domingo, 25 de janeiro de 2015

Nem maldade, nem bondade. Mais diálogo

Economia, política e sociedade

Nem o ministro da fazenda é mais importante do que a política, nem a política é mais importante do que a economia. Não há dois governos, ou vários governos. Há apenas um governo federal, 27 governos estaduais e mais de cinco mil governos municipais. Além do Congresso Nacional, o Judiciário, a Imprensa, os empresários nacionais e internacionais e o povo brasileiro, pulverizado e fragilizado.

Considerando também que falta água, falta luz, falta saúde pública, falta escola pública de qualidade e também falta transporte coletivo para os mais pobres. Em vez de ficar um acusando o outro, em vez de se buscar "bodes expiatórios", o melhor é se constituir instâncias coletivas de construção de consensos ou de maiorias com mais legitimidade.

Podemos tentar o Consenso Coletivo com transparência e participação dos representantes dos vários segmentos da sociedade brasileira. Quem tiver representante ruim que procure melhorar sua representação. Por exemplo: o CFM - Conselho Federal de Medicina. Este transformou-se num aparelho hostil de oposição do governo Dilma e ao PT. Podemos ignorá-lo? Não. Mas não podemos ficar reféns dele. Precisamos incluir outras representações médicas para garantir a diversidade da profissão. O mesmo vale para o Congresso Nacional, os trabalhadores, os empresários, o judiciário e a imprensa.

Com transparência e a participação mais ampla da sociedade, fica mais difícil de haver manipulações e mentiras. Por exemplo: a crise de água no estado de São Paulo. Toda a imprensa escondeu a crise de água em função de estar apoiando e à serviço do PSDB e de Alckmin. Terminada a eleição, como a crise chegou ao limite máximo, agora a imprensa diz que é culpa de Dilma e de Alckmin. Pode?

O mesmo raciocínio vale para a Petrobras e a Operação Lava Jato. Está faltando transparência, muita transparência. Poderíamos fazer um acordo para a Petrobras poder trabalhar sem fraude daqui para frente e tocar a operação lava jato sem inviabilizar a Petrobras. Que se ponha os culpados na cadeia. Mas, que se garanta o acesso ao processo. A PF e o Juiz Moro estão com poder demais. E o STF, para que serve?

A maior autoridade para propor a constituição de foruns participativos de análise e apresentação de propostas para superar os problemas econômicos, de água, luz, saúde, transporte, educação e corrupção é a presidente Dilma.

É hora de mudar, principalmente de comportamento. Errar juntos é melhor do que acertar sozinho. Chega de bonapartismo e despotismo nos governos. Democracia é plural. E o Brasil é de todos os brasileiros e brasileiras.

Vamos praticar o Consenso Progressivo?

Trabalhar coletivamente é melhor e mais democrático do que trabalhar sozinho. Ser governante não é ser dono ou ter poder absoluto. Como dizia Vinícius de Moraes: É melhor sofrer junto à viver sozinho. Na dúvida, os foruns plurais dão seu parecer e as instâncias legais decidem a partir das discussões com amplos setores da sociedade. É como criar filhos. Dá trabalho mas é participativo e mais legítimo. Com amor é melhor do que com autoritarismo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário