sábado, 12 de abril de 2014

O Brasil mudou. Nós também mudamos

Do Paulo VI à Atibaia

Do dia 10 até hoje, dia 12, mais de 400 delegados de todos os estados brasileiros estiveram presentes na Conferência Nacional da Articulação Sindical, em Atibaia, município cheio de chácaras e hoteis para eventos empresariais. Num destes hoteis, os sindicalistas discutiram e aprovaram resoluções sobre a conjuntura, eleições gerais e perspectivas para a CUT e o sindicalismo nacional e internacional.

Neste encontro pudemos encontrar companheiros e companheiras que não víamos há mais de dez anos. Agora os tempos são outros. Muitos sindicalistas do tempo em que as reuniões eram em Taboão da Serra, no Instituto Paulo VI, foram eleitos governadores, prefeitos, senadores, deputados federais e estaduais, vereadores e dirigentes de estatais. Até o padrão do local de reunião melhorou muito...

Nestes mais de 30 anos, o Brasil mudou muito.
E nós também mudamos muito...

Atualmente, além de ter eleito o primeiro sindicalista presidente da república; depois a primeira mulher presidenta da república, também tivemos um representante da CUT sendo o primeiro sindicalista da América Latina a presidir o sindicalismo internacional.

Muitos destes sindicalistas já são avôs e avós. O filhos e os netos falam inglês fluentemente e conhecem o mundo. A fase da Internacional e do culto à Cuba ficou para trás.

A palavra de ordem agora é manter o governo. Reeleger Dilma e aumentar as bancadas para possibilitar fazer Reforma Tributária e Reforma Política.

Do Instituto Paulo VI restam boas lembranças e a presença de Dom Paulo Evaristo Arns, que depois de aposentado compulsoriamente, passou a morar franciscanamente lá no Paulo VI.

Que o Brasil e todos nós continuemos mudando para melhor.

Um comentário:

  1. ééé... mas a CUT precisa mudar mais, ou mudar diferente, pra não perder o bonde.

    ResponderExcluir