quinta-feira, 3 de abril de 2014

CUT vai presidir o Sindicalismo Mundial

Representante da CUT e das Américas, João Felicio,
será presidente da CSI – Central Sindical Internacional


Com LULA na presidência do Brasil, o país passou a ser um novo refencial mundial. Lula deu vez e voz aos brasileiros no cenário internacional, com suas políticas de inclusão social, distribuição de renda e crescimento econômico.

Como reflexo do sucesso de Lula, o Brasil passou a dirigir instituições importantes como a FAU, o FMI, a OMC, Comissão de Direitos Humanos da OEA e agora, a maior e mais importante central sindical do mundo terá como presidente o representante da CUT.

Em 2013 a CUT completou 30 anos de vida, e em tão pouco tempo, passou a ser a maior central da América Latina, a maior do Brasil e estar presente em todas as organizações internacionais dos trabalhadores.

A história da CUT e do PT foram decisivas para esta escolha.
O histórico de João Felício, como atual Secretário de Relações Internacionais, ex-presidente e ex-secretário geral da CUT também foi importante.

Destacamos também como relevante o apoio e dedicação que Vagner Freitas,
atual presidente da nossa central, dedicou à candidatura da CUT e de João Felício.

Vejam mais detalhes na matéria do site da CUT:

João Felício será o primeiro latino-americano
a presidir a Central Sindical Internacional

Dirigentes de centrais de todo o mundo aclamaram o nome do secretário de Relações Internacionais da CUT, entre eles representantes da Força, UGT e CNPL

Escrito por: CUT Nacional – 02/04/2014

Dirigentes das principais sindicais de todo o mundo aprovaram nesta quarta-feira (2), a indicação de João Felício, secretário de Relações Internacionais da Central Única dos Trabalhadores (CUT) à presidência da Confederação Sindical Internacional (CSI). Felício será o primeiro latino-americano a presidir essa importante central internacional.

O dirigente foi indicado pela CUT, pelas outras duas centrais sindicais brasileiras e pela Confederação Nacional dos Profissionais Liberais (CNPL) que participam doConselho Geral da CSI, Força Sindical e UGT, além de todas as centrais sindicais filiadas das Américas.

A Confederação Sindical Internacional é resultado da fusão da Confederação Internacional de Sindicatos Livres (CIOSL) e da Confederação Mundial do Trabalho (CMT).

A CSI é a maior e principal entidade de representação da classe trabalhadora em todo o mundo. Ela congrega 175 milhões de trabalhadores e trabalhadoras, associados a 311 entidades afiliados em 155 países e territórios.

Participaram da reunião representando o Brasil, além de Felício, o presidente da CUT, Vagner Freitas, o presidente da UGT, Ricardo Patah, o secretário Geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, e Carlos Alberto de Azevedo, da Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL).

Além de dirigentes de entidades internacionais, como da DGB da Alemanha, AFL-CIO dos EUA, CGT da França, CCOO da Espanha, UNTA de Angola e Kosatu da África do Sul, entre outras.

O Congresso da CSI que vai referendar o nome de João Felício como presidente será realizado nos dias 18 a 23 de maio, em Berlim. Após o Congresso, ocorrerá a reunião do Conselho Geral, quando haverá a eleição do presidente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário