segunda-feira, 30 de junho de 2014

Imprensa bombardeia Felipão

Acabou a trégua

A vida é assim, principalmente nos esportes, ganhou há festa, perdeu há vaias.
Felipão conseguiu uma trégua com a imprensa na primeira fase da Copa. Ganhava sem convencer mas ganhava. No jogo contra o Chile, além de levar 200 milhões de brasileiros ao desespero, Felipão perdeu a trégua com a imprensa.

Agora há jornalista chamando Felipão de obsoleto, superado e também tem jornalista defendendo abertamente que Muricy é melhor do que Felipão. Tudo isto é provocação da imprensa.

Felipão é o melhor técnico que o Brasil tem no momento. 
O problema de Felipão é que ele é "torrão" e rabugento, mas ainda é o melhor técnico comparando com a pobreza de técnicos que o Brasil vem passando. Os outros técnicos pegam a seleção, dão vexame, depois chamam Felipão e ele transforma jogadores avulsos em TIME. Um time que representa a Seleção Brasileira. A cara do Brasil.

Os jornalistas já estão até escalando o time, definindo quem entra e quem sai. Faz parte do jogo, mas jornalista não é técnico oficial. Hulk merece ficar fora, além de ter dado o gol do Chile, perdeu um pênalti na fase final da disputa. Daí tirar Daniel Alves é uma aventura. Ramires não jogou melhor que Daniel em nenhuma substituição. Jô não merece substituir ninguém. É preferível reforçar o meio de campo e ficar sem centro avante a ter Jô ocupando uma vaga e não jogando nada.

Eu continuo confiando em Felipão. 
Sem dar carta-branca.
Não apoio ser "torrão" nem rabugento. Gosto do fato de ele ser perseverante e aglutinador, mas isto não pode ser confundido com teimosia.
Time sem meio de campo não ganha campeonato. Isto é matemático.

Ou Felipão resolve o meio de campo ou,
pode até passar da Colômbia,
mas não passa da Holanda ou da Alemanha.

Não compartilho a hostilidade da imprensa com Felipão.
Continuo achando que os árbitros estão armando contra os times das Américas.
Acho importante ter uma boa conversa com os meninos-jogadores, mostrando que é importante ter fé, rezar e ser um bom grupo de amigos. Mas jogar bola de forma planejada, articulada e com eficiência é imprescindível.

Felipão, 
é hora de superar-se mais uma vez!
é hora de fazer como das outras vezes,
mostrar que você não está superado.

É hora de  vencer com dignidade,
sem humilhar os meninos da Colômbia.
É hora de futebol-arte, como diz o Casagrande.

É hora de aliviar os corações de 200 milhões de brasileiros.

domingo, 29 de junho de 2014

México e Costa Rica: duas histórias

Um está sendo pouco, é preciso fazer mais gols

É preciso tomar cuidado com os juízes. Com apenas um gol de diferença, os pequenos erros dos juízes estão afetando os resultados. O pênalti contra o México foi duvidoso e a expulsão do jogador da Costa Rica também foi duvidosa.

Parece que não estão gostando de ter tantos times americanos na segunda fase e estão estimulando vitórias dos times europeus. Todo cuidado é pouco.

Até por causa dos juízes, até agora, quem fez muito bem foi a Colômbia ao fazer dois gols de vantagem. Além de ficar mais difícil de empatar, fica também mais difícil de os juízes interferirem no resultado.

Os técnicos do México e de Costa Rica aprenderam que não devem recuar o time depois de fazer o primeiro gol.

No caso do México precisava marcar com mais firmeza o Robben da Holanda. O homem já está velho mas tem sido o melhor jogador da Copa.

Costa Rica continua sendo a revelação desta Copa. 
Parabéns aos meninos e ao técnico de Costa Rica.

Que todos aprendam: 
- Nesta Copa, não existe jogo fácil!
- Nesta Copa, quem tiver apenas um gol de vantagem não está garantido.
- Nesta Copa, defesa fraca põe o time em perigo.

Amanhã tem mais e vamos ver quais são as novidades.
Espero que o juízes cumpram suas tarefas sem tomar partido para este ou aquele time. Já andam dizendo que a Fifa é corrupta e que a Copa está comprada. Portanto, os juízes precisam honrar o nome de juízes.

Felipão, abra os olhos!
Boa sorte Felipão!
Rezar é bom, mas jogar futebol é fundamental!



sábado, 28 de junho de 2014

Superamos mais um degrau na Copa

Choro, suor e sofrimento

Há algo errado com nossa defesa. Parece que sofre de masoquismo. Quando o ataque faz um gol, nossa defesa vai lá e entrega a bola para o adversário fazer um gol contra o Brasil. Hoje foi o dia de Hulk entregar a bola e a defesa ficar olhando.

O jogo poderia ter sido muito mais bonito se nossa defesa não cometesse mais um erro infantil, se o juiz não protegesse o Chile, ou apitasse contra o Brasil. Quer dizer que apitar contra o Brasil pode?

Além da defesa e do juiz, Felipão ainda resolveu fazer umas substituições esquisitas. Jô, que não jogou nada na substituição anterior, continuou sem jogar nada neste jogo. Ramires entrou mas não fez diferença e até Willian, que se esforçou tanto, acabou perdendo um pênalti. Haja coração!

Quase que Felipão matou 200 milhões de torcedores do coração!
E não adianta Felipão fazer cara de duração. A impressão que deu foi que o maior erro não foi de Hulk, foi sim do próprio Felipão. Ele falou tão bem do Chile que os meninos amarelaram e ficaram com medo dos chilenos, quase perdendo o jogo.

Ainda bem que nós tínhamos Júlio César! O herói do jogo.
Triste seleção que depende do seu goleiro!
Julio César compensou o gol contra a Holanda em 2010, pagou com saldo positivo e merece ser homenageado por todos os brasileiros. Uma grande superação, que tem também o dedinho de Felipão.

Voltando as palavras de Felipão, teremos sete degraus ou sete etapas para chegarmos a ser campeões. Já passamos por quatro degraus.

Mas Felipão, vê se contra a Colômbia não faz o Brasil sofrer tanto!
Nós gostamos de você e de seus meninos, mas você viu como eles choraram?
Nós queremos chorar de alegria e não de sofrimento contido.

Humildade faz bem para todo mundo.
Por que não botar Willian desde o início do jogo?
É birra?
Temos time para vencer a Colômbia,
é só acertar as coisas direitinho, mais uma vez organizar o meio de campo e preparar uma defesa que marque os jogadores adversários em vez de ficar parada olhando eles correrem com a bola.

Que venha o quinto degrau!

O quarto degrau de Felipão

Teste muito importante para o Brasil

Passar da primeira fase para as oitavas era obrigação da nossa seleção e dos meninos. Seria inadmissível não passar para a segunda fase. Seria a humilhação das humilhações. Coisa que Felipão jamais perdoaria a si próprio e aos meninos.

Agora começa a fase mais importante da Copa.
Agora é matar ou morrer.
Lembra a época dos gladiadores de Roma.

Se houver empate nos noventa minutos, tem prorrogação.
Se não houver vencedor na prorrogação vai para os pênaltis.
E aí será o imponderável!

Hoje nossos meninos enfrentam o Chile.
Os brasileiros têm uma simpatia especial pelo país Chile
Mas não gostam de imaginar que no futebol eles possam ganhar dos nossos meninos.

Tem gente "graúda" espalhando que prefere ver o Brasil desclassificado por causa de Dilma.
Para os brasileiros este desejo não existe.
A grande maioria quer ver o Brasil campeão.

Hoje nossa Seleção joga no Mineirão.
Ainda bem que nenhum candidato a presidente vai à Arena,
como eles gostam de chamar o Estádio, ou o campo de futebol.

Até o nome Arena lembra os gladiadores romanos.
Estes meninos que jogam bola não podem ser gladiadores.
São atletas, gregos ou não, jovens cheios de entusiasmos
e de vontade de vencer na vida
superando passados de pobreza e de vida precária
Por isto nos identificamos com eles.

Felipão, 
diga aos meninos que hoje é apenas mais um degrau
diga para eles tomarem a bola dos adversários,
chutarem a bola de perto e de longe
para não ficarem passivos
para prestarem atenção na distribuição dos adversários
e dos nossos jogadores
lançar a bola para a frente
e vamos ganhar mais este jogo
vamos superar mais um degrau

Felipão,
Nós gostamos de você
e dos seus meninos.
Contem com os brasileiros
de todos os cantos do mundo

Viva a Copa das Copas!

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Iraque e os 100 anos da 1a. Guerra Mundial

Redesenhando Fronteiras

A imprensa está falando do centenário da primeira Guerra Mundial, que começou em 1914 e serviu de parâmetro para redesenhar as fronteiras formais na África, no Oriente Médio e na Ásia. Os países imperialistas da época, a partir do final do século 19, dividiram tribos e povos nestas regiões, seus interesses econômicos e políticos estavam acima das tradições e da História destas regiões.

Depois da 1a. Grande Guerra, veio a segunda, que foi ainda pior do que a primeira, e mais povos tiveram que lutar para libertar-se de resquícios coloniais, como a Índia, Vietnã, as colônias portuguesas na África e tantos outros países.

A América Latina foi preservada como quintal dos Estados Unidos.
E para manter como tal, depois da 2a. Guerra, tivemos as dezenas de golpes militares para impedir que o povo fizesse reformas estruturantes e derrotasse os latifundiários e as oligarquias.

Com o fim do comunismo, aparentemente o mundo ficou refém de um único país: os Estados Unidos. Mas os Estados Unidos já não mandam no mundo como antes e quando intervém militarmente, tem criado mais problemas do que soluções...

O exemplo mais forte atualmente é o caso do Iraque, país milenar, economicamente forte, que era administrado pelos sunitas e após a invasão militar americana foi entregue aos xiitas, em nome de uma "falsa democracia direta".

O resultado desta invasão ao Iraque é que estamos vivendo a eminência de o Iraque ser dividido em três países: Um xiita, outro sunita e um outro curdo. A ironia é que os xiitas, que são maioria da população mas moram na parte mais pobre, ficaria com o mais mais pobre. Os sunitas e os curdos ficariam com as regiões que têm mais petróleo.

Quem vai impedir a implosão do Iraque? Os Estados Unidos? A ONU?
Nenhum deles. Somente o tempo vai mostrar como ficarão as fronteiras nesta região. Mas, tudo indica que o século 21 será o século de redefinição de fronteiras, como já está acontecendo na Europa com vários países.

Novas fronteiras virão...

No século passado o mundo viu uma mesma cidade europeia passar por cinco a sete países diferentes. Como o que se passa na Europa acaba reproduzindo-se mais tarde em outras regiões do mundo, estamos vivenciando os reflexos da Europa e dos Estados Unidos.

Estamos vivendo "A Era das Mutações".

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Comemorar a Copa na Vila Madalena

Samba, suor e cerveja?

Vindo para o centro hoje ouvi no noticiário do rádio do carro que Vila Madalena está tomada pelos turistas estrangeiros e também por brasileiros da classe média para cima. Ouvi também que os moradores da Vila estão reclamando que o pessoal faz sexo nas ruas, da mesma forma que faz urinam nas paredes e portas das lojas - tanto os rapazes quanto as moças. Os moradores também reclamam que o barulho vai até tarde e que, ao interditarem as ruas, os moradores ficam sem poderem usar seus automóveis.

Eu também moro na Vila Madalena, também estou sendo afetado pelo agito, mas acho que seja possível resolver tudo isto amigavelmente. Vejamos:

Em primeiro lugar é preciso que a prefeitura se articule com os comerciantes e os moradores e definam uma regra básica de convivência.
Em segundo lugar, os comerciantes beneficiários precisam arcar com os custos adicionais com banheiros químicos e com a limpeza.
Em terceiro lugar é preciso ter teto para o barulho, já existe lei regulamentando isto.
Em quarto lugar é preciso aumentar o policiamento permanente.
Em quinto lugar é preciso ter mais cuidado com a definição de quais ruas vão ser fechadas.

Tudo isto sem cair na tentação de dificultar o acesso dos turistas.
É muito bonito ver a alegria dos jovens na Vila Madalena.
Espero que eles aproveitem e vejam quantas flores bonitas existem em nossa Vila. Ipês, Manacás, Primaveras, Pés de Vaca e tantas outras.

A Copa vai indo muito bem, vamos começar a fase mais decisiva que é o mata-mata, cada jogo tem muitos gols mas precisamos também manter a paz em nossas cidades e bairros. Nada em excesso!

Enquanto os turistas comemoram na Vila Madalena, Felipão vai treinando os meninos para ganharem do Chile. Afinal, é um jogo, ou um degrau de cada vez. Chegamos ao quarto degrau.

A vida continua Felipão!
Contamos muito com seus meninos.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

terça-feira, 24 de junho de 2014

Uruguai e Japão: duas surpresas

Uma positiva e outra negativa

Que não duvidem da capacidade de superação do Uruguai e sua seleção!
Que tristeza ver a seleção do Japão não ganhar um jogo sequer nesta Copa!

Quando todo mundo achava que a seleção do Uruguai tinha "amarelado", perdido a vontade de jogar bola, eis que renasce das cinzas, ganha da Inglaterra e depois da Itália! Classificando-se para novas pelejas com quem quer que seja. Daqui prá frente, tudo que vier é lucro. Os uruguaios já deram um show de bola à parte.

Parabéns à Seleção Celeste!

Já a seleção do Japão, e provavelmente da Coreia, correram muito mas faltou futebol. No Japão eu creio que o técnico não soube preparar os meninos. Faltou traquejo, experiência e preparo psicológico. Quem sabe Felipão vai passar um tempo no Japão e na Coreia para ensinar os asiáticos a pegar traquejo com o futebol? Pelo jeito, a seleção da Austrália também deve voltar mais cedo, ficando a Ásia sem representante na segunda fase. É uma pena.

Sayonará Japão!

Ainda temos esperança de que alguma seleção da África passe para a segunda fase.
Vamos torcer.

Para aqueles que voltarão mais cedo, voltem sempre e muito obrigado pela contribuição para que esta Copa ser a COPA DAS COPAS, como bem disse nossa presidente Dilma. Vocês ajudaram a tornar nossa festa mais alegre e mais colorida. Até quinta-feira, tudo estará definido para a segunda fase. Teremos ainda dois dias de muito futebol, algumas surpresas e muita alegria.

Que vençam os melhores e mais competitivos!

Viva nossa Copa das Copas!

Viva Felipão e seus meninos!

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Brasil: Vitória quase perfeita!

Vencido o terceiro degrau com louvor

O Brasil estava precisando desta vitória.
Mesmo com o erro da defesa, quando mais uma vez um atacante adversário passa por Daniel Alves e chuta, o capitão do Brasil mais uma vez deixa a bola passar, sem cobrir Daniel e a bola sobra para o adversário fazer gol. Simples e fácil de repetir. Só falta Felipão mandão Silva ser mais ágil ou dar o lugar para outro.

O mais positivo da seleção foi o meio de campo.
Mais ativo, mais rápido e dado mais cobertura ao ataque. Também muito simples, mas os meninos não faziam isto. Não dava para continuar sem meio de campo. Quem achava que a seleção de Camarões era "cachorro morto" levou o maior susto. Não existe mais jogo fácil em Copa do Mundo.

Todos os jornalistas passaram a elogiar Fernandinho, como se ele fosse o herói do jogo.Ele foi importante, mas o herói foi mesmo Neymar. Quem também não gostou do gol de Fred? Muito legal, embora Galvão Bueno, da Globo, tenha perdido muito tempo atrapalhando a transmissão e repetindo que não foi impedimento. Tanto repetiu que precisei mudar de canal para não ficar irritado. Depois voltou ao normal e pude assistir ao jogo pela Globo. Galvão, suas emoções são bem brasileiras, mas cuidado com os excessos.

Fiquei triste com a derrota do Chile. Jogou bem o primeiro tempo, mas não manteve a qualidade no segundo e tomou dois gols bestas. A Holanda continua com pinta de campeã. Já México e Croácia cumpriram bem a tabela e México se garantiu com louvor. Abram os olhos para o México!

Fiquei preocupado quando soube que o próximo jogo do Brasil será em Belo Horizonte. Como tem muitos tucanos torcendo para o Brasil não ser campeão, o fato de o jogo mata-mata, quem perde sai, ser em Minas pode ser contaminado pela turma de Aécio. Já que o clima eleitoral contaminou os preparativos da Copa e também a própria seleção com Ronaldinho falando inconveniências...

Como eu adoro os mineiros e sei que os mineiros adoram o Brasil, vamos torcer juntos para que Felipão e os meninos façam um grande jogo e saiamos todos vitoriosos.

Adoro ver o Felipão dar entrevistas. 
Ele já fez até que os jornalistas parassem de dar palpites e quererem escalar o time de Felipão. É tão bonito ver os meninos falarem em "coletivo", "trabalho de grupo" e tantas coisas que Felipão ensina e eles aprendem direitinho... O Brasil também precisa aprender com Felipão. Afinal, humildade, muito trabalho e estudo, não faz mal a ninguém.

Felipão e os meninos, nós adoramos vocês!
Parabéns por mais este degrau superado!
Galvão, não foi impedimento do Fred.
Você ainda é o melhor locutor da Copa.

Que venha o quarto degrau.
Aguenta coração!!!!
Quero ver a capa dos jornais de amanhã.
Brasil, sil, sil, sil.

O terceiro degrau de Felipão

Brasil enfrenta Camarões de olho na Holanda

Os meninos de Felipão ainda não deram o show de bola que tivemos na Copa das Confederações. Ainda temos problemas de marcação e de meio de campo. O problema não está só no ataque, passa também pelo meio de campo e pela defesa. Os meninos, individualmente são bons, em equipe ainda não provaram suas qualidades.

O resultado de hoje, será suficiente para passar para as oitavas, mas ainda não dará firmeza. Isto só acontecerá quando ganharmos o jogo das oitavas. Seja contra a Holanda ou o Chile. Meu palpite é que o Chile vai derrotar a Holanda.

Esta primeira fase de classificação poderia ter sido mais fácil para o Brasil.
Mas, uma coisa compensa outra.
A Copa, que a imprensa dizia que ia ser uma tragédia, está sendo ótima.
E a nossa seleção que todos elogiavam, está parecendo o Corinthians. Cada jogo é um martírio.

Mas os corações e a vontade de ganhar superarão nossas dificuldades e poderemos sim ser campeões mais uma vez. Afinal, se o Corinthians com aquele time improvisado conseguiu ser campeão mundial, por que nossos meninos, liderados por uma pessoa tão competente como Felipão, não podem?

Como disse o próprio Felipão: Cada jogo é um degrau. 

E temos sete degraus até ser campeão. Esta regra vale para todos os times.
Os jogos têm mostrado que ainda não há um grande favorito.
Todos oscilaram entre um jogo e outro. Mesmo os que se classificaram ganhando os dois primeiros jogos, não foram esta coisa toda.

Bom mesmo até agora foram a Costa Rica e a Colômbia!
Sem contar o jogo heroico do Uruguai.

Felipão, mais do que olhar a árvore, precisamos olhar a floresta.
Nosso maior problema está no meio de campo. Não temos intermediação entre a defesa e o ataque. Ou consertamos isto, ou poderemos "morrer na praia", seja ela de Salvador, de Recife ou do Rio de Janeiro....

Vamos organizar o meio de campo no jogo contra Camarões?
É um bom começo e uma boa arrancada.

Felipão, nós gostamos de vocês!
Viva o Fio Maravilha!

domingo, 22 de junho de 2014

Hoje eu queria falar das flores

As fotos não estão liberadas

Não sei por que o IPhone e o IPad não estão liberando as fotos. Talvez seja por que ontem alguma tragédia aconteceu com a NET que ficou sete horas fora do ar. Deixando muita gente sem ver os jogos das tarde e da noite. Lamentável! E a Net é empresa privada, não tem nada a ver Com governo. Pago caro para ter este tipo de serviço?

Hoje, quando voltávamos do Parque Vila Lobo ouvi na rádio Estadão sobre as "Flores dos Ipês Roxo". Roxo? Prefiro chamá-los de " rosa". Mas ela falava muito bem das flores e dos ipês que estarão floridos nos meses de junho e julho. Quando cheguei em casa, fui ver se tinha fotos das flores no Estadão mas não tinha nada de flores. 

Ainda no Estadão, o Caderno Aliás estava divino, já as malditas páginas dois e três do caderno de Política continuavam medíocres como sempre. Será que este pessoal rancoroso, preconceituoso e medíocre da direita paulista não tem vergonha de escrever tanta bobagem? E ainda se dizem "professores doutores"! No fundo eles desmoralizam a academia.

Já o caderno Metrópole, também do Estadão, faz uma longa reportagem sobre o sucesso da Copa e o vexame de quem dizia que não ia ter Copa. Quem inventou a baixaria contra ai Copa foi a imprensa brasileira e os tucanos. A imprensa estrangeira acreditou na nossa imprensa, ficou com medo e se surpreendeu com a alegria e a qualidade da Copa. 

E da Folha, não vou falar nada? 
Ainda não da para falar, ela está em mutação. Está melhorando na cobertura da Copa e até fazendo um pouco de autocrítica. 

Depois eu volto a falar das flores. 
Hoje tem até sol na nossa querida São Paulo.

É o espírito da Copa!

sábado, 21 de junho de 2014

Ipês floridos nas avenidas

Cada dia mais bonitos

Ando sem tempo de tirar fotografias das flores. Isto me deixa triste. Mas, consegui aproveitar o trânsito parado de São Paulo e tirar algumas fotos de dentro do carro.

Vejam esta foto da Avenida Dr. Arnaldo. O pé de Ipê está no cemitério, onde há varios o pés floridos.


Vejam que parece distante, mas é que estou dirigindo sentido Centro.

Agora vejam um dos nove pés de Ipê da Rua da Consolação. 


Simplesmente divinos! 
Pena que nossa imprensa não dê importância a estas preciosidades.

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Linderberg, Romário e Jandira Feghali juntos no Rio de janeiro



Estão surgindo novas esperanças

Enquanto o Brasil e o mundo comemoram o sucesso da Copa do Mundo de Futebol, os políticos brasileiros vão fazendo seus joguinhos e suas apostas. Quem toma aliados dos outros e assim consegue mais tempo de rádio e TV.

Em pleno jogo entre Costa Rica e Itália, onde a Costa Rica mais uma vez deu uma belíssima aula de futebol, li no celular esta matéria do Jornal O GLOBO dizendo que os petistas do Rio de Janeiro, comendo pela beirada, fizeram grandes acordos, diga-se de passagem, “pela esquerda” e não “pela direita”, como tem sido prática de todas as siglas partidárias. 

Obs.: Parece que, além do PT, PSB, PCdoB, participa também o PV como vice-governador e outros partidos.

Renovam-se as Esperanças!

Da mesma forma que assistimos ao jogo pela Globo, (apesar de passar a impressão que a Globo e o juiz chileno estavam torcendo para a Itália), quero torcer para que esta notícia de O Globo seja verdadeira e dê muitos e muitos bons frutos. 

PT e PSB do Rio anunciam aliança nesta sexta-feira

Lindbergh Farias, que não foi à convenção do partido que homologou o seu nome como candidato, afirmou que Romário (PSB) será o candidato ao Senado na chapa

por Cássio Bruno 20/06/2014 11:53 / Atualizado 20/06/2014 12:25 

RIO - O senador Lindbergh Farias (PT), candidato ao governo do Rio, anunciou nesta sexta-feira que vai receber o apoio do PSB do pré-candidato à Presidência Eduardo Campos. No entanto, o petista afirmou que o seu palanque será exclusivo da presidente Dilma Rousseff, que tentará a reeleição. Lindbergh anunciou ainda que o deputado federal Romário (PSB) disputará o Senado em sua chapa. A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB) deve tentar a reeleição, assim como Miro Teixeira, que desistiu nesta quinta-feira de concorrer ao governo do estado. Romário e Lindbergh vão oficializar a aliança nesta tarde, na sede do PSB, no Centro do Rio.

— Tinha muita gente duvidando da minha candidatura, diziam que eu estava isolado, mas, na reta final, fizemos um gol de bicicleta no último minuto — declarou Lindbergh.

O senador disse ainda que o apoio dos socialistas ocorreu após negociações dos dois partidos no estado, e negou que o ex-presidente Lula tenha autorizado o acordo.

Com o apoio do PSB fluminense, e possivelmente do PROS, o tempo de TV de Lindbergh ganhará mais 1 minuto, e passará para cerca de 5 minutos e meio.

A convenção estadual do PT, na manhã desta sexta-feira, terminou em 15 minutos e não contou com a presença do pré-candidato ao Palácio Guanabara, Lindbergh Farias. Ele chegou logo depois apenas para falar com jornalistas. No entanto, o petista deverá comparecer mais tarde à sede do partido, no Centro, para conversar com a imprensa. De acordo com o presidente regional do PT, Washington Quaquá, a convenção decidiu também pelo apoio à candidatura de Romário (PSB-RJ) ao senado.

Ainda nesta sexta, o PT vai à sede do PSB no Rio para firmar apoio formal dos socialistas à candidatura de Lindbergh. Quaquá disse também que a aliança com o PROS está encaminhada. 

Ontem, o deputado federal Miro Teixeira desistiu de concorrer ao governo e com isso abriu caminho para o PT fazer aliança com o PSB e com o PROS.

A ausência de Lindbergh já estava prevista pelo comando da campanha. A convenção não foi aberta aos jornalistas, que aguardaram do lado de fora ao auditório do PT. Pelo menos 60 petistas participaram do evento, ao qual não compareceram deputados estaduais, federais e a coordenação da campanha de Lindbergh.

Uruguai e Costa Rica dão aula de futebol


Grupo da Morte mata Inglaterra e Itália

Esta Copa está mostrando ao mundo que tudo está mudando. Da mesma forma que na economia todos os países estão ficando competitivos, no futebol, não tem mais jogo fácil. Com os países ricos contratando jogadores dos países pobres, todos começam a jogar futebol de primeira e os campeonatos ficam melhores. Viva a globalização!

Por falar em Copa do Mundo, a cidade de São Paulo hoje está parecendo domingo. O trânsito está vazio, os prédios também e os restaurantes estão fazendo promoções. Vai sobrar comida!

Ainda vamos ter o jogo entre Uruguai e Itália, mas, se o Uruguai jogar metade do que jogou contra a Inglaterra, já da para ganhar da Itália. Viva Mujica e seus três milhões de simpáticos uruguaios!

Quero aproveitar para fazer uma reclamação:

A Polícia Militar de São Paulo não pode fazer acordo com baderneiros. O vandalismo que aconteceu ontem tem parte de responsabilidade pela omissão da polícia. Isto não pode acontecer mais.

Para compensar, quero voltar a falar de coisas boas e lembrar aos leitores, principalmente os que moram na cidade de São Paulo:

Prestem atenção na quantidade de Ipês floridos que estão comemorando a Copa do Mundo. Nossa cidade está um verdadeiro jardim cor de rosa. Uma beleza! Pena que não vi nenhum jornal publicar os pés de Ipês floridos. Será que jornalista não gosta de flores? Conheço muitos jornalistas que gostam. Não é Reiko, Liliana e Esther?


Vamos curtir a beleza das flores e a Copa do Mundo!

quinta-feira, 19 de junho de 2014

O milagre da Copa na Folha

Agora eu era herói, 
e meu cavalo só falava inglês...

A Folha hoje fala bem de Chico Buarque,
A Folha hoje trás no primeiro caderno duas páginas de notícias boas sobre a Copa, que não são comuns na própria Folha,
A Folha hoje fala de forma construtiva da nossa Seleção,
A Folha hoje tem uma bela matéria sobre nossa querida Vila Madalena,
A Folha hoje me fez sentir saudade da velha Folha,

A Folha hoje me lembrou o quanto a Rede Globo está sendo prestigiada pelos brasileiros, em reconhecimento pela belíssima cobertura da Copa na Brasil. Até Galvão está sendo elogiado,

A Folha hoje me fez pensar sobre o dilema de seus funcionários, que estão torcendo pelo Brasil, estão comemorando o sucesso da Copa no Brasil, e, até então não podiam demonstrar isto no local de trabalho ou em suas matérias,

A Folha me fez acreditar no MILAGRE DO FUTEBOL e da Confraternização,
Ah, se eu soubesse anexar uma bela música de Chico nesta homenagem à Folha, eu bem que faria,
E por mais que meus amigos me chamem de “traíra” por elogiar a Globo, o Galvão e agora a própria Folha, eu responderia...

Vejam as flores dos Ipês da Vila Madalena, da Av. Dr. Arnaldo no Cemitério, dos vários pés de Ipê na Rua da Consolação, no Anhangabaú, no Parque Dom Pedro ou na Av. Bandeirantes...

Se as flores de São Paulo estão comemorando à Copa, se o povo está cantando o hino nacional “a lapella”, ou à lapela, ou sem acompanhamento de instrumentos musicais, se Felipão fica nervoso com o time e reconhece que a imprensa e todo mundo está torcendo por ele e pelos meninos,

Quem sabe a Folha, daqui prá frente, faça como a quase totalidade dos brasileiros, dos chilenos, dos argentinos, dos colombianos, dos uruguaios, dos equatorianos, dos bolivianos, dos holandeses, dos espanhóis, dos alemães, dos africanos, dos russos, dos japoneses, dos coreanos e até os iranianos...

Vamos deixar a baixaria da política para depois da Copa e vamos, simplesmente, nos unir a todos estes povos de todos os continentes e torcer pelo SUCESSO DA COPA, seja quem for o Campeão,

Eu vou manter minha assinatura da Folha, do Estado, vou continuar lendo o Valor e o Globo, e vou continuar assistindo aos jogos da Copa na Globo, além de ouvir os comentários de Galvão e Patrícia (agora já sei o seu nome).

Afinal, como disse Dilma, esta já é a Copa de Todas as Copas!  

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Nesta Copa, não existe jogo fácil

Brasil não ganhou do México

Felipão e seus meninos superaram parcialmente mais um degrau...

Poderia ter ganho, mas não ganhou. Faltou meio de campo, faltou sangue frio nas finalizações e sobrou garra ao time do México e ao seu goleiro.

Eu avisei que o México nos últimos anos tem jogado mais que o Brasil. E não é só o México. Nesta Copa não tem jogo fácil, não tem freguês. Terminou a primeira rodada e tivemos muitas surpresas.

Espanha dormiu campeã e acordou goleada, Portugal vinha jogando bem, subestimou a Alemanha e tomou um banho, Argentina jogou feio e ganhou com a vantagem de um gol, Itália deu aula de como jogar em Manaus e ganhou da Inglaterra, Bélgica sofreu para ganhar.

Sem contar Uruguai e Costa Rica, além de outras seleções como a do Japão, da Rússia, entre outras que deixaram a desejar.

Tudo leva a crer que o Brasil ganhará de Camarões, mas não se esqueçam dos jogos Olímpicos quando Luxemburgo era técnico da nossa seleção e tomou um baile de Camarões com nove jogadores e o Brasil com onze.

Esta Copa está igual ao mundo atual. Tudo está em mutação, em crise e com angústias. Como evitar surpresas ruins para o Brasil? Sendo cuidadoso, humilde e perseverante. Não se deixar influenciar pela euforia e pela badalação mercadológica. Cada jogo se ganha com planejamento, inteligência, competência e muita força de vontade, além de saber jogar futebol, é claro.

Continuo confiando em Felipão, mesmo nossa seleção não tendo meio de campo.

Por enquanto, o melhor desta Copa é que o Brasil está funcionando, os jogos são verdadeiras festas, o povo e os turistas estrangeiros estão se confraternizando e o Brasil está mostrando ao mundo e aos que eram contra a Copa no Brasil que juntos podemos construir um mundo melhor e mais fraterno.

O brasileiro pode ser cordial, fraterno e guerreiro ao mesmo tempo.Nossa dignidade não está à venda e nosso jeito de ser continuará sendo esta informalidade de norte ao sul do Brasil.

Hoje, graças à televisão, todo mundo joga futebol, até os japoneses e americanos, quanto mais os latino americanos, os africanos. Sem contar os holandeses e alemães. Felipão sabe disso. E nossos meninos, por jogarem na Europa, também sabem. O próximo degrau será na segunda-feira, em Brasília.

Tomo mundo deve abrir os olhos e, cada jogo é um jogo.


terça-feira, 17 de junho de 2014

O segundo degrau de Felipão

México já nos deu alegria e tristeza

A imprensa estimula uma visão de que venceremos fácil o México. Isto é muito perigoso. O México já nos deu muitas alegrias quando fomos campeões mundiais em Guadalajara. Mas, também já nos humilhou quando fez um gol relâmpago e impediu que o Brasil conquistasse a medalha de ouro nas Olimpíadas, quando Mano Meneses era técnico.

É claro que Felipão não é Mano Meneses, mas, como diz o próprio Felipão: Cada jogo é um jogo e o Brasil precisa superar sete degraus para ser campeão nesta Copa.

O primeiro degrau já foi superado, com muita polêmica sobre o fato de termos tomado um gol contra besta, depois ter demorado para empatar e ainda ter que conviver com um pênalti duvidoso, dando margem para melar a nossa alegria com a vitória.

Hoje precisamos superar o Segundo Degrau de Felipão.

Como todo brasileiro também é técnico de futebol, Felipão já deve ter conversado com nossa defesa, para ser mais defesa e menos atacante; deve também ter conversado com Hulk e Fred para eles serem mais atacantes e goleadores do que meros coadjuvantes lerdos e também deve ter conversado com o time todo para não baixar a guarda com os mexicanos.

O México pode ter perdido muitas partidas antigas, mas, nos últimos anos, além de ter derrotado o Brasil nas Olimpíadas, seus times de futebol têm humilhados os times brasileiros. É bom lembrar que na última Libertadores os seis times brasileiros deram um verdadeiro vexame.

O mundo acompanha este blog

Além de pessoas do MÉXICO, tivemos visitas do QUIRQUISTÃO, Canadá, França, Espanha, Letônia, Rússia, Ucrânia, Alemanha, USA, Portugal, Polônia, Malásia, Angola, Argentina, Uruguai e Peru. E de milhares de brasileiros.

A vida é assim, um dia de cada vez.
Vamos que vamos, Felipão e seus meninos!

segunda-feira, 16 de junho de 2014

É a Copa: Estadão 3, Folha 0

Nada melhor do que a concorrência

Embora fique mais dispendioso, é bom poder ler vários jornais em vez de se ficar refém do "pensamento único". Seja ele da direita ou da esquerda. A diversidade é saudável. é só olhar para a Natureza e para as flores.

Eu tenho lido três a quatro jornais por dia - Folha, Estado, Valor e Globo - os dois primeiros em leio ainda cedo em casa e os outros dois no trabalho. Por relações mais antigas e afetivas, falo sempre mais da Folha e do Estado.

Hoje tinha prometido que só iria escrever no blog à noite. Mas, ao ler os dois jornais não consegui sair de casa sem antes incorporar o "espírito da Copa" e fazer um breve relato.

Hoje a Folha está perdendo de 3 x 0 para o Estadão. 

Vejam as matérias que destacarei e podem escrever seus comentários.

1 - A folha saiu na frente defendendo em editorial e matérias a privatização da USP - a maior e mais importante universidade pública do Brasil.

Várias pessoas, inclusive eu, saímos na defesa da manutenção da USP como universidade pública e sem cobrar mensalidades. Reclamei que a grande maioria dos professores da USP não estava defendendo a Universidade.

Pois hoje o Estadão saiu com uma longa matéria do professor José Goldemberg, um dos professores mais respeitados no Brasil e no exterior, uma grande liderança da comunidade judaica paulista e brasileira e ex-reitor, além de ex-ministro da educação.

Goldemberg faz um histórico da USP e esclarece muitos fatos, o que senti falta foi de ele ao citar os nomes de Carvalho Pinto e Jânio Quadros, não ter falado quem era o governador em 1988, quando foi fixado uma parcela do ICMS para sustentar as universidades paulistas - USP, UNICAMP E UNESP -  e não ter dito quem são os governadores que nomearam reitores que afundaram a USP. Afinal, reitores são eleitos em lista tríplices e escolhidos pelos governadores. Quem paga cuida, diz o ditado. Serra, quando governador, interveio na OSESP e tirou o maestro.

Leiam a boa matéria do Professor José Goldemberg.

2 - Iraque e Obama - O pior dos mundos

Lúcia Guimarães, jornalista brasileira radicada há muitos anos nos Estados Unidos, escreve hoje no Estadão, uma matéria primorosa sobre o caos no Iraque e a política americana. O nome é "O pior dos mundos". É tão interessante que pretendo reproduzi-la na íntegra mais tarde.

Como diz Lúcia Guimarães: "Obama disse que os Estados Unidos deram aos iraquianos uma país estável. NADA MAIS DISTANTE DA REALIDADE.

3 -  A cobertura da COPA DO MUNDO

A Folha trabalhou tanto contra a Copa que não consegue fazer uma cobertura com a sua capacidade histórica de criatividade. Fico triste e com pena do jornal. Está parecendo a Veja.

Já o caderno de esportes do Estadão, parece que estamos em outra Copa e em outro país. Fico sempre emocionado lendo a cobertura do Estadão e vendo as fotos. É o empresário orgulhoso de Itaquera, são as crianças com as camisas do Brasil, são os estrangeiros comemorando o carinho brasileiro...

Eu até esqueço que até alguns dias, havia um monte de loucos dizendo que "Não ia ter Copa". Entre este bando de loucos estavam os donos da Folha e alguns loucos dos seus jornalistas.

Enfim, o Brasil e a Copa venceram os derrotistas, os oportunistas e os odientos.

Mesmo estando perdendo de 3x0 para o Estadão, quem sabe a Folha resolva jogar no segundo tempo e, em vez de ficar "jogando m... no ventilador", começa a priorizar uma boa cobertura da Copa, mostrar que o Brasil pode fazer parte do mundo e que nossa diversidade e nossas contradições são nossa melhor característica.

E hoje vou ver o jogo Portugal e Alemanha. 
Gosto da Alemanha e de Portugal.
Se a Alemanha facilitar, toma de 3 de Portugal.
Sempre pela Globo - Alô Galvão!

domingo, 15 de junho de 2014

Democracia e Liberdade – O sonho não acabou

Imprensa, Filmes, Músicas e Lembranças

Ando preocupado com o crescimento da direita fascista no mundo e no Brasil. O ato de hostilizar a presidente em plena abertura da Copa do Mundo em São Paulo não representa apenas uma “molecagem”, é o prenúncio de algo que vem crescendo no Brasil e no Mundo.

A direita perdeu o medo de se assumir como direita, os trabalhadores estão inseguros com seus empregos e seu padrão de vida e, na falta de uma alternativa democrática –popular convincente, busca alternativa na “lei e na ordem”, mesmo que seja a ordem fascista.

São Paulo sempre foi a nossa Saigon, a cabeça da serpente que luta contra qualquer mudança estrutural em nosso país. Os golpes e contra-golpes só acontecem no Brasil quando São Paulo está envolvido. Como mudar isto? Como contribuir para São Paulo, além de ser o Estado mais rico do país, também passar a ser o Estado que garanta a liberdade, a diversidade e a vanguarda da cultura nacional?

Depois de ver os jornais, ler as poucas boas matérias que apareceram, vim matar a saudade do tempo que a imprensa priorizava a liberdade e a luta contra o fascismo e o nazismo. Vim ao computador ouvir mais uma vez “As Time Goes By”, tanto com Franck Sinatra como o original no filme com suas fotos maravilhosas.

Talvez meu computador não mostre no blog as imagens nem o som, mas alguém saberá reproduzir para mim. Esther já fez isto ima vez.

Afinal, o sonho não acabou...

Casablanca 1942 As Time Goes By Ingrid Bergman Humphrey Bog


<iframe width="380" height="285" src="//www.youtube.com/embed/kc02Y4xHWys" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>

Imprensa: Monstros e Deuses

Da mediocridade à Sabedoria

O que faz com que nossa imprensa oscile entre a mediocridade e a sabedoria?

O que faz com que jornais importantes como a Folha e o Estadão publiquem como chamada de capa um meso título eleitoral de um candidato conservador que fala uma bobagem e os jornais a reproduzem?

Quando vi as capas dos jornais de hoje pensei, no primeiro momento, colocar como título do meu blog de hoje a pergunta: Quem é pior, a pessoa que fala uma bobagem ou o jornal que dá destaque a bobagem? 

Mas, ao folhear os dois jornais, achei uma reportagem brilhante no Estadão sobre o nosso querido Chico Buarque e achei duas ótimas matérias no caderno ilustríssima da Folha. Estas reportagens publicadas nos cadernos culturais compensam a mediocridade da capa e do caderno de política. A primeira matéria da ilustríssima é " Pelos olhos de Vivian Maier" e a segunda é " Dez teses sobre a ascensão da extrema direita europeia". 

Fico pensando com meus botões : 
- será que nossa imprensa é esquizofrênica? 
- será que os conservadores e reacionários brasileiros têm vergonha de se assumirem?
- ou será que eles, apesar de conservadores, ainda conservam alguns valores democráticos?

Confesso que não sei a resposta.
- Eu respeito muito o fato de o Estadão ser conservador mas ser nacionalista, defensor do empresariado nacional e defensor da cultura clássica.
- Mas, respeito cada vez menos a "modernidade cínica" da Folha. Seu neoliberalismo sem limite e sua servidão a tudo que é americano. 

Daí vem minha surpresa com o caderno Ilustríssima de hoje estar parecendo o caderno Aliás do Estadão, que tradicionalmente é melhor e mais clássico. 

Para ler o Estadão sem ficar com raiva do jornal, é só pular as quatro primeiras páginas, que são espaços para os conservadores paulistas. Mas o caderno de Economia, alem dos de Esporte e Cultura, são melhores do que a Folha.

E por que eu assino a Folha? 
Porque ela é esquizofrênica e é a líder do neoliberalismom no Brasil. Eu preciso conhecer o adversário. Além de ter boas matérias culturais. O duro é que, com a crise da Veja, a Folha resolveu assumir seu lugar. 

Tirando as monstruosidades da nossa Imprensa, precisamos estimular que sujam mais jornais, mais revistas, mais rádios e mais TVs. Por exemplo, ontem eu contei seis canais de TVs retransmitindo os jogos da Copa. Imaginem em qual canal eu fiquei? Na Globo com Galvão Bueno. Não sou um masoquista? Mas eu estou adorando a cobertura da Copa pela Globo.

E viva a democracia, a economia de mercado e os milhões de brasileiros que continuarão votando para que o Brasil seja de todos os brasileiros e não apenas dos ricos preconceituosos...

Por falar nisto, leiam o texto na Folha de hoje " dez teses sobre a ascensão da extrema direita na Europa" e também no Brasil, liderada pela Folha/Veja e  pelos tucanos. 

Sinais dos tempos.

sábado, 14 de junho de 2014

Professor João Manoel Cardoso de Mello não está só!

Milhões de brasileiros pensamos como ele

Baixou o santo no jornal Valor Econômico e eles resolveram entrevistar um dos melhores pensadores do Brasil.
João Manuel Cardoso de Mello resolveu abrir o coração, a mente e soltar "o verbo".

Uma das melhores notícias que apareceu no Brasil nos últimos tempos.
Num país cheio de oportunistas, tanto na imprensa, como nos partidos políticos e até nas universidades, de repente parece que se lembraram de ouvir pessoas como João Manuel e Antônio Cândido.

Antes, a ditadura censurava a imprensa, agora, são os donos da mídia que censuram seus jornais, rádios e canais de TV. E o Brasil está cheio de jornalistas fisiológicos que topam tudo por dinheiro e por fama, principalmente falar mal do PT e de Dilma.

A ironia é que o jornal Valor pertence à Folha e à Rede Globo. Mas é feito para empresários e a elite dominante, por isto, pode falar a verdade que não contamina. Mas existem também as Redes Sociais e a gente pode multiplicar a Verdade e as entrevistas de pessoas como João Manoel.

Para quem quiser ler a íntegra da entrevista, 
publicada nesta sexta-feira, dia 13, reproduzo o endereço:

https://www.blogger.com/blogger.g?blogID=9070793736572656678#editor/target=post;postID=1383829296737682010

Como não sei editar como "leia aqui", reproduzo o endereço que é só copiar e colar.

O título é "Constituinte versus desordem" e vou reproduzir algumas chamadas editadas pelo Valor. Depois pretendo reproduzir quase tudo. Vale a pena.

É um manifesto histórico para todos os brasileiros.

Vamos aos destaques do Valor, na palavra de João Manoel:

1 - O debate atual no país é uma vergonha. De péssimo nível. O grande problema brasileiro é uma desordem político-institucional.

2 - A política se transformou num negócio. O partido da presidente tem 20% do Legislativo, logo, a presidente é refém de partidos de aluguel.

3 - O STF legisla. E não pode! Isso é uma verdadeira barbaridade! O Tribunal de Contas interrompe obra. Está tudo errado.

Quer mais?
Procure o caderno de fim-de-semana do jornal Valor com a brilhante entrevista do professor João Manoel ou, copie o endereço acima, ou ainda espere que vou reproduzir a entrevista em capítulos.

O Brasil está mudando e as pessoas estão tomando coragem para dizer o que pensa, sem ficar refém da censura da imprensa ou dos partidos.

Dias melhores virão!
Eu também defendo uma nova CONSTITUINTE
livre, soberana e exclusiva!

Somos milhões de João Manoel!

Ipês rosa floridos na Copa

Todos os Ipês rosa comemoram a Copa

A falta de chuva em São Paulo atrasou as flores do Ipê rosa, mas, em compensação, chegaram todas as flores com a Copa do Mundo.

Ontem, ao sair de casa para trabalhar, tive o prazer de ver os ipês floridos em quase todas as ruas que passei. Inclusive a gloriosa rua da Consolação e o Vale do Anhangabau...

Estas flores são da Rua Natingui com a Rua Fradique Coutinho. Na Vila Madalena, é claro.

Primeiro vejam este chão florido...


Agora o pé de Ipê...


sexta-feira, 13 de junho de 2014

Vergonha Nacional

Baixaria da Imprensa estimula violência

Para a Folha de São Paulo e seus aliados a vaia e as provocações que parte da torcida fez com a presidente Dilma no jogo de abertura da Copa do Mundo na presença de outros governantes de vários países foi uma grande realização de desejos.

A Folha está pior do que a Veja e superou a Rede Globo. A Folha está parecendo o pessoal da antiga TFP - Tradição Familia e Propriedade, organização fascista que dava apoio à ditadura militar.

Há algum tempo esta mesma Folha vinha propagando que Lula era o representante maior do "brasileiro cordial", criado por Sergio Buarque de Holanda. Se Lula representa o "brasileiro cordial", a Folha e seus aliados representam os fascistas, os ricos brasileiros que não gostam de povo, nem de aviões cheios. Não é por acaso que a Folha quer privatizar a USP.

Confesso que, quando escrevi ontem que a Folha iria dar como manchete que "O Brasil ganhou roubando", não esperava que o jornal superasse minhas expectativas. O Jornal foi baixaria do início ao fim. Só se salvou mesmo Juca, Tostão e mais alguns. E pensar que antes se tinha orgulho de trabalhar na Folha!

O Brasil está demonstrando sua imaturidade para a vida democrática, plural e nacional. A imprensa, o judiciário e os políticos contribuem para isto. É lamentável!

Feito o desabafo, quero registrar aqui que fiquei muito triste em não poder ter assistido ao jogo Espanha e Holanda. Parece que está pintando um concorrente sério a campeão. O Brasil que abra os olhos!

A Holanda veio para disputar a taça! 
Parabéns!

Eu estive estes dois dias em Salvador-Bania e fiquei louco para ir à Fonte Nova para assistir ao jogo.
A Copa na Bahia, além de fazer o milagre de inaugurar o Metrô que durou 16 anos para ficar pronto, possibilitou um dos melhores jogos desta Copa do Mundo.

Parabéns também a cobertura nacional e internacional que a Rede Globo está fazendo.
Estou com Galvão e não abro!

Aquele abraço!

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Vitória à Felipão - no sufoco!

Vencido o primeiro degrau

Agora é superar os erros do primeiro jogo e preparar-se para um adversário difícil. O México gosta de ganhar do Brasil, mas nunca ganhou do Felipão. Se ganharmos estaremos matematicamente classificados. Mas temos que superar o segundo degrau.

Felipão deu uma boa entrevista coletiva e, com humildade, agradeceu o apoio da torcida presente ao Itaquerão. Reconheceu os méritos de jogadores como Oscar, Neymar, Luiz David entre outros. Sobre o pênalti Felipão foi categórico: O juiz marcou e está marcado.

Quero aproveitar e registrar que assistimos ao jogo pela Globo, canal aberto. Com direito a Galvão Bueno e tudo. Continuo achando que a Globo continua fazendo a melhor cobertura da Copa.

Quero só ver a manchete da Folha de amanhã! Vão dizer que o Brasil ganhou roubando!

O Brasil é assim mesmo, não tem nada fácil. Mas aos poucos vamos avançando e mudando nosso país. Assim construiremos uma grande nação.

Já que o dia foi de grande vitória, quero aproveitar e registrar a extraordinária vitória da Chapa da CUT nas eleições dos professores da rede estadual do Rio Grande do Sul. Reconquistar este sindicato tem um sabor muito especial.

Felipão, como bom gaúcho, avisa: Um degrau de cada vez!