quarta-feira, 5 de março de 2014

Chegamos a 300 mil e 108 países

Para que serve este blog?

Começamos a fazer o blog num dia 05 de abril, não sei se foi em 2010 ou 2011. Hoje, 05 de março de 2014 passamos dos 300 mil acessos realizados por pessoas em 108 países.

Gente de todos os continentes e de todas as religiões acessam este blog.
Gente que gosta de economia, de política, de música, de flores e,
principalmente, de qualidade de vida, solidariedade e liberdade.

Gente que, como eu, também acha que “A Terra é nossa Pátria”.

Para vocês terem uma ideia da diversidade de países, entre os que mais acessam, temos:

USA – 42.663; Alemanha – 6.813; Ucrânia – 5.185;
China – 4.161; Rússia – 2.004 e Malásia – 1.744.

Outra coisa em comum é que muçulmanos e judeus também acessam o blog.

Sobre os assuntos mais visitados:

O maior de todos é sobre o banco Santander no Brasil, são mais de 40 mil acessos. Todos querendo saber se o banco vai ser vendido ou não, já que o Santander ainda não se encontrou no Brasil.

Outro assunto com muitos acessos é o julgamento do mensalão.
Por exemplo, o texto com o título “Prendam Genoíno e soltem os ladrões”, tem mais de 500 acessos. E Genoino continua preso e os ladrões continuam soltos. Este é o Brasil...

Sobre os países que mais nos visitam, chama atenção a quantidade de acessos diários por alguém na Ucrânia. Estes acessos são permanentes e quando eu vejo a situação atual da Ucrânia fico pensando: Quem acessa nosso blog, está de qual lado?

Meu lado eu já tornei público: Sou a favor de todos os países europeus fazerem parte da União Europeia, sem distinção de religião ou política. Não acho que deva ser obrigatório o uso do Euro nem fazer parte da OTAN – organização militar subordinada aos Estados Unidos.

E sobre a Venezuela, qual é minha posição? Eu creio que nunca postei algo aqui sobre a Venezuela. Na verdade é porque eu não gosto nem de um lado, nem do outro. Não gosto do maniqueísmo. Gosto da pluralidade e da diversidade.

Não gosto de minorias nas ruas querendo derrubar governos eleitos.
Mas gosto de manifestações pacíficas por mudanças sociais para o povo.
Na Venezuela, sem comida e mantimentos nos supermercados, o governo não sobrevive. Será que o petróleo está afetando a economia venezuelana?

Tenho alguns leitores simbólicos que me alertam quando exagero na tinta.
Joel, no Rio, Liliana, em São Paulo, alguns amigos em Brasília e outros em Minas Gerais. Além da censura doméstica.

Finalmente, sobre a Copa e as Eleições deste ano.

Vamos ter Copa, Felipão tem meu amplo apoio e vou trabalhar muito para reeleger Dilma e o PT fazer uma grande bancada. Mesmo com seus erros, o PT ainda é o grande transformador da realidade brasileira. Mesmo tendo que suportar políticos oportunistas, uma imprensa manipuladora e uma justiça que não é justa.

Se eu pudesse ajudar, eu contribuiria para se fazer uma ampla aliança de progressistas de todos os partidos, juntamente com empresários, sindicalistas, movimentos sociais e a imprensa, para eleger um novo Congresso Constituinte, fazer nova Constituição e priorizar o Trabalho, a Educação e a Infraestrutura do Brasil.

Como dizia Betinho, meu blog pode ser como a pequena beija-flor carregando gotas d’águas para combater o incêndio da baderna que assola o Brasil.

Já é alguma coisa...
Enquanto meu sonho não se realiza,
só tenho a agradecer a todos os leitores.

2 comentários:

  1. Grande Gilmar, nego véio, sinto falta de um espaço presencial onde possamos debater política sem maniqueísmo ou outros ismos, sinto falta do Círculo Arco Iris, do falecido Gushi, onde líamos e debatíamos vários textos e temas.
    A pobreza do debate me irrita, sinto que muitos petistas, perderam o senso crítico, e fazem um adesismo cego e automático, e isso é despolitizante.
    Enquanto não rola um espaço presencial, continuemos no DPV ( Debate Político Virtual )

    ResponderExcluir
  2. Fico muito honrado de ser um "leitor simbólico". Mas acho que meus alertas são quando a tinta do blog tá meio rala... quem "exagera na tinta", mais frequentemente do que eu gostaria, sou eu mesmo. Abração.

    ResponderExcluir