custos que Paulo Skaf da Fiesp tanto prega. Esta é a redução de custos que o PMDB e seus parceiros estão viabilizando neste crime trabalhista tão vergonhoso.

Se Levy, da Fazenda, só pensa em dinheiro, Miguel Rossetto, secretário geral da presidência da República, tem pensado nos trabalhadores e trabalhadoras.  Exatamente por pensar nos trabalhadores, Rossetto tem sido bombardeado pela imprensa nacional, tem sido combatido por ser a voz dos trabalhadores no governo, enquanto Levy é a voz dos patrões e particularmente dos banqueiros.

E qual é a voz de Dilma sobre este assunto?

Como militante gaúcha, mesmo sendo mineira de nascimento, Dilma deve refletir sobre a contribuição de Getúlio Vargas, da CLT - Consolidação das Leis do Trabalho e sobre a sua própria história de vida. Sabemos que Dilma jamais trairá a Classe Trabalhadora.

Se tivesse tido acordo proibindo a terceirização nas atividades fins, com certeza as Centrais Sindicais, os Empresários e o Congresso Nacional teriam construindo o acordo consensual e teria evitado tanta violência, além do desgaste do PMDB e do próprio governo. Será que os Empresários resolveram fazer acordo somente com o PMDB e resolveram enfrentar o Governo e os trabalhadores?

Estas perguntas e estas respostas, a presidente Dilma precisa avaliar com calma e decidir até o final da tramitação desta proposta criminosa de lei que enterra o trabalho decente no Brasil.

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Congresso Nacional: A Direita Escancarada

A Imprensa envergonhada de ser direita

A direita que vai às ruas contra Dilma e o PT, já não precisa ir mais.
A instância mais importante do país, o Congresso Nacional, liderado por Eduardo Cunha, presidente da Câmara Federal, resolveu se assumir como porta-voz da direita radical brasileira.

Ao ler os jornais, o leitor fica tão assustado com a ousadia e desenvoltura da direita radical brasileira que percebe que a própria imprensa, grande estimuladora desta direita raivosa e fascista, de repente ficou inibida, ou está fingindo-se de morta para comer o urubu.

Há anos que a Imprensa brasileira vem implantando a terceirização, obrigando seus jornalistas a serem PJ - Pessoa Jurídica, para reduzir os custos com FGTS, férias, 13o. e outras coisas mais como vale alimentação e vale refeição, além de Convênio Médico. Estas questões são básicas e fundamentais para os trabalhadores formais, registrados em carteira e passíveis de fiscalização pelo Ministério do Trabalho e Justiça do Trabalho.

Ao verem aprovado na Câmara Federal o PL 4330, projeto de lei que autoriza, libera para as empresas terceirizarem TODOS os empregados, passando a ser Empresas Virtuais, sem empregados e com menos custos trabalhistas, os jornais Folha de São Paulo e Estadão, principais porta-vozes da direita paulista e brasileira, juntamente com a Rede Globo, ambos têm como manchete:

Folha: "Câmara aprova "ampliação" da terceirização no país". 

Estadão: "Câmara aprova projeto de lei que amplia terceirização"

Vejam que os títulos são combinados. É porque os dois jornais fazem parte do mesmo grupo ideológico e empresarial, que se junta num tal Instituto Milenium, sustentado por empresários nacionais e internacionais.

No meio do texto, os jornais porém reconhecem que o projeto aprovado permite que as empresas contratem nas atividades fins. Portanto, podem substituir todo mundo. Podem demitir os empregados atuais e substituí-los por terceirizados, mesmo que sejam os próprios demitidos. Porém com salários e benefícios menores. É mole?

A imprensa, por ser grande beneficiada, não informa quem votou a favor e quem votou contra. As entidades sindicais estão informando que divulgarão a lista de todos os deputados com seus respectivos votos.

Se o Congresso Nacional aceitou fazer o papel de "capitão do mato" moderno, acabando com a CLT - Consolidação das Leis do Trabalho criada por Getúlio Vargas, para que a imprensa vai continuar estimulando os fascistas e golpistas irem para as ruas pedir o impeachment de Dilma?

Para o PMDB, como novo aliado dos empresários e da direita, é mais barato deixar como está. Isto é, Dilma fraca e o PMDB cobrando caro para governar para os empresários e para a direita. Seja ela evangélica ou neoliberal.

P.S.: 
Quero fazer um registro especial para o jornalista da Folha de S.Paulo, Bernardo Mello Franco, que escreve na página 2. Não o conheço e li pela primeira vez seu artigo que se pudesse assinaria junto. A Folha anda assim. Radicaliza para a direita e contrata alguns jornalistas mais progressistas para não ficar com a imagem de "direita monopolista". Parabéns para Bernardo!

quarta-feira, 8 de abril de 2015

O maior crime trabalhista desde Getúlio Vargas

Nem a ditadura militar ousou tanto

Ao forçar a aprovação do PL 4330 que libera as empresas a terceirizarem qualquer área de trabalho, o PMDB, como principal articulador, está cometendo o maior crime contra os trabalhadores e trabalhadoras desde a criação da CLT por Getúlio Vargas.

Como os capitães do mato na época da escravidão, onde muitos eram negros, o PMDB ficará registrado na história do Brasil como o partido que viabilizou o fim do emprego qualificado. Caso esta lei seja homologada pela presidente Dilma, legalizará a terceirização de tudo.

Da mesma forma que Fernando Henrique Cardoso privatizou quase tudo, empobrecendo parcela significativa do Brasil, principalmente do Nordeste, com a extinção das empresas estatais de telefonia, eletricidade e principalmente os bancos estaduais. Empresas que para entrar tinham concursos públicos, pagavam aposentadoria integral e melhores salários que o setor privado. Com as privatizações, os lucros das empresas aumentaram e os salários e benefícios diminuíram.

O ridículo disto tudo é ver jornalistas, que já são ou serão terceirizados ou transformados em pessoas jurídicas sem direitos trabalhistas, fazerem de conta que a lei não é criminosa e priorizarem somente as orientações patronais. Estes são pagos para enganar a população. Estes são os novos capitães do mato.

E os deputados evangélicos que estão votando neste lei como forma de agradar a Cunha e aos empresários? Deus deve estar com vergonha destes pastores...

Não falo aqui das centrais que fizeram acordo com o relator e com Cunha. Estas fizeram a opção pelo caminho mais fácil. O caminho de ficar com as migalhas da representação sindical, mesmo que os trabalhadores sejam os grandes prejudicados.

Marx estava certo quando alertava quanto ao risco do "modo de produção asiático". O modelo chinês de produção está se espalhando pelo mundo.

Daqui a pouco o ocidente vai copiar também o modelo político de partido único e imprensa enquadrada, sem religiões. É claro. Aí quero ver os chatos de hoje chorarem o leite derramado. Será tarde demais, como foi em 1964...

A História, mais uma vez, vai mostrar quem está com a razão.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Quem governa o Brasil?

Cunha, Renan, Levy, Dilma, os banqueiros?

Hoje cedo ouvi um comentarista político falar que quem está mandando no Brasil é a dupla Cunha e Renan. Será? Outro jornalista diz que é Levy e Dilma. Será? Outros analistas acham que os banqueiros estão dando as cartas na economia e que Dilma está tolerando tudo em nome da necessidade dos ajustes fiscais e da manutenção da avaliação de risco do Brasil.

Enquanto as empresas internacionais (inidoneas) de análise de risco não definem se o Brasil vai ser rebaixado ou não, o Brasil vira uma casa de mãe Joana onde todo mundo manda e ninguém obedece...

O curioso é que, se em vez de cada um querer resolver sozinho, se constituísse uma mesa de negociação onde todos fossem ouvidos e se criasse um "consenso mínimo", provavelmente o clima do país estaria melhor.

Por que não se tenta? Levy só fala com os conservadores. O PMDB fala com os empresários e negocia sua pauta. Os juízes negociam benefícios corporativos. A Polícia Federal faz política partidária. E o povo sofre este clima de fim de festa. E a presidente Dilma?

Vejam esta matéria publicada no jornal Valor de hoje, com a opinião do presidente do Bradesco. Mesmo ponderando alguns problemas, considero a opinião de Trabuco, presidente do Bradesco, de alta relevância para o Brasil. Leiam e avaliem....

Ajuste é 'necessidade absoluta' , afirma presidente do Bradesco

Por Talita Moreira  - Valor – 07/04/2015

O presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, disse ontem que o país vive um "rito de passagem para resgatar a credibilidade da contabilidade pública". "O ajuste [fiscal] é necessidade absoluta, não existe plano B nem plano C", afirmou o executivo ao abrir um evento do banco com investidores em São Paulo. "O que existe é a necessidade imperiosa de que as finanças públicas possam ter a credibilidade para restaurar a confiança."

 Trabuco disse que a meta de superávit primário é factível. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, egresso do Bradesco, se comprometeu a gerar um superávit equivalente a 1,2% do PIB neste ano.

Na leitura de Trabuco, 2015 não será um ano para comemorar o crescimento do PIB, mas um período de "mudança de métodos" para enfrentar uma nova agenda no próximo ano. Segundo ele, é "muito salutar" que a presidente Dilma Rousseff tenha optado por um caminho que evita um prolongamento da crise econômica.

O presidente do Bradesco disse estar otimista com a aprovação das medidas de ajuste fiscal pelo Legislativo. "Nossa percepção é que o Congresso, independentemente de suas contradições, não vai virar as costas para a necessidade de apertarmos o passo", ressaltou.

Nas últimas semanas, Levy tem feito sucessivas visitas ao Congresso para explicar e defender itens do ajuste que dependem da aprovação dos parlamentares. Trabuco elogiou a "capacidade" da equipe econômica e destacou que o tripé de sustentação da política econômica "voltou". Com isso, vai ser possível, mais à frente, "dar uma derrubada nos juros", de forma a não onerar demais o Tesouro Nacional. O executivo não quis estimar um prazo para que o ciclo de aperto monetário comece a ser revertido.

O presidente do Bradesco destacou que o crédito no banco está aberto e avaliou que a economia brasileira tem boa velocidade de resposta. "Não existe nenhum constrangimento [no sentido] de reter e não operar no crédito."

Porém, ele também citou que um dos principais desafios do setor é encontrar "a velocidade adequada" de expansão dos financiamentos. "O crédito chegou a 56% do PIB e tem papel fundamental para desenvolvimento do país. Mas tudo a seu passo. Se a gente achar que, de uma hora para outra, crédito a 100% [do PIB] resolve nossos problemas, teremos outros problemas", afirmou.

Segundo Trabuco, o país terá de discutir e estruturar um novo formato para o crédito à infraestrutura. "Aquele modelo clássico de o Tesouro capitalizar um banco de fomento e ele ser o repassador vai ter de ser revisto obrigatoriamente", ressaltou. "Só que isso não se faz do dia para a noite, vai ter que ter processo de transição."

O presidente do Bradesco afirmou que os bancos privados têm "apetite e disposição" para aumentar o financiamento ao setor de infraestrutura. No entanto, observou, não poderão correr risco de funding, de prazo e de taxa de juros para oferecer condições parecidas com as que hoje são praticadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). "Eu estaria criando um problema para mim mesmo", disse.

Para Trabuco, a retomada da economia também passa pela reorganização do setor de óleo e gás. "Vai ter de consertar a turbina em voo”, afirmou.


Dia dos Jornalistas e o fim do emprego qualificado

Se aprovado o PL 4330 o emprego qualificado desaparece

Ironia do destino!
No dia dos jornalistas, 07 de abril, o Congresso Nacional pode aprovar o fim do emprego qualificado. Isto é, caso o deputados federais aprovem o PL 4330, projeto de lei que autoriza as empresas terceirizarem qualquer atividade da empresa, o Brasil deixará de ter empregos qualificados e teremos apenas empregos em empresas terceirizadas.

Por exemplo:

Caso aprovado o PL 4330, empresas como a Rede Globo e a Folha de São Paulo passarão a ser uma grife virtual, onde todos os empregados atuais poderão ser demitidos e recontratados em outras empresas que prestarão serviços jornalistas e outros tipos de serviços à Rede Globo e à Folha de São Paulo.

O mesmo raciocínio pode ser aplicado para os empregados nos bancos, nas montadoras e na Petrobras.  Na área pública teremos o fim dos funcionários públicos. Todos serão terceirizados, ganhando bem menos, com benefícios menores como vale refeição e alimentação bem inferiores aos empregos diretos.

E porque algumas centrais sindicais estão favoráveis a este fim da CLT e da legislação trabalhista?

Porque elas estão negociando com os parlamentares a manutenção da representação sindical dos terceirizados, mesmo sabendo dos prejuízos que estes trabalhadores terão. Estas centrais estão cometendo um erro histórico!

Proporcionalmente, os jornalistas já são a categoria profissional mais terceirizada no Brasil. Caso aprovado este projeto de lei, será uma das categorias virtuais. Isto é, todos serão terceirizados ou PJ - Pessoa Jurídico sem direitos previdenciários e outros beneficios.

E não adianta botar a culpa em Dilma. Os responsáveis são os parlamentares do PMDB, do PSDB e seus aliados evangélicos e da bancada ruralista.

Traduzindo: O Congresso Nacional foi eleito majoritariamente conservador, reacionário e topando tudo por barganhas e agora está cobrando a fatura. Beneficiando os empresários e prejudicando os trabalhadores do campo e da cidade.

Faz parte das regras do jogo e da democracia.
Ora se ganha e ora se perde...

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Imprensa reacionária e Liberdade de Imprensa

Nem tudo está perdido?

Acordei as seis horas e fui pegar os jornais no jardim de casa. Olhando as chamadas da Folha e do Estadão, buscando sempre identificar quais são as baixarias do dia, duas me chamaram atenção:

A da Folha, como sempre mais ardilosa é uma longa entrevista do "petista" Marco Aurélio Garcia, professor de História e assessor especial de Lula, declarando que também acha que Vaccari deveria se afastar da tesouraria do PT. Este é o estilo principal da Folha, sempre procurar um "laranja" que diga aquilo que a Folha quer dizer, mas, que causa mais impacto por ser dito por alguém do outro lado. Isto é, um petista graduado declarando que o tesoureiro deve sair por ser acusado sem provas de que pegou dinheiro para financiar tudo e todos do PT, sendo que o dinheiro veio de empresas que também doaram dinheiro para todos os partidos, inclusive o da Folha - o PSDB. Mas, a Folha ser canalha não é novidade, nos tempos recentes. O difícil é ver alguém filiado ao PT topar fazer este tipo de papel.

A do Estadão, é mais direta, grosseira, como anda o "novo Estadão", controlado por FHC e Serra, além do Itaú, é claro. A chamada é de que a CUT vem perdendo participação sindical por apoiar o governo petista. Nunca vi tanta besteira juntas...

Mas, como apenas o primeiro caderno do Estadão está sob controle dos tucanos, o Caderno 2 continua sendo um bom caderno. Hoje há duas matérias que merecem ser lidas:

Uma longa matéria falando do lançamento do novo livro de Gilles Lapouge - Dicionário dos Apaixonados pelo Brasil - um velhinho de 92 anos que nós adoramos ler seus artigos. Correspondente do Estadão desde 1951, portanto, tem mais tempo de correspondente do que eu tenho de vida (1953). O triste é que a editoria do Caderno 2 comeu bola e não anuncia os endereços do lançamento. Quem sabe onde fica a Aliança Francesa em São Paulo e no Rio de Janeiro? Será que a Aliança Francesa é tão comum como agência do Bradesco? Eu queria conhecer o velhinho maravilhoso, mas, sem o endereço, vou comprar o livro depois...

Por fim, o Caderno 2 publica um artigo de uma correspondente brasileira que tem mais tempo de Nova York do que de Rio de Janeiro. Lúcia Guimarães, como sempre, apresenta seu artigo de forma lindíssima. No Brasil "Falta Elite". Isto mesmo, nossa burguesia fede... é tacanha, medíocre como nossa imprensa atual. Talvez, o quê mantenha Lúcia sã, seja o fato de morar em Nova York. Ou em Paris como faz nosso querido Gilles Lapouge.

Nem tudo está perdido. 

Por coisas que saem no Caderno Ilustrada e no Caderno 2, que ainda não deixei de assinar e ler este malditos jornais. Na época da ditadura, eu assinava todos os jornais alternativos que eram contra a ditadura e pela liberdade de imprensa. Agora, que assino jornais que apoiaram o golpe de 1964, se arrependeram daquele golpe, mas estão tentando viabilizar outro golpe. O golpe do pensamento único. O neoliberalista terceiromundista.  Do complexo de vira-lata.

domingo, 5 de abril de 2015

Brasil: um pais sem legalidade e sem legitimidade

Quem grita mais, manda mais?

O executivo não executa; o legislativo não legisla; o judiciário não julga. 
A imprensa acusa a todos e esconde seus nomes quando eles aparecem no meio da corrupção. As Igrejas falam o nome de Deus mas negociam estações de TVs, Rádios e Dízimos...

Enquanto isto, o povo fica à deriva, exposto a violência dos criminosos. Neste quadro caótico, ainda se preservam as Forças Armadas. Mesmo um ou outro oficial aposentado falando alguma bobagem, as Forças Armadas estão observando e mantendo o decoro.

Até os empresários estão acovardados, silenciosos. Com medo de que? De caixa dois? A maioria é gente seria que quer trabalhar, gerar emprego e renda. 

Parece até a música de Chico Buarque: " minha gente, anda triste, acabrunhada, inventou a batucada, para deixar de padecer..."

O Brasil convive com 32 partidos políticos e há mais dois pedidos de registros, indo para 34 partidos registrados no TSE. Para que tantos partidos? Para receberem mais fundos partidários? 

Está na hora de o Brasil acabar com esta farra partidária, este festival de Fundos Partidários e horários eleitorais para quem não tem representatividade. O mesmo deve valer para o fim do imposto sindical. Tanto para sindicatos patronais, como de trabalhadores. Doações devem ser voluntárias ou aprovadas em assembléias democráticas. 

Não adianta a imprensa vender a imagem de que a promotoria pública substitue o legislativo e o executivo. Estão também jogando na confusão de qual é a função de cada um. O STF está também se omitindo. Aí que mora o perigo...

Vamos fazer como a campanha das Diretas Já? 

Vamos separar o joio do trigo e unificar as pessoas de boa vontade que topam reorganizar o Brasil? Ainda temos tempo de fazer isto pacificamente...

sábado, 4 de abril de 2015

Páscoa de alegria e de tristeza

Aprendendo com a vida

As pessoas,que acessam as redes sociais estão perguntando como pode alguém brincar com a tragédia dos outros. Até os jornais conservadores estão reclamando. Com razão. Qual é o limite da liberdade de expressão ? 

Tenho vários  amigos que fazem aniversário na Páscoa e estes estão alegres e com seus familiares e amigos. No entanto, temos muitos conhecidos sofrendo com as más notícias ... No Quênia mataram jovens por serem cristãos e aqui se mata crianças por morarem em favelas "pacificadas".

A própria Bíblia diz que na Páscoa Jesus ressuscitou. Nasceu de novo para mostrar ao mundo que a vida continua. Se continua, por que sofremos tanto quando perdemos um parente ou um amigo? Mesmo que seja em função dos instintos de vida e de morte, ninguém gosta de morrer ou perder alguém querido.

Todos os meses eu mostro neste blog fotos de flores da Vila Madalena, em São Paulo, ou de outros lugares. Ao mostrar as flores regularmente, serve como alerta de que, conforme a estação do ano, temos flores diferentes. Algumas, como as mariazinhas, estão presentes o ano todo. Outras, como as lágrimas de Cristo acompanham as chuvas, o sol e o frio...

Vejam estas fotos da lágrimas de Cristo:


Vejam como tudo está verde e bonito...


As folhas e as flores aparentemente são iguais as dos anos anteriores, mas nem são iguais, nem são as mesmas. Nós, humanos, também nem somos iguais, nem somos os mesmos. Apesar de mantermos os nomes e a vontade de viver.

Acho bonito como os judeus comemoram a Pascoa, com sua tradição e história. Os Cristãos criaram a Pascoa a partir de Jesus, que era judeu e serviu de semente para a maior religião da história da humanidade. Até os muçulmanos comemoram a Pascoa. Faz parte do mundo ocidental.

A cada Pascoa, vamos tentar ser mais humanos, humildes e solidários? Ésó lembrar de Jesus e das plantas, com suas flores...

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Zuza fala de Billie Holiday

O mídas da música: Zuza Homem de Mello

No fim de semana passado fomos domingo ao Parque Ibirapuera assistir ao concerto de Marsallis e  seu conjunto. Lindíssimo e ainda descobri que tinha a participação de Zuza. 

Nesta véspera de fim de semana prolongado pela Páscoa, ao pegar o caderno EU -fim de semana do jornal Valor para ler, duas surpresas: além de longa reportagem sobre o centenário de Billie Holiday, um ótimo artigo de Zuza.

Zuza, para quem não sabe, faz parte do nosso patrimônio histórico vivo, como Fernanda Montenegro, Antônio Candido e mais algumas pessoas. Leio tudo que aparece sobre Zuza ou escrito por ele.

Imaginem que Zuza pagou US$ 3 dólares, em 29 de novembro de 1957, para assistir, na mesma noite, Ray Charles, Benny Goodman, Dizzy Gillespie's Big Band, Chet Baker Quartet, o Thelonious Monk Quartet com John Coltrane e, para fechar, Billie Holiday. 

Zuza pergunta se da para imaginar seu estado de excitação ?

Este monstro sagrado já viveu tudo da música brasileira e americana. E ainda tocou contra baixo. É mole?

Acabei falando mais de Zuza do que de Billie. Ambos são maravilhosos. Acessem o jornal e leiam os artigos sobre o centenário de Billie Holiday. Você vai acabar ouvindo suas interpretações e se convencendo que, apesar do mal estar na civilização, ainda existem esperanças ...