domingo, 2 de novembro de 2014

Nova direita chama-se PSDB

Um país com 33 partidos sem ideologias definidas

Este é o Brasil!
Um país com 33 partidos políticos, onde os partidos com as definições históricas das ideologias não existem. Mesmo os partidos mais à esquerda até os mais à direita.tem muitas palavras mas tem pouca prática efetiva. É para inglês ver.

O que é visível é que o PSDB passou a aglutinar e dirigir toda a direita histórica do Brasil. 
Desde os órfãos da ditadura militar, aos intelectuais liberais da USP, passando por representantes do judiciário, do empresariado e do agronegócio. Além dos sonegadores e roleiros tradicionais.

Neste universo estão também os eleitores tradicionais do malufismo, os religiosos conservadores - o que atualmente representam a ampla maioria dos religiosos católicos e protestantes - e principalmente os jornalistas e seus patrões reacionários na Imprensa, ou mídia, como gostam de chamar.

Com o PT, além da esquerda mais libertária de antigamente, ficou a imagem negativa dos conservadores e usufruidores da ditadura, como Maluf, Sarney e tantos outros. Isto é, o PT ficou com o ônus de carregar estes conservadores, e o PSDB ficou com o bônus - os eleitores e roleiros. Lula tira fotografia com Maluf, ganha o tempo eleitoral na TV e no Rádio, mas não ganha os votos dos malufistas.

A direita no PSDB também está modernizada com os representantes do sistema financeiro, os economistas neoliberais, que além de serem doutores e PhDs, têm amplo acesso à imprensa brasileira e internacional.

Agora tem até escritores e poetas, ex-comunistas do Partidão. Mas isto faz parte da história do stanilismo do Partidão - nome carinhoso do antigo Partido Comunista Brasileiro: depois de velhos virarem reacionários.

Se o PSDB aglutina toda a direita, desde Bolsonaro e Roberto Jefrferson no Rio de Janeiro até a bancada da bala em São Paulo, por que o PT não se propõe a aglutinar os progressistas e à esquerda brasileira, de forma programática e declarada publicamente?

Se a candidatura de Dilma à presidência TINHA LADO,
o governo também precisa praticar o "ter lado".
Este é um debate muito importante!

Como conter o fascismo e os golpistas?
Aglutinando os progressistas, fazendo um governo de Frente Ampla Progressista, que inclua ampla parcela do Congresso Nacional. Isto inclui vários partidos, destacando-se o PMDB, mas tendo uma forma de governar que não inclua dar ministérios com "porteira fechada", para os partidos fazerem maracutaias e o PT ficar com o ônus.

O povo brasileiro mostrou nas urnas e durante a campanha eleitoral que precisa mudar esta forma de fazer política e de administrar o espaço público. Além de governar para o povo mais pobre, é mais do que necessário se governar com o povo, tanto os pobres, como os intelectuais, acadêmicos, os ricos, os homens, as mulheres, os negros e as negras.

Enfim, fazer deste país efetivamente
o Brasil de todos, com todos e para todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário