quinta-feira, 19 de março de 2015

Brasil, Israel. USA e a OSESP

Um mundo globalizado e confuso

A vida anda realmente difícil. Tem muita gente que parou de ler jornal para não vê notícias ruins. Eu, masoquisticamente, leio vários jornais por dia, tentando entender o mundo atual. Confesso que ando meio zambeta...

A parte de notícias do Brasil, todos os dias parecem que o Brasil está se desmanchando, que ninguém entende ninguém, que todo mundo está pagando para ver o país pegar fogo. E se pegar fogo de verdade?

1 - A cena de ontem, onde um ministro da Educação vai ao Congresso Nacional dizer desaforos aos parlamentares é simplesmente patética, se não fosse trágica. O empresário dar entrevista dizendo que "pagou propina de 10 milhões na Petrobras", mas só conta meia história, ou meia verdade, é tudo que os manipuladores precisam para fazer mais notícias e mais tragédias.

Porque os empresários não contam tudo de verdade? Sua tradição secular de caixa dois, de apropriação da União, dos Estados e Municípios? Suas contas na Suíça e nos paraísos fiscais?

Eu sou defensor de "uma trégua pelo bem do Brasil". Sou defensor de um Novo Ministério de Coalização com todos os partidos da base aliada, sendo composto por indicação formal dos partidos. Sou parlamentarista!

2 - Ainda lendo os jornais, vi na Folha um bom artigo de Clovis Rossi sobre as eleições em Israel.  "Israel visita Massada". Um ótimo artigo que recomendo a leitura, principalmente para os patrícios...

Mas, ao ler o Estadão também sobre as eleições em Israel, chamou-me atenção o bom artigo "Campanha de Bibi foi financiada nos EUA".  Vejam que curioso: "Mais de 90% dos fundos da campanha para a reeleição do premiê israelense vieram dos EUA. Segundo o jornal The Jerusalem Post, do total de US$259, US$237 mil vieram de doadores americanos, de acordo com a Controladoria do Estado de Israel."

3 - Sabemos que os USA se metem em tudo o que é tipo de eleição mundial, ajuda a derrubar governos democraticamente eleitos e envia tropas para implodir países milenares, além de ajudar a derrotar alemães quando estes humilham a Europa e dar uma demonstração de força ao Japão por ter ousado matar americanos no Pacífico.

Mas, a participação dos judeus americanos nas eleições de Israel para eleger um opositor de Obama é de forma aberta para todo mundo ver. Obama que abra os olhos... 

4 - Até a nossa querida OSESP - Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, que eu achava que estava em paz, vi hoje no Estadão de ontem, porque mudaram o horário de entrega dos jornais para mais tarde, li hoje cedo de que a "Batuta está indefinida", um longo artigo sobre os dilemas da renovação do contrato com a regente americana Marina Alsop.

Não tenho nada contra o fato de ela ser americana, mas eu adorava quando Frank Shipway regia a orquestra. Infelizmente Shipway morreu no ano passado. Mas o que me chamou atenção foi a informação de que 70% dos músicos eram CONTRA a renovação do contrato da maestrina. Não é estranho? Eu me sentia um assinante tradicional, quase que conservador. Mas, acho os músicos precisam ser mais ouvidos. Até fiquei sabendo que Fábio Barbosa, presidente da Fundação OSESP, está cuidando do caso. Bom sinal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário