quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Direita cresce nos EUA

Obama bobeou, dançou!

Em toda parte do mundo atual, quando há eleições o povo está sendo muito claro. Governo é para governor, tomar providencias e resolver problemas. Tanto faz se o governo é de direita ou de esquerda. Quem não tem competencia não se estabelece.

Não foi só o Congresso Nacional brasileiro que foi para a direita na nossa eleição. Agora foi a vez do Congresso Nacional Americano também ir para a direita. Breve será a vez da França.

Precisamos desenvolver mecanismos mais eficazes de administração pública no Brasil e no mundo. Ou avanços para as democracias participativas, ou o fascismo vai crescer no mundo. O tempo está correndo e a cada eleição é uma ameaça…

Vejam os resultados das eleições desta terça-feira (5) nos Estados Unidos.

Republicanos conquistam maioria no Senado
dos EUA

CLÁUDIA TREVISAN, CORRESPONDENTE / WASHINGTON - O ESTADO DE S. PAULO
05 Novembro 2014 | 05h 16

Vitória do partido de oposição a Obama foi mais expressiva do que havia sido projetado


O Partido Republicano conquistou nessa terça-feira, 5, a maioria do Senado americano, em uma derrota devastadora para o Partido Democrata e o presidente Barack Obama, que enfrentará um Congresso hostil nos seus dois últimos anos de mandato.

A vitória foi mais expressiva do que o projetado antes das eleições e incluiu a ampliação da vantagem republicana na Câmara dos Representantes e a conquista de Estados tradicionalmente democratas, entre os quais Illinois, onde Obama fez sua carreira política.

No início da madrugada desta quarta-feira, a oposição já tinha garantido 52 das 100 vagas do Senado e poderia ganhar mais 1 ou 2. Projeções indicavam que os republicanos também poderiam ampliar em até 15 cadeiras sua maioria na Câmara dos Representantes - atualmente, a legenda detém 233 das 435.

A vitória levará os republicanos de volta ao controle do Senado pela primeira vez em oito anos, em uma eleição que dá a largada para a corrida presidencial de 2016. Energizados pelos resultados da disputa de ontem, os oposicionistas começarão a se articular para tentar voltar à Casa Branca dentro de dois anos. 

Os republicanos também venceram a disputa pelo governo de Massachusetts, Estado onde os democratas ganharam as sete últimas eleições presidenciais. Em 2012, Obama obteve 61% dos votos em Massachusetts, 23 pontos percentuais a mais que os 38% conquistados por Romney.  

Segundo ele, a tarefa mais importante da oposição será a ofensiva para reverter o Obamacare, a reforma do sistema de saúde que é o principal legado da gestão do presidente democrata.

A grande dúvida é se os republicanos usarão seu poder para continuar obstruindo a agenda legislativa de Obama ou se poderão colaborar com o presidente em áreas nas quais existem interesses coincidentes, como reforma tributária e autorização para negociação de acordos comerciais com outros países. 

O presidente convocou reunião na sexta-feira com representantes dos dois partidos para discutir os passos que serão dados a partir de agora no relacionamento entre a Casa Branca e o Congresso. 

Apesar de a economia americana ter registrado crescimento anualizado de 3,5% no terceiro trimestre e o desemprego ter caído para 5,9%, os eleitores continuam insatisfeitos com a situação do país. 

Levantamento divulgado pela CNN depois da votação indicou que a economia era a principal questão para 45% dos que foram aos locais de votação ontem. Em segundo lugar aparecia a assistência médica, mencionada por 24% dos entrevistados. Para 69% dos eleitores, a situação econômica é ruim e 65% declararam que o país caminha na direção errada.



Nenhum comentário:

Postar um comentário