quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Eleições, Política e Modernidade

Como modernizar o Brasil?

A forma como a política partidária está organizada não serve.
As regras atuais acabam transformando a imagem dos políticos em pessoas mal vistas e um peso aos cofres públicos e, por sua vez, um peso aos contribuintes.

Este mesmo consenso se dá em relação aos governantes, que também são vinculados a todos os partidos políticos existentes. Sendo 32 partidos registrados ou em registro e mais de 20 partidos com representação no Congresso Nacional.

Quando chega cada eleição - um ano sim outro não - a população é obrigada por lei a ir votar, mesmo a contragosto e eleger o menos ruim ou o melhorzinho. Depois das eleições a população continua reclamando do transporte, da saúde, da educação, do custo de vida, da violência e até dos cachorros que viraram moda em apartamentos e casas.

Quando perguntamos às pessoas como poderemos mudar esta situação, a maioria diz que não sabe. Mas, em cada eleição aparecem os candidatos que se dizem "não políticos".  Mas todos são candidatos por algum partido, como a lei exige. Logo, todos viram políticos e atuam na mesma estrutura política degenerada, mesmo os religiosos.

Poderá uma candidatura avulsa mudar a estrutura política nacional e modernizar o Brasil?

Quem quer que seja eleito ou eleita presidente do Brasil terá que governar mais uma vez com os políticos que foram eleitos para o Congresso Nacional. Isto é, com os mais de vinte partidos existentes. Foi assim com Sarney, com Collor, com FHC, com Lula e com Dilma. Todos governaram com os mesmos políticos e os mesmos partidos.

Esta eleição não pressupõe mudança estrutural da política nacional.

Precisamos de uma Nova Constituição.
Que estabeleça novas regras de ética, transparência e sobriedade na gestão pública. Os direitos e deveres devem ser iguais tanto para as empresas como os trabalhadores, tanto para os homens como para as mulheres, tanto para os setores públicos como os setores privados. Precisamos simplificar os impostos e o sistema tributário.

Para que haja mudanças efetivas é necessário que se convoque uma Assembleia Nacional Constituinte para se elaborar uma nova Constituição, que estimule a modernização da sociedade brasileira. Não é uma tarefa fácil, mas é mais do que necessária.

Por que nenhum dos candidatos mais competitivos defende a Constituinte? 
Eu defendo um governo de unidade nacional, sem excluir, a priori, nenhum partido legalizado e com a responsabilidade de convocar esta Constituinte. O Brasil mudou, cresceu e deixou de ser um país de maioria pobre e miserável.

Hoje a ampla maioria da população está na classe média.
Hoje os favelados e os trabalhadores rurais são parte efetiva da nossa sociedade. Quase todos tomam banho de água quente, têm geladeira, fogão à gás e até transporte motorizado, seja motos ou carros novos ou usados. Hoje são todos cidadãos. Somos todos brasileiros e brasileiras.

Materialmente estamos melhores, mais estudados e mais felizes.
Porém precisamos de mais conquistas sociais e mais direitos, como melhor mobilidade urbana, universalização das políticas públicas e, principalmente, moralidade no política, no judiciário e na segurança.

O Brasil precisa continuar avançando
para ser de todos, com todos e para todos,
e isto só se tornará realidade com uma Nova Constituição.

O povo quer mais participação e transparência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário