quarta-feira, 22 de outubro de 2014

A Folha está contra a Fraude Eleitoral?

Com nova pesquisa, sim

A Folha fez duas pesquisas numa mesma semana, como forma de mostrar que não está errada. Com isto preserva a imagem do Datafolha, como instituto mais sério do Brasil.

Aécio nega os resultados das pesquisas do Datafolha. Dirigentes tucanos ficam agressivos em função do desgaste com a falta de água em São Paulo. A insegurança toma conta da campanha tucana.

Todas as pesquisas indicam Dilma subindo e Aécio descendo, sinalizando vitória de Dilma no domingo. Por enquanto, ainda dentro da margem de erro de "dois prá lá e dois prá cá", o que dá 4% de diferença.

Vejam que Dilma aparece na pesquisa da Folha de hoje exatamente com 47% e Aécio com 43%.  Se Dilma crescer mais um ponto, ficará livre do empate técnico. Quem viu as últimas manifestações populares de apoio a Dilma sabe que a tendência daqui para frente é Dilma crescer e Aécio cair. A Folha vem sinalizando isto, com seriedade.

E se o pessoal de Aécio, especialmente em São Paulo, estiver armando como fizeram no primeiro turno? Como justificar o confronto com a Folha? Afinal, no primeiro turno tinha o argumento de que Aécio crescia e Marina caia.

Agora é Aécio que está caindo e Dilma subindo, portanto, numericamente fica difícil manipular os números na informática da urna eletrônica sem criar um constrangimento nacional.  E o vale tudo? Vale a pena correr o risco de ser desmascarado, mesmo ganhando as eleições? Parece que a Folha, além de ser contra este tipo de artifício, não quer correr o risco.

Eu acho que o Brasil está vivendo momentos decisivos de sua História. 
Podemos ter uma ruptura através de fraude eleitoral, 
o que é pior do que a ruptura com o golpe militar de 1964.

No golpe de 1964, a disputa foi aberta e contou com o apoio direto das Forças Armadas brasileira e americanas. Agora, a disputa está sendo através da fraude, negando o direito de o povo escolher livremente seus representantes. Lembrem-se que a informática americana já acessou e-mails e celulares de pessoas como Dilma e Ângela Merckel, da Alemanha. Além de espionagem na Petrobras. 

Vejam os números do Datafolha de hoje.

Datafolha:
Dilma tem 47% e Aécio 43% de intenções de votos
ou 52% para Dilma e 48% para Aécio, nos votos válidos.

Da mesma forma que a Folha foi decisiva no apoio a  Campanha das Diretas Já, pela redemocratização do Brasil, neste momento, a coragem da Folha em ser contra esta nova tentativa de fraude em São Paulo pode impedir mais um golpe em nossa tênue democracia. A Folha pode ser neoliberal e contra o PT, mas não é e não está sendo golpista.

E os demais jornais e instituições brasileiras, como estão se posicionando?
O tempo sempre foi o grande aliado da Verdade e da História.

É hora de saber quem está a favor do Brasil e dos brasileiros.
O povo está com Dilma, a mulher do Coração Valente. E você?

Nenhum comentário:

Postar um comentário