domingo, 31 de agosto de 2014

Jasmim e Primavera florindo

Valeu a espera...

Vejam os pontinhos brancos... São flores do jasmim e as fotos foram tiradas da janela do nosso quarto.


Antes só tinha uma flor. Agora já são várias. Durante a semana serão dezenas. 
Foram cinco anos de cuidados. Valeu a espera...


As flores brancas do jasmim são como pequenas estrelas. 
E convivem muito bem com as flores vermelhas da primavera.
Sobre o muro da frente da nossa casa, o fundamental é o Sol.


José Simão para presidente!

Negação por negação, vote em José Simão!

Pronto! Se falta um Tiririca para presidente e os jovens críticos aos partidos políticos estavam optando por Marina como voto de protesto, ignorando que quem está bancando Marina são os banqueiros e economistas neoliberais, a melhor opção para protestar é votar em José Simão, o presidente do PGN - o Partido da Genitália Nacional.  Isto sim é que é protesto!

A imprensa vem estimulando esta opção por Marina como protesto. Mas, imaginem que ao primeiro grito de Malafaia, o pastor conservador que é contra o casamento gay e contra o aborto legal, Marina recua com medo de ser excomungada, imaginem como será seu governo tipo Jânio Quadros de saia?

Por isto que, ao ser perguntado pelos jovens como fazer para protestar, eu aviso logo: Loucura por loucura, escolha uma boa candidatura - José Simão para presidente! Este você conhece, você confia.

Vote no PGN, José Simão para presidente e Boechard para Ministro da Fazenda.
Pronto! O governo será revolucionário, transparente e todos conhecerão as regras do jogo.

Porém, se mesmo assim, você quiser escolher um tucano enrustido para aplicar o arrocho salarial, o desemprego e aumentar as privatizações, além de demitir funcionários públicos e de estatais,
pode escolher o Jânio de Saia - rima até com Malafaia....

sábado, 30 de agosto de 2014

Folha descarta Aécio

Chegamos a fase decisiva da campanha

Tanto para Aécio, como para Dilma. 

Aécio precisa aceitar seu novo papel de coadjuvante e franco atirador contra Dilma para poder ter um cargo no governo Marina, se esta ganhar a eleição.

Já Dilma, precisa mostrar aos beneficiários das políticas públicas de Lula e de seu governo que, caso Marina ganhe, estes benefícios deixarão de existir, cabendo a eles também se defenderem para garantirem seus direitos e suas conquistas.

Os milhões de beneficiários, das pequenas e das grandes cidades, universitários, com moradias próprias e tantos benefícios precisam entender que case Marina ganhe teremos mais desemprego e mais arrocho salarial a qualidade de vida vai piorar mais ainda.

O próprio jornal Estadão deste sábado declara que Marina sinaliza com a economia conservadora e no social mais liberal, aceitando casamento gay e aborto legal. Pelo jeito os valores religiosos começaram a ficar para segundo plano, ou somente para dentro de casa.

O jornal Valor de ontem (sexta-feira) já mostrou que Marina vai entregar o Banco Central e o sistema financeiro para os bancos privados (leia-se Itaú) e vai diminuir o papel do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal. Só falta aceitar a privatização da Petrobrás. Quem duvida?

A Folha de São Paulo concluiu que era hora de descartar Aécio, reduzindo seu porcentual de 19 para 15%. Na verdade, Aécio está mais para 10% ou 8% como estava Eduardo Campos. A estratégia da Folha é forçar o crescimento de Marina para tentar chegar na frente já no primeiro turno, facilitando a campanha do segundo turno.

Agora é tudo ou nada.
Quem chegar em primeiro lugar no dia 05 de outubro
poderá fazer a campanha "vote em quem está ganhando".

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Flores de esperança

Primaveras e jasmins

Estamos chegando ao mês de setembro e as flores aumentam em nossa cidade. Até nosso jasmim da frente de casa floriu pelas primeira vez há cinco anos. A primavera sempre floresce nesta época. Já as lágrimas de Cristo estão hibernando. Só voltam quando chover e aumentar a temperatura.

Vejam esta foto.


A flor do jasmim está perto da flor da primavera. Precisei usar a escada para tirar a foto, mas não sei amplia-la para ficar mais visível. No entanto, muitas flores estão vindo.

Bom dia por hoje e até amanhã porque hoje eu estou indo para o Rio de Janeiro e volto no início da noite.

Coração Valente e Dilma presidente!

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

De Xapuri (Acre) para o Brasil

Vozes da Floresta Amazônica
NOTA DE ESCLARECIMENTO
Diante da declaração da candidata à Presidência da República para as próximas eleições, Marina Silva, onde esta coloca o companheiro Chico Mendes junto a representantes da elite nacional, o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Xapuri (Acre), legítimo representante do legado classista do companheiro Chico, vem a público manifestar-se nos seguintes termos:
Primeiramente, o companheiro Chico foi um sindicalista e não ambientalista, isso o coloca num ponto específico da luta de classes que compreendia a união dos Povos Tradicionais (Extrativistas, Indígenas, Ribeirinhos) contra a expansão pecuária e madeireira e a consequente devastação da Floresta.
Essa visão distorcida do Chico Mendes Ambientalista foi levada para o Brasil e a outros países como forma de desqualificar e descaracterizar a classe trabalhadora do campo e fortalecer a temática capitalista ambiental que surgia.
Em segundo, os trabalhadores rurais da base territorial do Sindicato de Xapuri (Acre), não concordam com a atual política ambiental em curso no Brasil idealizada pela candidata Marina Silva enquanto Ministra do Meio Ambiente, refém de um modelo santuarista e de grandes Ong's internacionais.
Essa política prejudica a manutenção da cultura tradicional de manejo da floresta e a subsistência, e favorece empresários que, devido ao alto grau de burocratização, conseguem legalmente devastar, enquanto os habitantes das florestas cometem crimes ambientais.
Terceiro, os candidatos que compareceram ao debate estão claramente vinculados com o agronegócio e pouco preocupados com a Reforma Agrária e Conflitos Fundiários que se espalham pelo Brasil, tanto isso é verdade, que o assunto foi tratado de forma superficial.
Até o momento, segundo dados da CPT, 23 lideranças camponesas foram assassinadas somente neste ano de 2014. Como também não adentraram na temática do genocídio dos povos indígenas em situação alarmante e de repercussão internacional.
Por fim, os pontos elencados, são os legados do companheiro Chico Mendes: Reforma Agrária que garanta a cultura e produção dos Trabalhadores Tradicionais e a União dos Povos da Floresta.
Xapuri, 27 de agosto de 2014

José Alves – Presidente
Sindicato dos Trabalhadores 
e Trabalhadoras Rurais de Xapuri (Acre)

Salário Mínimo com Dilma

Salário Mínimo com FHC

A UOL noticiou hoje que o NOVO Salário Mínimo
apresentado pelo Governo Dilma será de R$788,06 para o ano de 2015.

Lembramos que o Salário Mínimo deste ano, também do Governo Dilma, é de R$724,00.

O Salário Mínimo no Governo FHC, que atualmente apoia Marina, era de apenas 80 dólares.

Vamos comparar os Salários Mínimos de FHC com os salários mínimos de Dilma e Lula?

Ao valor de hoje, o valor do dólar é de 2,555 reais. Portanto:

1 - SM de FHC = 80 dólares = 204,40 reais
2 - SM de Dilma e Lula em 2014 = 283 dólares = 724,00 reais
3 - SM de Dilma para 2015, em valor de hoje = 308 dólares = 788,06 reais.

Dá para comparar o neoliberalismo de FHC com a valorização dos salários e dos empregos nos governos Lula e Dilma?

Este salário mínimo mudou para melhor a vida de dezenas de milhões de brasileiros e brasileiras do campo e da cidade, principalmente os aposentados.

O Brasil está se dividindo entre os que apoiam Dilma e os que apoiam Marina.

Aécio já saiu do páreo. Agora os banqueiros e especuladores que apoiavam Aécio passaram a apoiar Marina. Os economistas neoliberais, que arrocharam salários, causaram desemprego e privatizaram no governo FHC também estão com Marina.

Nestas eleições, a imprensa está tentando induzir os trabalhadores a votarem em Marina, mas não dizem que se Marina ganhar quem vai mandar na economia serão os banqueiros e os economistas neoliberais. A imprensa presta um desserviço aos brasileiros e brasileiras.

Cabe aos movimentos sociais e aos sindicalistas em especial, fazerem a campanha em defesa das conquistas dos últimos doze anos e mostrar quem está do lado dos trabalhadores e trabalhadoras e quem está do lado dos banqueiros e dos privatistas neoliberais.

Contra fatos não há argumentos!
O destino mudou as candidaturas com o acidente do avião,
da mesma forma que o acidente mostrou para todos de que o avião estava irregular e na ilegalidade.

A vida é assim,
nem todos que dizem Senhor, Senhor, entrarão no Reino do Céu.

Não é suficiente se dizer puro,
é preciso comprovar o tempo todo a sua pureza.

Não adianta dizer que não sabia de nada.
Não adianta dizer que vai manter o Salário Mínimo de Dilma e Lula, enquanto os economistas neoliberais que assessoram Marina dizem que precisa mudar a politica de Salário Mínimo.

Dilma já fez, está fazendo e continuará fazendo.
Não adianta trocar o certo pelo duvidoso.
O negocio é votar na mulher do Coração Valente.
Dilma presidente!


quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Eleições, Política e Modernidade

Como modernizar o Brasil?

A forma como a política partidária está organizada não serve.
As regras atuais acabam transformando a imagem dos políticos em pessoas mal vistas e um peso aos cofres públicos e, por sua vez, um peso aos contribuintes.

Este mesmo consenso se dá em relação aos governantes, que também são vinculados a todos os partidos políticos existentes. Sendo 32 partidos registrados ou em registro e mais de 20 partidos com representação no Congresso Nacional.

Quando chega cada eleição - um ano sim outro não - a população é obrigada por lei a ir votar, mesmo a contragosto e eleger o menos ruim ou o melhorzinho. Depois das eleições a população continua reclamando do transporte, da saúde, da educação, do custo de vida, da violência e até dos cachorros que viraram moda em apartamentos e casas.

Quando perguntamos às pessoas como poderemos mudar esta situação, a maioria diz que não sabe. Mas, em cada eleição aparecem os candidatos que se dizem "não políticos".  Mas todos são candidatos por algum partido, como a lei exige. Logo, todos viram políticos e atuam na mesma estrutura política degenerada, mesmo os religiosos.

Poderá uma candidatura avulsa mudar a estrutura política nacional e modernizar o Brasil?

Quem quer que seja eleito ou eleita presidente do Brasil terá que governar mais uma vez com os políticos que foram eleitos para o Congresso Nacional. Isto é, com os mais de vinte partidos existentes. Foi assim com Sarney, com Collor, com FHC, com Lula e com Dilma. Todos governaram com os mesmos políticos e os mesmos partidos.

Esta eleição não pressupõe mudança estrutural da política nacional.

Precisamos de uma Nova Constituição.
Que estabeleça novas regras de ética, transparência e sobriedade na gestão pública. Os direitos e deveres devem ser iguais tanto para as empresas como os trabalhadores, tanto para os homens como para as mulheres, tanto para os setores públicos como os setores privados. Precisamos simplificar os impostos e o sistema tributário.

Para que haja mudanças efetivas é necessário que se convoque uma Assembleia Nacional Constituinte para se elaborar uma nova Constituição, que estimule a modernização da sociedade brasileira. Não é uma tarefa fácil, mas é mais do que necessária.

Por que nenhum dos candidatos mais competitivos defende a Constituinte? 
Eu defendo um governo de unidade nacional, sem excluir, a priori, nenhum partido legalizado e com a responsabilidade de convocar esta Constituinte. O Brasil mudou, cresceu e deixou de ser um país de maioria pobre e miserável.

Hoje a ampla maioria da população está na classe média.
Hoje os favelados e os trabalhadores rurais são parte efetiva da nossa sociedade. Quase todos tomam banho de água quente, têm geladeira, fogão à gás e até transporte motorizado, seja motos ou carros novos ou usados. Hoje são todos cidadãos. Somos todos brasileiros e brasileiras.

Materialmente estamos melhores, mais estudados e mais felizes.
Porém precisamos de mais conquistas sociais e mais direitos, como melhor mobilidade urbana, universalização das políticas públicas e, principalmente, moralidade no política, no judiciário e na segurança.

O Brasil precisa continuar avançando
para ser de todos, com todos e para todos,
e isto só se tornará realidade com uma Nova Constituição.

O povo quer mais participação e transparência.

Muita poeira para pouco pó

 Aécio tenta sobreviver

As pesquisas estão cheias de mistérios....
Até a morte de Eduardo Campos o percentual de votos brancos, nulos e indecisos chegava a quase 50%. Com Marina, se pegarmos a pesquisa Ibope de ontem e somarmos os votos para os nanicos, os brancos, nulos e indecisos chegamos a um total de apenas 18%.

Até parece que o Brasil inteiro já se decidiu em quem vai votar em 5 de outubro. Não é uma verdadeira revolução?

Na mesma pesquisa Ibope,
Aécio é apresentado na espontânea com apenas 12%, de repente aparece com 19% na estimulada. Sete pontos a mais? Também na espontânea Marina aparece com 18% e pula para 29% na estimulada. Já a presidente Dilma, aparece na espontânea com 27% e na estimulada pula para apenas 34%. É o olhar e o desejo do dono da pesquisa? Parecem filhos de corujas...

Como diz o caipira, é muita poeira para pouco pó.

Ainda bem que a melhor pesquisa é o voto do povo na urna.

Sobre o debate, este sistema de debates que acaba a uma hora da madrugada é para quem não tem que trabalhar cedo no outro dia. Imaginem quem tem que acordar as seis da manhã e pegar ônibus, além de levar filhos para a escola.

Este tipo de debate deve servir para os marqueteiros fazerem campanha.

Ainda temos muita campanha até o dia 5 de outubro.
Vamos ver quanta poeira ainda será levantada
ou jogada para debaixo do tapete,
para poder medir a quantidade de pó.

Para o segundo turno só passarão duas.
E aí teremos outra campanha 

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Pesquisas: Como 2 + 2 são 5

Ou dois prá lá e dois prá cá

Hoje vamos ter mais pesquisas. 

O Ibope diz que vai divulgar sua nova pesquisa às 6:00 h da tarde.
Só que todo mundo já está discutindo a pesquisa do Ibope,
principalmente quem apoia Marina.
Tem gente dizendo que "os números serão números avassaladores".

Sabem o que querem dizer com isto?
Que Marina já liquidou Aécio no primeiro turno
e que pode disputar o segundo turno pau a pau com Dilma.

A ironia é que quanto mais se reforça este clima de oba oba pró Marina,
mais desidrata a campanha de Aécio,
e se reforça o clima de "nós contra eles".
Os desenvolvimentistas contra os neoliberais conservadores.

Já que todo mundo está falando dos números do Ibope,
vamos fazer um exercício de numerologia….

As pesquisas mais  sérias normalmente têm uma margem de erro de 2% para mais e para menos, o que pode fazer com que o intervalo entre um candidato a outro cheque a até 4%. Gerando portanto diferenças significativas entre uma pesquisa e outra.

Todas as pesquisas são pagas por empresas ou partidos que têm posições mais para um candidato ou para outro candidato. Isto é, os institutos ou apoiam Dilma ou são contra Dilma.

Como o Ibope é da Globo e o Datafolha é da Folha, e ambas são contra Dilma, logo, o uso da margem de erro será sempre contra Dilma e a favor de seus candidatos. Inicialmente ambas apoiavam Aécio e agora ambas estão apoiando Marina.

Esta margem de erro possibilita que se manipule os números sem poder ser acusadas de mentirosas ou desonestas… Na última pesquisa Datafolha, ela forçou os números de Aécio para cima. Mas já não afetava a pesquisa, na medida que o relevante eram as posições de Dilma e Marina. Aécio já estava fora do páreo…

Entendidos os "Dois prá lá e dois prá cá", 
vamos ver os números incluindo os "2 + 2 são 5", isto é, os números de deverão ser vistos como possíveis de ser "reinterpretados"recompondo-se as margens de erros, conforme as pesquisas internas (reservadas) das candidatas.

Os números do Ibope estarão perto de:

Dilma caindo para 34%,
Marina subindo para 27% - muito mais do que Aécio tinha antes e muito mais do que a pesquisa Datafolha,
Aécio caindo para 13%

Subtotal (1): Dilma 34%, oposição neoliberal 40% - portanto formalizando o segundo turno.

Nanicos - 9%
Brancos - 10%
Nulos - 7%

Subtotal (2): 26%

Total geral: 100%

Simulando o segundo turno, 
os responsáveis pelas pesquisas tentarão mostrar que 40% da oposição neoliberal é maior que os 34% de Dilma, portanto aumentando a possibilidade de Marina ganhar. Isto só seria possível se todos os votos de Aécio fossem para Marina e nenhum voto dos nanicos, dos nulos e brancos fossem para Dilma no segundo turno.

Até o segundo turno, muitas manipulações, mentiras nas pesquisas e na imprensa acontecerão. Vão estimular a vingança, o ódio e o revanchismo. Viveremos um clima infernal, tipo tudo ou nada.

Independente de quem ganhar estas eleições, o Brasil não será mais o mesmo.
As feridas ficarão abertas e a reconciliação será mais dolorosa e mais lenta.

Infelizmente, tudo isto faz parte da "cordialidade da elite" brasileira.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Pesquisas vão mostrar o que todo mundo já sabe

Aécio está despencando...

No ritmo que vai, logo, logo Aécio estará disputando com os nanicos.
O dilema é como ficarão as bancadas dos tucanos e seus aliados.
Uma turma já debandou para Marina os demais ficarão órfãos.
Quem diria...

O processo é irreversível. Aécio já está no terceiro lugar.
Dilma agora terá que enfrentar Marina.
Nos debates Aécio fará o papel de "franco atirador",
já não tem nada a perder,
a não ser a motivação.

Os banqueiros e os especuladores na Bolsa
já estão comemorando a queda de Aécio
e o crescimento de Marina.

Agora o debate é entre os que defendem o emprego e os salários
e os que defendem o desemprego e o arrocho salarial.

Nós que já conhecemos os tucanos de FHC já decidimos
Vamos continuar com a mulher do Coração Valente
Dilma presidente!

A imprensa está escondendo Dilma

Ainda bem que a eleição não depende da imprensa

A imprensa no Brasil sempre se achou poderosa e determinadora do processo histórico. Ledo engano. A imprensa é importante, diria mesmo que para fortalecer a democracia a imprensa é imprescindível. Isto não quer dizer que é a imprensa a principal definidora dos caminhos que o Brasil tenha que seguir.

Depois que houve a substituição de Eduardo Campos por Marina Silva e começou o horário eleitoral, a imprensa resolveu  esconder ou secundarizar as matérias sobre Dilma candidata. O que é mais ridiculo é que a imprensa resolve esconder a candidata que está em primeiro lugar nas pesquisas. Quem vê os jornais fica com a imprensa que existem apenas duas candidaturas - Marina e Aécio, e que Dilma é seja uma candidatura nanica que a imprensa mostra apenas por determinação da legislação. Depois esta imprensa quer falar em democracia e liberdade de expressão.

Só que as eleições não dependem da imprensa e o PT não depende da Folha, do Estado ou da Rede Globo. Lula ganhou as eleições contra a vontade destes jornais e TVs. Dilma também ganhará estas eleições contra a vontade desta mesma imprensa. É por isto que os donos da imprensa querem acabar com o horário eleitoral. Para terem monopólio da comunicação. Atualmente já é um oligopólio onde poucas famílias mandam em mais de 80% da imprensa. Imaginem se fosse monopólio!

Por falar em liberdade de opção e que a palavra final é sempre do povo, a imprensa agora está dizendo que Marina vai governar com o PSDB e com o PT. Isto é uma forma de tentar confundir e iludir o eleitorado, passando uma ideia de que Marina é boazinha e que governará com todos os partidos.

Falta só consultar os laterais.

Quem mandará na economia, num eventual governo de Marina, serão os banqueiros e os especuladores conhecidos como Neoliberais. Da mesma forma que foi o governo de FHC. O príncipe viajava pelo mundo com sua família e sua entourage e os banqueiros de bancos de investimentos tomavam conta da economia, privatizando tudo, especulando na bolsa e mantendo o câmbio sobre falso controle. Esta política neoliberal levou o Brasil a maxidesvalorização e ao desemprego, além da crise da indústria.

Seguraram a inflação mais quebraram o Brasil.  
Não adianta a imprensa mostrar Aécio dizendo que vai dar aumento para os aposentados. Mentira! FHC chamou os aposentados de vagabundos, fez o Fator Previdenciário que comeu e come em média 30% do salário do aposentado e segurou o salário mínimo. Com FHC o salário mínimo era de 80 dolares, com Lula e Dilma o salário mínimo é mais de 300 dólares.

A imprensa vai continuar mentindo e enganando,
e o povo brasileiro vai continuar escolhendo o Coração Valente.
Dilma Presidente!

domingo, 24 de agosto de 2014

Getúlio, Lula, a Imprensa e os Paulistas

São Paulo por trás dos golpes e levantes

A Revolução de 1930 foi contra os paulistas, que controlavam o Brasil com a política velha de Café com Leite, tendo Minas como coadjuvante. Os Tenentes derrotaram a República Velha que tinha sede no Rio de Janeiro mas era governada a partir de São Paulo. O mundo passava por profundas transformações...

Getúlio representou uma nova forma de governar o Brasil, deixando São Paulo em segundo plano. Em 1932 o Estado de São Paulo pega em armas contra Getúlio, exigindo uma nova Constituinte e uma nova relação de poder. Getúlio derrotou mais uma vez São Paulo.

Em 1937 Getúlio decretou o Estado Novo e aproveitou o clima da Segunda Guerra Mundial para barganhar com os alemães e os americanos. Como os americanos estavam mais fortes, Getúlio acabou aliando-se aos americanos, embora cobrando caro pela aliança. Os americanos cederam mas ficaram de olho em Getúlio.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, os americanos exigiram a saída de Getúlio no Brasil e de Peron na Argentina. Os paulistas acharam aí uma boa oportunidade de derrubar Getúlio, Vindo Dutra no lugar. Getúlio voltou eleito e mais populista. Os paulistas e os americanos não suportaram esta volta pela esquerda e exigiram sua renúncia.

A imprensa, como sempre foi o principal porta voz dos conservadores paulistas e seus aliados. Financeiramente os americanos deram retaguarda para a oposição. Como fazem até hoje, desde que a oposição seja conservadora.

Com a Guerra Fria, que deu continuidade à guerra formal, só que em vez de ser contra os alemães nazistas, agora era uma guerra contra os russos comunistas e ameaça de internacionalização do comunismo, os Estados Unidos não aceitavam nenhum governo progressista do lado ocidental, muito menos na América Latina.

Getúlio e Peron eram os dois governantes mais fortes e mais rebeldes, tinham que ser derrubados, pois, da mesma forma que namoraram o nazismo, poderiam namorar o comunismo. Este é o argumento maniqueísta dos americanos e dos paulistas. Caberia à imprensa fazer a campanha de formação de opinião.

Getúlio suicidou-se ou foi suicidado.
É uma questão de enfoque ou de olhar...
Esta mania atual de se escrever sobre a pessoa e omitira o contexto histórico faz parte da coisificação da história e para esconder o conservadorismo de quem escreve. As pessoas são importantes, mas são produtos da época e do meio de produção.

Nesta interação, a história individual diz conta pouco. Se Getúlio não morresse, seria derrubado. Foi assim também com Allende no Chile. Getúlio foi o governante mais importante da História do Brasil e a pessoa que consegue ofuscar a importância de Getúlio é LULA.

Eu, particularmente, dou mais importância a Lula por ele nunca ter optado pela ditadura, nem nunca ter entregue pessoas a assassinos nazistas como Getúlio fez com Olga Benário Prestes.

Lula prefere perder ou adiar seus projetos por respeitar a Democracia a querer implantar suas ideias mesmo que tenha que fechar o Congresso Nacional ou censurar a Imprensa. Lula é um democrata, seguidor do capitalismo social e defensor dos pobres por convicção de vida e valores religiosos.

A imprensa e os paulistas fazem campanha contra Lula porque Lula fez um governo para o Brasil sem ficar refém dos paulistas e do capitalismo internacional. O capitalismo de Lula é para o Brasil e não para ser controlado por São Paulo, com seus bancos, suas indústrias e suas usinas de cana e soja...

O Brasil precisa de São Paulo e
São Paulo precisa do Brasil.

O Brasil precisa mais de um Lula do que de um Getúlio.
O neoliberalismo do PSDB paulista já mostrou ao Brasil que sua receita é de desemprego, arrocho salarial e desnacionalização da nossa economia. Lula, na sua simplicidade, defende mais o Brasil do que todos os intelectuais do PSDB de São Paulo.

Em função disto, é bombardeado pela imprensa, como Getúlio também foi. Ainda não ameaçaram Lula de morte, mas fazem de tudo para impedir que ele volte a governar. Daí o ódio a Dilma. A direita brasileira sabe que se Dilma ganhar estas eleições o caminho fica aberto para Lula voltar em 2018.

Como a História não se repete e Lula não é Getúlio,
o Brasil e os brasileiros, desta vez, serão os grandes vencedores.
Dilma vai ser reeleita e Lula voltará...

O Ipê amarelo e o Sol


Vida e Luz

Chegamos ao final do mês de agosto e os de Ipê Amarelo tomam conta da cidade. Nossa rua tem três pés de Ipê amarelo. O menor já floriu há mais tempo, o médio está florindo e o maior émsempre o ultimo. 

Vejam o médio e suas flores.



As flores são estes pontos amarelos. Esta foto é de ontem, sábado. Hoje tem mais flores.


Neste domingo as flores começaram a cair, refletindo a intensidade do sol e o clima seco.



Esta é a flor solitária, em leno asfalto da rua. Tão bela quando ainda está na árvore, cai brilhante sob os raios solares e ficam na rua e na calçada reféns dos carros e das pessoas.

Vida e luz anunciando a vinda da primavera. Uma vida curta porém suficiente para embezar São Paulo, Brasília e onde houver o Ipê Amarelo. O mais bonito de todos...

sábado, 23 de agosto de 2014

O dilema de Fernanda Torres

Três em Um

Passei o dia de ontem, a noite e esta manhã pensando sobre o artigo de Fernanda Torres, publicado na Folha de ontem. O nome é ruim - Os Vermes - mas a mensagem é interessante.

Fernanda Torres tece longas considerações sobre as eleições atuais, os candidatos e seus partidos. Faz longos elogios a Eduardo Campo, como um candidato idílico, aquele que a gente gostaria que fosse, mesmo não sendo. Afinal, já morreu e isto libera os desejos e as fantasias...

O mais interessante é quando Fernanda Torres fala sobre "a animosidade que se criou entre PT e PSDB algo próximo do horror que levou Caim a ,atar Abel. O Brasil saiu perdendo, e muito."

Bingo! 
Para nós, que fizemos a opção pelo Brasil inclusivo, democrático, pluralista e moderno. Ou, o que podemos chamar de progressistas ou desenvolvimentistas, constatar que, depois de tantas lutas, as pessoas progressistas se dispersaram em vários partidos e se aliaram à direita, aos sustentadores da ditadura militar e aos entreguistas. Tudo isto para se manter no poder, mesmo que este poder seja efêmero, é muito triste.

O duro é que estas "alianças pela direita" acontecem com TODOS os partidos, inclusive do Eduardo e de Marina. Assim, tanto o PT, como o PSDB e o PSB, estão no mesmo barco chamado Brasil, com suas leis herdadas da ditadura.

O ideal é que conseguíssemos voltar a unificar-se numa frente ampla pela  modernização do Brasil, com inclusão social, emprego e competitividade internacional, com educação e saúde de qualidade e, acima de tudo, SEGURANÇA em primeiro lugar. Por que o PSDB, o PT e o PTB não conseguem viabilizar esta aliança? Que demônio grego ou freudiano impede esta aliança?

Se os três fizessem esta aliança e tivessem um candidato ou candidata o Brasil mudaria mais rapidamente. Mas este filme é antigo. Desde a Grécia, Roma, Inglaterra, França, Alemanha e tantos outros países. Está na natureza humana. As pessoas se unificam na dor e se separam na alegria...

Aí está o Dilema de Fernandinha! 
Nossa Fernanda Torres.Decifra-me ou te devoro!
Mas a vida não é como a gente quer. A vida é.

Eu, que fiz a opção pelos pobres, pela militância social e o compromisso com o Brasil para todos, sou contra o neoliberalismo e o privatismo. Por isto não apoio e não voto em quem se subordina aos neoliberais e privatistas. Eu prefiro aqueles que, mesmo errando, trabalha para todos os brasileiros e brasileiras.

Se eu pudesse escolher a pessoa ideal para presidência,
eu escolheria aquela que representa o Brasil de ontem e de hoje.

Eu escolheria a mãe de Fernandinha para presidente. 
Eu votaria em Fernanda Montenegro.
Acontece que Fernanda Montenegro não é candidata.

Como eu não posso votar em Fernanda Montenegro,
Vou votar na mulher do Coração Valente
Dilma para presidente!

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Confusão na área de Marina

Reação de Aécio?

Está difícil de entender o momento eleitoral. 
Os banqueiros apoiam cada vez mais Marina.
Marina, talvez entusiasmada com o apoio da imprensa e dos banqueiros,
começa a expulsar os políticos originários do PSB e de seus aliados.

Aécio reuniu seus coordenadores para tentar reagir.
FHC, Serra e seus aliados estavam juntos para ver o quê fazer.
Dá para acreditar nos tucanos paulistas?
Aécio que abra os olhos…

Tem gente comparando Marina com Collor
como "imprevisível e ingovernável".
A comparação é equivocada.
Collor sempre teve apoio de corruptos.
Enquanto não se conhece nada de corrupção em Marina.

Marina pode ser comparada a Jânio Quadros
Este sim, fazia um discurso moralista
mas levou o Brasil ao Golpe Militar de 1964
ao renunciar ao mandato,
tentando uma solução bonapartista ou messiânica.

Como a política está cheia de loucos
Os neoliberais querem um louco de cada vez.
Jânio, Lacerda, Collor, Marina
e quem puder derrotar o PT.
Esta história é antiga.

Marina promete independência ao Banco Central
É tudo que os banqueiros querem!
Talvez ela aceite até o "arrendamento da Amazonas a estrangeiros"
como forma de combater o desmatamento.

A independência do Brasil
não é importante para os neoliberais
nem para os privatistas e enteguistas.

O duro é ver Aécio perder para Marina
tanto em Minas Gerais como no Rio de Janeiro.
Para onde vai Aécio?
Mesmo São Paulo está abandonando Aécio.

Marina, com tanta confusão,
talvez ajude a recuperar os votos de Aécio…

Enquanto isto,
Dilma e Lula vão mostrando tudo que já fizeram
e que vão continuar fazendo.

Melhorando o Brasil e os brasileiros.
Esta mulher sim
Tem um Coração Valente
Dilma presidente!



quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Marina assume o neoliberalismo

Os bancos abandonam Aecio

Agora está ficando claro quem está com quem.
O povo saberá identificar quem é quem e quem está com quem.

Aecio agora explicitou aos seus aliados que a campanha está fazendo água por causa dos tucanos paulistas. Estes fingem que estão preocupados...
Marina assume o discurso do mercado financeiro.
Lula e Dilma estão mostrando o que continuarão fazendo,

O jogo começou e quem vai decidir vai ser o povo.
O Brasil precisa de mais mudanças
A começar pela imprensa, o Congresso Nacional
E a segurança.

Os governadores precisam trabalhar mais
E pararem de se esconder.

O povo quer mais
E mais Brasil é com Dilma e Lula.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Aécio tenta sobreviver

Ingratidão tucana

A imprensa não sabe o fazer com Aécio. 
A imprensa sabe que não tem como transferir votos de Dilma e Lula para Marina. Logo, a única forma de garantir Marina no segundo turno é "rifando" Aécio. Isto é, construir ampla campanha justificando que Marina é mais viável que Aécio, mantendo Aécio vivo para impedir que as eleições se transforme em um turno só. O que não interessa aos neoliberais e aos banqueiros...

Vocês verão o clima quando sair a nova pesquisa do Ibope. 
Dilma continuará no primeiro lugar com seus 38 a 40% dos votos; Marina aparecerá com 20 a 22% e Aécio cairá para 9 ou 10%. Os nanicos somarão 3 a 4%. Havendo ainda uma boa parcela de votos nulos e em branco, embora em proporção menor do que quando Eduardo era o candidato.

Como começou uma nova campanha, o que todos verão é Aécio cada vez mais parecido com Heloisa Helena, fazendo o papel do chato e Marina fazendo o papel da boazinha.  

Os debates nas TVs serão assim. Aécio batendo, Marina dizendo que vai fazer melhor e Dilma dizendo que fez e fará mais. Cabendo à imprensa a tarefa de desconstruir Dilma e construir Marina. E aos militantes que apoiam Dilma e Lula irem para as ruas fazer campanhas de porta em porta. Além de usarem as redes sociais.

Duro é ver Aécio com seu jeitão de "maior abandonado".
Intelectual tem sangue frio. Quando abandona, ainda faz cara de que "não abandonou" e sim o outro é que está sendo ingrato. FHC que o diga...

Prestem atenção em Alckmin e Serra.
Eles mostrarão um ar de que não tem nada a ver com a história.
Mas tudo passou e passa pelas mãos dos dois. Procurem as impressões digitais...

Mas a vida é assim mesmo.
Aécio não poderia ter se iludido com os tucanos paulistas.
Afinal, tucanos paulistas só gostam de mineiros como VICE.
Lembram de Aureliano Chaves?

Flores de Agosto

Ipês e Mariazinhas

Os Ipês amarelos estão aparecendo cada vez mais em São Paulo. Vila Madalena, Consolação, Centro e outros bairros. Só na nossa rua temos três pés, mas apenas um já floriu. O menor. Vejam como as flores são bonitas.



Agora vejam a variedade de mariazinhas. As flores que aparecem o ano inteiro.



A vida é assim. Há variedade em tudo. 
A natureza é mais democrática e tolerante que as pessoas.

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Armação sobre a Saúde no Brasil

Pesquisa armada pelos inimigos de Dilma
Todo mundo se lembra da campanha de difamação que o Conselho Federal de Medicina e a Associação Paulista de Medicina fizeram conta o “Mais Médicos”, contra a presidente Dilma e o PT. 
Esta pesquisa foi feita de forma dirigida para ser usada na campanha eleitoral contra o PT e contra a president Dilma. Não foi por acaso que a moça do Jornal Nacional usou a pesquisa para apertar Dilma na entrevista de ontem (segunda-feira).
O que é mais lamentável é que o CFM usa recursos públicos (impostos e compulsoriedade na representação) para fazer campanha contra o Estado Brasileiro. A lei do Mais Médicos foi aprovada no Congresso Nacional. 
A saúde foi privatizada e mesmo assim o atendimento continua ruim, tanto no setor privado como no público. Sendo que os mais pobres sofrem mais. E os médicos da CRM estão mais preocupados com os ricos do que com os pobres. Eles defendem a medicina privada.
Isto tudo é lamentável e deveria ser fiscalizado pela ANS, TCU e o Congresso Nacional. Merece uma CPI!
Vejam a materia da Folha que serviu ao embuste.
SAÚDE NO BRASIL
61% dos brasileiros dão nota menor que 5
à saúde, aponta pesquisa

JOHANNA NUBLAT
DE BRASÍLIA – FOLHA
19/08/2014 13h34 - Atualizado às 15h10

Seis em cada dez brasileiros dão nota menor que cinco à saúde brasileira de forma geral, pública e privada, aponta pesquisa Datafolha encomendada pelo CFM (Conselho Federal de Medicina) e a APM (Associação Paulista de Medicina) e divulgada nesta terça-feira (19).
A pesquisa fez 2.418 entrevistas com maiores de 16 anos, entre 3 e 10 de junho. Tem abrangência nacional e margem de erro de dois pontos percentuais. O levantamento não avaliou a rede particular de saúde separadamente.
Para 19% dos entrevistados, o atendimento no SUS (Sistema Único de Saúde) merece nota zero. Outros 18% deram nota 5. Outro grupo, 18% dos entrevistados, avaliou o serviço com nota 7. Apenas 4% deram nota 10 para a saúde pública no país.
No geral –juntando saúde pública e particular–, 26% deram nota zero, 19% deram nota 5 e 2% nota 10.
Os dados foram divulgados no dia seguinte à entrevista dada pela presidente Dilma Rousseff ao "Jornal Nacional", em que a candidata do PT à reeleição admitiu que a saúde pública não poderia ser considerada "minimamente razoável".
"Acho até que ela [Dilma] teve acesso a essa pesquisa do Datafolha. Ela mesmo concorda que não é minimamente razoável", ironizou Roberto D'Ávila, presidente do CFM (Conselho Federal de Medicina). "Não somos nós, os médicos, que continuamos a dizer que a insatisfação é muito grande."
D'Ávila afirmou que o "Mais Médicos" teve pouca influência no resultado. "Para quem anunciou que seria a salvação do povo brasileiro e 50 milhões de brasileiros estão sendo muito bem atendidos por esses Mais Médicos, que esses médicos são 'humanos', o resultado é de insatisfação."
A pesquisa identificou que 92% dos entrevistados buscaram, nos últimos dois anos, serviços prestados pela saúde pública como consultas, cirurgias e vacinas. E que 89% tiveram acesso a esses atendimentos do SUS, tendo serviços de emergência e hospitais como porta de entrada –e, não postos de saúde e outros serviços de atenção básica.
Dos que procuraram o SUS, 29% disseram esperar atendimento por mais de seis meses, situação que foi mais frequentemente encontrada no Sul, Sudeste e Nordeste.
Na semana passada, as entidades médicas apresentaram dados desta mesma pesquisa com o recorte sendo o Estado de São Paulo. Lá, o resultado também indicou que 29% dos paulistas que procuraram atendimento no SUS esperavam em filas por mais de seis meses.
FILAS
A pesquisa identificou que 92% dos entrevistados buscaram, nos últimos dois anos, serviços prestados pela saúde pública como consultas, cirurgias e vacinas. E que 89% tiveram acesso a algum atendimento desse tipo no SUS, tendo serviços de emergência e hospitais como referência de porta de entrada em 49% das situações —as demais 51% das vezes, a porta de entrada costuma ser a atenção básica, como postos de saúde e a estratégia da saúde da família, forma considerada mais adequada.
Os que buscaram a rede pública relataram existir mais dificuldade para acesso a cirurgias —67% classificaram como um acesso difícil ou muito difícil— e "home care" –55% classificaram de difícil ou muito difícil.
Dos que procuraram o SUS, 29% disseram esperar atendimento por mais de seis meses, situação que foi mais frequentemente encontrada no Sul, Sudeste e Nordeste.
Na semana passada, as entidades médicas apresentaram dados desta mesma pesquisa com o recorte sendo o Estado de São Paulo. Lá, o resultado também indicou que 29% dos paulistas que procuraram atendimento no SUS esperavam em filas por mais de seis meses.
A imagem da rede pública ainda é a de longas filas por atendimento. Do total de entrevistados, 61% deu nota abaixo de 5 para o tempo de espera para marcação de consultas, exames e cirurgias. E 58% deu nota abaixo de 5 para o tempo de espera para o atendimento médico.
A pesquisa também avaliou a qualidade dos serviços ofertados pelo SUS, segundo opinião dos que utilizaram a rede pública. Emergência de pronto socorro e postos de saúde tiveram as piores avaliações –com 31% e 26%, respectivamente, de notas abaixo de 5.
Já cirurgias e remédios gratuitos foram os mais bem avaliados em termos de qualidade —com 50% e 45%, respectivamente, de notas de 8 para cima.
Desiré Callegari, 1º secretário do CFM, disse que os problemas identificados na pesquisa são de responsabilidade dos candidatos às eleições de 2014. "O que eles vão fazer para melhorar o sistema? Essa pesquisa tem que ser jogada no colo dos candidatos, para que deem uma solução."
Já o presidente do CFM, entidade que teve grandes embates com o governo federal durante 2013, pelo lançamento do Mais Médicos, foi mais duro. "É hora de mudança, de enfrentamento e dizer 'chega'. Tem dinheiro, mas está indo para outros lugares: propaganda e outros países."
RECURSOS
O subfinanciamento da saúde, principal crítica de especialistas do setor, também apareceu nas respostas da pesquisa. Do universo dos entrevistados, 59% disseram discordar totalmente ou em parte com a afirmação que o SUS tem recursos suficientes. E 77% disse discordar totalmente ou em parte com a afirmação que o SUS, hoje, consegue atender bem a todos com igualdade de condições.



Violência e Morte no Campo

Em pleno 2014, 
ainda matam sindicalistas no Brasil




Quando nós fundamos a CUT em 1983 era comum matarem sindicalistas, padres e advogados, porque ainda estávamos na Ditadura Militar. Foi quando mataram Chico Mendes, Margarida Maria Alves e tantos outros.

Passados 31 anos, quando vivemos numa democracia e num governo de centro-esquerda, ainda convivemos com violência e assassinatos no campo.

Os ruralistas não respeitam sequer as campanhas eleitorais para presidente da república!

Vejam esta Nota de Pesar e Repúdio.


NOTA DE PESAR E REPÚDIO

CONTAG lamenta duplo homicídio em MT e exige providências 
para mais estes crimes contra trabalhadores(as) rurais

17/08/2014

A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG) vem a público manifestar sua indignação, revolta, tristeza e pesar por mais um crime envolvendo trabalhadores(as) rurais no estado do Mato Grosso. Nesse sábado, 16 de agosto, ocorreu um duplo homicídio no distrito de Guariba, município de Colniza/MT.

As vítimas foram Josias Paulino de Castro, 54 anos, e sua esposa Ireni da Silva Castro, de 35 anos. Josias era o presidente da Associação “Aspronu” – Projeto Filinto Müller. O casal de trabalhadores rurais foi assassinado com vários disparos de arma de fogo calibre 9mm (arma de uso exclusivo das Forças Armadas).

Josias, como presidente da Associação “Aspronu”, lutava pela legalização das terras do Projeto Filinto Müller e denunciava as emissões irregulares de títulos definitivos dessa área em nome de fazendeiros e empresários da região.

A partir dessas denúncias, cuja a última foi feita em 5 de agosto, durante reunião com o Ouvidor Agrário Nacional, Gercino José da Silva, Josias passou a ser alvo dos que queriam extrair madeira ilegalmente, de supostos políticos denunciados pelo presidente da associação, da Polícia Militar e do presidente do Instituto de Terras do Mato Grosso (Intermat).

Por várias vezes, nesta última reunião, Josias afirmou a existência de pistoleiros na região e afirmou, ainda, que nunca foram tomadas providências. “Estamos morrendo, somos ameaçados, o Governo do Mato Grosso é conivente, a PM de Guariba protege eles, o Governo Federal é omisso, será que eu vou ter que ser assassinado para que vocês acreditem e tomem providências”, disse Josias.

A CONTAG alerta as autoridades sobre o aumento da violência no campo contra trabalhadores e trabalhadoras rurais devido aos conflitos agrários. No último dia 13 de agosto, também no estado do Mato Grosso, foi assassinada Maria Lucia do Nascimento, assentada e ex-presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de União do Sul.

Portanto, a Confederação exige providências para punição dos responsáveis e proteção aos trabalhadores(as) rurais que continuam ameaçados. Josias, por exemplo, já havia solicitado proteção devido às ameaças recebidas. Até quando vamos continuar vendo os homens e mulheres do campo perdendo suas vidas por denunciarem irregularidades, agressões e por lutarem por direitos e uma vida melhor? Precisamos por um fim à impunidade no campo!

Exigimos proteção para os companheiros e companheiras que continuam na luta e uma investigação rápida para a punição, tanto dos executores quanto dos mandantes desse crime bárbaro.

Reafirmamos que a solução definitiva dos conflitos pela posse da terra é a realização de uma reforma agrária, ampla e massiva e capaz de democratizar a propriedade da terra e criar bases para a construção da mudança do atual modelo de desenvolvimento que é excludente, predatório, concentrador da terra, da renda e do poder por um modelo sustentável e solidário.

Brasília, 17 de agosto de 2014.

A Diretoria da CONTAG

FONTE: Diretoria da CONTAG