sexta-feira, 17 de outubro de 2014

O câncer e a vida - uma experiência

Almir, Eli e Ana Raquel

Uma coisa é ler ou ouvir falar sobre pessoas que estão com câncer sem conhecê-las.
Outra coisa é conviver com parentes e amigos queridos durante o início, o meio e o fim do tratamento, particularmente quando o fim é a morte da pessoa querida.

Há anos que trabalhamos e convivemos com Almir e Eli. Tanto na CUT, como na CNM - Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT e na ADS-CUT - Agência de Desenvolvimento Solidário da CUT. Com o tempo ficamos amigos e vibramos de alegria quando soubemos que, depois de várias tentativas, finalmente o casal ia ter uma filha. Acompanhamos a gravidez e o nascimento de Ana Raquel. Ter filho sempre é bom, mas ter uma filha sempre tem um gostinho a mais…

Quando Ana Raquel completou 9 anos de alegrias com os pais, parentes e amigos, de repente começou a aparecer uma dor diferente e que não passava, mesmo com tratamento elementar. Aos poucos os médicos foram fazendo mais exames, até chegaram ao fatídico diagnóstico: câncer.

Um grande choque para todos, uma grande indagação:
Teria cura? Em quanto tempo? Sofreria muito?

O tempo foi mostrando que superar um câncer nunca é fácil para ninguém. Para nossa grande admiração, os pais se superaram em dedicação, carinho e apoio. Sofriam em silêncio e cresciam em apoio material e emocional. Uma lição de vida.

Depois de muitas cirurgias, muito apoio dos coleguinhas e das professoras na escola, muito apoio dos parentes e amigos, passados quatro anos, Ana Raquel faleceu dia 14 e os amigos despediram-se ontem, dia 15. Dia nacional dos professores e professoras.

Foi uma lição de vida para todos nós. Muitos choraram por Ana Raquel, mas também por Almir e Eli. Temos certeza de que Ana Raquel será bem recebida no Céu e que Almir e Eli saberão superar este momento tão delicado.

O mundo já evoluiu tanto, mas ainda não o suficiente para curar todos os tipos de câncer, principalmente em crianças. Sabemos que um dia isto vai acontecer. Até lá, além das pesquisas científicas, nos propomos a ser solidários com os amigos e parentes que forem vítimas desta terrível experiência.


Nenhum comentário:

Postar um comentário