quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

CUBA e USA: A Vitória do Perde-Perde

Tantos Sonhos e Tantas Vidas

Toda a imprensa brasileira deu como principal manchete: EUA e CUBA reatam relação!

O Globo, que sempre foi porta-voz americano, ainda destacou a frase de Obama: "O isolamento não funcionou". Estadão e Folha de São Paulo, que também são fieis seguidores dos Estados Unidos fizeram até cadernos especiais.

Cinquenta anos em vão?

Será que Cuba se transformou para os americanos o mesmo que foi o Vietnã, o Iraque, o Afeganistão e tantos outros exemplos de países invadidos, ocupados e depois abandonados à própria sorte?

Independente disto, todos devemos fazer uma longa reflexão sobre esta decisão de Obama. Foi um bom gesto, tanto para os americanos, como para os cubanos e os democratas de todo o mundo.

A História reflete os caminhos e as decisões que as pessoas tomam. 

Cuba seguiu o caminho do confronto com os Estados Unidos. Para quem foi ocupada pela Máfia americana e transformada num balneário, como outros países da América Central foram transformados em repúblicas de Bananas, o ódio contra o imperialismo por parte dos cubanos é compreensível. Mas o bloqueio econômico americano não pode ser usado como pretexto para justificar o fracasso econômico do modelo cubano.

Cuba tem muitos símbolos positivos, mas não soube abrir-se para o mundo depois do fim da União Soviética. Agora está abrindo-se ao mercado internacional e lentamente terá que abrir-se internamente. Antes tarde do que nunca…

Tantos sonhos e tantas vidas passaram pelo simbolismo cubano!

Com medo da socialização da América Latina ou aproveitando-se desta ameaça, os Estados Unidos intervieram, militarmente ou não, em todos os países da região. Implantou ditaduras sangrentas em nome do capitalismo e do direito de os Estados Unidos controlarem seu quintal…

Apesar dos sonhos frustrados e das vidas ceifadas…

O munda supera mais um momento marcante de sua história.
O mundo está passando por profundas transformações.
Ainda falta incluir o continente africano na economia de mercado e na democracia.
Ainda falta ao mundo impor ao governo israelense o direito de os Palestinos terem seu país.
Ainda falta ao mundo exigir dos Estados Unidos que respeite o direito de autodeterminação dos povos árabes no Oriente Médio.

Mas o Século 21 está apenas começando…
Ainda temos muitos sonhos e muitas vidas para curtir.

Um comentário: