domingo, 22 de março de 2015

Aprendendo com o tempo

Democracia se aprende praticando

O primeiro passo para exercitar a democracia é definir as regras para que os participantes possam prática-la sabendo o que pode e o que não pode fazer. Por exemplo, você escolhe ser socio de um clube, uma religião ou um partido. Ao escolher, você precisa conhecer as regras destas instituições e respeita-las. Caso contrário vira baderna, vira zona...

Há casos em que alguns participantes não querem respeitar as regras e tentam burla-las direta ou indiretamente. Mas tem muita gente seria. Os evangélicos costumam ter muito respeito por suas regras. Por exemplo, pagar dízimo é uma demonstração de que a pessoa confia na sua Igreja, no seu pastor e na suampregacao. Já os políticos, costumam ter um discurso e, ao mesmo tempo, a prática ser bem diferente do discurso. Mesmo quando o religioso vira político. Aí prepondera o político sobre o religioso.

Tem político que faz alianças espúrias e depois quer esconder suas alianças e seus compromissos espúrios. Uma das formas de fazer isto é utilizando-se do Voto Secreto. O povo votar secreto é sagrado, mas, no parlamento, porque o político precisa esconder o seu voto?

No movimento sindical, também este vício político está aparecendo. É uma pena! A gente investe tanto na criação e estruturação de novas entidades sindicais, sempre procurando reforçar a prática democrática, mas sempre aparecem os espertos. É como o joio e o trigo. Chega uma hora que é preciso separar o joio do trigo, mesmo que isto signifique perder amizades e excluir pessoas. Principalmente quem não respeita as regras do jogo...

Um comentário:

  1. Caraca mano, ele só quer jogar bola, tá ligado? Fominha pra caracA,..libera a bola e falemos sobre discursos, em ambas as câmaras, lembrando que uma é virado para cima e ouro virado para baixo.
    Chuva de ouro,

    obrigado Nego Velho,

    bjs

    Ameixeira.

    ResponderExcluir