domingo, 24 de agosto de 2014

Getúlio, Lula, a Imprensa e os Paulistas

São Paulo por trás dos golpes e levantes

A Revolução de 1930 foi contra os paulistas, que controlavam o Brasil com a política velha de Café com Leite, tendo Minas como coadjuvante. Os Tenentes derrotaram a República Velha que tinha sede no Rio de Janeiro mas era governada a partir de São Paulo. O mundo passava por profundas transformações...

Getúlio representou uma nova forma de governar o Brasil, deixando São Paulo em segundo plano. Em 1932 o Estado de São Paulo pega em armas contra Getúlio, exigindo uma nova Constituinte e uma nova relação de poder. Getúlio derrotou mais uma vez São Paulo.

Em 1937 Getúlio decretou o Estado Novo e aproveitou o clima da Segunda Guerra Mundial para barganhar com os alemães e os americanos. Como os americanos estavam mais fortes, Getúlio acabou aliando-se aos americanos, embora cobrando caro pela aliança. Os americanos cederam mas ficaram de olho em Getúlio.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, os americanos exigiram a saída de Getúlio no Brasil e de Peron na Argentina. Os paulistas acharam aí uma boa oportunidade de derrubar Getúlio, Vindo Dutra no lugar. Getúlio voltou eleito e mais populista. Os paulistas e os americanos não suportaram esta volta pela esquerda e exigiram sua renúncia.

A imprensa, como sempre foi o principal porta voz dos conservadores paulistas e seus aliados. Financeiramente os americanos deram retaguarda para a oposição. Como fazem até hoje, desde que a oposição seja conservadora.

Com a Guerra Fria, que deu continuidade à guerra formal, só que em vez de ser contra os alemães nazistas, agora era uma guerra contra os russos comunistas e ameaça de internacionalização do comunismo, os Estados Unidos não aceitavam nenhum governo progressista do lado ocidental, muito menos na América Latina.

Getúlio e Peron eram os dois governantes mais fortes e mais rebeldes, tinham que ser derrubados, pois, da mesma forma que namoraram o nazismo, poderiam namorar o comunismo. Este é o argumento maniqueísta dos americanos e dos paulistas. Caberia à imprensa fazer a campanha de formação de opinião.

Getúlio suicidou-se ou foi suicidado.
É uma questão de enfoque ou de olhar...
Esta mania atual de se escrever sobre a pessoa e omitira o contexto histórico faz parte da coisificação da história e para esconder o conservadorismo de quem escreve. As pessoas são importantes, mas são produtos da época e do meio de produção.

Nesta interação, a história individual diz conta pouco. Se Getúlio não morresse, seria derrubado. Foi assim também com Allende no Chile. Getúlio foi o governante mais importante da História do Brasil e a pessoa que consegue ofuscar a importância de Getúlio é LULA.

Eu, particularmente, dou mais importância a Lula por ele nunca ter optado pela ditadura, nem nunca ter entregue pessoas a assassinos nazistas como Getúlio fez com Olga Benário Prestes.

Lula prefere perder ou adiar seus projetos por respeitar a Democracia a querer implantar suas ideias mesmo que tenha que fechar o Congresso Nacional ou censurar a Imprensa. Lula é um democrata, seguidor do capitalismo social e defensor dos pobres por convicção de vida e valores religiosos.

A imprensa e os paulistas fazem campanha contra Lula porque Lula fez um governo para o Brasil sem ficar refém dos paulistas e do capitalismo internacional. O capitalismo de Lula é para o Brasil e não para ser controlado por São Paulo, com seus bancos, suas indústrias e suas usinas de cana e soja...

O Brasil precisa de São Paulo e
São Paulo precisa do Brasil.

O Brasil precisa mais de um Lula do que de um Getúlio.
O neoliberalismo do PSDB paulista já mostrou ao Brasil que sua receita é de desemprego, arrocho salarial e desnacionalização da nossa economia. Lula, na sua simplicidade, defende mais o Brasil do que todos os intelectuais do PSDB de São Paulo.

Em função disto, é bombardeado pela imprensa, como Getúlio também foi. Ainda não ameaçaram Lula de morte, mas fazem de tudo para impedir que ele volte a governar. Daí o ódio a Dilma. A direita brasileira sabe que se Dilma ganhar estas eleições o caminho fica aberto para Lula voltar em 2018.

Como a História não se repete e Lula não é Getúlio,
o Brasil e os brasileiros, desta vez, serão os grandes vencedores.
Dilma vai ser reeleita e Lula voltará...

Nenhum comentário:

Postar um comentário