quarta-feira, 18 de junho de 2014

Nesta Copa, não existe jogo fácil

Brasil não ganhou do México

Felipão e seus meninos superaram parcialmente mais um degrau...

Poderia ter ganho, mas não ganhou. Faltou meio de campo, faltou sangue frio nas finalizações e sobrou garra ao time do México e ao seu goleiro.

Eu avisei que o México nos últimos anos tem jogado mais que o Brasil. E não é só o México. Nesta Copa não tem jogo fácil, não tem freguês. Terminou a primeira rodada e tivemos muitas surpresas.

Espanha dormiu campeã e acordou goleada, Portugal vinha jogando bem, subestimou a Alemanha e tomou um banho, Argentina jogou feio e ganhou com a vantagem de um gol, Itália deu aula de como jogar em Manaus e ganhou da Inglaterra, Bélgica sofreu para ganhar.

Sem contar Uruguai e Costa Rica, além de outras seleções como a do Japão, da Rússia, entre outras que deixaram a desejar.

Tudo leva a crer que o Brasil ganhará de Camarões, mas não se esqueçam dos jogos Olímpicos quando Luxemburgo era técnico da nossa seleção e tomou um baile de Camarões com nove jogadores e o Brasil com onze.

Esta Copa está igual ao mundo atual. Tudo está em mutação, em crise e com angústias. Como evitar surpresas ruins para o Brasil? Sendo cuidadoso, humilde e perseverante. Não se deixar influenciar pela euforia e pela badalação mercadológica. Cada jogo se ganha com planejamento, inteligência, competência e muita força de vontade, além de saber jogar futebol, é claro.

Continuo confiando em Felipão, mesmo nossa seleção não tendo meio de campo.

Por enquanto, o melhor desta Copa é que o Brasil está funcionando, os jogos são verdadeiras festas, o povo e os turistas estrangeiros estão se confraternizando e o Brasil está mostrando ao mundo e aos que eram contra a Copa no Brasil que juntos podemos construir um mundo melhor e mais fraterno.

O brasileiro pode ser cordial, fraterno e guerreiro ao mesmo tempo.Nossa dignidade não está à venda e nosso jeito de ser continuará sendo esta informalidade de norte ao sul do Brasil.

Hoje, graças à televisão, todo mundo joga futebol, até os japoneses e americanos, quanto mais os latino americanos, os africanos. Sem contar os holandeses e alemães. Felipão sabe disso. E nossos meninos, por jogarem na Europa, também sabem. O próximo degrau será na segunda-feira, em Brasília.

Tomo mundo deve abrir os olhos e, cada jogo é um jogo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário