quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Um dia esquisito

Sinais dos Tempos

Uma grande reunião com dezenas de pessoas tentando entender a economia, um clima de guerra na imprensa, no judiciário e na política. Uma incerteza presente em todas discussões.

Para onde está caminhando o Brasil?

Um político fascista diz que "não estupra uma política de esquerda porque ela não o motiva", todos que têm compromisso com a ética e os bons costumes reclamam, com razão. Recorrem-se à Justiça. Mas, nossa Justiça é impessoal? Será que não vai virar pizza, mais uma vez?

Ao pegar o carro para ir para casa, tenho que enfrentar um trânsito infernal por causa da chuva que tanta falta faz. Ao chegar em casa e ligar no noticiário vemos notícias de uma família onde os pais são acusados de matar o filho.

Mais tarde, ao tentar assistir a um filme para me acalmar, o melhorzinho que vemos é sobre uma "família padrão americana na década de 1970". Separações, traições, TVs, imprensa, tudo para aparecer na TV, mesmo que ao preço de destruir a vida de cada um e da própria família já fragilizada.

No final ainda vemos notícias de um técnico de futebol que vai ganhar 700 mil reais por mês para o time jogar na retranca e não ser grande coisa, apesar de ter a segunda maior torcida do Brasil.

Recebo uma mensagem no computador sobre a destruição da Petrobrás com múltiplos interesses envolvidos, ameaça de dezenas de milhares de demissões nas empresas terceirizadas. Isto antes do Natal!

E por último, recebo o telefonema de um vizinho informando que mais uma casa foi assaltada na Vila Madalena. Desta vez em plena luz do dia e por 12 homens armados. Tudo isto perto de um Quartel da Polícia Militar de São Paulo e da casa de um vereador da cidade.

Bergmann chamou estas coisas de "Ovo da Serpente".

Eu ainda não sei como chamá-las, mas tenho certeza que estamos caminhando para o descontrole social e para um impasse que nos levará ou a uma nova ordem pacificamente, ou a uma nova desordem violenta.

A única alegria do dia, foi perceber que ontem e hoje choveu muito e talvez não tenhamos a falta de água que nos ameaça todos os dias. Mas tudo isto reforça que, até para garantir a água e a segurança, nem o governo estadual, nem os outros governos estão nos garantido.

E estamos cheios de advogados juízes, promotores, delegados, todos advogados querendo nos determinar o que é certo ou errado. Sem contar os políticos que fazem leis para nem eles respeitá-las.

Antes de deitar, vou fazer minha reza costumeira e pedir muito a ajuda de Deus para que as coisas melhorem. Contar com a ajuda das autoridades está ficando cada vez mais difícil. Mesmo orando e vigiando...

Um comentário: