segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Presidência: Lula lá novamente!

Bem que podia ser em 2014, mas vai ser em 2018.

O jornal Valor apresenta na capa de hoje uma matéria com o tíitulo:
“Lula admite candidatura em 2018”. E na parte interna, apresenta a matéria abaixo.

Se Lula fosse candidato neste ano de 2014, a campanha seria bem mais fácil e barata.
Lula ganharia no primeiro turno e elegeria um grande bancada de governadores e deputados.
A campanha seria uma grande festa! Mas temos um compromisso com Dilma e com certeza Lula será fundamental na reeleição de Dilma. Nós também trabalharemos muito para elegê-la, além de eleger os governadores e deputados.

Mas, só em saber que em 2018 contaremos com Lula presidente, a alegria é imensa.
Teremos Lula lá novamente.

Leiam a matéria do jornal Valor de hoje:

Lula faz planos para disputar eleição presidencial
daqui a quatro anos

Valor – 03/02/2014
Por Bruno Peres e Andrea Jubé | De Brasília

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva alimenta o projeto de voltar ao poder em 2018. Um petista influente, amigo de longa data do ex-presidente, afirma que Lula não descarta se candidatar novamente à Presidência da República daqui a quatro anos. O projeto atual, entretanto, ao qual ele se dedica integralmente, é reeleger a presidente Dilma Rousseff em outubro.

"Ele quer continuar fazendo bem ao povo brasileiro", explica a fonte, que acompanha Lula há mais de 30 anos, desde que o então metalúrgico comandava greves no ABC paulista. Segundo este interlocutor, o ex-presidente avalia que, na hipótese de reeleição de Dilma, os 16 anos do PT no poder não esgotariam o "projeto de transformação do país", e o partido ainda teria fôlego para prosseguir.

Em 2018, Lula estará com 73 anos. Ele próprio já confidenciou a um grupo de aliados que planeja o seu retorno daqui a quatro anos. No dia 29 de outubro do ano passado, durante uma visita ao Senado, o ex-presidente afirmou, em tom de galhofa, que havia começado a fazer duas horas de exercícios físicos todos os dias para entrar em forma. Ele completou, segundo relatos, que se "encherem muito o saco", voltaria em 2018. A confidência se deu em um almoço na liderança do PTB, com o bloco de senadores petebistas e do PR.

Lula cogita se candidatar daqui a quatro anos para, se necessário, enfrentar o governador de Pernambuco e presidente do PSB, Eduardo Campos. Parece um projeto distante, considerando a eleição deste ano que é prioritária. No entanto, Lula calcula que Campos não vence Dilma neste ano, mas voltaria competitivo, com recall das urnas, em 2018.

Lula e a cúpula petista interpretaram como uma "traição" o voo solo do pessebista neste ano. Lula prometera a Campos que o apoiaria na disputa presidencial de 2018. Contudo, o pernambucano antecipou a candidatura, e ainda se uniu a outra ex-ministra da gestão Lula, Marina Silva (Rede), para enfrentar Dilma. "Inegavelmente, essa união fragiliza o bloco governista", admite o petista, reproduzindo o raciocínio de Lula.

Nem Lula nem a cúpula petista avaliam que a eventual continuidade de um partido no poder por duas décadas implique uma espécie de "dominação" ou "ditadura". O argumento é de que a eventual reeleição de Dilma e possível retorno de Lula ocorreriam por meio das urnas, com o aval da "maioria do povo".

2 comentários:

  1. 73 anos... ainda dá... o Mujica tá com 78, se não me engano

    ResponderExcluir
  2. Será que ai ela fará aquele governo de 1989? Com as reformas estruturais de base? Quero esta vivo para ver...

    ResponderExcluir