terça-feira, 19 de agosto de 2014

Rede Globo e a herança da ditadura

Democracia aos pedaços

A transição brasileira da ditadura militar para a democracia aconteceu, como quase tudo na nossa história, de forma lenta e gradual, mantendo-se a estrutura de poderes com os mesmos poderes acumulados durante a ditadura.

Até a Anistia aprovada pelo Congresso Nacional refletiu esta mesma mentalidade de ceder um pouco mas não mudar no essencial.

Depois ainda tivemos a Assembléia Nacional Constituinte que elaborou uma nova Constituição que também reflete a preservação da manutenção do "status quo" e a mesma estrutura de poder.

Com a vitória de Collor e FHC, tivemos a introdução do neoliberalismo no Brasil, com privatizações  e a concentração de poderes nas mãos de grandes conglomerados, principalmente, os de São Paulo. Como é o caso do Sistema Financeiro. Políticas públicas com Estado mínimo e tudo privatizado não funciona.

Entender os poderes através da economia é mais difícil do que entender os reflexos da concentração de poderes em época eleitoral e na qualidade de vida da população. Nas eleições as feridas abertas e as contradições se escancaram...

Toda vez que temos eleições, em qualquer nível, vemos os políticos pedirem dinheiro para os grandes empresários para poderem fazer campanhas milionárias. Temos também a Justiça Eleitoral que regulamenta as eleições conforme a conjuntura.

Além do financiamento de campanhas eleitorais por grandes empresas, o que mais demonstra a herança da ditadura no Brasil é o poder da Rede Globo e a forma como esta empresa de comunicação trata os políticos e mesmo o cidadão comum. Proprietária de um grande conglomerado de comunicação em todo Brasil, com poder de influenciar a grande maioria da população, por ter construído toda esta estrutura durante a ditadura e colocá-la a serviço dos governos militares, a Rede Globo trata os políticos como Vassalos, que merecem minutos de atenção ou de ódio.

É inimaginável que um país grande e importante como o Brasil, ao ter eleições presidenciais, os candidatos fiquem morrendo de medo de serem sabatinados pelos jornalistas de plantão desta emissora. Já tivemos a manipulação da Globo na época de Collor contra Lula. Agora temos a manipulação do noticiário.

Se existe o Horário Eleitoral para todos os partidos,
nenhum candidato precisa submeter-se ao vexame
perante os inquisidores de plantão na Rede Globo.

Por que os partidos políticos aceitam esta humilhação?
Por que o TSE aceita esta situação vexatória? 
Onde estão os poderes constituídos e a lógica do estado republicano?

Tudo isto evidencia a necessidade de se fazer uma Nova Constituinte.
Tudo isto demonstra a necessidade de se avançar na Democracia
e acabar com as heranças malditas da ditadura militar brasileira.

Precisamos de novos tempos,
precisamos de novas formas de viver coletivamente,
precisamos de políticas publicas que consolidem a Democracia e a Cidadania.

Comunicação é parte fundamental para a Educação e Formação. 
E a Rede Globo não tem dado bons exemplos de Cidadania e Educação.
Daí precisarmos repensar a regulamentação dos meios de comunicação no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário