sexta-feira, 6 de junho de 2014

O milagre do Jornal Nacional

Vai ter Copa!

Finalmente!
Depois de mais de um ano torturando o governo Dilma com notícias ruins, o Jornal Nacional resolveu mostrar que
VAI TER COPA NO BRASIL!

Como cheguei a esta conclusão? A resposta é empírica. Em nossa casa costumamos assistir aos noticiários da Band e da Record. Mas, nos últimos dias, quando passo pela sala, vejo que minha esposa está na Globo, prestando atenção numa reportagem muito bonita sobre a Seleção Brasileira, suas histórias, suas conquistas e seus folclores. No primeiro dia parei e fiquei também assistindo entusiasmado. 

Depois vi que era UMA LONGA reportagem da Globo e no Jornal Nacional! 
No outro dia li na Folha que a Globo tinha dedicado 70% do jornal à Copa do Mundo e à Seleção Brasileira.

Ontem, nem perdemos tempo, fomos direto para o Jornal Nacional! 
Lá estavam Galvão Bueno e a moça que substituiu Fátima Bernardes. Era o professor explicando para a aluna. Contando histórias e se emocionando. Mas, quem não se emocionou com as histórias de Bebeto, Leonardo e os filhos daquela época? 

Eu dizia para minha esposa:
“Quando a Globo quer, ela é imbatível.” 

Era de uma beleza inacreditável, parecia propaganda do Itaú sobre a Copa.
Vou confessar para vocês, se a Globo continuar mostrando a Copa e nossa Seleção Brasileira do forma que está mostrando, eu vou até esquecer um pouco os outros canais e vou torcer, sofrer e comemorar com Galvão Bueno. 

Afinal, Galvão, é a cara do Brasil.
Somos todos Galvão Bueno!
Não é Casagrande? Não é Zé Simão?

Se eu fosse a presidente Dilma, eu parava de trabalhar na hora do Jornal Nacional, só para ver as reportagens sobre a Copa e a nossa Seleção no Jornal Nacional. Até ligaria para o filho de Roberto Marinho e para o Galvão para dar parabéns. Ah, e pediria para darem parabéns também a moça nova e ao Bonner. E pediria para Fátima também cobrir a Copa. 

E quanto aos amigos petistas, peguem suas bandeiras, suas camisetas e seus apitos e vamos juntos torcer pelo Brasil. Este Brasil que nós ajudamos a ser mais brasileiro de Norte a Sul e de Leste a Oeste. 

Se eu fosse os tucanos e os demos, também declararia uma trégua, pegaria os uniformes da Seleção e pararia de falar mal de Dilma e da Economia. Até Eduardo Campos e Marina deviam cair na festa da Copa.

E que tal ouvir uma Bossa Nova?
Um cantinho, um violão...

Nenhum comentário:

Postar um comentário