domingo, 27 de julho de 2014

Saúde é coisa séria

O Estadão trata com seriedade

Nesta semana em São Paulo, e talvez no Brasil, o assunto mais importante foi o fato de a diretoria da Santa Casa ter mandado fechar o Pronto-Socorro. 

Isto fez com que, talvez por ser ano eleitoral, os políticos saíssem fazendo acusações e tentando minimizar suas responsabilidades. Enquanto os políticos brigam, os pobres sofrem...

Depois de tanta repercussão nas redes sociais, o Estadão ontem (sábado) fez um Editorial com o título: " As lições da crise da Santa Casa" , que mostra que, quando a imprensa quer ser séria, consegue. Talvez o Editorial tenha sido escrito por um médico em vez do editor de sempre - este mais politiqueiro e provocador. O Editorial sobre a crise da Santa Casa é uma obra prima que merece ser lido em todas as áreas do jornal, como modelo de qualidade.

Neste domingo, o Estadão continua dando aula de qualidade em relação à saúde.
Publica uma boa entrevista com José Gomes Tinhorão, ex-ministro da saúde e médico muito sério. 

Enquanto isto, a Folha publica uma entrevista com o presidente da Santa Casa, onde aparecem mais as vaidades do que os problemas da saúde e da Santa Casa. Abotoaduras, clubes de futebol, chá das cinco entre os ricos e poderosos de São Paulo mas comprometem a nossa saúde pública do que resolvem seus problemas. 

A saúde no Brasil, como também a educação e o transporte, precisam ser tratados com mais seriedade tanto pela imprensa como pelos políticos. Eleições são sempre momentos para discutir estes desafios e votar nos melhores candidatos. É assim que aperfeiçoamos nossa democracia. 

O Estadão, quando quer, consegue continuar sendo um grande jornal.
O problema é querer...

Nenhum comentário:

Postar um comentário