quinta-feira, 14 de agosto de 2014

A imprensa desistiu de Aécio?

Ou quer usar Marina para forçar segundo turno?

É lamentável, mas a imprensa está usando a morte de Eduardo Campos como oportunidade para forçar segundo turno nas eleições presidenciais.

A dúvida é se a imprensa desistiu de Aécio e quer eleger Marina,

ou se a imprensa quer usar Marina para forçar o segundo turno
como fez nas eleições anteriores de 2006 e 2010.

Vejam mais esta matéria publicada no Valor de hoje (dia 14):

Com Marina, eleição fica mais equilibrada

Valor - 14/08/2014 às 05h00

Por Cristian Klein, Renata Batista, Sergio Lamucci e Elisa Soares |
De São Paulo, Washington e Rio

Provável candidata à Presidência - depois da morte de Eduardo Campos - a ex-senadora Marina Silva, vice na chapa do PSB, deve equilibrar a disputa ao Planalto ao tirar votos do tucano Aécio Neves (PSDB) e da presidente Dilma Rousseff (PT), e favorecer a realização do segundo turno. As previsões são de especialistas consultados pelo Valor PRO.
Para Alexandre Rands, assessor da campanha de Campos, no entanto, Marina pode ter um bom ponto de partida, por ser mais conhecida, mas "terá mais dificuldade de crescimento" - numa declaração que põe dúvida sobre o grau de adesão que a ex-senadora terá no PSB para substituir o líder e presidente nacional do partido.
O diretor do instituto Datafolha, Mauro Paulino, afirma que Marina Silva tiraria mais votos de Aécio do que de Dilma Rousseff. O perfil dos eleitores da ex-senadora, argumenta, é mais parecido com o tucano do que com o da petista. Concentra-se nos grandes centros urbanos, em cidades com mais de 200 mil habitantes, mais escolarizados e com renda mais alta - como o de Aécio. Já Dilma tem mais preferências entre os eleitores de municípios com menos de 100 mil habitantes, menos escolarizados e com renda mais baixa.
Cauteloso, Paulino não arrisca dizer se Marina já apareceria à frente de Aécio, nas primeiras pesquisas - o Datafolha, a propósito, antecipou para esta semana levantamento que seria feito na segunda e terça-feira. Em abril, na última pesquisa do instituto em que o nome da ex-senadora constou, Marina registrou 27%, contra 16% de Aécio e 39% de Dilma.
Esse cenário, no entanto, não incluía os candidatos "nanicos", que hoje chegam a reunir quase 10%. Por isso, Paulino considera que o melhor parâmetro para estimar quanto Marina teria é seu desempenho na eleição presidencial de 2010, incluindo os votos nulos e em branco. Neste caso, o patamar de Marina seria de 17,7% dos votos. É quase dez pontos percentuais acima do registrado por Campos. No último Datafolha, de julho, o pessebista obteve 8%, contra 20% de Aécio e 36% de Dilma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário