segunda-feira, 30 de junho de 2014

Imprensa bombardeia Felipão

Acabou a trégua

A vida é assim, principalmente nos esportes, ganhou há festa, perdeu há vaias.
Felipão conseguiu uma trégua com a imprensa na primeira fase da Copa. Ganhava sem convencer mas ganhava. No jogo contra o Chile, além de levar 200 milhões de brasileiros ao desespero, Felipão perdeu a trégua com a imprensa.

Agora há jornalista chamando Felipão de obsoleto, superado e também tem jornalista defendendo abertamente que Muricy é melhor do que Felipão. Tudo isto é provocação da imprensa.

Felipão é o melhor técnico que o Brasil tem no momento. 
O problema de Felipão é que ele é "torrão" e rabugento, mas ainda é o melhor técnico comparando com a pobreza de técnicos que o Brasil vem passando. Os outros técnicos pegam a seleção, dão vexame, depois chamam Felipão e ele transforma jogadores avulsos em TIME. Um time que representa a Seleção Brasileira. A cara do Brasil.

Os jornalistas já estão até escalando o time, definindo quem entra e quem sai. Faz parte do jogo, mas jornalista não é técnico oficial. Hulk merece ficar fora, além de ter dado o gol do Chile, perdeu um pênalti na fase final da disputa. Daí tirar Daniel Alves é uma aventura. Ramires não jogou melhor que Daniel em nenhuma substituição. Jô não merece substituir ninguém. É preferível reforçar o meio de campo e ficar sem centro avante a ter Jô ocupando uma vaga e não jogando nada.

Eu continuo confiando em Felipão. 
Sem dar carta-branca.
Não apoio ser "torrão" nem rabugento. Gosto do fato de ele ser perseverante e aglutinador, mas isto não pode ser confundido com teimosia.
Time sem meio de campo não ganha campeonato. Isto é matemático.

Ou Felipão resolve o meio de campo ou,
pode até passar da Colômbia,
mas não passa da Holanda ou da Alemanha.

Não compartilho a hostilidade da imprensa com Felipão.
Continuo achando que os árbitros estão armando contra os times das Américas.
Acho importante ter uma boa conversa com os meninos-jogadores, mostrando que é importante ter fé, rezar e ser um bom grupo de amigos. Mas jogar bola de forma planejada, articulada e com eficiência é imprescindível.

Felipão, 
é hora de superar-se mais uma vez!
é hora de fazer como das outras vezes,
mostrar que você não está superado.

É hora de  vencer com dignidade,
sem humilhar os meninos da Colômbia.
É hora de futebol-arte, como diz o Casagrande.

É hora de aliviar os corações de 200 milhões de brasileiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário