terça-feira, 13 de maio de 2014

Imprensa e Judiciário contra o Governo

Manifestações e Forças Ocultas

Durante o ano, os dois períodos em que o Brasil vive mais o clima das Campanhas Salariais são os meses de Maio e Setembro. No mês de maio é a data base do setor de transporte e de milhões de trabalhadores do campo e da cidade. Já o mês de setembro é a data base dos bancários, metalúrgicos e petroleiros de todo o Brasil.

A dimensão das greves e manifestações depende da tal da Conjuntura, ou da Correlação de Forças. Dependendo de cada setor as campanhas podem ser mais agitadas ou mais calmas.  Quando temos governos conservadores, como de FHC, o pau come contra os trabalhadores, o judiciário legaliza e a imprensa apoia a repressão. É o retrato da Luta de Classe.

Na época que fui negociador pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, eu tinha os "10 Mandamentos de uma Campanha Salarial”, que norteavam as análises para subsidiarem as campanhas.

As varáveis daquela época não são todas iguais para hoje, mas ainda são muito próximas.

“10 mandamentos de uma Campanha Salarial”

1 – Tamanho da inflação
2 – Crescimento do PIB
3 – Lucratividade dos Bancos
4 – Situação dos Bancos Privados e dos Bancos Públicos
5 – Situação do Governo Federal
6 – Situação do Judiciário
7 – Relação da Imprensa com o governo federal
8 – Situação dos governadores
9 – Se há disputa eleitoral nos Sindicatos
10 – Se estamos em ano eleitoral no país.

Como a imprensa está contra o governo e contra a Copa, automaticamente está estimulando as manifestações contra o governo e, para isto, conta com o apoio do judiciário. 

Tem muito militante político esquerdista, ou mesmo pelego, se fazendo de aliado da imprensa para combater o governo Dilma e o PT. Estão fazendo o jogo da direita. Não é a primeira vez, nem a última. Faz parte do processo histórico.

Os governadores, por sua vez, fingem de mortos e ficam refém da pressão. A violência toma conta dos estados e a imprensa divulga que o problema é federal.

O que é de estranhar é com a improvisação que o governo vem enfrentando seus adversários.  Além da baixaria da imprensa, temos que ver a Petrobras sangrar e ainda ver a presidenta da empresa defender aumento do preço da gasolina, independentemente do calendário eleitoral e do impacto inflacionário. Precisamos de inimigos?

Ainda bem que ainda temos Lula…
Até quando?

Nenhum comentário:

Postar um comentário