sábado, 29 de novembro de 2014

Folha, Estadão e as Construtoras

Jornais ou Corretores de Imóveis?

Hoje cedo, quando fui ler os jornais do dia, levei um susto.

O primeiro caderno da Folha, o mais importante do jornal, por abranger Poder e Política nacional e internacional tinha 17 páginas de propaganda de apartamentos à venda, páginas inteiras! E o total de páginas do caderno era de 24 páginas, sendo que nas outras sete páginas também tinha outras propagandas...

Somente 29% das páginas do primeiro caderno tinha matérias e notícias!

Nos demais cadernos há mais equilíbrio, mesmo assim as matérias ficam visualmente em segundo plano em relação às propagandas.

Levei um susto imenso! Fiquei pensando: Eu assino um jornal para receber notícias, matérias, pesquisas e informações. A propaganda é admissível mas não é o principal do jornal. Eu não assino jornais de Corretores de Imóveis!

Para não achar que era birra com a Folha, fui investigar no Estadão. 
Para minha surpresa, também no Estadão tinha mais páginas de propaganda de Corretores de Imóveis do que páginas de notícias. No primeiro caderno a relação era de 13 páginas de propaganda para 24 páginas no total do caderno. Isto é, A relação era de 54% para propaganda exclusiva e 46% para notícias mescladas com propaganda.

Ou o Estadão tem menos anúncios por dificuldades, ou o Estadão ainda se preocupa em preservar a qualidade do primeiro caderno. O mais importante. No entanto, nos outros cadernos do Estadão, as notícias também estão em segundo plano em relação à propaganda. Até o artigo de famoso articulista francês e correspondente histórico do Estadão quase que não aparece, espremido numa página onde 75% é propaganda.

O curioso é que, outro dia, quando ia para o aeroporto, o taxista recebeu de graça um jornal chamado Metro News. Eu pedi para dar uma olhada e tudo que tinha no Estadão e na Folha tinha neste jornal. Além de ser um jornal menor, mais fácil de ler e de graça! Não tinha artigos de articulistas conceituados. Mas era um bom jornal.

Então, para que assinar jornais?
Ainda mais um jornal de direita e rancoroso como anda o Estadão?
Mesmo gostando dos cadernos de Economia e o de Cultura?

Como temos acesso tanto a Folha como ao Estadão pela internet, cada vez mais eu penso em cancelar minhas assinaturas. Economia de dinheiro e de tempo. Além de não ficar com raiva dos articulistas doutores da USP, mas todos de direita raivosa, no Estadão.

Vamos fazer uma CPI ou vamos chamar o juiz Moro para fazer uma Operação Transparência?

Nenhum comentário:

Postar um comentário