sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Datafolha, pesquisas e versões

Informações, versões e verdades

Várias formas de mostrar a mesma coisa.

Vou mostrar abaixo o noticiário nos jornais e nos sites sobre a nova pesquisa Datafolha, de propriedade da Folha de S.PLaulo, e as várias formas de abordar o assunto:

1 - Manchete da Folha - principal matéria:
      "Sob Dilma, queda da desigualdade trava no país"
     
2 - Segunda matéria da capa da Folha:
      "Dilma lidera no primeiro turno, mas empata com Marina no segundo"
       - em letras menores: Presidente abre 7 pontos sobre candidata do PSB(Marina), mostra Datafolha;
        Aécio oscila de 15% a 17%.

3 - Chamada no site da UOL - também de propriedade da Folha de S.Paulo:
      "Dilma tem 37% e abre vantagem sobre Marina, com 30%, diz pesquisa Datafolha.
      - Análise: "ex-ministra (Marina) vê índice de reprovação a seu nome bater novo recorde."

4 - Site do jornal Valor - também de propriedade da Folha e de O Globo
      "Dilma tem 37%, Marina recua para 30% e Aécio vai a 17%"

5 - Site do Estadão, já que o jornal não deu nada na capa sobre o novo Datafolha:
      "Correios abrem exceção para distribuir 4,8 milhões de panfletos de Dilma em SP"

Até aqui, podemos concluir que:

1 - A Folha recuou e reconheceu que Dilma cresceu e Marina parou;
2 - A Folha está mais preocupada em queimar Dilma do que mostrar a sua nova pesquisa;
3 - Quando a notícia é ruim, a Folha fala em "candidata do PSB" e esconde o nome de Marina, quando a notícia é boa, é mérito de Marina (sua candidata) e não do PSB (o hospedeiro);
4 - O jornal Valor (especulador com a Bolsa e apoiador de Marina), reconhece que "Marina RECUA (diminui - perde votos) para 30%.
5 - No Estadão, a Folha deu um baile e postou no seu jornal, deixando o Estadão na mão, como vingança pelo fato de o Estadão divulgar com destaque a pesquisa anterior do Ibolpe, onde o Datafolha saiu exagerando para Marina.
6 - Já no site do Estadão nesta sexta-feira, a manchete continua sendo a matéria sobre os Correios, para depois, em matéria menor, aparecer:
"Dilma amplia vantagem sobre Marina no primeiro turno, diz pesquisa" - por vingança do Estadão, o texto não diz de que é a pesquisa (Datafolha), diminuindo a importância da informação.

Agora vejam mais duas informações 
que não aparecem nas capas dos jornais:

1 - Ainda no Estadão, no Caderno 2, (de cultura e lazer), na página C2, Direto da Fonte - de Sonia Racy, que não gosta de petistas, vem a seguinte NOTA:

OSCILAÇÃO: 
Trackings (pesquisas telefônicas) feitos pela turma de Marina  estão apontando estagnação da candidata, bem como de Aécio. E um leve crescimento de Dilma.

2 - Para mostrar que Sonia Racy está bem informada e que a grande imprensa está escondendo o jogo, além da NOTA publicada no Caderno de Cultura e Lazer (não de política, além de ser o último caderno do jornal, embora seja o melhor para mim), vou mostrar o tracking de ontem, sexta-feira, para o primeiro turno, apresentado pelo pessoal da campanha de Dilma, mas é feito por empresa do mercado:
Dilma 37%
Marina 26%
Aécio 16%

Vejam que a diferença entre as duas é de 11%, enquanto no Datafolha é de apenas 7%. Daí porque a Folha não pode dizer que está com empate técnico no primeiro turno. Os fatos provariam o contrário. A vantagem está aumentando.

Não vou mostrar o segundo turno, porque, como Dilma está ampliando a vantagem, pode levar ao desespero da Bolsa de Valores, os banqueiros especuladores poderão gerar pânico no mercado e a imprensa pode pedir que o Judiciário suspenda as eleições para começou tudo de novo, desde que o jogo fique ainda mais difícil para Dilma. E FHC vai querer viajar de novo para Chicago e Washington para pedir mais orientações aos americanos.

Até o final do dia 5 de outubro, sofreremos mais do que cavalo velho carregando carroça. Cada dia a imprensa apresentar mais análises da tragédia do fim do mundo, pondo a culpa em Dilma, coitada. A imprensa vai até dizer que, com Lula o Brasil era um sonho de bondade, mas que com Dilma tudo parou, até a Terra parou, como dizia o velho Raul Seixas.

Ainda bem que os jovens estão percebendo que Marina é um blefe. Que FHC diz que apoia Aécio mais faz campanha para Marina e que, na verdade, a disputa é entre quem quer ajudar o povo ou quem quer entregar o Brasil aos banqueiros e privatistas. Se for para defender o neoliberalismo, Aécio tem mais experiência, não precisa de suplente...

Se for para defender o Brasil, temos a mulher do Coração Valente.
Dilma presidente!

2 comentários:

  1. Muito boa interpretação, Gilmar. Abração do Barroso

    ResponderExcluir
  2. VAI VENDO AI !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir