quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Brasil: O caldeirão está fervendo

O Brasil a beira de um ataque de nervos

A direita brasileira, na impossibilidade de ganhar no voto, decidiu intensificar a pressão contra o governo Dilma e o PT. Mas, no Brasil não existe direita, como não existe racismo nem preconceito social. Aqui somos todos cristãos e democratas, aqui tem imprensa livre e soberana, justiça honesta e neutra. Tudo isto desde que os de baixo respeitem os de cima. Fora disto, é tolerância zero.

Vejam o quadro nos jornais de hoje:

1 - O ministro da Fazenda mais longevo da história do Brasil, Guido Mantega, ao acompanhar esposa doente no Hospital Israelita Albert Einstein, é agredido verbalmente, hostilizado e expulso do hospital. Aa rica clientela do hospital gritava histérica: Vá para o SUS!

2 - Os caminhoneiros estão bloqueando as estradas e deixando a população e empresas sem mantimentos e sem condições de trabalho. Quem baixar os preços que os empresários querem aumentar, mas botam a culpa em Dilma. Dilma, por sua vez, está esperando os ministros resolverem com os empresários e com os piqueteiros. Greve de caminhoneiro sempre foi coisa de direita e de preparo de golpes militares ou civis. Uma coisa é cruzar os braços, outra coisa é fechar as estradas. Este filme é velho...

3 - Ao fazer Ato em Defesa da Petrobras, no Rio de Janeiro, manifestantes tucanos e pró impeachment tentaram melar a manifestação indo para porta do prédio para vaiar Lula. A provocação acaba em briga e violência, dando mais motivos para a imprensa dizer que o Brasil está virando uma Venezuela. Só que quem está transformando o Brasil em uma Venezuela é a Direita brasileira, que não aceita o resultado das urnas.

4 - Por falar em Petrobras, a Operação Lava-Jato continua paralisando a economia e abusando dos seus poderes constitucionais. Tudo isto dependendo apenas de um Juiz. Como se os juízes fossem todo-poderosos. Acontece que um outro juiz no Rio de Janeiro, além de tomar os carros de Eike Batista, resolveu passear com os luxuosos carros confiscados pelo rei, digo, pelo juiz do caso. Esta herança monarquista precisa acabar.

5 - Enquanto tudo isto vai acontecendo, os Poderes vão se comendo: Congresso Nacional, Governo Federal, Judiciário, Imprensa, Movimentos Sociais e Igrejas. Estamos vivendo a famosa crise de hegemonia. Quando as leis não conseguem ser executadas e respeitadas, as milícias e organizações paralelas ao Estado se sobrepõem até definir a nova hegemonia, que se legaliza com nova Constituição. Vejam o caso recente do Egito e da Ucrânia. O Iraque não serve como exemplo. Os Estados Unidos desorganizaram o Oriente Médio e sobrou para a Europa e todo o mundo árabe.

6 -  Novas manifestações estão marcadas, espero que as partes se respeitem e não façam confrontação direta. Cada setor escolhe seu dia de manifestação. O que aconteceu no Rio foi provocação irresponsável.
Os que são a favor do impeachment estão chamando manifestações para o dia 15, com apoio da Rede Globo, rádios e dos jornais. Os que são contra o impeachment e a favor da melhoria de vida para o povo, estão chamando manifestações o dia 13 de março.

A violência está aumentando
e o Brasil está chegando perto de um ataque de nervos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário