sábado, 28 de março de 2015

A greve dos professores no Estado de São Paulo

Por que professor ganha tão mal?

Estudar toda uma vida, fazer uma universidade, fazer mestrado e doutorado, com o intuito de ensinar as crianças e os jovens deveria ser uma missão nobre e muito prestigiada tanto pela sociedade como pelo Estado.

No Estado mais rico do Brasil isto não acontece. Por que?

Depois de formado, ter que disputar vaga para ser professor por 40 horas semanais e ganhar apenas R$2.450,00 dignifica o professor ou a professora? Com certeza, não.

Os professores do Estado de São Paulo mais uma vez estão em greve. Uma boa greve, que o governador diz que NÃO EXISTE! A rede Globo, aliada do governador, também faz de conta que a greve não existe. Os jornais apresentam pequenas matérias.

Tudo isto com uma greve que vem crescendo e que reunião mais de 40 mil pessoas na Avenida Paulista nesta última sexta-feira.

Será que a imprensa esconde a greve porque ela tem sido pacífica e ordeira?

E se os professores começarem a bloquear avenidas, a porta do Palácio dos Bandeirantes e da Secretaria da Educação? Aí virarão notícias e serão chamados para negociar? Ou serão chamados de desordeiros?
Por enquanto, há um grupo de professores em Vigília em frente à Secretaria da Educação. Por enquanto...

Um dos argumentos para se pagar mal aos professores é porque há mais professores aposentados do que na ativa e, quando se reajustam os salários, tanto vale para os da ativa como para os aposentados. Este não pode ser o maior obstáculo à valorização dos professores.

Se o Estado de São Paulo não qualificar suas crianças e seus jovens, a concorrência dos outros Estados brasileiros fará com que os empregos gerados no próprio Estado de São Paulo geram ocupados por pessoas de outros estados, como já vem acontecendo em várias áreas.

É importante lembrar que pessoas ressentidas e frustadas podem se transformar em pessoas violentas. Enquanto que, pessoas realizadas e felizes se transformam em estadistas e bons profissionais.

Vamos valorizar as professoras e professores do Estado de São Paulo?
Governador Alckmin, convide a professora Bebel para uma reunião e verá que um bom acordo não é difícil. Todos ficaremos contentes e as crianças e jovens voltarão às aulas torcendo por seus professores...

Nenhum comentário:

Postar um comentário