segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Valor – Manchete manipulada sobre aeroportos

O aumento da demanda não foi em função da privatização

Eu já sabia que o jornal Valor vinha fazendo campanha contra Dilma e a favor de Eduardo Campos; eu também já sabia que o jornal Valor é a favor das privatizações, mas nunca imaginei que, um jornal tão sério, fosse capaz de fazer uma matéria e colocá-la como principal na capa, com um título tão mentiroso.

O quê fez aumentar os usuários dos aeroportos não foram as privatizações, o aumento foi decorrente da demanda em função da maior procura por passagens aéreas. Todos os anos, desde o Plano Real, há um aumento constante de procura por passagens aéreas, principalmente quando as empresas promovem voos mais baratos que ônibus.

Imaginem que um ônibus demora três dias para chegar ao Piauí. Enquanto de avião são apenas algumas horas. Se o cliente comprar com antecedência, a passagem sai muito mais barata e o tempo é muito menor.

O jornal Valor não pode perder a credibilidade.
Afinal, pelo menos os empresários, que são os maiores leitores do jornal, precisam saber a verdade.

Vejam a matéria do Valor e tirem suas conclusões:

Aeroportos privados atraem mais 4 milhões de usuários

Por Fábio Pupo | De São Paulo
Valor – 03/02/2014

Os primeiros aeroportos concedidos à administração privada tiveram forte crescimento no número de passageiros em 2013, primeiro ano de sua administração. As concessionárias conseguiram atrair para Guarulhos, Viracopos e Brasília 4,3 milhões de viajantes a mais do que no ano anterior, numa expansão anual de 7,5%. Enquanto isso, a soma de passageiros em todos os 63 aeroportos administrados pela estatal Infraero caiu 0,6%.

O aumento do número de passageiros ocorreu antes mesmo da conclusão das obras de expansão e, por isso, sobrecarregou os já lotados terminais. Além da evolução natural dos grandes aeroportos, as concessionárias estabeleceram estratégias para aumentar as receitas logo no início da operação. No caso da administradora de Guarulhos, a GRU Airport, controlada pela Invepar, a estratégia foi expandir o número de voos, especialmente por meio da atração de mais companhias aéreas.

Sete novas empresas começaram a operar em Guarulhos em 2013, entre elas a US Airways. A segunda medida foi incentivar as companhias a usar aviões de maior capacidade. Essas medidas fizeram o número de passageiros em Guarulhos subir para 36 milhões em 2013, um crescimento de 9,8% em relação ao ano anterior.

Em Brasília, o aeroporto da Inframérica, controlada pelo grupo Engevix e pela argentina Corporación América, teve crescimento de 4,5% no número de passageiros - para 16,6 milhões. Boa parte dessa evolução ocorreu no segundo semestre. Duas novas companhias aéreas - Aerolíneas Argentinas e Air France - passaram a operar na capital do país. Além disso, o aeroporto atraiu mais voos de conexões (8% a mais). O aumento se deu em meio a uma operação tumultuada, por causa dos trabalhos de expansão.

Em Campinas, onde opera a Aeroportos Brasil Viracopos, controlada por Triunfo Participações e Investimentos, UTC Participações e Egis, a expansão em 2013 foi de 4,9%, para 9,3 milhões de passageiros. Nesse caso, o crescimento se deve a novas posições de aeronaves, mas também em grande parte à evolução natural do terminal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário